Na Índia, cães de rua são uma ameaça

por Samantha Kelly — publicado 8 ago 2012 - 11:25

Vítimas de ataques surpresa mancam para dentro de um dos maiores hospitais públicos da cidade. Recentemente, entre as centenas estavam crianças encurraladas em suas casas, estudantes emboscados no caminho para a escola e pessoas de idade saindo do trabalho.

Todos contaram a mesma história assustadora: foram mordidos por cães de rua.

Deepak Kumar, 6, apresentava um corte em suas costas causado por um cachorro que atacou o casebre de sua família.

“Nós por fim fechamos os portões para nossa vila e batemos no cachorro até ele morrer”, disse o pai de Deepak, Rajinder.

Nenhum país tem tantos cachorros de rua como a Índia, e nenhum país sofre tanto com eles. Os cachorros de rua são dezenas de milhões e mordem milhões de pessoas anualmente, incluindo um grande número de crianças. Cerca de 20 mil pessoas morrem todos os anos infectadas pela raiva – mais de um terço da estatística global da raiva.

Bandos de cães de rua se escondem em parques públicos, guardam vielas e esquinas e uivam à noite nos bairros e vilarejos. Pessoas que correm carregam pedaços de bambu para bater nos cães, e ciclistas enchem os bolsos com pedras para jogar naqueles que os seguem. Andar com um cachorro de estimação aqui pode ser equivalente a nadar com tubarões.

Uma lei de 2001 proíbe a matança de cães, e a população de rua aumentou tanto que funcionários de todo o país expressaram alerta.

Em Mumbai, onde mais de 80 mil pessoas reportaram ser mordidas no ano passado, o governo planeja realizar um censo dos cães de rua usando motos para segui-los e tingindo seus pelos com tinta spray. Um membro da Assembleia Legislativa de Punjab propôs em junho mandar os cães para a China – onde às vezes se comem cães – depois que mais de 15 mil pessoas no estado disseram ter sido mordidas no ano passado. Em Nova Déli, funcionários anunciaram recentemente uma campanha intensiva de esterilização.

A posição da índia como um centro global para cães com raiva é antiga: o primeiro cachorro infectado com raiva provavelmente era indiano, diz o Dr. Charles Rupprecht, chefe do programa de raiva nos Centros para Controle e Prevenção de Doenças em Atlanta. As mordidas de cães causam 99% das mortes de seres humanos por raiva.

De fato, acompanhar a raiva no subcontinente é desafiador porque as relações que os cães indianos mantém com os seres humanos são ancestrais. O cão pária indiano, a raça dominante nas ruas, é provavelmente descendente de um antigo imigrante chinês, diz Peter Savolainen, professor de genética evolucionária no Instituto Real de Tecnologia em Estocolmo. Com orelhas pontudas, uma cabeça triangular e um rabo que se enrola sobre as costas, o pária se parece com outros cães pré-históricos como o dingo australiano.

 

 

Por milhares de anos, a relação dos cães com os seres humanos foi semelhante à do peixe piloto com os tubarões, diz John Bradshaw, diretor do Instituto de Antrozoologia da Universidade de Bristol na Inglaterra.

“Os cães essencialmente começaram se alimentado de carniça”, diz Bradshaw. “Eles evoluíram para andar em torno das pessoas em vez de ser úteis para elas.”

Embora essa relação tenha desaparecido em grande parte no mundo desenvolvido, ela continua sendo a relação dominante na Índia, onde os cães de rua sobrevivem dos montes de lixo onipresentes. Alguns são alimentados e usam coleiras de moradores que os valorizam como cães de guarda e companheiros, embora distantes. Os hindus são contra matar muitos tipos de animais.

Malini Jadeja, que mora em Déli parte do tempo, diz que estava andando com seu amado cachorro Fudge Cake há alguns anos não muito longe do Jardim Lodi quando “dois cachorros surgiram do nada e atacaram”, Fudge Cake estava na coleira, então não conseguiu fugir.

“Eu tentei agarrar os cães e puxá-los para longe, mas quando eu conseguia pegar um, o outro atacava”, disse Jadeja. “Eles mataram Fudge Cake na minha frente.”

