Cãozinho nasce com marca no formato de coração na Alemanha

por Rodrigo Amar — publicado 5 set 2012 - 21:40

Um filhote chamou atenção em Neukirchen-Vluyn, na Alemanha, ao nascer com uma marca no pelo no formato de coração, segundo o jornal alemão ‘Bild’.

Cão sozinho: dicas para deixá-lo mais feliz

por Camila Da Silva — publicado 21 ago 2019 - 9:45

cão sozinho

Ter um cão sozinho muitas vezes não é tarefa fácil: seja pelo lado físico ou emocional! Se você também tem problemas em deixar o seu cachorro muito tempo na solidão enquanto você trabalha, acompanhe este texto e saiba o que você pode fazer para amenizar o problema e, consequentemente, manter o animal mais entretido e feliz.

Cão sozinho – Dicas para deixá-lo mais feliz

Você tem pena de deixar seu cão sozinho? Há razões para que este sentimento domine o seu dia quando tiver que deixar seu animal solitário em casa.

 » Read more about: Cão sozinho: dicas para deixá-lo mais feliz  »

Causas da Conjuntivite Canina e Opções de Tratamento

por Handreza Hayran — publicado 20 ago 2019 - 9:45

cachorro doente

Pode não parecer, mas a conjuntivite canina é uma doença bem comum. Ocorre quando a membrana conectiva – que reveste a parte branca do olho e o interior das pálpebras – fica inflamada.

A conjuntiva não é perceptível a olho nu, uma vez que é translúcida e muito fina, com textura viscosa. Mas, quando está irritada, apresenta vermelhidão, coceira constante, queimação e lacrimejamento.

Em geral, esse distúrbio ocular não afeta permanentemente a visão. Entretanto,

 » Read more about: Causas da Conjuntivite Canina e Opções de Tratamento  »

Cachorrinho chorando: Como ajudar? Por que os filhotes choram?

por Handreza Hayran — publicado 19 ago 2019 - 9:45

emoções do cachorro

A primeira coisa que nos vem a cabeça quando ouvimos um cachorrinho chorando é que ele provavelmente esteja em sofrimento. Sendo assim, esse som pode ser tão assustador e triste que imediatamente nos remete a um instinto de proteção.

Mas os pets, assim como nós, não choram apenas pela dor. Afinal, é através do choro eles esboçam um misto de emoções. Estas, que devemos aprender a detectar quais são para saber como agir.

Nos primeiros dias na casa nova,

 » Read more about: Cachorrinho chorando: Como ajudar? Por que os filhotes choram?  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cão sozinho: dicas para deixá-lo mais feliz

por Camila Da Silva — publicado 21 ago 2019 - 9:45

cão sozinho

Ter um cão sozinho muitas vezes não é tarefa fácil: seja pelo lado físico ou emocional! Se você também tem problemas em deixar o seu cachorro muito tempo na solidão enquanto você trabalha, acompanhe este texto e saiba o que você pode fazer para amenizar o problema e, consequentemente, manter o animal mais entretido e feliz.

Cão sozinho – Dicas para deixá-lo mais feliz

Você tem pena de deixar seu cão sozinho? Há razões para que este sentimento domine o seu dia quando tiver que deixar seu animal solitário em casa. Os pensamentos vão pra ele a todo instante. Seja se você está adotando um cão agora ou mesmo se ele já faz parte da família há um bom tempo.

Fato é que estas situações são desagradáveis tanto para o dono quanto para o animal. Sim, os cães sentem falta do dono a todo instante. E demora até que eles estejam acostumados com a situação de viverem solitários por algum tempo do dia. Um adestramento de cachorro de qualidade precisa ser feito e, talvez, isto fará os problemas diminuirem.

Mas para que você consiga tomar algumas atitudes com relação a isso, acompanhe nossas dicas e coloque-as em prática. Veja abaixo.

cão sozinho

Foto: Freepik

O que é um cão gregário?

