Amizade entre cachorro e gato vira sucesso no Instagram

Conta nos instagram (shimejiwasabi) já possui mais de 100 mil seguidores

por Samantha Kelly — publicado 8 fev 2014 - 14:41

Lembra aquela velha rivalidade entre cão e gato? Bem, ela não faz parte do cotidiano do Golden Retriever Ponzu e seu amiguinho felino Ichimi.

Ichmi fo resgatado pela usuária do Twitter Jessiepon, que desde então tem compartilhado com seus seguidores fotos dos dois no maior chamego na conta oficial shimejiwasabi.

A amizade e o carinho é tão forte que é impossível não se apaixonar pelas fotos.

Hoje, com mais de 100 mil seguidores no Instagram, a dupla sem dúvida pode ser considerada um sucesso online.

Confira abaixo alguns momentos fofos de Ponzu e Ichimi.

 

 

 

 

 

 

 

Cães de guarda: Conheça os 10 melhores e suas principais características

por Handreza Hayran — publicado 14 jul 2019 - 9:45

Você está procurando o cachorro certo para proteger você, sua família ou sua propriedade? Se você está pensando em conseguir um cão de guarda, há muitos cães de guarda por aí que estão prontos para o trabalho. É importante ser seletivo ao escolher seu próximo cão. Encontre um cão que se torne seu companheiro e protetor.

Muitos cães têm a capacidade natural de atuar como cães de guarda. Um cão de guarda ideal é grande,

 » Read more about: Cães de guarda: Conheça os 10 melhores e suas principais características  »

Falta de ar em cães: o que pode ser?

por Camila Da Silva — publicado 14 jul 2019 - 9:45

falta de ar em cães

A falta de ar em cães é algo raro de acontecer, mas precisa ser observado logo e o tratamento precisa ser rápido. Por isso, se você quiser entender um pouco mais sobre o assunto, acompanhe o texto e veja o que você pode fazer para evitar, tratar e identificar uma possível dificuldade respiratória no seu melhor amigo.
Falta de ar em cães

A falta de ar em cães é um dos problemas mais graves que podem acometer cachorros adultos ou filhotes.

 » Read more about: Falta de ar em cães: o que pode ser?  »

Remédio de verme para cachorro – Quando e como dar?

por Camila Da Silva — publicado 13 jul 2019 - 9:45

remedio de verme para cachorro

Remédio de verme para cachorro é algo que deve ser administrado com uma certa frequência. No entanto, não existe uma única forma de medicar os cães, tendo em vista que cada raça reagirá de uma fora. Além de que cada tipo de verme requer um tratamento específico, fazendo com que o processo precise de atenção. Desta forma, acompanhe o nosso texto para entender tudo sobre o assunto.
Remédio de verme para cachorro

O remédio de verme para cachorro é imprescindível.

 » Read more about: Remédio de verme para cachorro – Quando e como dar?  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cães de guarda: Conheça os 10 melhores e suas principais características

por Handreza Hayran — publicado 14 jul 2019 - 9:45

Você está procurando o cachorro certo para proteger você, sua família ou sua propriedade? Se você está pensando em conseguir um cão de guarda, há muitos cães de guarda por aí que estão prontos para o trabalho. É importante ser seletivo ao escolher seu próximo cão. Encontre um cão que se torne seu companheiro e protetor.

Muitos cães têm a capacidade natural de atuar como cães de guarda. Um cão de guarda ideal é grande, destemido, atlético, alerta, leal e muito sensível ao treinamento.

Um cão de guarda não deve ser agressivo. É importante que o cão tenha um forte senso de lealdade a você e a sua família, seja altamente alerta e observador, seja muito obediente e mostre alguns comportamentos protetores instintivos (como latir para estranhos). Essas características podem ser desenvolvidas através de treinamento para tornar o cão um excelente cão de guarda.

Cães de guarda: O que eles fazem?

Um cão de guarda eficaz é capaz de intimidar qualquer um que ofenda sua propriedade ou ameace prejudicá-la ou a seus entes queridos. Idealmente, seu cão de guarda perseguirá as pessoas sem a necessidade de causar danos corporais ao agressor. No entanto, pode haver casos em que um cão de guarda ataca um intruso que represente uma grande ameaça.

