História e domesticação

por Samantha Kelly — publicado 10 jul 2012 - 14:43

 

Há várias teorias quanto a origem do cão, principalmente por ser um processo de milhares de anos, antes quando o mundo ainda nem sonhava em guardar históricos de sua evolução. Ainda hoje nos deparamos com novas descobertas de fósseis que adicionam ainda mais peças para esse quebra cabeça.

Uma das teorias aponta para antes da domesticação, cerca 135 mil anos atrás na separação dos lobos e cães quando restos mortais de canídeos (lobos) com morfologia próxima a do cinzento estavam misturadas com ossadas humanas.

Outras teorias apontam que a domesticação teria acontecido há 30 mil anos, com evolução mais forte entre os períodos de 15 e 12 mil anos, e em média 20% das raças encontradas atualmente, entre 10 e 8 mil anos no oriente médio.

Porém, ainda há muita discordância quanto a sua origem propriamente dita. Especula-se que os cães podem ser descendentes de uma outra variação canídea, direto do lobo cinzento ou de cruzamentos entre lobos e chacais.

Porque tamanha dificuldade de encontrar a origem canina, já que já descobrimos há tanto tempo a origem do cavalo e do porco? Uma das respostas é que os canídeos, predadores do topo das pirâmides alimentares, são consequentemente muito menos numerosos que suas presas e, por isso, menos representados que os herbívoros nas zonas fossílicas. Os canídeos da pré-história apresentam, além disso, poucas características distintivas. E outro fator crucial é o foco dos sítios arqueológicos terem como prioridade os vestígios humanos.

Em alguns achados arqueológicos, já foram encontrados cães enterrados junto à cadaveres humanos, sugerindo uma relação de afetividade.

O cão teria sido resultado de uma seleção artificial de filhotes de lobos-cinzentos e chacais que viviam ao redor de acampamentos pré-histórico, alimentando-se de restos dos humanos.

Os seres humanos então existentes teriam notado que certos lobos se diferiam por serem mais acessíveis e se aproximarem mais dos humanos, e enxergando utilidade nessa relação (alerta para predadores) teriam capturado alguns filhotes.

Os que eram muito agressivos e não aceitavam a presença humana eram descartados e impedidos de acasalar. Já os dóceis, tolerantes e obedientes eram escolhidos. Ao longo do tempo, essa experiência serviu de grande valia para segurança e auxílio na caça. Foi um processo longo e baseado em tentativas e erros.

Na pré-história surgiram os primeiros trabalhos caninos e consequentemente os laços entre homem e cão se estreitaram. Os cães ganhavam alimento e abrigo e os homens ganhavam serviço de guarda e ajuda na caça.

Viajaram o mundo inteiro juntos com as migrações humanas, sendo vistos em culturas romanas, egípcias, assírias, gauleses e pré-colombianas. Grande adaptação à novos ambientes, nossos amigos caninos crescerem e evoluíram junto com a história dos homens.

No Egito Antigos os cães teriam sido reverenciados como grandes conhecedores dos segredos do Mundo, além de serem utilizados como caçadores e adorados na forma do Deus Anúbis, relação essa que teria surgido do hábito de se alimentarem de cadáveres.

Já no continente europeu, na Grécia Antiga, os cães eram relacionados com os deuses da cura, com templos repletos de cachorros que lambiam as feridas dos doentes. Ainda neste período, teriam combatido junto com Alexandre, o Grande, assim migrando para Ásia e outras partes da Europa.

Na Gália eram guardiões, caçadores e tinham a honra de serem sacrificados aos deuses e enterrados nos túmulos de seus donos.

No período do Império Romano, os cães de grande porte seriam utilizados para diversão do publico no Coliseu de Roma. Vinham da Bretanha e eram tratados de maneira grotesca, sem alimento e presos até ficarem violentos o suficiente para apresentarem um bom espetáculo, tendo como intuito matar prisioneiros, escravos e cristãos. A fama era tamanha que foram quase extindos devido ao uso exagerado nas guerras e apresentações.

