Será que o Dálmata é bravo? Essa é uma das dúvidas mais comuns de pessoas que buscam adotar essa raça e, principalmente, daquelas pessoas que tem medo de cachorro por algum motivo. Afinal, o Dálmata é um cão de grande porte, é forte e pode facilmente assustar os mais desavisados por aí.

No entanto, a história não é bem por aí. Na verdade, nenhum cão é bravo a ponto de existir uma “classe” para classificá-los como tal. Tudo depende de como ele é criado, quais são seus estímulos e o que o tutor faz ou deixa de fazer por ele. Então é a partir disso, que vamos entender mais sobre o Dálmata a partir de agora.

Então, continue lendo e entenda se o Dálmata é bravo ou não!

O Dálmata é bravo?

dálmata é bravo

Tutora e seu Dálmata – Foto: Freepik

Não, o Dálmata não é bravo. Muito pelo contrário. Esse é um cão extremamente dócil, adorável, carinhoso, muito brincalhão e com uma energia surreal para gastar no quintal ou nos passeios. Por isso, se você está pensando em adotar um Dálmata, há outras preocupações maiores que você deve considerar, do que a “classe” de braveza ou não.

No entanto, estamos falando de um cachorro. Então como você sabe, todos os cachorros têm instintos. E isso é algo que pode determinar ou não todos os comportamentos do animal. Instintos aflorados em situações de medo, perigo e desconfiança, pode sim resultar em acidentes, como as mordidas.

Isso vale para todas as raças e o Dálmata, claro, está incluído. Muito embora seja uma raça carinhosa e que adora o seu tutor, precisamos considerar alguns pontos relacionados aos comportamentos do animal. Então, quanto mais conseguirmos oferecer a ele um ambiente controlado, equilibrado e sem estímulos negativos, melhor.

Por isso, continue lendo. Abaixo, vamos entender mais sobre as coisas que podem ou não deixar o seu Dálmata bravo. Ou minimamente, nervoso. Acompanhe.

O que pode deixar o Dálmata um pouco irritado

Por mais que um Dálmata seja extremamente carinhoso, brincalhão e divertido com seu tutor, ainda assim, ele é um cão. E isso significa que precisamos considerar, sempre, aquelas situações que podem deixar o animal desconfortável. Então, por ter instintos, o Dálmata precisa viver em um ambiente controlado e sem estímulos negativos.

Então veja uma lista de coisas que podem deixar o Dálmata irritado:

  • Falta de socialização.
  • Falta de adestramento.
  • Pouco gasto de energia.
  • Baixa interação do seu tutor.
  • Excesso de tempo sozinho em casa.
  • Ambientes com estímulos ruins.
  • Falta de estímulo olfativo.

Abaixo, falaremos mais sobre cada uma dessas situações e como elas impactam diretamente no temperamento e comportamento do cachorro. Portanto, continue lendo e saiba mais sobre o assunto. Afinal, já sabemos que o Dálmata é bravo somente em situações específicas.

Entenda-as a seguir.

dálmata é bravo

Dálmata sentado – Foto: Freepik

Dálmata é bravo – Falta de socialização

Essa é uma situação que pode facilmente incomodar qualquer cão, não só o Dálmata: a falta de socialização. Ela é responsável direta por fazer com que o cachorro possa passar por situações complicadas e desagradáveis. Afinal, os cães precisam socializar, cedo ou tarde. Só que quando isso acontece de maneira inesperada, pode ser problemático.

Portando, se você busca adotar um Dálmata, considere, sempre, uma socialização adequada. A socialização é fundamental para que o seu cãozinho entenda que ele não é o centro do universo e tampouco o único cão que ele conhece.

Socializar o Dálmata desde a fase da vida de filhote, é algo que faz o cão ter uma qualidade de vida superior. Apresentar o cão a outros cães e também a outras pessoas, fará ele se sentir bem no futuro.

