Entrevista com Dra. Sylvia Angélico, responsável pelo site Cachorro Verde

O trabalho feito através do site Cachorro Verde tem incentivado muitos tutores a conhecer e fazer a transição para a Alimentação Natural

por Samantha Kelly — publicado 21 set 2014 - 19:21

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Nas últimas décadas, houve uma grande mudança de comportamento e atitude na sociedade relacionada com a crescente busca do ser humano por felicidade e bem-estar físico, emocional e mental. Essa busca não é focada apenas em si, mas se extende à família (humana e canina).

Como parte dessa maior conscientização, a alimentação natural para pets no Brasil tem chamado cada vez mais atenção de tutores que buscam alternativas mais saudáveis para seus cães. Essa tendência por si só desafia as noções preconcebidas do mercado pet e abre espaço para que os tutores, com conhecimento baseado em pesquisas sérias e discernimento, tenham o poder de escolha de decidir pelo que julgam ser melhor para seus animais de estimação.

E quando o assunto é AN, o trabalho da médica veterinária Sylvia Angélico tem sido muito importante em difundir a ideia e auxiliar tutores que desejam fazer essa transição. Desde 2008 com o site Cachorro Verde, Dra. Sylvia tem oferecido informações essenciais, desmistificando e tornando mais acessível a AN. Em paralelo ao seu trabalho online, é possível adquirir ainda mais conhecimento através dos cursos que ministra, e que já passaram por diversas cidades no Brasil, e de consultas particulares.

Abaixo você confere a entrevista que a Dra. Sylvia Angélico concedeu ao Portal do Dog.

 

PdD) Como surgiu o projeto do site Cachorro Verde e o seu interesse na Alimentação Natural.

O (então) blog Cachorro Verde nasceu em junho de 2008. Nessa época eu cursava o 3o ano de Medicina Veterinária e me perguntava porque os veterinários afirmavam que somente ração industrializada era uma opção aceitável de dieta para cães e gatos. A indagação surgiu graças a um livro que comecei a ler na época – “A Cura Natural para Cães e Gatos”, escrito pela norte-americana Diane Stein. A autora questiona diversos paradigmas de saúde animal, em especial a alimentação à base de ração e os tratamentos dependentes de fármacos agressivos. Foi um toque de despertar para mim, uma grande epifania.

Nessa mesma ocasião comecei a trocar informações pelo finado orkut com uma culinarista adepta de refeições cruas para os cães dela e que relatava infinitas melhoras na saúde deles. Ela praticava uma versão do sistema BARF (sigla em inglês para comida crua biologicamente adequada), dieta à base de ossos, vísceras e carnes cruas, criada no final dos anos 1980 pelo veterinário australiano Dr. Ian Billinghurst. Descobri que fora do Brasil as dietas caseiras balanceadas eram bem difundidas, com inúmeros livros publicados. Importei alguns desses livros, os devorei, e passei a servir para meus cães uma versão abrasileirada da BARF.

Meus cães eram jovens e não estavam exatamente doentes. Mas todos tinham uma coisinha aqui, outra ali, que os veterinários diziam ser normal. Mau hálito, queda de pelos acentuada o ano todo, coceiras, otites que viviam voltando e uma facilidade absurda de engordar, mesmo comendo uma quantidade pequena de ração de qualidade Super Premium – e nenhum petisco. Pois bem: TODOS esses probleminhas desapareceram em poucas semanas com a troca da ração pela Alimentação Natural crua com ossos. Eu não compreendia porque essa transformação ocorrera, mas imediatamente senti vontade de compartilhá-la com outros interessados e estudar pra valer a nutrição de cães e gatos. Desse impulso nasceu o blog Cachorro Verde. Que menos de um ano mais tarde já tinha crescido e virado a 1a versão do site que existe hoje.

 

PdD) Quais foram as alterações mais visíveis que você notou em seus próprios pets após a mudança na alimentação.