Ela se culpa pela morte do cachorro e ainda vive aterrorizada pelos cães de rua.

“É muito difícil levar um cão para passear aqui por causa dos ataques dos cães de rua”, diz Radhey S. Sharma, presidente da Associação Veterinária Indiana.

 

 

Entretanto, a crescente classe média indiana começou a adotar ideias ocidentais para cuidar dos animais, comprando cães com pedigree e levando animais para dentro de casa. Mas muitos cachorros com pedigree acabam na rua, abandonados por criadores mal sucedidos ou donos que se cansam da experiência.

Os cães de rua são perigosos não só por causa de seus dentes mas também porque abrigam carrapatos e outros parasitas. Mas os defensores do bem-estar dos animais rejeitam veementemente a eutanásia; e alguns alertam que reduzir a população de cães de rua e não fazer nada com os montes de lixo do país pode ser perigoso porque os ratos podem se proliferar no lugar dos cães.

“A primeira coisa para começar a reduzir a população de cães de rua é administrar melhor o lixo”, diz Arpan Sharma, diretor-executivo da Federação de Organizações Indianas para a Proteção Animal. “E a segunda coisa é uma esterilização agressiva, castrando e vacinando os animais.”

Jaipur reduziu sua população de animais de rua, mas é uma exceção solitária que superou desafios enormes não só logísticos mas também culturais.

“As pessoas de fato não querem que nós tiremos os cães das ruas, particularmente nas áreas pobres”, diz o Dr. Jack Reece, veterinário de Jaipur que ajudou a liderar a iniciativa na cidade. “Em outras áreas, especialmente muçulmanas, eles não nos deixam soltar os cachorros novamente. Eu já fui cercado por grandes multidões de jovens irritados dizendo que eu não podia soltar os cães lá, embora eles tivessem sido tirados do mesmo local dois dias antes.”

 

 

Mais de uma dúzia de especialistas entrevistados disseram que o problema dos cães de rua da Índia só piorará até que uma vacina contraceptiva canina, ainda no laboratório, torne-se amplamente disponível e barata.

O Dr. Rosário Menezes, pediatra de Goa, diz que a Índia não pode esperar tanto. Os cães precisam ser retirados das ruas mesmo que isso signifique matá-los, diz ele.
“Sou a favor do direito das pessoas andar na rua sem medo de serem atacadas por bandos de cachorros”, diz ele.

Arshpreet Kaur tinha três anos quando um cão de rua entrou pela porta da frente de sua casa e mordeu ela e o avô. Em uma semana, Arshpreet teve dor de cabeça e depois febre. Seus pais a levaram para um hospital, mas ela entrou em coma, estado no qual permaneceu por nove anos antes de morrer.

“Há cães de rua por toda parte em Déli”, disse a mãe de Arshpreet, Jasmeen Kaur, numa entrevista por telefone. “Temos mais medo de mordidas de cachorro do que de qualquer outra coisa.”

 

Fonte

Cachorro está vomitando amarelo: O que pode ser?

por Camila Da Silva — publicado 17 jun 2019 - 9:45

Cachorro está vomitando amarelo: o que será que pode ser? Sempre ficamos com uma desconfiança com relação a saúde do nosso cachorro quando ele começa apresentar sinais estranhos em casa. E um destes sinais, pode ser um mal estar que provoque vômitos. Ou, até mesmo e infelizmente, uma doença mais grave. Se você quiser descobrir mais informações sobre este assunto, acompanhe.
Cachorro está vomitando amarelo – O que pode ser?

Cachorro está vomitando amarelo nos leva a pensar que ele possa estar doente.

 » Read more about: Cachorro está vomitando amarelo: O que pode ser?  »

Mordida de cachorro: saiba o que fazer

por Camila Da Silva — publicado 17 jun 2019 - 9:45

Uma mordida de cachorro pode significar uma série de complicações para a vítima. Quem tem cachorro em casa sabe da importância dos cuidados e prevenções deste aspecto. Seja com vacinas em dia ou com o tratamento do temperamento do cão. Assim sendo, se você está procurando alternativas para tratar uma mordida de cachorro, acompanhe o texto.
Mordida de cachorro – Saiba o que fazer

Se tem uma situação que gostaríamos de não passar, é a de uma mordida de cachorro.

