Normalmente, os cães bebem qualquer água que veem pela frente porque não fazem ideia que pode fazer mal dependendo de sua procedência.

Então, como nosso dever de zelar pelos filhos caninos, precisamos sempre nos preocupar com o que eles estão bebendo.

Apesar de parecer algo inocente, a água dos rios, lagos e oceanos pode ser prejudicial à saúde dos cães, porque pode conter organismos e químicas que trazem o risco de algumas doenças.

Veja alguns dos riscos que podem existir na água:

 

  • Bactéria – Água contaminada com dejetos humanos e de animais pode conter bactérias microscópicas, incluindo espécies como salmonela, campylobacter, escherichia coli e leptospirose. Em casos leves, essas infecções bacterianas podem causar diarreia. Mas o quadro pode se tornar bem pior, especialmente no caso da leptospirose;
  • Algas azuis-esverdeadas – Apesar de não ser exatamente uma planta, essa bactéria produz energia através da fotossíntese. A Cyanobacteria formam colônias de flores, que bóiam até a superfície da água e podem ser engolidas facilmente pelos cães. E essas florações podem produzir toxinas prejudiciais à saúde canina;
  • Parasitas – Águas de locais abertos são fontes de parasitas como os protozoários Giardia e Cryptosporidium, que costumam causar diarreia;
  • Químicas – A água pode estar contaminada com pesticidas, gasolina ou óleo de barco. Não precisa nem explicar porque isso é perigoso para os cães, certo;
  • Sal – Consumir um pouquinho de água salgada do mar não vai fazer mal ao seu cão, mas grandes quantidades podem causar desidratação. Sem falar da diarreia.

 

Então como evitar que o cão beba a água de rios, lagos e do mar quando estiver passeando? Leve uma garrafinha com água e um pote, sempre lembrando de oferecer ao cachorro.

Se notar que ele está bebendo água desses locais, ofereça a sua água mineral ou filtrada.

 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Fonte: Vetstreet