A Maya, Teckel de Pelo Longo, tinha uma otite atrás da outra. Ficava com os ouvidos cheios de cera escura e cheirando a salgadinho de milho. O veterinário dizia que era uma consequência normal de orelhas peludas e caídas. Depois da AN (“Alimentação Natural”), ela nunca mais apresentou um episódio de otite. Ela tinha era alergia a algum componente da ração.

O Oliver, um Pastor de Shetland, engordava se comia mais que míseros 50g de ração por refeição. Passou a receber três vezes essa quantidade de alimentos por refeição e até hoje mantém um peso enxuto. Rações convencionais à base de cereais possuem elevado índice glicêmico (acarretam picos de açúcar no sangue e insulina), predispondo à obesidade.

Meus outros cães passaram a apresentar hálitos mais suaves (e isso comendo carnes cruas!), dentes mais limpos e a casa não ficava mais lotada de pelos. AN crua com ossos requer mastigação, o que ajuda a “descolar” o tártaro. E a proteína e gordura da dieta têm aproveitamento excelente pelo organismo dos cães, resultando em pele e pelagem mais saudáveis.

 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

PdD) O trabalho sendo feito através do Cachorro Verde hoje é sinônimo de seriedade e dedicação à divulgação da alimentação natural para pets. Como você enxerga esse reconhecimento e interesse do público em querer oferecer alternativas mais saudáveis para seus cachorros.

Ainda fico surpresa com o interesse crescente que a AN está despertando no nosso país. Por saber que essa é uma iniciativa que exige comprometimento do tutor, preparo, organização e alguma dedicação, eu havia me conformado em fazer trabalho de formiguinha, pensei que estaria sempre à margem, apelando a uma minoria de pessoas. Mas não tem sido nada assim. As pessoas – mesmo aquelas que levam vidas corridas – parecem estar curtindo de verdade assumir a alimentação dos seus peludos, cozinhar pra eles. Isso é maravilhoso, porque porque mostra que há muitos tutores dispostos a investir no principal pilar de saúde, a base de tudo, que é a alimentação.

Afirmo com toda convicção que o Brasil tem tudo para ser um dos maiores países em número de interessados e adeptos de dietas mais saudáveis para pets. Estamos vivendo um momento de intensa ruptura de paradigmas em matéria de alimentação de pets no Brasil. O espaço que a AN vem conquistando na grande mídia e até dentro de algumas universidades, comprova isso. Mesmo nos países onde as dietas estão consolidadas há décadas e há mais opções comerciais de AN, não vemos a iniciativa sendo divulgada positivamente em revistas e jornais de peso, na televisão e nas faculdades, como tem acontecido por aqui.

 

PdD) O que os pais de cachorro precisam compreender e aprender antes de adotar a AN.

AN exige organização para preparo periódico das porções diárias. Não é aceitável começar seguindo direitinho a orientação, tenha ela sido passada por um profissional ou aprendida em livro ou site, e depois ir relaxando, deixando de pesar as porções diárias, descuidando da variação dos ingredientes. O sucesso da empreitada depende desses fatores. Também é importante contar com um veterinário clínico-geral amistoso à dieta caseira, do contrário, qualquer probleminha de saúde que o pet apresente será atribuído à AN.

 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

PdD) O site Cachorro Verde possui informações sobre AN crua com ossos, AN crua sem ossos e AN cozida. Nos fale um pouco sobre suas vantagens e desvantagens e como saber qual é a melhor escolha para cada cachorro.

AN crua com ossos é a dieta que preparo para meus cães desde 2008. Sigo uma versão do sistema da BARF, dieta postulada pelo veterinário australiano Ian Billinghurst no final dos anos 1980 e muito popular em todo o mundo. Essa dieta procura replicar no ambiente urbano a composição de uma presa e por esse motivo é composta por carnes, ossos e vísceras crus e acrescida de uma parte de vegetais triturados, além alguns alimentos funcionais para adição de nutrientes específicos. As vantagens da AN crua com ossos são a praticidade, afinal dispensa cozimento e o fato de que é intensamente nutritiva, pois os alimentos não são submetidos à ação do calor. Além disso, quando os ossos são oferecidos inteiros, a dieta promove a limpeza dos dentes graças à mastigação. Uma minoria dos cães, contudo, não aceita ou não tolera bem carnes cruas e para raças de focinho achatado, como Shih Tzu e Buldogues, que são propensos a engasgos, convém moer os ossos.