Antes de mais nada, precisamos entender o que é um cão gregário. Bom, um cão gregário nada mais é do que um ser que precisa da companhia de outro para viver bem. Aí você deve estar se perguntando: e os cães de rua? Bom, os cães de rua são extremamente infelizes, uma vez que com o passar do tempo eles se acostumem com esta situação e passam de uma fase de tristeza para uma fase de aceitação. Mas se for um cão criado há muitos anos próximo dos donos, talvez nunca se acostume.

E o mesmo ocorre com nossos animais de estimação que são tão bem cuidados dentro de casa. Por mais que eles tenham uma qualidade de vida muito melhor do que um cão de rua, saiba que isso não tira nossa responsabilidade de mantê-los felizes. E para que isso ocorra de forma ainda mais completa, a sua presença é fundamental na vida dele. Só assim ele se sentirá seguro, amado e acarinhado. Vamos para as dicas!

cão sozinho

Foto: Freepik

1- Não faça longas despedidas ao sair para trabalhar

A primeira dica para que seu cão tenha dias solitários mais tranquilos, é não se despedir de forma muito efusiva de manhã quando sair para trabalhar. Os cães irão de um nível equilibrado de alegria para uma nível extremamente alto. E isto é muito prejudicial, pois é bem no momento que você terá de deixá-lo.

Por isso, ao sair para trabalhar, apenas fale com ele de forma natural e deixe-o fazendo o que ele está fazendo. Se ele já estiver entretido com algo, melhor ainda. Pois quanto mais atenção darmos a ele, mais ele vai entender que aquele momento é divertido. E, no longo prazo, ele sentirá muita falta logo após o momento de você sair. Talvez você o ouça chorar assim que fechar a porta!

Portanto, equilíbrio e pouca interação neste momento.

cachorro preto sozinho

Foto: Freepik

2- Não faça longos cumprimentos ao chegar do trabalho

Assim como manter um ânimo equilibrado na despedida, mantenha a mesma postura na chegada! Embora isso possa parecer difícil (e é!) pois você está esperando o dia todo para vê-lo, é importante que aconteça. Mas, por qual motivo? Simples: o cão precisa entender que você sair e voltar é normal e nada demais vai acontecer! Pois ele não pode associar as extremidades da solidão com a sua presença: nem quando você sair, nem quando você chegar.

Depois de alguns minutos em casa, você poderá interagir com ele de forma mais direta. Fale, brinque, dê comida, pegue no colo, etc. Afinal, ele precisa sentir que você ama ele. Caso contrário, facilmente ele se sentirá abandonado. Por isso, equilíbrio é necessário!

3- Deixe brinquedos espalhados pela casa

Esta dica é clássica mas muito útil: deixe brinquedos espalhados pela casa. Um cão sozinho irá procurar alternativas para se entreter. E muitas vezes, a curiosidade irá ajudar neste processo. Desta forma, se você manter um brinquedo em cada cômodo, ele irá ficar feliz ao encontrar e brincará por algum tempo sem enjoar. E quando for para o próximo cômodo, tudo recomeça com um novo brinquedo!

cachorro sentado

Foto: Freepik

Uma dica é usar brinquedos com ração. Ou seja, estimular o cão a interagir por muito tempo com o brinquedo até que ele consiga extrair a ração que está dentro. Esta é uma forma muito prática e efetiva de fazer com que um cão sozinho sinta-se feliz e nem veja o tempo passar.

Aproveite para conferir também este artigo sobre como os cachorros escolhem seus brinquedos preferidos.

4- Esconda ração em cômodos para entreter um cão sozinho

Além da ração nos brinquedos, você pode esconder ração nos cômodos da casa. Por exemplo, um pouco em baixo da cama, um pouco atrás da cortina, perto do sofá, enfim. Procure por locais em que, ao desbravar, o cão encontre uma recompensa. Isto fará com que ele ande e percorra a casa atrás destas recompensas e assim consiga se entreter até a sua volta.

