Seu pet tá doentinho? Saiba aqui como aumentar a imunidade do cachorro, através dos alimentos, atividades físicas, socialização e muito amor. Afinal, em alguns momentos, você poderá perceber que seu amigo de quatro patas não quer brincar como antes, está meio abatido e até mesmo, está triste.

Isso pode ser um dos sintomas de imunidade baixa, que causam mal estar que levam o cão a dormir mais, ficar cansado e doente com frequência. No caso de cães idosos, a baixa imunidade pode ser natural. Por isso, existem rações para cachorro e vitaminas caninas que contribuem para saúde do animal velhinho.

Quer saber como aumentar a imunidade do cachorro? Então confira as dicas e informações para manter a qualidade de vida do seu amiguinho.

Cachorro com Etetoscópio

Cachorro com Etetoscópio – Foto: Freepik

Como aumentar a imunidade do cachorro?

Existem diversas formas de aumentar a imunidade do seu cão. Seja através de alimentos nutritivos, vacinas ou atividades físicas regulares. O que você precisa saber, é que esses fatores podem sim contribuir para uma melhoria. Mas não anulam a consulta com um veterinário, que pode realizar um diagnóstico mais preciso.

Mas de modo geral, o próprio tutor pode prevenir doenças que resultam na baixa imunidade, como as gripes, viroses e anemia canina.

A alimentação é um dos fatores mais importantes

Não podemos deixar de falar da alimentação nos casos de baixa imunidade canina. Com uma variedade de comidas para cães que prometem benefícios, a maneira de armazenamento pode afetar a qualidade do produto.

Portanto, não adianta comprar a melhor ração sem corante e com inúmeros nutrientes naturais, se o tutor guarda em um local úmido ou exposto ao sol. Neste sentido, é necessário observar a textura do grão. Se ele estiver mole ou mofado, o local não é o mais adequado para armazenar a ração. E, claro, ela perderá a eficácia.

Outra observação é, se o cão não está se alimentando bem, isso pode ser um sintoma de imunidade baixa, ou apenas a ração que não está tão saborosa. Cabe ressaltar que as frutas e legumes para cães podem sim trazer muitos benefícios. Mas essas devem ser consumidas como petiscos e não como a alimentação principal.

Salvo, é claro, se houver orientação de um veterinário. Por esse motivo, se você quiser oferecer uma alimentação natural para seu cachorro, consulte um especialista.

Cachorro sendo examinado

Cachorro sendo examinado – Foto: Freepik

Vermífugos e vacinas são indispensáveis

Outros fatores como vacinas e vermífugos também ajudam prevenir a baixa imunidade. E isso deve ser levado a sério, mesmo quando o cão estiver na fase adulta. Portanto, procure sempre manter a carteirinha de vacinação do seu cachorro em dia. Assim como as doses de vermífugos anuais.

Os check-ups de exames em cachorro são fundamentais para descobrir problemas de saúde ou preveni-los. Assim como também oferecer tratamentos mais adequados, claro. Além de ajudar na imunidade, esses fatores ajudam na prevenção de doenças, como: infecções, artrite reumatóide e anemia hemolítica imunomediada ligadas diretamente ao sistema imunológico.

Todos cães precisam de atividades físicas – Isto ajuda a aumentar a imunidade

As atividades físicas previnem doenças nos humanos e também nos cães, por isso, devem ser levadas em consideração em toda a vida canina. Mesmo que o cachorro, como da raça buldogue, não goste muito de exercícios físicos, é preciso incentivar com brincadeiras e atividades físicas que mantém uma rotina.

A obesidade canina é um dos problemas que mais acometem a saúde animal, visto que ela pode influenciar outras doenças. Por isso, se o seu animalzinho não gosta de brincar com bolinhas, por exemplo, incentive os passeios na rua. Mas sempre escolha os melhores horários.

Prefira os horários antes das 10h e após às 16h, pois o sol também pode trazer problemas para o animal. Uma maneira de condicionar o cachorro, é realizando os passeios sempre no mesmo horário. Assim você cria um hábito de praticar atividades físicas.

O adestramento canino também é uma forma de garantir a imunidade do seu cão, permitindo tratar problemas como ansiedade e depressão que, consequentemente, apresentam a baixa do sistema imunológico. Um ambiente rico de estímulos facilita esse cuidado. Por isso, mesmo que você não esteja disposto o tempo todo para brincar com seu cão, um espaço interativo pode contribuir para esta finalidade.

Cão e tutora de máscara

Cão e tutora de máscara – Foto: Freepik

Não esqueça da saúde mental do seu cão

A saúde mental do cachorro também pode influenciar no sistema imunológico. Principalmente porque a mente e corpo estão interligados. Os cachorros e outros animais são sensíveis e podem ter transtornos emocionais, que são observados pelo comportamento canino e mudança de humor.

Para mais qualidade de vida, é preciso cuidar da mente do cachorro, que envolve entender sua personalidade, observar mudanças de comportamento e tratar problemas psicológicos. Existem diversos transtornos psicológicos que estão ligados a imunidade. Entre eles está a depressão canina, resultado de situações como maus-tratos e alteração da rotina.

Por isso, é importante manter uma rotina com o cachorro, mantendo os momentos de atividades físicas, alimentação saudável e interação afetiva entre vocês. E sempre que perceber que o cão mudou repentinamente de comportamento, observe a frequência que isso ocorre. E se for necessário, procure ajuda veterinária.

Cachorro no veterinário

Cachorro no veterinário – Foto: Freepik

Faça companhia ao animal – Ofereça brincadeiras, amor e carinho

Uma das atitudes que previnem a baixa imunidade em cachorros é a interação, principalmente entre tutor e seu doguinho. Portanto, fazer companhia ao animal é uma demonstração de amor e carinho, onde ambos vão desfrutar de grandes momentos.

Sendo assim, você pode oferecer um momento de lazer com base em carícias. Pode ser durante um filme de cachorro, antes de dormir ou qualquer hora do dia. Os brinquedos educativos e interativos, como quebra-cabeça canino, mordedores personalizados e jogos de tabuleiro para cachorro, são ótimas sugestões.

Converse com seu amiguinho, pois eles entendem o seu temperamento e humor pela entonação da sua voz e seus comportamentos. O tutor é o responsável pela vida e segurança do seu cão. Por isso, ofereça uma boa alimentação, companheirismo e atividades físicas regulares que previnem muitas doenças.

E no caso da imunidade, esses fatores também devem ser levados a sério, além do cuidado através de vacinas e interações que fornecem qualidade de vida. Aprender a como aumentar a imunidade do cachorro também é um ato de amor, que traduz a importância de ter um amigo de quatro patas como companheiro.

Cuide do seu pet!