AN cozida é uma dieta bastante equilibrada e que não leva ossos – eles somente são seguros quando crus. É um modelo mais universal, muito bem aceito e tolerado pela maioria dos cães. Oitenta por cento dos meus clientes opta pela versão cozida. Dentre suas vantagens destaco o maior apelo ao paladar e a ampla opção de ingredientes, grãos e cereais, tubérculos, carnes, vísceras e vegetais. As desvantagens ficam por conta do maior trabalho para preparar, já que toos os itens são cozidos, o fato de a dieta não contribuir com a limpeza dos dentes e de requerer adição diária de cálcio – na AN crua com ossos, os próprios ossos são a fonte de cálcio.

E há a AN crua sem ossos, uma versão da cozida com carnes e vísceras oferecidos crus, carboidratos sempre cozidos (esse grupo de alimentos não deve ser servido cru) e legumes cozidos ou crus e triturados – como o pet e o tutor preferirem. Essa dieta reúne os benefícios das carnes cruas – mais aminoácidos, mais vitaminas – à praticidade de não precisar cozinhar todos os ingredientes.

Percebo que o tutor escolhe o modelo de AN com base com base no que conhece sobre dietas caseiras. Como a maioria das pessoas nunca ouviu falar no modelo com carnes cruas e aprendeu que ossos devem ser evitados, acabam optando pela versão cozida. Mas as três dietas são válidas para cães comprovadamente saudáveis de todas as idades.

 

PdD) Quais dicas você pode dar aos tutores que afirmam não ter condições financeiras suficientes ou tempo para se dedicar a AN de seus cães. A AN de fato é para todos?

Quem compra ração de categoria Super Premium não vai estranhar os gastos com a AN. E ela pode ser barateada se a pessoa fizer uma boa pesquisa antes de dar início. Coração e língua de boi são carnes mais em conta que filé de alcatra ou mesmo acém. Sardinhas são mais em econômicas que pescada branca. Arroz integral comprado no mercado municipal ou na zona cerealista em saco grande é mais barato que o comprado em supermercado. O mesmo princípio vale para quase todos os itens da dieta.

Com relação à justificativa comum de “não tenho tempo para aderir”, percebo que quem diz isso não parou para se informar a fundo sobre a AN. Hoje em dia, ninguém tem tempo, todo mundo vive na correria. Mas para aquilo que realmente importa, todos fazemos um espacinho. É assim que casais com criança pequena conseguem aderir, senhoras ativas, mulheres fazendo mestrado e até comissárias de bordo. A dieta pode perfeitamente ser preparada de uma vez em grande quantidade, separada em porções diárias e congelada por até um mês, sem perda nutricional significativa. Feito isso, é só tirar todo dia uma porção do freezer, descongelar e servir. Quem é que não tem algumas horinhas sobrando a cada quinze dias ou até a cada mês?

Minhas dicas para quem deseja passar seu pet para AN mas não sabe se vai dar conta: procure ler bastante sobre a dieta e troque informações com adeptos. Em comunidades específicas sobre o assunto, como a “Alimentação Natural para cães e gatos Brasil”, no Facebook, há milhares de praticantes das dietas, de todos os cantos do Brasil. Contar com a ajuda de um “padrinho” no início é uma mão na roda. E, se a AN realmente não cabe na sua vida agora mas você quer uma opção mais saudável de dieta para seu peludo, procure uma empresa que fornece dietas naturais comercialmente, como a carioca Pet Delícia e a paulistana La Pet Cuisine, entre outras.