Ao treinar seu cão de guarda, é melhor obter ajuda de um treinador profissional de cães. Um cão de guarda deve aprender a obedecer-lhe, especialmente se você dá uma ordem para impedi-lo de atacar.Caso contrário, você pode acabar em apuros se uma pessoa inocente se machucar.

Os cães de guarda nem sempre precisam de treinamento especializado para serem protetores eficazes. No entanto, eles devem receber treinamento de obediência completa para que eles compreendam comandos básicos e quaisquer outras pistas do que deseja ensiná-los. Qualquer treinamento de cão de guarda deve ser treinado para desenvolver os instintos naturais do cão e fornecer estrutura.

As melhores raças de cães de guarda

Você está pronto para começar a procurar seu cão de guarda ideal? Qualquer cão de raça (ou mesmo um cão de raça misturada) pode se tornar um protetor eficaz se ele tiver as qualidades apropriadas. No entanto, existem certas raças de cães conhecidas por excelentes traços de cães de guarda. As seguintes raças de cães são conhecidas por sua capacidade natural de proteger.

1. Akita

akita

O Akita é um dos cães mais leais que você pode encontrar. Esta raça de cão corajosa e alerta é naturalmente suspeito para com estranhos. Seu Akita nobremente vai vigiar você e sua família em todos os momentos. É um trabalho que o Akita leva a sério e irá realizar naturalmente com pouco ou nenhum treinamento. Treinamento de obediência e treinamento de cães de guarda simplesmente aperfeiçoarão as habilidades naturais do Akita. A socialização adequada ajudará a evitar o distanciamento desnecessário ou a agressão.

2. Pastor Belga Malinois

belgian malinois

Intenso e ativo, não é surpresa que o belga Malinois seja uma das raças favoritas das unidades policiais e militares K9. O nível de energia desta raça exigia que ele tivesse um trabalho sério a fazer em todos os momentos.

É essencial que o belga Malinois receba treinamento especializado para concentrar suas habilidades naturais. A socialização adequada também é muito importante para que seu cão fique à vontade em situações novas ou desconhecidas. Também é absolutamente essencial que esta raça receba bastante exercício todos os dias.

3. Bulmastife

O tamanho grande desta raça é intimidante para intrusos. No entanto, a raça é naturalmente afetuosa em relação à sua família, tornando um excelente companheiro. O Bullmastife é um protetor natural que precisa de treinamento para fornecer estrutura e reforçar seus instintos naturais de proteção.

4. Cane Corso

Cane Corso

É uma raça de cão italiano que foi historicamente usada como cão de guarda, cão de guerra e caçador. O tamanho grande, a construção pesada, por si só, são bastante eficazes para afastar invasores. Porque a raça possui um instinto natural para a guarda, o treinamento incidirá sobre a obediência e aperfeiçoamento das habilidades naturais.

5. Pastor Alemão

pastor alemão

Semelhante ao belga Malinois, o cão pastor alemão é uma raça intensa e ativa. O pastor alemão tem um profundo senso de lealdade para com sua família. O treinamento é muito importante para ajudá-lo a se concentrar nas tarefas essenciais necessárias para proteger a propriedade, mas sua capacidade natural e o desejo de proteger fornecerão uma excelente base para o treinamento. Conscientemente socialize seu pastor alemão para evitar medo e nervosismo. Além disso, certifique-se de que ele faça bastante exercício todos os dias.

6. Doberman

dobermam

O Doberman historicamente tem sido visto como uma raça agressiva de cães, mas a verdade é bem diferente. Embora criado para proteger, o Doberman é afetuoso, dócil e até mesmo brincalhão às vezes em torno de sua família. A maioria deles faz um bom trabalho de proteção sem treinamento formal. No entanto, essas habilidades podem ser desenvolvidas com o programa de treinamento correto, ajudando seu Doberman a se tornar um excelente cão de guarda.

7. Komondor

komondor

É conhecido por sua assinatura “dreadlocks”, no entanto, não deixe a aparência enganar você. O Komondor é um cão de trabalho grande, forte e corajoso que se originou na Hungria. Esta raça é afetuosa com a sua família, mas é naturalmente reservada em torno de estranhos. A raça tem um desejo natural de proteger. A socialização também é importante para ajudar a expor a raça a diferentes situações.

