Meu cachorro “enjoou” da ração, o que faço?

Seja persistente, não ceda. A alimentação também é um exercício de adestramento. E boa sorte!

por Fabíola Monteiro — publicado 24 jan 2017 - 11:56

Ao contrário dos humanos, os cães não precisam variar o cardápio, desde que comam um alimento completo e balanceado. A inclusão deste hábito na rotina deles pode ser bastante prejudicial à saúde.

 

Por que meu cão não come?

Um cão saudável não deve ficar mais de 2 dias sem comer. Eles eram caçadores e nem sempre conseguiam alimento, por isso têm uma capacidade de ficar em jejum, porém não por muito tempo. Mas lembre-se de que eles JAMAIS podem ficar sem água.

Um dos motivos da falta de vontade de comer pode ser você. Qual sua reação quando ele não come? Se a resposta for apreensão, angústia, saiba que ele sente isso e está só querendo chamar a sua atenção para pedir aquele petisco saboroso ou simplesmente para ganhar um carinho extra. O mais importante nessas horas é não ceder.

Outro motivo pode ser alimentação em excesso. Isto é, a porção servida pode estar sendo demais, então ele come e mesmo assim sobra comida. Siga corretamente a indicação no rótulo do alimento ou pergunte ao veterinário de confiança.

A causa mais comum foi citada no primeiro item: O petisco. Ao ganhar petiscos com muita frequência, o cãozinho fica com o “apetite caprichoso”, ou seja, não quer mais aquela ração “chata” e vai tentar convencer você de qualquer maneira. Os cães de pequeno e médio porte são experts nisso, pois sabem muito bem que são os bebês da casa e que você vai fazer de tudo para agradá-los.

“Preciso trocar a ração todo o mês, senão ela come muito pouco!”. Sabia que pode estar tudo normal? Quando o animal entra em contato com uma comida nova, ocorre o chamado “efeito novidade”. Ele vai comer avidamente por umas duas semanas e, se não houver controle, poderá até ficar obeso. Mas depois passa e ele começa a comer normalmente, então você pensa que ele “enjoou” da comida, vai lá e troca por outra.

Por último, pode ser que a área de defecação esteja muito próxima dos potinhos. Para este caso a solução é muito simples, basta afastá-los dali.

 

Meu cachorro enjoou da ração. O que fazer? Foto: Reprodução

Como resolver?

Crie o hábito de servir em horários fixos. Três vezes por dia para filhotes e duas vezes para cães adultos. Sirva a ração, aguarde entre 15-30 minutos e retire, mesmo que ele não tenha comido. Se o coração amolecer, tente mais uma vez depois de 10 minutos. E depois, somente na próxima refeição. Ele vai acabar sentindo fome e comendo.

Não reaja de forma diferente ao servir. Simplesmente deixe a comida e saia. Não ofereça petiscos com frequência e nem perto da hora da comida.

Experimente servir uma porção menor ou somente alguns grãozinhos. Ele vai ver que a comida está escassa e “pode faltar”. Seu instinto vai falar mais alto e ele vai comer.

Procure oferecer alimentos mais palatáveis e de fontes nobres. A alimentação natural é uma ótima alternativa, desde que você recorra a empresas especializadas um veterinário nutricionista. Se não tiver tempo de preparar em casa, procure produtos certificados como balanceados e completos. Em geral, apenas animais com problemas sérios de inanição resistem à palatabilidade que este tipo de alimentação tem.

Acostume-o a receber alimentos de pessoas diferentes, para que você não sofra se precisar fazer uma viagem e tiver que deixá-lo com alguém.

Se ele apresentar comportamento fora do comum, como preguiça ao buscar a bolinha ou indisposição, procure um veterinário. As dicas só valem para animais saudáveis.

Seja persistente, não ceda. A alimentação também é um exercício de adestramento. E boa sorte! Lembre-se: qualquer alteração durante trocas de alimentação requerem atenção. Caso haja enjoos, amolecimento de fezes ou o pet fique mais de 2 dias sem comer, leve seu mascote imediatamente ao veterinário. Saúde não é brincadeira!

