Muita gente acredita que existem cachorros vingativos. Pensando nisso, no post de hoje vamos trazer informações importantes acerca do comportamento canino para que você possa tirar as suas dúvidas sobre o tema. Afinal, quem nunca passou por uma situação em que a casa estava toda bagunçada, chinelos mordidos e objetos destruídos, não é mesmo?

Pois é, muitos desses comportamentos foram observados por tutores, principalmente quando saíram de casa sem levar seu doguinho ou por uma bronca recente. Mas será que existem cachorros vingativos? O que esses comportamentos indesejáveis têm a dizer sobre o temperamento canino? Continue a sua leitura e entenda mais sobre o tema.

cachorros vingativos

Cachorro de boca aberta – Foto: Freepik

Cachorros vingativos – Será que existem?

Muitos tutores querem humanizar os comportamentos dos cães. Na verdade, nem todo comportamento deve ser interpretado ao pé da letra. Isso reflete nos comportamentos inadequados quando o tutor sai de casa, fazendo com que o ambiente seja propício para o dog não-educado “aprontar”.

Por isso, é comum alguns casos de cães que fazem xixi na porta, nos tapetes e até em cima do travesseiro dos seus tutores. Mas não se preocupe, isso não é uma vingança a qual o cachorro planejou. Esse pode ser um comportamento associado à sua sobrevivência. Além disso, quando o cachorro se mostra mais agressivo com algumas pessoas, saiba que essa não é uma vingança, apenas pode ser uma associação aos fatos um dia vividos.

Cachorros Vingativos – Por que meu cachorro parece estar se vingando?

Contudo, ainda surge a dúvida: por que meu cachorro parece estar se vingando? Alguns comportamentos ainda precisam ser explicados. Questões de sobrevivência provam que o cachorro não está sendo vingativo. Mas sim, apenas pode estar tentando se adaptar ao ambiente novo (sem o tutor) ou ficar longe da mãe.

Outra situação para ideia de cachorro vingativo é que ele pode estar passando por situações de grande estresse, ansiedade e até se protegendo através do gatilho de um trauma vivido. Leia aqui mais sobre estresse em cachorros.

Cachorros Vingativos – O cãozinho pode estar tentando se adaptar ao ambiente

Os cachorros filhotes têm grandes chances de fazer uma tremenda bagunça, pois ainda precisam ser ensinados sobre o que é certo e errado. Por isso, a importância de adestrar o cãozinho deste filhote, ensinando bons modos para uma convivência harmoniosa e feliz com seus tutores.

A troca de dentes é um dos períodos mais difíceis. Acontece entre a 3ª e 12ª semana de vida do animal, sendo preciso muita paciência. Fornecer brinquedos mordedores para o filhote podem ajudar a aliviar os sintomas como coceira na gengiva e desconfortos, inclusive se ele ficar sozinho em casa.

Além disso, chamar a atenção do cachorrinho depois que ele morde, ajuda a ensinar a forma correta de se comportar.

cachorros vingativos

Cachorro na cama olhando – Foto: Freepik

Cachorros Vingativos – O estresse no cachorro pode ser um causador

O estresse também pode ser um causador do “efeito vingança”. Com isso, ele pode roer os móveis e fazer uma tremenda bagunça. Para prevenir este comportamento, avalie se ele está gastando energia o suficiente, recebendo atenção suficiente e se possui brinquedos para se distrair.

A ideia é que o tutor avalie os fatores que contribuem para o estresse, entendendo que o cãozinho demanda de carinho e momentos de qualidade de vida.

Pode estar sentindo ansiedade por separação

Outro fator que pode estar levando aos comportamentos rebeldes do seu cão, é quando sente ansiedade por separação. Um sintoma bem comum é o animal ficar agindo como sombra quando o tutor estiver se arrumando para sair, latir incansavelmente e destruir objetos pela casa na sua ausência.

O melhor conselho, aqui, é o tutor praticar exercícios para diminuir os sintomas da ansiedade no cachorro. Ou então, procurar ajuda de um profissional. Leia aqui mais sobre a ansiedade por separação.

O cachorro pode estar sofrendo gatilho de um trauma canino

Um outro fator que pode confundir com o comportamento de cachorro vingativo, pode estar relacionados aos possíveis traumas sofridos pelo animal, fazendo com que ele associe um ato do tutor, com alguma situação que precisa se proteger, que resulta em mordidas e até uma busca por esconderijos.

E mesmo se você chamar pelo nome do cachorro, pode acontecer de ele não vir até você. Mas isso não quer dizer que ele está se vingando. Mas sim, apenas se protegendo. É preciso salientar que, impor limites ao animal não resultará em traumas, com reforço positivo, pode gerar um comportamento aceitável para cada situação.

Contudo, não existem cachorros vingativos, mas sim, influências externas e estímulos que podem resultar nos comportamentos indesejáveis do doguinho. Por isso, cuide do seu cachorro e ofereça a ele todo o cuidado e carinho que ele merece e precisa para se comportar de forma equilibrada e saudável. Não abra mão de treinos e adestramentos para que o animal não crie situações em que parece estar “se vingando” de você.