Por que os cães pequenos vivem mais do que os cães grandes é um dos principais questionamento de quem tem cachorros.

A maioria dos tutores gostaria de poder estender a vida dos animais de estimação, não é mesmo? Infelizmente os cães vivem muito pouco em comparação com os seres humanos.

Mas existem variações de longevidade entre as diversas raças e tamanhos de cachorros. E compreender isso é importante para que você consiga atender adequadamente as necessidades do seu animalzinho de estimação.

Diante disso, se você quer entender melhor por que os cães pequenos vivem mais do que os cães grandes, continue lendo esse texto que vai te explicar tudo!

Primeiramente, entenda o processo de envelhecimento

foto de cachorro

foto de cachorro. Fonte: Freepik

É praticamente um consenso dizer que os cães pequenos vivem mais do que os cães grandes. Inclusive, você já deve ter ouvido falar que quanto maior for um cachorro, menor é a sua expectativa de vida.

Realmente, em geral o envelhecimento é mais lento para os animais de pequeno porte, apesar de existirem muitas atitudes que você pode colocar em prática para aumentar a expectativa de vida dos animais.

Basicamente, o envelhecimento acontece para qualquer coisa que seja viva e, ocorre devido à deterioração das células, que vai acontecendo de maneira gradual.

Isso significa que os órgãos, tecidos e sistemas vivos acabam se degradando com o passar do tempo.

Devido a esse processo, conforme os animais envelhecem, os seus corpos passam a ter necessidades específicas.

Independentemente do porte do animal, quando o tutor consegue satisfazer adequadamente a essas necessidades, é possível estender a vida do cão por mais tempo.

Apesar disso, o envelhecimento não pode ser barrado totalmente e, a expectativa de vida para cada espécie tem um limite que não pode ser ultrapassado.

Em linhas gerais, um cão gigante já é considerado idoso aos seis anos de idade, enquanto que o grande aos oito, um médio aos dez e, os menores só entram na velhice por volta dos doze anos.

como acostumar dois cães adultos

Dois cães andando juntos – Foto: Freepik

Isso é bastante curioso, visto que quando se avalia o reino animal de maneira geral, os animais maiores tendem a viver mais em comparação com os menores.

Insetos, aves e até pequenos roedores vivem bem menos em comparação aos grandes mamíferos, por exemplo.

Em geral isso ocorre devido a formas de organização corporal que possuem diferenças básicas, sendo bem mais eficientes nos organismos de maior porte.

Algumas hipóteses sobre por que os cães pequenos vivem mais que os cães grandes

O envelhecimento em cães tem sido muito explorado nos últimos tempos, mas mesmo assim os profissionais ainda não possuem uma ideia única sobre os motivos do maior envelhecimento em animais maiores.

Entretanto, existem algumas hipóteses de grande relevância. Entenda cada uma delas a seguir:

Cães pequenos vivem mais devido ao estilo de vida

Primeiramente, deve-se levar em conta que os cães maiores são mais pesados e, em geral fazem mais esforço físico em relação aos menores.

Muitas raças inclusive são utilizadas como animais de trabalho, o que aumenta ainda mais o desgaste do organismo.

Além disso, observa-se que os cães menores costumam ter mais proteção pelos seus donos. Isso leva a mais cuidados com a saúde do animal e, uma maior observação de qualquer problema que venha a ocorrer.

Os animais maiores costumam passar mais tempo no quintal, o que leva a um desgaste maior de articulações, sistema muscular e do organismo de forma geral.

Apesar desses pontos, isso não é suficiente para explicar as diferenças de longevidade. Se você considerar os terriers, por exemplo, isso não se aplica. Nesse caso, exemplares pequenos são extremamente ativos e isso não diminui a longevidade.

Cães pequenos vivem mais – Problemas cardíacos

Como não repreender seu cachorro

Cachorro deitado triste – Foto: Freepik

Outra explicação que os cientistas encontraram para essa diferença de longevidade, diz respeito ao tamanho do coração.

É claro que o tamanho do órgão apresenta diferenças porque obedece a uma regra de proporcionalidade entre os tamanhos dos animais.

Entretanto, quando se compara um cão grande com um pequeno, o de maior porte possui o coração bem menor proporcionalmente falando.

Isso significa que o esforço que o órgão deve fazer para conseguir bombear sangue para todo o corpo é bem maior do que o observado em animais de porte pequeno. Dessa forma, o órgão envelhece e se deteriora bem mais rapidamente.

Cães pequenos vivem mais – Maior predisposição para doenças graves

A predisposição a vários tipos de doença é algo que encurta significativamente a vida dos animais domésticos.

É muito comum que os cachorros maiores tenham problemas musculares e articulares, por exemplo.

Câncer ósseo (osteossarcoma) e outros tipos de tumores também são bem mais comuns em animais de grande porte.