No fim do Império Romano e no início da Idade Média os cães já estavam por toda parte do continente europeu, levados pelos mercadores fenícios do Oriente Médio à região mediterrâneas e adentrando a região seguindo os soldados romanos.

Com a Europa assolada pela Peste Negra, os cães perderam o prestígio de outrora por comerem os cadáveres doentes e infectados. A Igreja Católica, instituição mais poderosa e influente da época, passou a relacioná-los com a morte, e essa supertição passou para a população e eles ficaram conhecidos como animais de bruxas, vampiros e lobisomens. A inquisição matou milhares de cães e lobos. Para piorar, ainda existiam decretos que diziam que qualquer preso acusado de bruxaria e que tivesse a visita de um cão, gato ou pássaro seria imediatamente culpado e queimado na fogueira. Apesar desse período complicado, no final da Idade Média alguns cães já eram vistos com crianças.

O Renascimento trouxe tempos melhores aos cães, com alguns caindo no gosto dos nobres da época usados como caça esportiva e cuidados e tratados em canis de cada castelo.

As famílias eram livres para criarem suas próprias raças e assim cada região foi desenvolvendo uma variedade imensa de novas raças. As novas raças eram únicas e por isso viraram um item de luxo, sendo dadas de presente entre os nobres. Com essa atitude houve uma grande difusão de raças mas também a preservação de algumas.

Nessa época também surgiram os cães de companhia por terem notado sua fidelidade. Guilherme de Orange dos Países Baixos declarou que seu cão o salvou de um atentado.

Tribos siberianas usavam seus cães para praticamente tudo, e assim foram grande aliados (puxando trenós) na conquista dos polos pelos primeiros homens a pisar no Polo Sul e Norte.

No período das grandes navegações, os homens que migravam para o Novo Mundo também levavam seus cães. Os povos pré-colombianos conheciam cães mas não em tamanha variedade. Nas guerras contra os nativos eles foram grandes farejadores e utilizados para encontrar os índios. Por isso que, na atual República Dominicada, milhares de indígenas foram assassinados por uma tropa de 150 soldados de infantaria. 30 cavaleiros e 20 cães rastreadores.

Durante o século XIX, o treinamento de cães para as guerras voltou a ser tão popular quanto na época de Alexandre, o Grande. Nessa época eles tambem utilizavam cães de menor porte, porém possuidores de forte musculatura e que chegavam a ser bem agressivos, como o Bull Terrier.

No século seguinte, por consequência das grandes guerras, algumas regiões muitos afetadas pela guerra tiverem seus cães extintos e assim, os cães que eram usados como militares tornaram-se bastante populares, como o Pastor Alemão e o Doberman. No Japão, o imperador decretou que todos os cachorros que não fossem pastores alemães fossem mortos para que suas peles servissem de uniforme para os soldados, levando muitos criadores de Akita a cruzarem seus animais com partores, ou seja, mais uma raça criada. Após a guerra surgiram os primeiros centros para cães-guia para cegos.

Apesar de estar conosco há tantos anos, apenas no século XX o cão tornou-se realmente um animal de estimação, como o conhecemos e amamos hoje, tendo se adaptado aos costumes humanos.   Acredita-se que essa relação entre os dois mais numerosos carnívoros do mundo acontece devido ao fato dos cães conhecerem  e entenderem o que os humanos querem.

Hoje, o cão se tornou parte da família. Temos lojas especializadas em cães (inspiradas em serviços disponibilizados para seres humanos). Esse prolongamento de responsabilidade de seu dono é tamanho, que em caso de morte deste, o cão recebe uma apólice de seguro. De acordo com pesquisas recentes,  80% das pessoas acham que o cão é “confidente”, sem julgamento desaprovador e sem proibições.

Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?

por Handreza Hayran — publicado 19 abr 2019 - 9:45

olhos dos filhotes

Conforme o filhote cresce, sua curiosidade faz dele observador atento. Os cães gostam de satisfazer a sua curiosidade, absorvendo o ambiente e observando o que se desenrola ao seu redor. Mas eles não nascem com essa habilidade. Os olhos dos filhotes ficam fechados e, até os olhos se abrirem, ficam cegos para o ambiente.