 » Read more about: Mordida de cachorro: saiba o que fazer  »

Como ensinar o cão o que é não

por Camila Da Silva — publicado 16 jun 2019 - 9:45

Como ensinar o cão o que é não, muitas vezes pode ser um processo altamente complexo. No entanto, se fizer do jeito certo, os resultados acabam surgindo e você consegue ter um cachorro obediente e que sabe entender aos seus comandos. Para isso, é importante seguir alguns critérios que vamos explicar no decorrer do texto. Por isso, acompanhe até o final.
Como ensinar o cão o que é não

Se você está tentando entender como ensinar o cão o que é não,

 » Read more about: Como ensinar o cão o que é não  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cachorro está vomitando amarelo: O que pode ser?

por Camila Da Silva — publicado 17 jun 2019 - 9:45

Cachorro está vomitando amarelo: o que será que pode ser? Sempre ficamos com uma desconfiança com relação a saúde do nosso cachorro quando ele começa apresentar sinais estranhos em casa. E um destes sinais, pode ser um mal estar que provoque vômitos. Ou, até mesmo e infelizmente, uma doença mais grave. Se você quiser descobrir mais informações sobre este assunto, acompanhe.

Cachorro está vomitando amarelo – O que pode ser?

Cachorro está vomitando amarelo nos leva a pensar que ele possa estar doente. No entanto, nem sempre é assim. O vômito amarelo de um cachorro pode significar uma série de coisas, inclusive, nada. Entretanto, é sempre bom ficarmos atentos aos sinais de possíveis problemas mais graves.

Cachorro vomitando amarelo

Assim como um ser humano, o cachorro possui em seu estômago um líquido chamado bílis. Este líquido é responsável por auxiliar no processo digestivo, quebrando as células de gordura para que elas possam ser devidamente absorvidas pelo corpo. Desta forma, a bílis concentra-se durante a maior parte do dia a espera de alimentos. E quando eles não chegam da forma certa, uma expulsão pode ocorrer.

A nível de comparação com os seres humanos, por exemplo, a bílis é criada apenas quando o alimento está chegando ao estômago. Ou seja, não há excessos e concentrações. Entretanto, este não é o único motivo deste problema ocorrer com os nossos bichos. Acompanhe para entender.

O que fazer quando o cão está vomitando amarelo?

Como falamos, a bílis pode ter um papel importante nas causas do vômito amarelo. No entanto, outras situações também podem ocorrer. Para que você tenha um panorama mais completo do que está acontecendo, é importante levar algumas coisas em consideração. Acompanhe.

Cachorro está vomitando amarelo

Observação

Observar é um dos principais fundamentos para um bom cuidado do seu cão. Faça observações constantes no comportamento do animal quando ele está vomitando e também durante o dia em que ele estiver bem. Isto fará com que você identifique uma série de situações que poderão ajudar a diagnosticar algum problema mais grave.

Por exemplo, preste atenção na consistência do vômito, tente identificar as substâncias que lá estão e também, analise a frequência em que o cachorro vomita. Estas informações serão cruciais para tratamentos posteriores.

A frequência pode ser um indicador

Como falamos anteriormente, não necessariamente o cachorro está doente quando está vomitando amarelo. Porém, há uma possibilidade de que ele esteja. Por isso, analisar a frequência em que os vômitos acontecem é imprescindível. Se acontecer uma vez ou duas, esporadicamente, pode ser que não seja nada.

Entretanto, se o problema persistir de maneira mais sólida, ou seja, com mais frequência, você deve se preocupar um pouco mais. Se acontecer todos os dias ou até mesmo mais vezes no mesmo dia, procure um veterinário e descreva tudo que você já veio observado no seu cachorro nos últimos dias.

Cachorro está vomitando amarelo

Procure por outros sinais

Quando o cachorro vomita amarelo, significa dizer que algo não está plenamente certo com ele. Agora, se estes vômitos forem acompanhados de diarréias ou outros tipos de mal estar, é sinal de que algo está errado. Vale lembrar que não necessariamente o conjunto de fatores precisa ser no mesmo dia para refletir um problema. Por isso, muita atenção.

