Neste artigo, você vai entender se você tem um cão confiante ou se tem um cão que não confia em você.

Afinal, a confiança é uma relação muito importante que o cão precisa ter para lidar bem com seu tutor e a casa nova. Sem confiança, não há qualidade de vida.

Um cão que não confia no seu tutor, pode facilmente se tornar um cão medroso, triste, ansioso, estressado e até agressivo.

Afinal, a falta de confiança mostra uma falta de consistência no ambiente. E a falta de consistência é muito prejudicial para o animal, pois ele precisa sentir que o ambiente é seguro pra ele.

Então, continue lendo e saiba tudo sobre o assunto!

Será que você tem um cão confiante?

cão confiante

Confiança do cachorro no tutor – Foto: Freepik

Um cão confiante é um cão que confia no tutor e no ambiente. Ou seja, ele não tem a necessidade de ficar defendendo o território o tempo inteiro, pois sabe que ali ele está seguro e que seu tutor é confiável para várias situações.

Esta é a melhor combinação de relacionamento que você, tutor, pode construir com seu cãozinho. Afinal, cães precisam de um ambiente regular, equilibrado e consistente. Coisas que chamam atenção o tempo inteiro são muito prejudiciais para os animais.

Portanto, um cão confiante passa muito pelo estilo de cuidados que o tutor oferece, sem partir para situações extremas, deixando o cão a própria sorte, e sem humanizar o animal.

A confiança vem com o tempo. De maneira natural, o cão já vai considerar o seu tutor como alguém importante na relação. Só que, se não houver consistência e adestramento, o cão poderá facilmente se tornar um cão sem confiança e, então, agir de modos que você não quer.

Por exemplo, se você tem um cão agressivo, saiba que ele só é agressivo, porque de alguma forma, ele foi condicionado assim.

Esse comportamento pode ter partido do estilo do ambiente, da relação entre tutor e cão, etc. A necessidade de proteger o lugar, a comida, a caminha ou o brinquedo, geram estresse que, posteriormente, vão gerar desconfiança e agressividade.

E isso, claro, torna o cão sem confiança nenhuma, visto que a agressividade e necessidade de proteção e defesa o tempo inteiro, são prejudiciais.

Como fazer o cão confiar mais em você

Agora que já entendemos o que leva um cão a ser desconfiado e agressivo, é hora de entender, na prática, o que fazer para que você tenha um cão confiante em você, no ambiente e no dia a dia.

Veja algumas dicas práticas:

  • Cães gostam de previsibilidade e rotina;
  • Crie regras para o cão e siga-as sempre (sem desvirtuar);
  • O cão precisa entender que você não é uma ameaça;
  • Não humanize a rotina com o cachorro;
  • Faça exercícios de adestramento e reforço positivo;
  • Gaste energia física e mental do seu cão;

Entenda em detalhes cada uma das situações acima, a partir de agora.

cão confiante

Confiança do cachorro no tutor – Foto: Freepik

Cães gostam de previsibilidade e rotina

Se tem uma coisa que os cachorros gostam, é de previsibilidade e rotina. Ou seja, eles gostam que as coisas sejam iguais sempre, sem grandes aventuras e confusões. Quanto mais equilibrada, calma e tranquila for a vida de um cachorro, mais ele será calmo e confiante.

Por exemplo, se você tem um cão que pode interagir todos os dias com a rua através do portão da casa, este cão vai ser um cão muito estressado e ansioso. Ele vai ver outros cachorros na rua e vai sentir a necessidade de proteger o território o tempo inteiro.

E isso, claro, é péssimo, pois ele terá uma grande carga de estresse por realizar uma atividade que ele não precisa realizar – que é a proteção do seu território.

Além disso, sempre que você muda alguma coisa no ambiente, o cão pode não gostar e perder a confiança no tutor. Mudar móveis de lugar ou até mesmo mudar de casa o tempo inteiro, faz com que o cão não tenha a sensação de segurança que ele precisa ter para ser um cão saudável.

A questão da previsibilidade é ainda mais importante para cães idosos. Estes, por sua vez, precisam ter ainda mais confiança no tutor, pois já estão em uma fase mais avançada e não podem gastar energia com ansiedade, defesa de território, estresse, etc.

