A pseudociese, ou popularmente chamada de falsa gestação, é o quando uma fêmea, de qualquer espécie, tem uma gravidez inexistente, porém, com sintomas de uma prenhez. Esse fenômeno ocorre normalmente depois da fase do cio da cadela, onde começam a aparecer sintomas de gestação, mesmo a fêmea não tendo tido contato com nenhum macho. Essa condição não é relacionada com idade, raça ou tamanho do animal.

Para melhor entendermos a fase reprodutiva da cadela, devemos ter conhecimento de que a mesma se divide em proestro, estro, metaestro e anestro. Esse fenômeno é conhecido como fases do ciclo estral.

 

Pseudociese em cadelas. Foto: Reprodução

Proestro: É a fase que a cadela começa a apresentar uma secreção sanguinolenta pela vulva. A vulva da fêmea fica bastante edemaciada para atrair os machos que estão perto, contudo se um macho quiser copular, ela não o permite. Esse evento é conhecido como cio, e cada cadela tem um tempo de duração.

Estro: É na fase do estro que a cadela aceita o macho para copular, sem nenhum impedimento. É nessa fase também que ocorre a ovulação da cadela, permitindo assim, a fertilização. Essa fase  permanece em média durante 4 à 6 dias.

Metaestro: É a fase da gestação propriamente dita. Tudo é comandado pela glândula hipofisária que secreta hormônios para a manutenção da gestação.

Anestro: É o momento em que os órgãos sexuais estão se recuperando para uma outra possível prenhez (se não fecundada). A cadela cicla de 6 em 6 meses.

Segundo os pesquisadores, a principal causa do aparecimento da  pseudociese é porque ocorre o aumento da concentração plasmática de prolactina, levando a uma produção de leite. Outro fator também contribuinte é a manutenção do corpo lúteo (produção de progesterona), que, não sendo destruído como normalmente acontece,  irá secretar o hormônio, assim mantendo a gravidez falsa.

Os sinais clínicos de uma pseudociese são iguais ao de uma gravidez normal. Ocorrem os seguintes sintomas:

Aparecimento de um corrimento vaginal em média 1 mês após a cópula; dilatação do abdômen da cadela; os mamilos tornam-se maiores, havendo ou não leite; ocorre a preparação do ninho;  demonstra agressividade; a cadela lambe a região do abdomem; a cadela pode adotar filhotes de outra ninhada; e em alguns casos apresenta fome excessiva.

O diagnóstico mais  preciso para descobrir se é ou não uma pseudogestação é o exame de ultra-som, onde um médico veterinário irá fazer um exame minucioso no animal. Além da utilização do aparelho de ultra-som é indicado que haja uma anamnese, levantando-se  o histórico do animal, para verificação de alguns fatores de relevância, como: se é castrada ou não, se vive com machos e se é a primeira vez que está ocorrendo esse fenômeno.

O tratamento é de acordo com cada animal. Um médico veterinário deverá avaliar o caso detalhadamente e de forma particular, podendo ele ser resolvido apenas com terapia medicamentosa ou, em casos mais graves, com uma intervenção cirúrgica, fazendo a castração da fêmea. A cadela apresentando a sintomatologia de gestação, sendo ela falsa ou não, deverá ter sempre o acompanhamento de um profissional habilitado.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]