Verduras e legumes permitidos para cães

Descubra quais verduras e legumes podem ou não ser oferecidos ao seu cachorro

por George Augusto — publicado 5 abr 2014 - 1:40

Pode parecer um pouco estranho um cão se alimentar com verduras e legumes. Ao contrário do que muitos pensam, as verduras e os legumes, assim como as frutas, podem ser bastante benéficas para um cão. Atualmente, alguns tutores de cães não são tão adeptos à alimentação contendo verduras e legumes, devido ao alto custo financeiro. Não é obrigatoriamente necessário o cão se alimentar com verduras, já que o animal é naturalmente carnívoro, porém é indicado o uso das verduras, pois é excelente para completar as exigências nutricionais do pet.

Muitos proprietários utilizam da dieta natural, abolindo rações industrializadas do cardápio dos pets, pois afirmam que elas podem ser cancerígenas para os animais. O correto é que as dietas contendo legumes e verduras sejam feitas pelo  profissional médico veterinário. Existem tutores que fazem a dieta do cão por conta própria, fazendo com que, em muitas vezes, a alimentação não supra as exigências nutricionais do animal.

As verduras e os legumes oferecidos para os cães podem ser bastante úteis em casos de doenças. Muitos médicos veterinários elegeram a dieta natural como medida de tratamento de algumas enfermidades nos cães. Como dito anteriormente, é necessário que a dieta seja formulada por um médico veterinário, pois certas verduras podem ser prejudiciais em alguns tipos de moléstias.

Antes de começarmos a citar as verduras e os legumes indicados, vale ressaltar que elas devem ser cozidas e trituradas antes de serem oferecidas ao pet, a fim de promover uma maior digestibilidade pelo animal.

O gosto alimentar dos cães, assim como o nosso, é diversificado. Existem animais que preferem um tipo de legume do que outro, e isso se estende às verduras também. É importante que se faça o experimento do paladar do pet, para quando for levá-lo ao médico veterinário, já saiba explicar a preferência do seu cão. É através da informação do tutor, que o profissional irá passar uma dieta conivente às exigências nutricionais do cão, respeitando, é claro, as predileções do pet.

Antes de ser elaborada a dieta, é aconselhado que o médico veterinário faça exames, a fim de saber o grau de sanidade que o animal apresenta. É a partir daí, que vai começar a formulação da dieta, sendo ela especial e personalizada para o cão avaliado. Consulte e tenha sempre o apoio de um médico veterinário.

 

verduras-legumes-permitidas-caes-0

 

As verduras e legumes a seguir podem ser oferecidas para o animal, lembrando sempre que um médico veterinário deverá ser consultado antes.

Cenoura: A Cenoura é um legume de ótima escolha para alimentar o pet. Ela tem uma grande aceitabilidade pelos cães, sendo uma das mais escolhidas a ser fornecida. Ela é uma fonte rica em vitamina A, que é super importante para os cachorros. A cenoura também contém vitaminas C, K e potássio. É indicado a cenoura seja cozida sem sal e, se possível, fornecida sem a casca.

Brócolis:  O brócolis é também uma boa escolha para o cardápio do pet. Ele tem boas propriedades nutricionais, tais como: Cálcio, Potássio, Zinco, Ferro, Sódio. Também é encontrado nele diversas vitaminas, como: C, A, B1, B2 e B6. Ele deve ser cozido e misturado à comida fornecida ao animal. Existem cães que aprovam seu consumo sem mistura com outras verduras, porém é necessário conhecer o gosto do seu pet.

Alface: O alface é utilizado principalmente como complemento, devido ao fato de que alguns cães não aprovam ingerir esta hortaliça de forma individual. Ele contém principalmente as vitaminas A e C, contendo também os sais minerais que os animais necessitam, tais como: Fósforo, cálcio e Ferro.  O alface deve ser fornecido misturado com outras verduras e legumes.