Com estas dicas, certamente você já conseguirá ter um cão muito menos solitário. Não existe receita mágica. Cada raça é única e irá se comportar de uma forma. Por isso, nunca dispense uma ajuda profissional para trabalhar o comportamento do seu cachorro de uma forma que proporcione muito mais qualidade de vida, conforto e aconchego. Afinal, tudo que queremos é que nossos cães sintam-se felizes. E, assim, conseguimos ter um dia tranquilo e muito produtivo no trabalho. Boa sorte!

Aproveite para conferir também o nosso artigo sobre como fazer o cachorro dormir sozinho.

Causas da Conjuntivite Canina e Opções de Tratamento

por Handreza Hayran — publicado 20 ago 2019 - 9:45

cachorro doente

Pode não parecer, mas a conjuntivite canina é uma doença bem comum. Ocorre quando a membrana conectiva – que reveste a parte branca do olho e o interior das pálpebras – fica inflamada.

A conjuntiva não é perceptível a olho nu, uma vez que é translúcida e muito fina, com textura viscosa. Mas, quando está irritada, apresenta vermelhidão, coceira constante, queimação e lacrimejamento.

Em geral, esse distúrbio ocular não afeta permanentemente a visão. Entretanto, pode dificultar a visão devido ao lacrimejamento e à hipersensibilidade quanto a luz.

Se você suspeitar que seu pet está com conjuntivite, marque uma consulta com o veterinário o quanto antes. Embora casos muito leves possam ser resolvidos em casa, é melhor confirmar o diagnóstico.

Tipos e causas de conjuntivite canina

O tipo de secreção, assim como a forma como ela se apresenta é um indicador da causa da doença, sendo:

  • Se a secreção e a vermelhidão aparecerem, de tal forma, a afetarem apenas um olho (unilateral), pode indicar a presença de um corpo estranho;
  • Todavia, se uma secreção mucosa ocorrer em ambos os olhos, indicará uma causa bacteriana, fúngica ou de ceratoconjuntivite;
  • Uma secreção clara e aquosa eventualmente indica uma alergia ou uma irritação simples;
  • O pus, que geralmente forma crostas no olho, é comumente causado por Streptococcus ou Staphylococcus.

Conjuntivite alérgica

conjuntivite

A conjuntivite canina alérgica ocorre quando há algum tipo de reação a produtos ou situações, tais como:

  • Contato do cão com planta irritante;
  • Picada de inseto;
  • Ácaros;
  • Pólen;
  • Produto cosmético ou de higiene, mas que não seja apropriado para animais;
  • Entre outros.

Em geral, a doença mostra-se momentânea e não contagiosa.

Conjuntivite virótica

Primordialmente, é causada por um vírus, como o da cinomose. Ela se espalha com rapidez e é mais difícil de tratar do que a conjuntivite alérgica.

Porquanto, pode ser um sintoma de uma doença sistemática ou generalizada. Sendo assim, é o tipo mais preocupante.

Conjuntivite bacteriana

É produzida por uma bactéria e, como no caso anterior, é contagiosa. Entretanto, não é considerada como sintoma secundário de qualquer doença sistemática ou generalizada.

Ceratoconjuntivite ou síndrome do olho seco

conjuntivite

Este tipo de conjuntivite canina, semelhantemente aos demais, também é comum. Caracteriza-se por uma inflamação crônica não só das glândulas lacrimais, mas da córnea e da conjuntiva.

Isso causa menos lágrimas, e o pior, seca o olho e acaba prejudicando a córnea.

Ao propósito, a síndrome do olho seco pode estar relacionada ao vírus da cinomose.

Conjuntivite canina purulenta

Geralmente é associada à bactéria Streptococcus e Staphylococcus. Como resultado, as secreções espessas de pus e muco formam uma crosta nas pálpebras.

Conjuntivite neonatal

Afeta as pálpebras dos filhotes antes ou depois de se separarem, só que acontece apenas por volta de 10 a 14 dias de vida. O tratamento veterinário imediato é importante, uma vez que a conjuntivite canina neonatal não tratada pode resultar em danos na córnea e até mesmo cegueira.

