Apenas quem possui animais de estimação por perto tem noção da alegria que podem trazer. Os bichinhos são excelente companhia, oferecem amor, brincam e ajudam a melhorar o dia. Por isso, as famílias se questionam o que fazer quando se aproximam de um momento de viajar. Sendo assim, o turismo com pets está passando por uma franca expansão no território nacional.

A prova disso foi uma pesquisa feita pela plataforma Booking. Cerca de 51% dos entrevistados tutores de bichinhos somente vão viajar neste ano, caso possam levar os seus companheirinhos de quatro patas. Ou seja, o turismo com pets está se transformando em uma verdadeira tendência no país.

Para dar mais detalhes deste nicho do turismo nacional, a Agência de Notícias do Ministério do Turismo elaborou uma reportagem especial. O intuito foi apresentar o mercado de viagem para as pessoas que tem bichinhos. O conteúdo produzido pela pasta do Governo Federal possui dicas de hospedagem, deslocamentos e a visão de especialistas.

Crescimento do turismo com pets no Brasil

Para começar, é preciso salientar que o turismo é somente uma parcela deste mercado, que aumenta ano a ano. As informações do Instituto Pet Brasil (IPB) indicam que o setor nacional finalizou o ano passado com expectativa de faturamento de mais de 36 bilhões de reais.

Turismo com pets

Foto: Site FreePik

Os números, que ainda não foram oficialmente fechados, demonstram um aumento de 5,5% em comparação com o resultado consolidado de 2018. Na ocasião, o segmento movimentou 34,4 bilhões de reais. De acordo com o Ministério do Turismo, a projeção para o ano corrente é ainda mais positiva: 40 bilhões.

De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2013 existiam mais de 132 milhões de animais de estimação no país. Já uma pesquisa mais recente do Instituto Pet Brasil, estimou a presença de 139,3 milhões de pets no país em 2018.

Uma ação relevante ao organizar a viagem com o seu animal de estimação é priorizar um lugar que se adapte ao bichinho. Animais que não curtem muito o contato com a água, por exemplo, não é uma boa alternativa para curtir o litoral. Já pets com idade mais avançada ou dificuldade respiratória não podem se deslocar para áreas com temperaturas muito altas.

Hospedagem “pet friendly”

Outra dica essencial é averiguar se o local de estadia é adepto da política chamada “pet friendly”. Na tradução literal do inglês, ‘amigo dos animais’, expressão utilizada para identificar lugares onde animais são bem-vindos. Ou seja, um estabelecimento que presta serviços para que o animal se sinta a vontade ao lado dos seus tutores.

Felizmente, essa tendência também está se expandindo rapidamente em todo o Brasil. Afinal, diversos meios de hospedagem já perceberam a relevância do turismo com pets e começaram a fornecer comodidades aos animais.

Nos dias de hoje, algumas redes de hotéis e pousadas chegam a convidar que as pessoas levem os seus animais. Assim, os próprios estabelecimentos até repassam orientações para as famílias que almejam aproveitar a companhia de seus parceirinhos de quatro patas longe de casa.

Turismo com pets

Foto: Site FreePik

Todavia, vale pontuar que muitos empreendimentos pet friendly também impõem algumas regras para assegurar o bem estar dos demais clientes. Por isso, há solicitação para que o tutor esteja com o kit de higiene e apresente a carteirinha de vacinação atualizada no momento do check-in. Ou encaminhando cópia por email antes da chegada no local.

Apesar disso, a iniciativa dessas redes de hotelaria é assegurar condições mínimas não apenas para receber. Bem como para manter o bichinho com uma condição impecável de saúde. Portanto, o turismo com pets é um segmento que tem tudo para seguir se desenvolvendo e fortalecendo no Brasil a curto, médio e longo prazo.