8. Rhodesian ridgeback (Leão da Rodésia)

Rhodesian ridgeback

Embora historicamente seja um cão de caça, o Rhodesian Ridgeback tem uma intensa lealdade à sua família que o torna naturalmente inclinado a proteger. Esta é uma raça carinhosa e nobre. O treinamento básico de obediência é essencial, mas o treinamento especializado de cães de guarda não é ideal, pois pode intensificar o instinto natural de proteger. É mais importante que a raça seja treinada para ouvi-lo quando necessário. O exercício diário ajudará a manter o seu Rhodesian feliz e saudável.

9. Rottweiler

rottweiler

O Rottweiler é outra raça que às vezes tem a reputação de ser um cão agressivo. Na realidade, um Rotweiler pode ser um grande amante bobo em um momento e um defensor intimidador no outro. Quando um Rottweiler confia em você, ele provavelmente será leal e afetuoso com você. No entanto, muitos Rotts são hesitantes em relação a estranhos até que seja provado que não há ameaça. Naturalmente teimoso às vezes, um Rottweiler não terá dificuldade em dizer (ou mostrar) que ele não aprova suas ações. Este é um verdadeiro cão guardião que pode se tornar um excelente cão de guarda quando devidamente treinado. Esta raça precisa de socialização, estrutura e trabalho a fazer.

10. Mastim Tibetano

tibetan mastiff

O Mastim Tibetano pode ser o melhor cão de guarda. Ninguém passa por este cão grande, vigilante, poderoso e intimidador. Historicamente usado como um cão guardião do Tibete, esta raça tem proteção correndo em suas veias. O Mastim tibetano é descontraído em torno da família, mas tende a desconfiar de estranhos e exibir comportamento territorial se ameaçado por um estranho. Embora não seja a raça mais afetuosa por aí, este é um cão leal que irá proteger você e sua família.

Falta de ar em cães: o que pode ser?

por Camila Da Silva — publicado 14 jul 2019 - 9:45

falta de ar em cães

A falta de ar em cães é algo raro de acontecer, mas precisa ser observado logo e o tratamento precisa ser rápido. Por isso, se você quiser entender um pouco mais sobre o assunto, acompanhe o texto e veja o que você pode fazer para evitar, tratar e identificar uma possível dificuldade respiratória no seu melhor amigo.

Falta de ar em cães

A falta de ar em cães é um dos problemas mais graves que podem acometer cachorros adultos ou filhotes. Esta situação pode estar ligada a uma série de fatores determinantes que podem, inclusive, levar o cão a óbito. Por isso, prestar atenção nos sinais e nas possíveis complicações é de extrema importância.

Cachorros devem inspirar e expirar cerca de 10 a 30 vezes por minuto enquanto estiverem em repouso. Ou seja, qualquer alteração para menos ou mais, significa que a respiração do cão está comprometida. E, desta forma, você precisará procurar ajuda o mais rápido possível.

Para ajudar você a entender um pouco mais sobre a falta de ar em cães, separamos este texto para abordar o assunto de forma objetiva e prática. Acompanhe dois dos principais motivos da falta de ar em cães.

falta de ar em cães

Parada respiratória

A parada respiratória é um dos estados mais graves que pode acometer um cão com falta de ar. Ela pode estar relacionada a uma série de fatores intrínsecos ao organismo do animal. Ou seja, pode ocorrer devido a muitas situações.

O mais importante é pegar o cachorro e dirigir-se imediatamente para o pronto socorro para iniciar o tratamento. No caminho, é importante monitorar sempre a respiração do animal. Caso note que ela venha a diminuir muito, é importante que seja feito uma espécie de respiração boca a boca, soprando no focinho do animal. Além disso, uma massagem cardíaca deve também ser feita, do lado esquerdo do peito do cachorro, próximo ao cotovelo.

Estas ações são fundamentais para que o cachorro continue respirando até a chegada na clínica, onde os processos mais complexos poderão ser feitos.

Algum tipo de gripe

Além da parada respiratória, que é extremamente grave, a falta de ar em cães também pode surgir a partir de uma gripe canina ou resfriado contraído em algum momento. Os sintomas mais básicos e clássicos deste tipo de problema são um forte desânimo ou cansaço no cão, a respiração rápida e ofegante, falta de vontade para comer, corrimento no nariz e tosse seca.