 

Escrito por Fabíola Monteiro, médica veterinária responsável pela empresa Panela do Pet, especializada em alimentação natural desidratada, ração natural sem corantes, conservantes ou aditivos químicos. Saiba mais sobre a Panela do Pet em www.paneladopet.com.br [email protected]

8 raças ideais de cães companheiros de corridas

por Cristina Possamai — publicado 19 maio 2019 - 9:45

cães companheiros de corridas

Manter a forma é indispensável para uma vida saudável e plena. Mas, você já parou para pensar que pode ter um ótimo parceiro para fazer exercício físico? Isso porque há cães companheiros de corridas. Afinal, o seu amigo de quatro patas jamais vai negar uma voltinha ao ar livre e tampouco se queixar do horário.

Todavia, é preciso reconhecer que há raças com características mais apropriadas para embarcar nessa rotina.

 » Read more about: 8 raças ideais de cães companheiros de corridas  »

Seu cachorro pode salvar a sua vida!

por Cristina Possamai — publicado 19 maio 2019 - 9:45

cães combatem o sedentarismo

Como está a sua qualidade de vida? Isso porque o grande incentivo para que você abandone o estilo de vida sedentário pode estar ao seu lado. E, provavelmente, está sempre pronto para dar um passeio ao ar livre. Ainda não entendeu? De fato, os cães combatem o sedentarismo de seus tutores.

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Liverpool, tutores de cachorros possuem quatro vezes mais possibilidade de se exercitar adequadamente em comparação com alguém sem cachorro.

 » Read more about: Seu cachorro pode salvar a sua vida!  »

Cachorros das séries de TV: conheça 5 personagens inesquecíveis de quatro patas

por Cristina Possamai — publicado 18 maio 2019 - 9:45

cachorros das séries de TV

Você tem o costume de assistir a seriados? Esses programas contam com as mais variadas temáticas e tendem a atingir todos os públicos. Portanto, os apaixonados por pets também tem tudo para se identificar. Afinal, há até cachorros das séries de TV!

Por acaso, o seu programa favorito possui algum animal em destaque? Caso contrário, você poderá acompanhar uma lista com diversos parceiros de quatro patas para torcer nos próximos episódios. Vamos nessa?

 » Read more about: Cachorros das séries de TV: conheça 5 personagens inesquecíveis de quatro patas  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

8 raças ideais de cães companheiros de corridas

por Cristina Possamai — publicado 19 maio 2019 - 9:45

cães companheiros de corridas

Manter a forma é indispensável para uma vida saudável e plena. Mas, você já parou para pensar que pode ter um ótimo parceiro para fazer exercício físico? Isso porque há cães companheiros de corridas. Afinal, o seu amigo de quatro patas jamais vai negar uma voltinha ao ar livre e tampouco se queixar do horário.

Todavia, é preciso reconhecer que há raças com características mais apropriadas para embarcar nessa rotina. Basicamente, o animal precisa bem obediente, forte, disposto e com boa resistência. Por isso, a dica é conhecer alguns cães companheiros de corridas na lista a seguir.

cães companheiros de corridas

Descubra cães companheiros de corridas

Australian Cattle Dog

Também chamado de Blue ou Red Heeler, esta é uma raça de pastoreio e um animal dedicado ao trabalho. Ele é muito rápido, atlético e pode chegar até 20 quilos. Com toda a saúde, o cão tende a adorar passeios e lhe acompanhar sempre.

Labrador Retriever

Em comparação com o Heeler, o labrador tem uma massa muscular inferior. Só que também são muito resistentes para cumprir longas jornadas. Além disso, esse é um bicho de estimação muito obediente e muito indicado para ser seu companheiro de aventura.

Dálmata

Entre os cães companheiros de corridas, os dálmatas também devem constar. Afinal, essa é uma raça que consegue manter o ritmo ao correr lado a lado dos cavalos. Portanto, a sua corrida pode ser facilmente seguida por esses pets.

Boxer

Inicialmente, você deve saber que o boxer não se adapta muito bem aos locais com temperaturas muito quentes. Isso ocorre devido a forma do seu focinho que pode gerar dificuldades respiratórias. Em locais com clima ameno, o boxer é um ótimo parceiro de corridas!

Poodle

Com certeza, você se surpreendeu com essa opção. Contudo, a caça foi criada inicialmente para auxiliar na caça aos patos. Por isso, o poodle é considerado um cão esportista e possui bons instintos até os dias de hoje.

Pastor Alemão

O Pastor Alemão definitivamente faz parte do grupo dos cães companheiros de corridas. Forte, resistente e um exímio cão de guarda, o pastor também apresenta elevado instinto de proteção. Portanto, esse pode ser o melhor parceiro para fazer exercícios físicos quando se sentir desanimado ou inseguro.