Portanto, crie uma rotina e ofereça um lar saudável para o animal.

Crie regras para o cão e siga-as sempre (sem desvirtuar)

Outro fator importantíssimo que faz um cão ter mais confiança no tutor, é o fato de haver regras e estas regras serem sempre seguidas. Por exemplo, se o cachorro não pode fazer xixi na sala, é preciso ensiná-lo onde é o lugar do xixi e nunca mudar este lugar.

Quanto mais concisas forem as regras e quanto mais repetição você tiver para elas, melhor para o cãozinho. Afinal, conforme entendemos anteriormente, ter uma rotina bem estabelecida e previsível, é tudo que os cães querem para se sentirem bem e confortáveis no ambiente.

Então, não fique mudando as regras, o que o cão pode e o que ele não pode, etc. Antes mesmo de adotar o cachorro, você precisa pensar nas regras da casa e, assim, ensiná-las ao dog.

Deixar o animal se sentir totalmente a vontade pra fazer tudo e depois retirar essa rotina, não é saudável. E ensinar o cão a fazer o que você quer e dar pequenas “brechas” para ele fazer o que ele quer, também é prejudicial.

cão confiante

Tutora e seu cachorro – Foto: Freepik

O cão precisa entender que você não é uma ameaça

Sim, o cão pode entender que você, tutor, é uma ameaça! Como isso é possível? Muito simples: se o cão não entende quais são as regras do ambiente e se você, tutor, cria situações imprevisibilidade pra ele, seu cão vai entender que você é uma ameaça para a segurança e rotina dele.

Portanto, cuidado com estas situações que geram desconforto e desequilíbrio na rotina do animal. Quanto mais você conseguir seguir um padrão todos os dias, melhor. Não fique trocando a ração, fingir brincadeiras, expor o cão a situações de risco e estresse, etc.

Veja este artigo e tenha algumas ideias de como fazer isso: Como cuidar de um cachorro? O guia completo e definitivo.

Cão confiante – Não humanize a rotina com o cachorro

Muitos tutores, ao quererem cuidar tão bem do seu cachorro, acabam partindo para uma situação também prejudicial, que é a humanização do animal.

Humanizar o cachorro não é saudável nem pra você, e muito menos pra ele. Afinal, isso gera muitos problemas de comportamento.

Um cachorro é um cachorro. Ele tem instintos e necessidades de cachorro. Ele precisa farejar, ouvir, observar, sentir outros cães, sujar as patinhas, etc. Proibir ou evitar estas situações, gera muitos problemas de ansiedade e estresse para o cão, visto que ele tem necessidades não atendidas.

Um cão confiante é também um cão que pode ser um cão. Com supervisão e acompanhamento de perto do tutor, temos que deixar os cães serem cães. E isso não significa expô-los ao risco ou situações de estresse, conforme entendemos anteriormente.

Veja a importância do olfato canino.

Cão confiante – Faça exercícios de adestramento e reforço positivo

Um cão confiante é um cão que entende o que ele pode e o que ele não pode. E este entendimento, só é possível a partir do momento que o tutor oferece um treinamento de adestramento e reforço positivo para o animal. Sem isso, o cão ficará “a deriva”.

Portanto, não hesite em fazer exercícios de adestramento. Procure um profissional para ajudar neste processo, de modo que o cão aprenda comandos básicos e possa compreender melhor o que o tutor quer e o que ele não quer.

O reforço positivo é uma técnica fantástica para ajudar o cão a entender situações. Com o reforço positivo, o tutor pode presentear o cão todas as vezes que ele acertar um comportamento. E assim, no longo prazo, o cão será educado.

Evite adestramentos punitivos. Isso não ajuda o cão a entender e ele só fica estressado e ansioso. Ou seja, ao invés de punir o erro, recompense o acerto. O cão vai ter uma tendência natural em repetir o acerto, só pra ser recompensado.

E assim, ele terá mais confiança em você e a relação será ótima!

confiança do cachorro no tutor

Cãozinho observando – Foto: Freepik

Gaste energia física e mental do seu cão

E por fim, gaste a energia física e mental do seu cachorro. Com exercícios, brincadeiras, passeios e reforço positivo, você conseguirá fazer o cão canalizar toda a energia dele, em situações positivas para o convívio e o comportamento.