Couve: A couve é usada muitas vezes na dieta do animal de estimação. É rica em vitamina A, C e K, contendo ainda algumas vitaminas do complexo B. É bastante rica em fósforo, ferro e cálcio, tendo um papel importantíssimo na manutenção dos dentes e ossos dos animais. Ela deve ser cozida e cortada em tiras, consequentemente misturada na alimentação.

Beterraba: A beterraba é uma boa fonte de nutrientes para os nossos pets, porém animais que têm diabetes não são indicados a consumi-la, devido ao grande teor de açúcar. A beterraba é rica em vitamina A, C e complexo B, sendo muito boa para a manutenção do sistema imunológico e visão do animal, entre vários benefícios. A beterraba deve ser cozida, retirada a casca e fornecida ao animal.

Vagem: A vagem é rica em vitamina C. Ela é indicada também para reduzir o colesterol, como também, em alguns casos, indicado para os cães diabéticos. O modo de preparo é bastante simples, o indicado é apenas cozinhar e fornecer ao cão. Muitos tutores fornecem como petisco, e afirmam que tem uma boa aceitabilidade.

Batata: A batata é uma excelente escolha para quem deseja que o pet tenha uma boa aceitabilidade para a nova dieta. A batata é uma ótima fonte de vitamina do complexo B e C. Além disso, a batata pode fornecer ao animal Ferro, Cálcio e Potássio, colaborando com a manutenção do sistema imunológico, dos músculos, dos ossos e dentes. A batata deve ser servida cozida e sem temperos. É indicado também, que ela seja amassada, fazendo uma espécie de purê.

Abóbora: A Abobora, ou também chamada de jerimum, pode ser uma grande escolha para o seu companheiro. Pode ser encontrado nela vários nutrientes essenciais para seu pet, como: proteínas, carboidratos, potássio, cálcio, sódio, ferro, magnésio, e fósforo. A abóbora também é rica em vitaminas A, C e E. Ela deve ser cozida e fornecida sem a casca para o animal.

Salsinha: A salsinha é um tempero muito utilizado na culinária brasileira, sendo também bem aceita pelos animais de estimação. É rica em vitamina A, vitaminas B1 e B2, vitamina C e vitamina D. Um ponto positivo da administração da salsinha, é que ela contém poucas calorias. Pode ser fornecida ao animal tanto cozida quanto ao natural.

Ervilha: (sem ser em conserva): É muito importante a atenção na hora da compra da ervilha, pois não é recomendado no modo enlatado/conserva. A ervilha é uma ótima fonte de vitaminas A, C, B1, B2, B3 e B6. Além disso, ela dispõe de nutrientes, tais como: Potássio, Ferro, Cálcio e Fósforo. Primeiramente, deve-se debulhar a vagem de onde a ervilha vem, em seguida cozinhando a mesma. Não é indicado que o fornecimento seja feito com a vagem, somente a administração da ervilha propriamente dita.

Chuchu: O chuchu é uma ótima fonte de fibras, além de ter uma excelente digestibilidade. É indicado para cães que estão fazendo dieta para emagrecimento. É rica em vitamina A e vitamina C, tendo também uma grande valor por disponibilizar nutrientes como o Cálcio, Fósforo e Ferro. Além disso, o chuchu pode ser fornecido ainda no estágio de broto, sendo uma boa fonte de vitaminas B e C. É indicado que seja cozido, consequentemente, fornecido ao animal sem a casca.

Tomate: O tomate é classificado como um fruto, porém no dia a dia é infiltrado na culinária como um legume. Por ter um gosto adocicado e com bastante líquido, o tomate é uma excelente opção para fornecer ao cão. É rico em vitaminas A, B e C. O tomate também tem um grande valor nutricional, pois contém Potássio, Cálcio e Ácido Fólico. O tomate pode ser fornecido com sua casca, porém é indicado retirar as sementes. Alguns tutores preferem fornecer depois de cozido, porém não tem contra indicação do fornecimento de modo natural.