Jack Russell Terrier

Embora pequenos no tamanho, os terrier possuem uma energia surreal e podem correr por um longo espaço de tempo. Quem busca um amigo de quatro patas não tão grande, essa é a escolha ideal para embalar a sua atividade física.

Border Collie

Muita gente acredita que Border Collie é o cão mais esperto do planeta. Porém, esse não é o único ponto forte desta raça de pastoreio. Corredores velozes, esses cachorros também se divertem ao receberem atenção e ocupação de seus tutores.

Antes de encontrar os cães companheiros de corridas ideais, é fundamental saber que a idade do animal deve ser respeitada. Por isso, você não deve efetuar corridas muito demoradas ou extenuantes com cães filhotes ou ainda bem novos. Essa condição abrange todas as raças.

cães companheiros de corridas

O ideal é se organizar e aumentar o tempo e a velocidade das corridas com seu pet de forma gradativa. Afinal, você e o seu parceiro de quatro patas vão ganhando condicionamento físico dia a dia.

Seu cachorro pode salvar a sua vida!

por Cristina Possamai — publicado 19 maio 2019 - 9:45

cães combatem o sedentarismo

Como está a sua qualidade de vida? Isso porque o grande incentivo para que você abandone o estilo de vida sedentário pode estar ao seu lado. E, provavelmente, está sempre pronto para dar um passeio ao ar livre. Ainda não entendeu? De fato, os cães combatem o sedentarismo de seus tutores.

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Liverpool, tutores de cachorros possuem quatro vezes mais possibilidade de se exercitar adequadamente em comparação com alguém sem cachorro. Portanto, o dono de um pet tende a realizar a quantidade ideal de atividade física durante a semana.

O estudo foi feito com 538 famílias da cidade de West Cheshire, situada no Reino Unido. Deste montante, 200 pessoas possuíam animais de estimação em casa. Já 450 participantes não tinham a companhia de pets, enquanto 46 eram jovens ou crianças.

Aproximadamente 80% daqueles que contavam com cães por perto efetuavam uma hora e meia de exercício por semana. A intensidade destes 150 minutos de agitação variava de morada a intensa. Esta é a quantia mínima indicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Tanto adultos quanto os jovens que se relacionavam diariamente com cães e realizavam passeios constantes acabavam por andar mais em comparação com aqueles que não possuem um companheiro de quatro patas. Portanto, o estudo da Universidade de Liverpool comprovou que os cães combatem o sedentarismo de seus tutores humanos.

Atividade

De maneira geral, a caminhada precisa levar pelo menos 20 minutos em uma velocidade constante e até acelerada. Essas condições são indispensáveis para que a sua atividade seja um exercício válido e tenha ação fisiológica no organismo humano.

cães combatem o sedentarismo

Com o passar do tempo e a freqüência destes passeios, é possível desfrutar de diversos benefícios. Tais como: a perda de peso, a elevação de sua capacidade cardiovascular, fortalecimento dos seus músculos e aumento da sua disposição diária.

Mas, o seu companheirinho de quatro patas também ganha muito com essas andanças. Afinal, ocorra uma melhora na circulação do sangue, na freqüência cardíaca, na função dos pulmões, na resistência dos músculos e das articulações. Além disso, o cão fique na faixa de peso adequada, se torna muito mais calma e sociável.

Como aproveitar que os cães combatem o sedentarismo de seus tutores?

Conforme o estudo da instituição de ensino de Liverpool, os cães combatem o sedentarismo de seus tutores. Porém, é essencial tomar algumas atitudes para que essa atividade com o seu pet possa ser aproveitada ao máximo.

Portanto, o dono necessita repassar algumas orientações ao seu cachorro para ter uma experiência realmente válida. O ideal é usar uma coleira confortável no pescoço do cão a fim de controlar a velocidade do seu passeio. Isso porque o líder do cachorro é você e é recomendado caminhar sempre a frente ou ao lado do bichinho.

cães combatem o sedentarismo

Por fim, é possível para se organizar para realizar um passeio diário de meia-hora com o seu animal de estimação. Sendo assim, você consegue atingir a média semanal de exercícios físicos imposta pela OMS e passa um tempo agradável com seu amigo de quatro patas.