Por que os filhotes nascem com os olhos fechados? Que finalidade serve? E em que estágio de seu desenvolvimento os olhos dos filhotes se abrem para que possam absorver o ambiente e vivenciar o mundo ao seu redor?

 » Read more about: Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?  »

Como Fazer o Cachorro Parar de Morder?

por Camila Da Silva — publicado 18 abr 2019 - 9:45

Como fazer o cachorro parar de morder

Neste artigo, você irá aprender como fazer o cachorro parar de morder. Pois sabemos que por mais que muitas vezes possa ser de brincadeira, as mordidas podem podem sim incomodar. Porém, é importante saber que este processo pode ser um pouco lento, e precisará de paciência e dedicação para que realmente funcione. Acompanhe o texto para entender.

Como fazer o cachorro parar de morderComo fazer o cachorro parar de morder
Como fazer o cachorro parar de morder?

Antes de mais nada, podemos adiantar: o ato do cachorro morder,

 » Read more about: Como Fazer o Cachorro Parar de Morder?  »

Como Acostumar Dois Cachorros a Conviverem Juntos?

por Camila Da Silva — publicado 17 abr 2019 - 9:45

Como Acostumar Dois Cachorros a Conviverem Juntos

Uma dúvida que causa muita insegurança, é como acostumar dois cachorros a conviverem juntos. E é muito comum que as pessoas tenham este receio, visto que cães são muito territoriais e defensores de seus donos. No entanto, saiba que este processo pode não ser tão complicado quanto parece. Seguindo alguns passos, você conseguirá ter sucesso. Acompanhe para entender.

Como Acostumar Dois Cachorros a Conviverem JuntosComo Acostumar Dois Cachorros a Conviverem Juntos
Como acostumar dois cachorros a conviverem juntos?

A primeira coisa para entender como acostumar dois cachorros a conviverem juntos,

 » Read more about: Como Acostumar Dois Cachorros a Conviverem Juntos?  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?

por Handreza Hayran — publicado 19 abr 2019 - 9:45

olhos dos filhotes

Conforme o filhote cresce, sua curiosidade faz dele observador atento. Os cães gostam de satisfazer a sua curiosidade, absorvendo o ambiente e observando o que se desenrola ao seu redor. Mas eles não nascem com essa habilidade. Os olhos dos filhotes ficam fechados e, até os olhos se abrirem, ficam cegos para o ambiente.

Por que os filhotes nascem com os olhos fechados? Que finalidade serve? E em que estágio de seu desenvolvimento os olhos dos filhotes se abrem para que possam absorver o ambiente e vivenciar o mundo ao seu redor?

Por que os olhos dos filhotes permanecem fechados?

olhos dos filhotes

Biologicamente falando, bebês humanos nascem desenvolvidos e prontos para enfrentar o mundo. Mas esse não é o caso dos filhotes de cachorro.

No nascimento, o sistema nervoso central de um filhote ainda está em desenvolvimento, incluindo seus nervos ópticos. Como seus nervos ópticos não estão totalmente desenvolvidos, eles são delicados demais para a luz brilhante, e é por isso que os olhos permanecem fechados até que os nervos acabem de se desenvolver.

Não só os nervos precisam de mais tempo para se desenvolver, mas o próprio olho não está completamente formado quando um filhote nasce. Manter os olhos fechados permite que o olho se desenvolva com segurança, sem o risco de objetos estranhos (como sujeira ou poeira) entrarem no olho e causar uma infecção ou outros problemas de desenvolvimento.

Quando os olhos dos filhotes se abrem?

olhos dos filhotes

A maioria dos filhotes começa a abrir os olhos entre uma e duas semanas após o nascimento. Nesse ponto, o sistema nervoso central do seu filhote, os nervos ópticos e os olhos estão totalmente desenvolvidos.