Se você não gastar energia do seu cão com enriquecimento ambiental, brincadeiras ou passeios, o animal vai fazer isso em casa. Ele vai começar a roer móveis, rasgar chinelos, comer almofadas, etc. Se isso acontecer, o tutor vai brigar e, consequentemente, o cão vai ficar sem confiança na relação.

Entenda as necessidades do animal antes mesmo de adotá-lo. Assim, você saberá como agir. Cães têm necessidades e o tutor precisa atendê-las. Cães não são ursinhos de pelúcia. Lembre-se disso.

Coisas que fazem o cachorro não confiar em você

Estes são os comportamentos mais comuns para que um cachorro não confie no seu tutor.

Porém, o que nós queremos é que o cachorro, de fato, confie em nós, não é mesmo? A relação entre cão e tutor precisa ser de equilíbrio e confiança. Caso contrário, ela será desequilibrada para um dos lados.

Por exemplo, fazer o cão ter medo da gente, não é saudável pra ele. Ele até pode parar de aprontar. Mas a relação ficará totalmente comprometida e o cão não vai confiar no tutor. Pra isso existe o reforço positivo, conforme entendemos anteriormente.

Mas, além disso, há outros critérios que também podem ser considerados e que você deve evitar. Veja coisas que fazem o cachorro não confiar em você:

  • Enganar ele durante brincadeiras;
  • Tirar brinquedos depois de dar a ele;
  • Pedir pra ele descer do sofá depois que chamou ele pra subir;
  • Brigar ou usar tons agressivos;
  • Pegar o cão no colo quando ele não quer isso;

Entenda a seguir.

Cão confiante – Enganar ele durante brincadeiras

Sempre que você “engana” o cão de alguma forma, um elo de confiança se quebra. Ou seja, sempre que você age de maneiras que fazem o cão sentir uma confusão, ele poderá facilmente não sentir confiança em você e, no longo prazo, isso será muito maléfico.

Ao enganá-lo com brincadeiras ou outros tipos de situações, o cão passa a desconfiar de suas atitudes. Se você brincar de dar um petisco e não dar, ele vai desconfiar. Se você brincar de jogar a bolinha e não jogar, ele vai desconfiar.

E todos estes comportamentos que reforçam desconexão, podem tornar a relação de vocês bem sensível no longo prazo.

confiança do cachorro no tutor

Cãozinho observando – Foto: Freepik

Cão confiante – Tirar brinquedos depois de dar a ele

Outro fator que faz o cão sentir desconfiança na relação, é o fato de você dar um brinquedo e depois tirar.

Isso vale para outras situações também, como dar um petisco ou um osso, e depois ir mexer e tirá-lo do cão. O animal sente que você não é de confiança e, portanto, começa a “olhar torto” pra você.

Pedir pra ele descer do sofá depois que chamou ele pra subir

Outra coisa que gera confusão mental no cão e ele se desconecta da confiança com o tutor, é o fato de você criar empecilhos na rotina dele. Por exemplo, se você deixa o cão subir a vida inteira no sofá e, do nada, você briga pra ele descer, ele vai entender aquilo como uma confusão.

É muito importante você criar rotinas muito seguras para o cão. Ele não pode se sentir “perdido” no ambiente. Isso gera ansiedade, estresse e agressividade. Afinal, um cão confiante não pode se sentir assim.

Cão confiante – Brigar ou usar tons agressivos

Brigar ou usar tons agressivos também é muito prejudicial para o cachorro. Isso não ajuda a criar uma boa rotina e nem a criar confiança na relação. Por isso, é muito importante usar reforço positivo, de modo que o cão possa, desta forma, entender o que ele deve fazer, através de recompensas.

Pegar o cão no colo quando ele não quer isso

Outro fator que faz o cão se sentir muito desconfortável e perder a confiança no tutor, é quando o tutor faz o que o animal não quer. Por exemplo, pegá-lo no colo.

É importante ensinar crianças e visitas, que o cão não pode ser pego no colo o tempo inteiro. Principalmente cães que são mais independentes.

Cuide bem do seu dog, respeite o tempo e as necessidades dele e tenha uma ótima relação de confiança!