 

PdD) Me fale um pouco sobre os cursos que ministra e o que os tutores podem esperar ao atender as aulas, que já passaram por diversas cidades do Brasil.

Desde 2012, ano de inauguração dos cursos, foram 31 cursos em 9 estados brasileiros. O curso tem por objetivo dar um panorama geral sobre AN cozida e AN crua com ossos para cães e gatos. Nele, falo sobre os benefícios das dietas, também sobre as desvantagens, ensino o cálculo das porções, as fórmulas, dou dicas para peludos gordinhos, abordo petiscos saudáveis, ervas, métodos de preparo que preservam os nutrientes, técnicas de armazenamento, como introduzir a dieta e como monitorar a saúde do animal que recebe AN. É bastante abrangente e extenso, com até 7 horas de duração, mas me preocupo em tornar a apresentação interessante e divertida.

Quero que o participante saia do evento com todas as informações necessárias para dar início, com segurança e praticidade. Em São Paulo, onde resido, ofereço a uma turma menor, de até 30 pessoas, a versão teórico-prática do curso, com direito a montagem de refeições em uma cozinha e cães degustadores. Nos demais estados faço a versão teórica, mas exibo vídeos ao final da apresentação, demonstrando o passo-apasso do preparo. E, muito importante: qualquer pessoa interessada pode participar. Não precisa ser veterinário ou zootecnista para entender e aproveitar.

 

PdD) Você atua como veterinária nutróloga e atende a consultas particulares, até mesmo à distância, o que é maravilhoso. Como os interessados devem proceder e como são as consultas.

Só pra constar: amo gatos, mas acabei optando por atender somente cães. O agendamento da consulta é realizado por email. O interessado envia uma mensagem para o endereç[email protected] ou [email protected]. Como a procura tem sido intensa, minha agenda está lotada até novembro. Por esse motivo, não tenho como atender emergências.

A consulta tem 1h30 de duração, é realizada presencialmente na loja onde atendo, a MOM, em São Paulo (www.momcaesegatos.com.br) ou então à distância, por Skype. Depois de uma cuidadosa entrevista sobre o paciente, proponho a dieta caseira que julgo mais adequada ao quadro e elaboro uma planilha informando a quantidade a servir diariamente de cada alimento, opções de ingredientes, a relação de complementos (vitaminas, minerais, óleos) a adicionar e sua dosagem, petiscos indicados e temperos do bem, que são ervas aromáticas. Repasso cada linha da orientação com o cliente, esclareço dúvidas e envio por email apostilinhas de apoio que abordam técnicas de preparo e armazenamento, além de como solucionar possíveis contratempos e dicas para promover saúde através de mudanças no estilo de vida do pet. A partir desse momento, mantenho contato com o cliente por email e celular. Costumo pedir que, dentro de um mês o tutor entre em contato por email e me conte como o pet está indo, envie fotos etc. Mediante o relatado, proponho reavaliação na primeira oportunidade disponível ou dentro de alguns meses.

 

PdD) O que significa a longo prazo enxergar a saúde do cachorro de maneira holística, proativa e funcional, termos que voce utiliza para se definir como profissional e que acreditamos serem perfeitos para explicar o que a AN oferece.

Significa procurar entender como aquele animal “funciona”, quais são os “órgãos de choque” (mais debilitados) dele, e agir preventivamente, antes que a doença aconteça. Muitas pessoas acreditam que doença é sempre algo que aparece de repente, uma fatalidade. Mas não é bem assim. Doenças crônicas, como câncer e diabetes, são um processo. Sim, existe a predisposição genética a algumas doenças. Mas a genética quase nunca é a força mais determinante. O sedentarismo, o excesso de peso, o descuido com os dentes, o ambiente doméstico negativo, o consumo de alimentos industrializados, ricos em farinhas brancas e açúcar, o abuso de fármacos como antiinflamatórios e antibioticos – até mesmo de pipetas antipulgas convencionais e vacinas – pode patrocinar enfermidades que vão de alergias a insuficiência renal e câncer.