Inhame: O Inhame é uma raiz que cada vez mais entra no cardápio dos pets. O Inhame é de grande importância nutricional, pois tem baixo teor de gordura e alta concentração de fibras. Além disso, o Inhame fornece ao animal as vitaminas A e C, como também as do complexo B. Um ponto bastante importante no consumo, é que o Inhame contém uma substância chamada Diosgenina, que tem a propriedade de se converter em hormônio, sendo assim, uma das melhores opções de fornecer ao animal. Na hora do preparo, deve-se retirar a casca e cozinhá-lo até o amolecimento do mesmo. Pode fornecer em rodelas ou em forma amassada, como o purê.

Palmito: Ao contrário do que muitos pensam, o palmito pode ser uma boa escolha para botar no cardápio do seu pet. O palmito é um alimento rico em potássio, cálcio e ferro. Ele é muito importante para a manutenção dos ossos e tecidos do corpo. O palmito deve ser preparado de uma forma diferente, comparado aos outros preparos. É indicado que antes dele ser fornecido ao pet, ele seja fervido por em média 15 a 20 minutos, assim diminuindo a alta concentração de sódio.

Espinafre: O espinafre é indicado para qualquer tipo de cão, independentemente da idade, raça ou sexo. O espinafre é uma ótima fonte de vitamina A e vitaminas do complexo B. Tem uma boa palatabilidade pelos cães, sendo uma ótima escolha para o fornecimento. Além dessas vitaminas, o espinafre também é rico em: Fósforo, Cálcio, Sódio, Potássio, Magnésio e Ferro. É aconselhável que o espinafre seja cozido e depois misturado junto com outros legumes e verduras.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Fatos Verdadeiros Sobre Alimentos Perigosos para Cães

por Handreza Hayran — publicado 24 abr 2019 - 9:45

alimentos perigosos para cães

É difícil resistir a compartilhar comida com seu cachorro, mas enquanto alguns lanches humanos são seguros em pequenas doses, outros são alimentos perigosos para cães.

Mantenha os armários fechados e os balcões limpos, peça ajuda para ficar de olho no seu cão se você estiver ausente por longos períodos e tenha um kit de primeiros socorros para animais em caso de acidentes.
Alimentos perigosos para cães
1. Pipoca

alimentos perigosos para cãesalimentos perigosos para cães

 » Read more about: Fatos Verdadeiros Sobre Alimentos Perigosos para Cães  »

Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?

por Handreza Hayran — publicado 19 abr 2019 - 9:45

olhos dos filhotes

Conforme o filhote cresce, sua curiosidade faz dele observador atento. Os cães gostam de satisfazer a sua curiosidade, absorvendo o ambiente e observando o que se desenrola ao seu redor. Mas eles não nascem com essa habilidade. Os olhos dos filhotes ficam fechados e, até os olhos se abrirem, ficam cegos para o ambiente.

Por que os filhotes nascem com os olhos fechados? Que finalidade serve? E em que estágio de seu desenvolvimento os olhos dos filhotes se abrem para que possam absorver o ambiente e vivenciar o mundo ao seu redor?

 » Read more about: Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?  »

Como Fazer o Cachorro Parar de Morder?

por Camila Da Silva — publicado 18 abr 2019 - 9:45

Como fazer o cachorro parar de morder

Neste artigo, você irá aprender como fazer o cachorro parar de morder. Pois sabemos que por mais que muitas vezes possa ser de brincadeira, as mordidas podem podem sim incomodar. Porém, é importante saber que este processo pode ser um pouco lento, e precisará de paciência e dedicação para que realmente funcione. Acompanhe o texto para entender.

Como fazer o cachorro parar de morderComo fazer o cachorro parar de morder
Como fazer o cachorro parar de morder?