Faça uma observação após o vômito acontecer

Após o fato consumado, continue observado seu cachorro. Se for algo mais grave, certamente ele indicará por meio de uma série de sinais. Estes sinais geralmente podem ser a falta de apetite, a vontade de ficar deitado, a falta de ânimo para brincadeiras e até mesmo náuseas. Além do mais, uma salivação em excesso também pode indicar algum tipo de intoxicação ou doença mais grave.

Algo que você pode observar facilmente é o comportamento do cão após vomitar. Geralmente após esta situação, os cachorros buscam consumir alimentos do tipo vegetais. Isto geralmente é um remédio caseiro que eles mesmos entendem que pode fazer bem. Uma sugestão, é plantar erva-cidreira ou outras ervas que fazem bem para o cão.

Entretanto, é bom prestar atenção nas plantas que estão ao redor da casa. Pois eles poderão comer desde grama, até substâncias tóxicas que encontrem pelo chão. Portanto, filtrar o que está plantado é fundamental para que acidentes não aconteçam.

Por mais que os cachorros busquem esta automedicação, é importante continuar com as observações. Afinal, nem sempre os remédios funcionam. E, se não funcionarem, você já sabe que precisará levar seu pet para um veterinário.

Cachorro está vomitando amarelo

Atente-se a doenças que podem causar o vômito amarelo

Se o cachorro está vomitando amarelo pode ser uma série de problemas. Inclusive, problemas mais graves. Entre os problemas mais graves que podem ocorrer, estão diversos tipos de câncer, pancreatite, gastroenterite e obstrução intestinal.

Desta forma, sempre zele pela saúde do seu cachorro e mantenha-o o mais saudável possível. Pois é aquele velho ditado: é melhor prevenir, do que remediar. E quando entender que o seu cão está com comportamentos estranhos e hábitos fora da rotina, observá-lo e buscar tratamento adequado com um veterinário é mais do que importante.

Mordida de cachorro: saiba o que fazer

por Camila Da Silva — publicado 17 jun 2019 - 9:45

Uma mordida de cachorro pode significar uma série de complicações para a vítima. Quem tem cachorro em casa sabe da importância dos cuidados e prevenções deste aspecto. Seja com vacinas em dia ou com o tratamento do temperamento do cão. Assim sendo, se você está procurando alternativas para tratar uma mordida de cachorro, acompanhe o texto.

Mordida de cachorro – Saiba o que fazer

Se tem uma situação que gostaríamos de não passar, é a de uma mordida de cachorro. Dependendo da raça, do porte e dos cuidados do animal, este acidente pode ser muito grave, podendo levar a vítima a procedimentos médicos altamente complexos.No entanto, alguns cuidados básicos devem ser tomados para que a ferida não fique maior e nem agrave a situação. Acompanhe para entender.

Mordida de cachorro

Faça a limpeza da pele

Fazer a limpeza da pele é um dos pontos mais importantes no tratamento de uma mordida. A boca de um cachorro pode ser altamente contaminada por bactérias e microorganismos. E uma das situações mais graves que pode ocorrer com a vítima, é sofrer com alguma doença pós-mordida.

Por isso, sempre busque a limpeza do local antes de qualquer ação. Lave com água, sabão e água oxigenada. Desta forma, você poderá ajudar no controle de qualquer proliferação bacteriana. Entretanto, este é apenas uma medida provisória. Pois o que você deverá fazer mesmo, é levar a vítima a um pronto socorro o mais rápido possível. Lá o tratamento será muito mais adequado.

Tenha ingredientes para receitas caseiras em casa

Se você tiver um cachorro em casa, por mais dócil e carinhoso que ele seja, lembre-se de ter algum tipo de receita caseira para ajudar a lavar o machucado. Entretanto, esta situação só é possível para mordidas menos agressivas. Ou seja, se a mordida for feia ou profunda, não pense duas vezes: procure um hospital o mais rápido possível.

Assim sendo, em casos menos agressivos, você poderá fazer a lavagem do local da mordida com mel e açafrão. O mel possui particularidades calmantes e o açafrão possui características antissépticas. Uma mistura dos dois para a lavagem do machucado poderá ajudar na recuperação.