Dentro e fora das consultas chamo a atenção do tutor para esses pontos. Os maiores responsáveis pela saúde, bem estar e expectativa de vida dos nossos peludos somos nós, seus tutores. Não é o veterinário e nem o DNA do bicho.

Métodos Mais Eficazes Para Se Livrar das Pulgas do Seu Cachorro

por Handreza Hayran — publicado 19 fev 2019 - 11:10

As pulgas têm um ciclo de vida complexo de quatro estágios. Se você quiser se livrar das pulgas do seu cachorro e impedi-las de voltar, você deve abordar todas as etapas desse ciclo.

Pulverizar uma vez não é suficiente. Apenas tome cuidado para não exagerar no controle da pulga: muitos produtos tóxicos dentro e ao redor do animal podem ser prejudiciais ou mesmo fatais.
Controle de pulgas do seu cachorro

 » Read more about: Métodos Mais Eficazes Para Se Livrar das Pulgas do Seu Cachorro  »

Descubra Quais os 10 Medos e Fobias do Cachorro

por Handreza Hayran — publicado 18 fev 2019 - 7:46

medos e fobias do cachorro

Os cães podem sofrer de vários medos e fobias diferentes. Essas fobias podem ter uma variedade de causas, incluindo a falta de socialização precoce, genética ou uma experiência negativa. Os medos e fobias do cachorro  podem levar a sinais como encolher-se, tremer, babar, latir, ter um comportamento destrutivo e, em alguns casos, agressão.
Medos e fobias do cachorro
1. Medo do trovão

Astrofobia é um dos medos e fobias do cachorro. É o medo do trovão ,

 » Read more about: Descubra Quais os 10 Medos e Fobias do Cachorro  »

Dicas para um aniversário de cachorro criativo e acessível

por Maluh Bastos — publicado 15 fev 2019 - 20:10

Cachorros de raças diversas com chapéus de aniversário

Todo mundo ama uma festinha de aniversário e, com os dogs, parece que não está sendo diferente. Apesar de não saberem dos preparativos e de quando será a tão esperada data, no dia, é visível a alegria dos pets em uma festa em que tudo foi pensado exclusivamente para a diversão e, por que não, para o apetite deles. A indústria para aniversário de cachorro só cresce no Brasil todo e o segmento anda movimentando desde o buffet especializado nos dogs até as decorações e animações voltadas para os cães.

 » Read more about: Dicas para um aniversário de cachorro criativo e acessível  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Métodos Mais Eficazes Para Se Livrar das Pulgas do Seu Cachorro

por Handreza Hayran — publicado 19 fev 2019 - 11:10

As pulgas têm um ciclo de vida complexo de quatro estágios. Se você quiser se livrar das pulgas do seu cachorro e impedi-las de voltar, você deve abordar todas as etapas desse ciclo.

Pulverizar uma vez não é suficiente. Apenas tome cuidado para não exagerar no controle da pulga: muitos produtos tóxicos dentro e ao redor do animal podem ser prejudiciais ou mesmo fatais.

Controle de pulgas do seu cachorro

Seguir as instruções da embalagem é essencial quando se usa produtos e medicamentos sem receita médica.

Use somente produtos nas espécies para as quais eles são destinados. Não use vários produtos ao mesmo tempo sem consultar seu veterinário.

Mesmo seguindo as instruções dos rótulos de tratamento de pulgas do seu cachorro, os animais podem ter reações adversas aos produtos de pulgas.

Ligue para o seu veterinário imediatamente se você notar o seu animal se comportando de forma estranha ou com algum tipo de irritação na pele.

Banhos de pulgas para animais de estimação

Um shampoo de pulgas, ou “banho de pulga”, é um bom primeiro ataque as pulgas do seu cachorro. Mas é importante perceber que um shampoo de pulgas não se destina a um controle duradouro.

Os xampus são eficazes apenas por um dia ou menos. Eles deixam pouca química residual no animal quando usados ​​adequadamente.