Antes de mais nada, podemos adiantar: o ato do cachorro morder,

 » Read more about: Como Fazer o Cachorro Parar de Morder?  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Fatos Verdadeiros Sobre Alimentos Perigosos para Cães

por Handreza Hayran — publicado 24 abr 2019 - 9:45

alimentos perigosos para cães

É difícil resistir a compartilhar comida com seu cachorro, mas enquanto alguns lanches humanos são seguros em pequenas doses, outros são alimentos perigosos para cães.

Mantenha os armários fechados e os balcões limpos, peça ajuda para ficar de olho no seu cão se você estiver ausente por longos períodos e tenha um kit de primeiros socorros para animais em caso de acidentes.

Alimentos perigosos para cães

1. Pipoca

alimentos perigosos para cães

Para os cães, os altos níveis de gordura e sódio normalmente encontrados na pipoca podem levar à desidratação a curto prazo e à obesidade a longo prazo. Além disso, os grãos duros e não estourados podem ferir os dentes e as gengivas do cachorro.

2. Abacate

O verdadeiro problema com abacates? Tudo! Desde a casca e caroço até as folhas. Isso se dá porque a fruta contém uma substância chamada “persina” (um fungicida que mata fungos e mofos), que apesar de ser inofensiva para humanos pode causar vômito e diarreia em cachorros, gatos e algumas aves.

Os animais sensíveis à persina podem sentir “desconforto respiratório, congestão, acúmulo de líquido ao redor do coração e até a morte”.

3. Nozes de Macadâmia

alimentos perigosos para cães

Ninguém sabe exatamente o que dizer sobre nozes de macadâmia é tóxico para os cães, apenas para causar vômitos, ataxia (perda do controle dos movimentos do corpo), fraqueza e depressão. Em outras palavras, as nozes de macadâmia podem tornar os cães muito, muito doentes.

Felizmente, a maioria dos cães se recupera sem nenhum tratamento específico. Então, se o seu filhote comer acidentalmente uma noz de macadâmia, uma recuperação completa é esperada.

4. Uvas

As uvas estão entre os alimentos mais tóxicos para os cães. De todos os alimentos perigosos para cães, eles estão entre os piores, o que surpreende muitas pessoas.

Em cães, as uvas podem levar a insuficiência renal e até a morte, e não está claro por que isso afeta certos cães e não outros. Neste caso, é definitivamente melhor prevenir do que remediar.

5. Cebola e Alho

alimentos perigosos para cães

Alho e cebola pertencem à família de plantas Allium. São tóxicos para os cães em qualquer forma, seja em pó fresco, cozido, seco ou até mesmo alho em pó e cebola.

As plantas de Allium danificam os glóbulos vermelhos dos cães, diminuindo o fluxo de oxigênio, e também podem levar à anemia, o que pode causar danos aos órgãos. Então pense duas vezes antes de dar ao seu cão um anel de cebola.

6. Tomate (batata crua, também)

Tomates maduros em si não estão na lista de alimentos perigosos para cães, mas se o seu cão ingere um tomate verde ou a parte verde da planta (incluindo caules), cuidado! Os tomates e plantas de tomate contêm uma toxina chamada solanina que pode causar desconforto gastrointestinal, letargia, fraqueza e confusão.

Batatas cruas podem causar o mesmo problema.

7. Café e Chá

alimentos perigosos para cães

Todos nós conhecemos a teobromina. O saboroso produto químico em chocolate amargo e chocolate branco é tóxico para os caninos. Mas você sabia que a cafeína é também um dos alimentos perigosos para os cães?

A cafeína é um poderoso estimulante e, pode causar “vômitos, diarreia, aumento da sede, inquietação e aumento da frequência cardíaca” em animais de estimação.

O tratamento precoce é a chave para evitar problemas mais sérios. Por isso, se você souber que seu cão ingeriu café, chá ou uma bebida energética, não espere os sintomas aparecerem. Leve ao veterinário imediatamente.

8. Leite (Sim, Até Queijo)

Esta é uma grande surpresa: laticínios podem ser muito ruins para o seu cachorro. Queijo não é realmente um dos alimentos perigosos para os cães. No entanto, muito queijo pode causar constipação ou diarreia a curto prazo e, a longo prazo, obesidade e problemas gastrointestinais duradouros.