É normal os cães ficarem gripados durante o ano pelo menos duas vezes. Entretanto, estas situações sempre devem ser acompanhadas de perto para não evoluírem para situações mais graves e complexas, como a citada anteriormente (parada respiratória).

falta de ar em cães

Como tratar a falta de ar em cães?

Agora que você já entendeu um pouco sobre como a falta de ar em cães pode acontecer, é hora de entender como tratá-la. Entretanto, é importante adiantar: não há receita milagrosa, pois cada caso é um caso e cada raça de cachorro é única, podendo necessitar de tratamentos especiais e diferenciados.

Existem tratamentos com remédios via oral, nasal e até mesmo inalação. Entretanto, para que você saiba exatamente que atitude tomar, nunca deixe de consultar um veterinário. Ele e somente ele poderá recomendar dosagens e tipos de remédios para a situação do seu animal. Lembre-se que todos remédios possuem efeitos colaterais. E isto é válido também para os cães. Por isso, muito cuidado.

Cuidados com a saúde são importantes

A falta de ar em cães é um sintoma muito típico a partir de gripes, como citado anteriormente. Entretanto, é possível prevenir e evitar a situação simplesmente levando o animal regularmente a um veterinário. É ele quem poderá avaliar as condições de presente e futuro, recomendar providências, prevenções, etc. Veja uma lista de itens que você deve se atentar para manter seu cão saudável.

falta de ar em cães

Deixe as vacinas em dia

As vacinas são as fontes mais seguras de prevenção. É através delas que você evitará uma série de doenças, contaminações ou problemas futuros para o seu cachorro. Por isso, mantenha a caderneta de vacina do animal em dia. Busque entender sobre a importância de cada vacina e, desta forma, você garantirá uma vida mais saudável para o cão, desenvolvendo anticorpos e demais proteções.

Não deixe-os sair na chuva e no frio

A falta de ar em cães, como citado, também pode ocorrer devido a uma forte gripe. E esta gripe pode ser contraída caso o cão ande na chuva ou no frio de forma regular. Por isso, mantenha uma constância nas atividades externas em momentos de sol, evitando a exposição a temperaturas mais baixas e perigosas para a saúde do animal.

Faça consultas regulares no veterinário

Esta é clichê mas é de suma importância. Visite o veterinário com regularidade para ter um prontuário completo do seu cachorro. A partir de dados coletados, você poderá ter tratamentos muito mais rápidos e direto ao ponto. Proporcione mais saúde ao seu cão desta maneira.

Higienização é fundamental

Outra situação que parece clichê, mas precisa ser levada ao pé da letra: higienização. Sim, manter o seu cão limpo evitará uma série de contaminações que podem ocorrer devido a sujeiras pelo corpo. Diferente de um gato, por exemplo, o cão precisa de atenção na parte higiênica. Caso contrário, diversas doenças (inclusive a falta de ar em cães) poderão desencadear a partir das bactérias encontradas pelo corpo.

falta de ar em cães

Cuidado com a alimentação

Nós somos o que nós comemos. E os cães também. Por isso, mantenha uma alimentação balanceada e completamente equilibrada para o seu cachorro. É importante fornecer todos os tipos de nutrientes e vitaminas para que o corpo trabalhe da forma correta e previna as doenças de forma mais eficaz.

Faça o exercício de observação

A falta de ar em cães pode ser notada com o simples trabalho de observação. Ou seja, observe o seu cão. Veja como ele está se comportando. Caso você note qualquer atitude estranha, busque fazer um acompanhamento mais de perto para ver o que ele anda fazendo. Se você notar qualquer tipo de dificuldade para respirar, leve-o imediatamente a um veterinário, pois um problema mais grave pode estar causando esta disfunção.

Não se desespere

Manter a calma é fundamental. Portanto, se você notar seu cão em alguma situação de risco para a saúde dele, mantenha o controle, observe o que pode estar acontecendo e leve-o ao especialista mais próximo. Lembre-se que ele não possui funções cognitivas racionais. Ou seja, pode ser que ele não avise nem demonstre algum problema. Por isso, esteja sempre por perto e, caso encontre alguma anormalidade, mantenha a calma e a tranquilidade para proceder com a situação de forma não puramente emocional. Cuide do seu cão e boa sorte.