Quando usar remédio de pulgas

Remédio de pulgas são fortes para livrar os animais não só de pulgas, mas também de ácaros e carrapatos. Os remédios só são recomendados quando absolutamente necessário, como no caso de uma infestação por ácaros.

As imersões duram aproximadamente duas semanas, e isso é uma enorme quantidade de resíduos químicos para deixar em um animal, portanto, use com cuidado, quando outras opções não foram eficazes.

Coleiras anti-pulga

As coleiras de pulgas funcionam de duas maneiras: emitindo um gás tóxico (para pulgas, de qualquer maneira) ou sendo absorvido pela camada de gordura subcutânea do animal afetado.

O gás geralmente só é eficaz na área imediata da cabeça e do pescoço. Os colares que absorvem a gordura subcutânea são muito mais eficazes. Os colares de pulgas são eficazes para pulgas adultas, mas não são muito úteis para larvas.

Controle de pulgas do seu cachorro na sua casa e quintal

pulgas do seu cachorro

Apenas cerca de 10 por cento da população de pulgas (principalmente os adultos) estão em seu animal de estimação. Os ovos de pulgas, larvas e os poucos adultos que residem no carpete, cama e áreas de vida compõem cerca de 90 por cento da população de pulgas. Negligenciar esta população de pulgas irá garantir que o problema da pulga continue e se agrave com o tempo.

Para controlar as pulgas em sua casa e quintal, você precisará de um ataque coordenado. Veja como fazer:

  • A aspiração diária é crucial para a erradicação geral da pulga. Isso vai fazer você se livrar de pulgas adultas, ovos e larvas.
  • Lave todas as roupas de cama, roupas e móveis removíveis, pelo menos uma vez por semana.
  • Aplique inseticida em sua casa. Siga todas as instruções com muito cuidado. Remova todos os animais de estimação, pessoas e cubra toda a comida no ambiente antes de aplicar inseticida.

Se você suspeitar que seu animal está doente, ligue para seu veterinário imediatamente.

Para questões relacionadas à saúde, sempre consulte seu veterinário, pois eles examinam seu animal de estimação, conhecem o histórico de saúde do animal de estimação e podem fazer as melhores recomendações para seu animal.

Descubra Quais os 10 Medos e Fobias do Cachorro

por Handreza Hayran — publicado 18 fev 2019 - 7:46

medos e fobias do cachorro

Os cães podem sofrer de vários medos e fobias diferentes. Essas fobias podem ter uma variedade de causas, incluindo a falta de socialização precoce, genética ou uma experiência negativa. Os medos e fobias do cachorro  podem levar a sinais como encolher-se, tremer, babar, latir, ter um comportamento destrutivo e, em alguns casos, agressão.

Medos e fobias do cachorro

1. Medo do trovão

Astrofobia é um dos medos e fobias do cachorro. É o medo do trovão , e é uma fobia muito comum em cães. O grau desse medo pode diferir entre os cães. Alguns podem ter apenas um leve medo de trovão.

Neste caso, um cão pode tremer ligeiramente ou você pode notar orelhas achatadas e uma cauda dobrada durante uma tempestade. Outros cães podem ter uma fobia mais grave que os leva a se esconder, a se tornarem destrutivos ou a perder o controle de seus intestinos ou da bexiga.

Uma curiosidade interessante é que os cães também podem sentir uma tempestade bem antes de você conseguir detectá-la. Esta é a razão pela qual muitos donos de cães relatam ter visto seus cães mostrarem sinais de medo por vários minutos ou mais antes que a tempestade realmente aconteça.

2. Medo de fogos de artifício

medos e fobias do cachorro

Um medo de fogos de artifício é mais um dos medos e fobias do cachorro. Semelhante ao medo das tempestades, os sons altos e imprevisíveis e a luz dos fogos de artifício fazem muitos cachorros tremerem de medo.

Cães com uma fobia grave de fogos de artifício podem precisar de tratamento com medicação anti-ansiedade ou sedativos.