Tal como acontece com os seres humanos, alguns cães serão mais sensíveis ao leite do que outros. Verifique com seu veterinário se você tiver dúvidas.

Se o seu cão não for intolerante à lactose, então o iogurte grego ou queijo pode ser apreciado em pequenas quantidades.

Como sempre, quando em dúvida sobre alimentos perigosos para cães, consulte o seu veterinário!

Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?

por Handreza Hayran — publicado 19 abr 2019 - 9:45

olhos dos filhotes

Conforme o filhote cresce, sua curiosidade faz dele observador atento. Os cães gostam de satisfazer a sua curiosidade, absorvendo o ambiente e observando o que se desenrola ao seu redor. Mas eles não nascem com essa habilidade. Os olhos dos filhotes ficam fechados e, até os olhos se abrirem, ficam cegos para o ambiente.

Por que os filhotes nascem com os olhos fechados? Que finalidade serve? E em que estágio de seu desenvolvimento os olhos dos filhotes se abrem para que possam absorver o ambiente e vivenciar o mundo ao seu redor?

Por que os olhos dos filhotes permanecem fechados?

olhos dos filhotes

Biologicamente falando, bebês humanos nascem desenvolvidos e prontos para enfrentar o mundo. Mas esse não é o caso dos filhotes de cachorro.

No nascimento, o sistema nervoso central de um filhote ainda está em desenvolvimento, incluindo seus nervos ópticos. Como seus nervos ópticos não estão totalmente desenvolvidos, eles são delicados demais para a luz brilhante, e é por isso que os olhos permanecem fechados até que os nervos acabem de se desenvolver.

Não só os nervos precisam de mais tempo para se desenvolver, mas o próprio olho não está completamente formado quando um filhote nasce. Manter os olhos fechados permite que o olho se desenvolva com segurança, sem o risco de objetos estranhos (como sujeira ou poeira) entrarem no olho e causar uma infecção ou outros problemas de desenvolvimento.

Quando os olhos dos filhotes se abrem?

olhos dos filhotes

A maioria dos filhotes começa a abrir os olhos entre uma e duas semanas após o nascimento. Nesse ponto, o sistema nervoso central do seu filhote, os nervos ópticos e os olhos estão totalmente desenvolvidos.

Uma coisa a ter em mente:-o filhote deve abrir os olhos por conta própria. Você pode ser tentado a ajudá-los, mas deve deixar o processo acontecer naturalmente. As pálpebras do seu filhote se abrirão quando os nervos e os olhos estiverem prontos. Sendo assim, forçá-los a abrir mais cedo colocará o filhote em risco.

Quando falar com veterinário

veterinário

O processo de abrir os olhos virá fácil e naturalmente para a maioria dos filhotes. Mas você ainda deve ficar de olho nas coisas para ter certeza de que o processo está indo bem com o filhote.

Algumas bandeiras vermelhas que algo pode estar errado com o desenvolvimento do olho do seu filhote de cachorro incluem:

  • Inchaço sob a pálpebra. Se você perceber que há algum inchaço sob as pálpebras do seu filhote antes que ele se abra, pode ser um sinal de infecção.
  • Pus na área dos olhos. Se houver qualquer pus, corrimento ou sujeira nos olhos ou ao redor da área da pálpebra, também pode ser um sinal de infecção.
  • As pálpebras do seu cachorro não abrem por duas semanas de idade. Algumas raças levam mais tempo para abrir suas pálpebras do que outras. Mas se após duas semanas não abrir os olhos, isso pode ser um sinal de um problema de desenvolvimento.

Se você notar algum destes sintomas, marque uma consulta com veterinário. Ele será capaz de diagnosticar qualquer infecção ou problemas de desenvolvimento do olho e prescrever o melhor tratamento para o seu cachorro.