Conjuntivite folicular

É também conhecida como conjuntivite mucoide. Ocorre quando pequenas glândulas mucosas (folículos) reagem a uma infecção, assim como irritação ocular, formando uma superfície áspera que avermelha o olho.

Por conseguinte, a descarga resultante se assemelha ao muco. Nos casos em que o problema persiste, a superfície áspera acaba tornando-se crônica.

Filhotes e cães jovens são pacientes típicos de conjuntivite folicular, entretanto, a doença diminui com a idade.

Conjuntivite canina sérica

De fato, é uma condição leve (não grave), uma vez que faz com que as membranas pareçam rosadas e inchadas, com uma descarga clara e aquosa saindo dos olhos.

Esta condição, em geral, é causada por irritantes, como poeira, alérgenos, clima frio ou ventoso.

Tratamento para a conjuntivite canina

conjutivite canina

De antemão, um dos primeiros conselhos que podemos dar é: não medique o animal por conta própria.

Sendo assim, para quaisquer sintomas de conjuntivite canina, é sempre necessário ir ao veterinário para diagnosticar o tipo e o tratamento apropriado.

Geralmente, no caso de conjuntivite que não é secundária a outras doenças sistêmicas, o tratamento é baseado na:

  • Limpeza do olho com soro fisiológico e gaze estéril;
  • Aplicação de anti-inflamatórios esteroides orais ou injetáveis.

Normalmente, não se recomenda a aplicação tópica de medicamentos. Isso porque a absorção cutânea é difícil e a área dos olhos é muito delicada, tornando o tratamento praticamente impossível.

conjuntivite canina

Muitas pessoas ainda acreditam que um bom remédio para conjuntivite canina é molhar uma gaze estéril com uma infusão de camomila calmante. Desta forma é possível lavar o olho do animal.

No entanto, alguns veterinários fazem objeções quanto à prática. Dizem que em alguns animais, ao invés de ajudar pode ser irritante. O mais recomendado para manter o olho do cãozinho limpo com o soro fisiológico.

Como evitar problemas oculares devido a conjuntivite canina

Não há maneira segura de evitar a conjuntivite canina, mas algumas precauções podem reduzir as chances de casos futuros.

A coisa mais importante na prevenção é manter uma boa higiene do olho. Contudo, uma alimentação adequada, que faça as defesas do cão se manterem firmes no organismo, é uma atitude bastante assertiva.

Limpar frequentemente os olhinhos do cão com uma gaze estéril e soro pode ser uma boa prática. De fato, isso removerá as temidas secreções e a sujeira acumulada.

cachorro doente

Da mesma forma, cortar o pelo do cachorro ao redor da área dos olhos também evita que a sujeira acumulada penetre nas íris e as danifique.

Ah, e algo que não pode ser esquecido é impedir que o animal entre em contato com produtos químicos. Além da conjuntivite canina, também pode causar condições respiratórias adversas.

Em casos de problema ocular devido a anormalidades, recomenda-se não usar o cão para reprodução para evitar a transmissão do defeito.

A recuperação da conjuntivite canina

O período de recuperação geral varia. Entretanto, para que as primeiras sinalizações de melhora sejam observadas, é necessário de 3 a 4 dias. Posto que, esse tempo se dá em casos de infecções alérgicas ou fúngicas.

Dessa forma, as infecções virais ou bacterianas podem levar até três semanas para serem eliminadas.

cachorro doente

Em contrapartida, seu cão só vai encontrar alívio imediato através dos colírios ou antibióticos prescritos. Se tiver dúvidas, peça ao seu veterinário para demonstrar a melhor maneira de medicar o animal depois que sair da clínica.

À princípio, a administração dos medicamentos inclui manter o olho do seu cachorro limpo. Para isso é preciso eliminar qualquer secreção com uma esponja ou pano estéril, trocar os lençóis e cobertas de sua cama com frequência, à fim de evitar a reinfecção.

Por fim, se você tiver mais de um animal de estimação, mantenha o que estiver afetado por conjuntivite canina afastado. Faça isso até que o risco de contágio seja eliminado.