No entanto, cuidado: se você vai socializar um Dálmata já adulto, alguns cuidados precisam acontecer. Nunca deixe que essa socialização ocorra de modo incontrolável. Leia mais sobre o assunto, neste artigo: Socialização do cão – Como fazer?

Dálmata é bravo – Falta de adestramento

A falta de adestramento, por sua vez, entra como um fator determinante para que um cão Dálmata seja bravo ou não. Diferente da socialização, o adestramento trata diretamente com comandos básicos e entendimento do animal para alguns comandos do tutor. O adestramento ajuda em muitas áreas da vida do animal.

O ideal, é que você faça o adestramento do Dálmata ainda na fase de filhote, bem como a socialização. No entanto, se isso não for possível, o Dálmata adulto também pode ser adestrado. Basta ter paciência, amor e carinho pelo animal e, no longo prazo, ele será um cão equilibrado e tranquilo. O adestramento é fantástico por isso!

Muita gente ainda acredita que o adestramento seja algo complexo. Porém, quando feito de maneira organizada e com paciência, não é. O segredo está na repetição, no equilíbrio e na consistência. Cães gostam de rotina. Eles gostam de saber “o que vai acontecer depois”. Dizer “sim” pra algo e depois dizer “não” pra essa mesma coisa, deixará o cão confuso, agitado e, muitas vezes, até bravo.

Pouco gasto de energia

Muito embora os cães de grande porte tendem a ser menos agitados que os cães de pequeno porte, saiba que com o Dálmata, as coisas podem não ser assim. Eles são cães muito agitados e brincalhões. Por isso, eles esperam que você, tutor, entregue um ambiente enriquecido para eles brincarem e gastarem energia.

Um Dálmata é bravo quando ele sente que tem energia pra gastar e não tem onde gastá-la. Nesse caminho, ele começa a agir de maneiras inesperadas e equivocadas do ponto de vista do tutor. Para controlar isso, nada melhor do que gastar a energia do animal de maneira equilibrada e constante.

Brincadeiras e passeios podem ajudar. No entanto, o gasto precisa ser, também, mental: estimular o olfato faz o cão gastar energia mental, e isso também é fundamental para que ele seja calmo e tranquilo no longo prazo. Não adianta privar e querer proibir o cão de ser um cão. Lembre-se disso.

dálmata é bravo

Vários Dálmatas – Foto: Freepik

Baixa interação do seu tutor

Dálmatas são agitados por uma brincadeira e interação. Eles adoram se divertir com seus tutores, uma vez que são extremamente fiéis a eles. Por isso, se você quer adotar um Dálmata, saiba que ele precisa de uma interação muito grande com você. Caso isso não aconteça, pode ser que o animal desenvolva traços de pouca obediência.

Não trate o seu cão como um objeto ou como um ursinho de pelúcia. Então, quanto mais você conseguir interagir e brincar com seu dog, mais ele vai se conectar a você e mais vocês conseguirão ter uma boa qualidade de vida juntos. Pouca interação faz o cão ficar ansioso, triste e, instintivamente, bravo em algumas situações. E isso não é algo que queremos, não é mesmo?

Porém, cuidado: Dálmatas se conectam muito ao tutor, a ponto de poderem sofrer com a síndrome da ansiedade de separação caso fiquem muito tempo sozinhos. Falaremos mais sobre isso a seguir.

Excesso de tempo sozinho em casa

Conforme entendemos anteriormente, já sabemos que o Dálmata gosta de interagir e brincar com seu tutor. Porém, isso precisa ser feito de maneira equilibrada, para não criar um cão totalmente dependente e ansioso. Então nesse caso, é preciso cuidar para que o Dálmata não tenha a síndrome da ansiedade de separação.

Isso acontece quando eles ficam sozinhos em casa por tempo demais. Então se você é uma pessoa que passa pouco tempo em casa, talvez o Dálmata não seja a melhor escolha para ter um cão de estimação.