Outra situação que pode ser extremamente útil, é comer alho para o processo de cicatrização. Além disso, comer frutas ricas em vitamina C poderá ser altamente poderoso para o organismo se recuperar de possíveis danos na imunidade.

Mordida de cachorro

Como tratar uma mordida de cachorro?

Agora que você já entendeu como agir rapidamente em caso de mordida de cachorro, é hora de entender como funciona um tratamento adequado. Como falamos, a boca dos cachorro pode ser extremamente contaminada com bactérias maléficas para o ser humano. E isto é prejudicial para o organismo, uma vez que estas bactérias se manifestem através da mordida.

Assim sendo, um tratamento poderá ser basicamente com o controle séptico do acidente. Desinfetantes e soluções para eliminar os micro-organismos é o primeiro passo, que você pode fazer em casa antes de ir para o pronto socorro, lavando a ferida.

Entre outras situações, os médicos irão avaliar a real gravidade do acidente. Uma mordida de cachorro pode ser inofensiva ou pode ser destruidora. Tudo dependerá de uma série de aspectos, como a motivação do animal, a força imposta, a raça, o tamanho dos dentes, etc.

Caso a ferida seja extremamente grave, ou seja, com rupturas grandes na pele, é possível que a equipe médica faça algum tipo de enxerto no local para que a ferida cicatrize e a região volte a ter um bom aspecto visual. Mas este é um caso extremo em que a intervenção médica é mais profunda.

Outro ponto fundamental para o tratamento de uma mordida de cachorro, é verificar se há algum tipo de sangramento contínuo no local da mordida. Caso haja, faça pressão no machucado para que, de alguma forma, o sangue não continue saindo em excesso.

Após o tratamento da mordida, é muito provável que a equipe médica peça para que você refaça os curativos durante um período. Isto geralmente acontece em casos de mordidas profundas, onde a aplicação de medicamentos deve ser mais constante.

Mas, como já falamos, cada caso é um caso e você sempre deve buscar ajuda médica.

Mordida de cachorro

Cuidado com a raiva canina

Infelizmente, muitos donos de cachorros ainda negligenciam este tipo de doença nos animais domésticos. A raiva canina é uma doença muito séria que leva o bicho a óbito. Desta forma, uma das formas de transmissão é justamente através da mordida. Ou seja, se o cão estiver infectado com o vírus da raiva, muito provavelmente uma mordida em um ser humano pode ser o suficiente para a transmissão.

Um dos sintomas mais comuns do vírus da raiva em seres humanos, são as alucinações, febre, sintomas parecidos com os de gripe e o desenvolvimento de um estranho medo de água. Caso algum destes sintomas seja identificado após uma mordida, um médico deve ser procurado imediatamente.

A melhor forma de evitar este tipo de contaminação, é fazendo as vacinas do animal em dia. Nunca deixe de vacinar o seu cachorro. Esta é a única forma de prevenir uma série de problemas maiores que podem ser provocados por uma simples mordida. E acredite: por mais simples que a mordida possa ser, as bactérias podem se proliferar. Pois o contato com sangue já é o suficiente.

Bactérias transmitidas por mordida

Já sabemos que uma quantidade enorme de bactérias podem ser transmitidas para o ser humano, através de uma mordida de cachorro. Mas, quais são elas? Veja 5 tipos mais comuns:

• capnocytophaga canimorsus – Trata-se de gengivites e otites;

• eikenella – Infecta principalmente a região da cabeça;

• enterobacter – Pode causar diarréia e infeções urinárias de diversos níveis;

• estafilococos – Responsável pode causar otites, infecções cutâneas, renais e endocardite;

• estreptococos – Pode causar faringites, infecções cardíacas, pneumonia e até infeções na pele;

Mordida de cachorro

Todo cuidado é pouco

Agora que você já sabe o que fazer quando sofrer uma mordida de cachorro, lembre-se que todo cuidado é pouco. Por mais que o cachorro pareça inofensivo, o instinto dele sempre será de caça. Portanto, faça as vacinas necessárias, não subestime uma pequena mordida e procure sempre um médico para o tratamento.