Cães pequenos vivem mais: a questão da raça

Os cães são animais que evoluíram a partir dos lobos, que possuem tamanho e peso semelhantes a um cachorro de porte grande.

Em média os lobos que vivem em ambiente natural vivem 15 anos, um número muito alto para cachorros de porte grande.

Mas por que isso acontece? A principal explicação diz respeito à seleção artificial, por meio da qual o homem começou a criar raças diferentes, sem levar em consideração os prejuízos que isso poderia ter à saúde dos animais.

Pensando nisso, pode-se concluir que talvez exista um tamanho ideal para os cachorros. Essa medida seria tal que permitiria o funcionamento adequado do organismo, de modo que os sistemas consigam se manter saudáveis até a velhice.

Assim, o tamanho médio seria o mais adequado para os cachorros, visto que eles possuem o organismo mais adequado.

Cães toy e miniatura também são excluídos da lógica da longevidade, visto que são selecionados artificialmente e, possuem expectativa de vida baixa. Isso ocorre porque os seus sistemas não funcionam adequadamente.

O que a ciência já descobriu sobre a longevidade canina?

cães pequenos vivem mais

caminhada com cachorro – Foto: Freepik

Como você pode perceber, existem várias hipóteses sobre por que os cães pequenos vivem mais do que os cães grandes.

Infelizmente os animais de estimação vivem menos do que as pessoas e isso é muito difícil de se encarar.

Os cães e os seres humanos são capazes de desenvolver laços de afeto muito estreitos e se dão muito bem juntos.

Por isso, sempre que um cão parte, acaba deixando o tutor muito triste e sem saber como lidar com a perda.

Mas por que os cães pequenos vivem mais do que os cães grandes?

Essa é uma questão que sempre intrigou demais a biologia, visto que animais maiores tendem a viver mais do que os menores.

Isso acontece provavelmente porque os organismos maiores possuem metabolismo mais lento, o que provoca um acúmulo menor de radicais livres.

As moléculas liberadas provocam envelhecimento precoce, aumentam as chances de ocorrerem doenças degenerativas e, também causam a morte celular.

Com menos danos aos tecidos e ao DNA, o organismo consegue se manter sadio por mais tempo, o que eleva consideravelmente a expectativa de vida.

Isso faz bastante sentido, não é mesmo? Apesar disso, essa teoria não pode ser aplicada a todos os organismos e, por isso a comunidade científica não consegue aceita-la como verdadeira.

cães pequenos vivem mais

cachorro com medo – Foto: Freepik

Observando o reino animal como um todo, confirma-se a teoria de que quando observa-se as espécies mais de perto, com mais atenção, pode-se observar o inverso.

No caso de alguns camundongos e raças de cachorro, os indivíduos menores possuem uma maior longevidade.

Alguns cientistas chegam a sugerir que isso possa se aplicar inclusive aos seres humanos, mas não há nenhuma comprovação.

Cães pequenos vivem mais – Crescimento rápido e as taxas de câncer

Quando se observa a espécie canina, os animais maiores possuem crescimento acelerado, o que pode estar relacionado com taxas mais elevadas de câncer.

Entretanto, ninguém conseguiu até o momento comprovar o porque as taxas de crescimento mais elevadas levam a um envelhecimento mais avançado.

Apesar disso, tudo indica que o envelhecimento natural acontece de forma mais acelerada em animais de grande porte.

Para analisar a relação entre o tamanho corporal e o processo de envelhecimento, um grupo de pesquisa utilizou cães de 32 raças distintas.

cães pequenos vivem mais

cachorros comendo – Foto: Freepij

Como resultado geral, os animais com tamanho corporal mais avantajado tinham expectativa de vida bem menor.

Como conclusão da pesquisa foi dada a explicação que já foi citada anteriormente aqui. Ou seja, que os cães são selecionados artificialmente pelo homem, o que fez com que eles fugissem à regra da maior expectativa de vida para organismos maiores.

Para se obter as diferentes raças, o ser humano levou em conta apenas a aparência física dos animais, deixando de considerar as características do seu organismo e o bom funcionamento dele.

Boxers, por exemplo, são cães de porte grande, que possuem grande propensão ao desenvolvimento de câncer.

Isso faz com que eles tenham um tempo de vida mais curto em relação a outras raças menores. Sendo assim, a genética ruim dos animais de grande porte, os leva a ter um estado de saúde crítico.

Conclusão

Entretanto, os mecanismos que levam a isso são desconhecidos.

Por mais que os cientistas estudem o envelhecimento canino, ainda é muito difícil demonstrar por que os cães pequenos vivem mais do que os cães grandes.

Existem muitas hipóteses para isso, mas nenhuma comprovação. E aí, qual é o seu palpite?