Ou, se mesmo assim você quer tê-lo, contratar um Dog Walker será importantíssimo para manter a saúde mental do cão em dia. Não deixe o seu Dálmata por tempo demais em casa sozinho.

Ambientes com estímulos ruins

Assim como todos os cães, os Dálmatas também reagem ao ambiente em que vivem. Ambientes com estímulos positivos, brincadeiras, enriquecimento ambiental e demais estímulos, podem fazer o cão se sentir bem.

Porém, ambientes com tráfego intenso de pessoas, acesso a rua e visão constante para outros pets, pode fazer o Dálmata ficar bem ansioso.

Portanto, planeje muito bem o ambiente que você vai oferecer para o Dálmata viver. Quanto menos estímulos negativos, melhor pra ele. É isso que vai fazê-lo ser um cão bravo ou não, agitado ou não, paciente ou não.

Tudo é um grande processo para oferecer um lar adequado para o seu cãozinho. Lembre-se disso.

tutoras com seu cão

Tutoras com seu cão – Foto: Freepik

Dálmata é bravo – Falta de estímulo olfativo

E por fim, não podemos deixar de mencionar a falta de estímulos olfativos. Infelizmente, o seu cãozinho pode sofrer bastante de ansiedade, caso não seja estimulado olfativamente. Ele é um cão. Ele precisa cheirar e farejar ambientes por aí. Essas coisas podem ser feitas em uma caminhada ou ida ao parque.

O Dálmata é bravo quando não consegue se adaptar e se acostumar com outros ambientes e cheiros. Então se ele estiver em casa e sentir o cheiro do cachorro do vizinho que está há muitos metros de distância, ele vai ficar muito agitado. Algo que é bastante ruim para a qualidade de vida dele.

Aqui no site, já escrevemos sobre a importância do olfato canino. Saiba mais sobre como estimular isso no seu dog: Como estimular o faro do cachorro?

Como é o temperamento de um Dálmata

Até aqui, já entendemos como o Dálmata é bravo em situações específicas e que podem trazer desequilíbrio para o ambiente. No entanto, também precisamos entender como o dog se comporta naturalmente em situações de equilíbrio. Então, o temperamento do Dálmata pode ser entendido, como:

  • Muito carinhoso e amoroso.
  • Adora ficar perto do tutor.
  • Não abre mão de gastar muita energia.
  • Muito comunicativo.

Entenda mais sobre cada temperamento, a partir de agora.

tutora com seu cão

Tutora com seu cão – Foto: Freepik

Muito carinhoso e amoroso

O Dálmata é um cão extremamente amoroso e carinhoso. Ele não vai abrir mão de ficar perto do seu tutor para receber carinho e retribuir a altura. Portanto, se você quer um cão de grande porte que assusta pelo tamanho mas que é tão carinhoso quanto seu porte, o Dálmata pode ser a opção perfeita.

Dálmata é bravo – Adora ficar perto do tutor

Se você quer um cão que te faça companhia o tempo inteiro, certamente o Dálmata poderá ser esse cão. Inconfundível com sua pelagem preto e branco, ele estará presente onde quer que você esteja. Por isso, crie um ambiente para que ele possa ficar confortável em muitos espaços.

Porém, lembre-se sempre de tomar cuidado com a síndrome da ansiedade de separação, que mencionamos anteriormente.

Não abre mão de gastar muita energia

O gasto de energia de um Dálmata pode ser algo que vai demandar muito do seu tempo. Por isso, atente-se para entregar um ambiente adequado e bastante promissor para o seu cãozinho. Então enriqueça o ambiente e faça passeios constantemente. Ele vai adorar.

Muito comunicativo

O Dálmata é, também, muito comunicativo. Movimentos com o corpo e latidos, sempre vão anteceder um pedido de carinho, de comida ou de passeio. Então, cuidado para não acostumar mal seu dog com esses “pedidos”, ok? Cuide bem do seu Dálmata. Divirtam-se juntos!