3. Medo de ser deixado sozinho

O medo de ficar em casa sozinho é chamado de ansiedade de separação. Cães que sofrem de ansiedade de separação tendem a exibir comportamento destrutivo assim que seus donos saem de casa. Outros sintomas incluem latidos excessivos quando deixados sozinhos.

Uma mudança no comportamento do dono do cachorro pode ajudar a aliviar os medos de um cachorro. Simplesmente fazendo alterações em seus hábitos antes de sair de casa. A dessensibilização, o processo de fazer com que o cão se acostume a ficar sozinho em casa, também pode ser benéfico para os cães que sofrem de ansiedade de separação.

4. Medo do veterinário

medos e fobias do cachorro

Não é incomum que os cães tenham medo de ir ao veterinário. A primeira exposição de um cão ao veterinário geralmente envolve cheiros estranhos, ser tratado de novas maneiras  e receber vacinas.

Não é de admirar que os cães possam facilmente ter medo de uma viagem ao veterinário. Se não houver outras fobias envolvidas, esse medo pode ser facilmente corrigido simplesmente levando um cão ao veterinário para algumas visitas sociais que não envolvem um exame.

5. Medo de andar no carro

Muitos cães têm medo de andar no carro. O medo é geralmente devido à falta de exposição precoce a passeios de carro ou experiências negativas em andar de carro, como ficar doente de carro, andar no carro para ser deixado em um abrigo ou apenas ir de carro para uma visita ao veterinário.

É possível superar o medo do seu cão de andar no carro, usando guloseimas e elogios para lentamente atrair o seu cão para o carro e, em seguida, trabalhar para fazer passeios.

6. Medo de subir e descer escadas

O dono de um cão pode não perceber que seu cão tem medo de subir e descer escadas até que seu cão se aproxime de um conjunto de degraus. Esta fobia é quase sempre devido a uma falta de socialização precoce .

Alguns cães podem ser persuadidos a sair do medo fazendo passos de subir e descer. Outros cães podem precisar aprender a subir escadas, literalmente, passo a passo.

7. Medo dos homens

medos e fobias do cachorro

Pode surpreender que as pessoas aprendam que é bastante comum que os cães tenham medo dos homens. Embora, em alguns casos, esse medo possa derivar de ser abusado por um homem, na maioria das vezes é devido à falta de socialização.

Tenha em mente que um cão com medo pode rosnar ou morder alguém como resultado desse medo.

8. Medo de estranhos

O medo de estranhos é semelhante ao medo dos homens, mas, neste caso, um cão pode ter medo de alguém que não conhece. Isso pode ser um problema difícil de ser superado porque é impossível ensinar seu cão a aceitar todas as possíveis novas pessoas.

É importante permitir que seu cão se aproxime de novas pessoas em seu próprio tempo. Forçar um cachorro temeroso a aceitar um estranho poderia forçar um cachorro a se tornar agressivo .

9. Medo de crianças

Esse é mais um dos tipos de medos e fobias do cachorro. Cães desenvolvem medo de crianças por várias razões. Uma é a falta de exposição precoce a crianças. Não é incomum que as pessoas recebam um animal de estimação antes de se tornarem pais.

A menos que você leve um filhote para uma casa com crianças , seu cão pode não ter a oportunidade de se socializar com elas. Cães também costumam ter experiências negativas com crianças. Enquanto as intenções de uma criança podem ser boas, um cão pode interpretar aberturas de afeto como uma ameaça.

Os donos de cães que estão lidando com um cão com medo de crianças devem consultar um treinador de cães ou um especialista em comportamento para trabalhar essa fobia.

10. Medo de objetos

Muitos cães desenvolvem um medo de objetos particulares: o aspirador de pó, decorações e brinquedos de criança. Muitas vezes, esse tipo de medo não é grande coisa, pois muitos objetos podem simplesmente ser removidos de vista. Em certos casos, no entanto, pode ser problemático.

Leia mais sobre porque os cachorros tem medo de Pet Shop.