É muito comum encontrar cachorros que correm atrás do próprio rabo, mas a causa e as consequências desse comportamento ainda não têm uma explicação científica definida.

Por isso, pesquisadoras decidiram estudar por que alguns cachorros perseguem o próprio rabo e se isso afeta o bem estar deles. Com o patrocínio da ONG Dogs Trust.

As pesquisadoras desse projeto são: Bethany Loftus (estudante de PhD), Dra. Rachel Casey (supervisora), Dra. Emily Blackwell (supervisora) e Sarah Hobbs (estudante de mestrado). Todas são da Escola de Ciências Veterinárias da Universidade de Bristol, na Inglaterra.

 

Cão tentando pegar o próprio rabo. (Foto: Reprodução / Google)

Cão tentando pegar o próprio rabo. (Foto: Reprodução / Google)

 

Para realizar o estudo, elas estão solicitando a participação de cães que tenham esse comportamento repetitivo e cachorros que não façam isso. Dessa maneira, vão poder compara-los.

A divulgação da pesquisa começou em novembro de 2014 e a previsão é que dure 2 anos.

 

Motivos prováveis

 

O cachorro Buddy está participando do estudo, ele gosta de girar em espaços pequenos. (Foto: Reprodução / Facebook)

O cão Buddy está participando do estudo porque costuma ficar rodando. (Foto: Reprodução / Facebook)

De acordo com o site do projeto, ficar rodando em círculos e perseguindo o próprio rabo são tipos de comportamentos repetitivos anormais dos cães. E as razões para esse comportamento podem ser várias:

  • o cachorro percebe que um evento excitante está por vir, como a hora de comer ou passear;
  • frustração;
  • ansiedade;
  • pode ser uma maneira de chamar atenção, já que muitas pessoas dão risada quando os cães fazem isso;
  • ou ele pode ficar rodando, até mesmo, durante uma brincadeira.

 

Voluntários

 

As pessoas que estão se inscrevendo para participar do estudo com seus cães, vão passar pelas seguintes etapas:

  • responder um questionário sobre o cachorro;
  • receber duas pesquisadoras em casa, que farão três tarefas de treinamento com o cão (isso inclui petiscos como recompensa);
  • e para coletar urina e amostras da bochecha (usando um cotonete) do cachorro;
  • gravar vídeos de seus cães girando ou correndo atrás do rabo.

 

Dino (esquerda) costuma girar e Hughie, não. Os dois estão participando do estudo. (Foto: Reprodução / Facebook)

Dino (esquerda) costuma girar e Hughie, não. Os dois estão participando do estudo. (Foto: Reprodução / Facebook)