Uma coisa a ter em mente:-o filhote deve abrir os olhos por conta própria. Você pode ser tentado a ajudá-los, mas deve deixar o processo acontecer naturalmente. As pálpebras do seu filhote se abrirão quando os nervos e os olhos estiverem prontos. Sendo assim, forçá-los a abrir mais cedo colocará o filhote em risco.

Quando falar com veterinário

veterinário

O processo de abrir os olhos virá fácil e naturalmente para a maioria dos filhotes. Mas você ainda deve ficar de olho nas coisas para ter certeza de que o processo está indo bem com o filhote.

Algumas bandeiras vermelhas que algo pode estar errado com o desenvolvimento do olho do seu filhote de cachorro incluem:

  • Inchaço sob a pálpebra. Se você perceber que há algum inchaço sob as pálpebras do seu filhote antes que ele se abra, pode ser um sinal de infecção.
  • Pus na área dos olhos. Se houver qualquer pus, corrimento ou sujeira nos olhos ou ao redor da área da pálpebra, também pode ser um sinal de infecção.
  • As pálpebras do seu cachorro não abrem por duas semanas de idade. Algumas raças levam mais tempo para abrir suas pálpebras do que outras. Mas se após duas semanas não abrir os olhos, isso pode ser um sinal de um problema de desenvolvimento.

Se você notar algum destes sintomas, marque uma consulta com veterinário. Ele será capaz de diagnosticar qualquer infecção ou problemas de desenvolvimento do olho e prescrever o melhor tratamento para o seu cachorro.

Como Fazer o Cachorro Parar de Morder?

por Camila Da Silva — publicado 18 abr 2019 - 9:45

Como fazer o cachorro parar de morder

Neste artigo, você irá aprender como fazer o cachorro parar de morder. Pois sabemos que por mais que muitas vezes possa ser de brincadeira, as mordidas podem podem sim incomodar. Porém, é importante saber que este processo pode ser um pouco lento, e precisará de paciência e dedicação para que realmente funcione. Acompanhe o texto para entender.

Como fazer o cachorro parar de morder

Como fazer o cachorro parar de morder?

Antes de mais nada, podemos adiantar: o ato do cachorro morder, é normal. Muitas vezes a mordida é uma diversão garantida para ele. Porém, não para o dono. Inclusive, pode se tornar insuportável com o tempo, pois caso seu cão acostume-se a morder você por qualquer motivo, pode ter certeza: ele vai adorar.

Isso geralmente acontece mais com cães filhotes, pois o que mais eles querem fazer, é brincar com você. E as mordidas são um jeito não muito carinhoso de eles fazerem isso. Há quem diga também, que eles gostam de morder pois os dentes estão em fase de crescimento, o que torna ainda mais prazerosa a brincadeira.

5 atitudes para você tomar que evitarão as mordidas

Agora que você já entendeu um pouco da motivação por parte dos cachorros em morder, podemos testar algumas técnicas e métodos que poderão ajudar a fazê-los parar de morder. Afinal, aprender como fazer o cachorro parar de morder pode ser demorado. Assim sendo, não espere resultados imediatos. Dar tempo ao tempo é fundamental.

  1. Mostre que você sente dores com as mordidas

Isso mesmo. Este é um dos pontos mais importantes para acostumar o seu cão de que determinadas ações machucam você. E acredite, eles não vão gostar de saber que você está se machucando. Cachorros são muito apegados aos seus donos e demonstram interesse pelos seus sentimentos. Logo, mostrar que as mordidas estão doendo ajudará no processo de fazê-lo parar com o tempo.

  1. Pare de brincar quando seu cachorro morder

Quando o seu cachorro estiver em estado de êxtase pura, ou seja, brincando, é o momento que ele mais se sentirá feliz. E isso poderá ser cortado pela raiz quando ele morder você. Experimente parar de brincar assim que ele morder. Com o tempo, ele assimilará que a diversão acaba quando ele pratica determinados atos. E isso poderá ajudar.

Como fazer o cachorro parar de morder

  1. Brigue com ele de maneira firme, mas não xingue

Assim como os cães ficam felizes quando seus donos brincam, eles também assimilam quando eles brigam. Ou seja, um método muito educativo, é falar com a voz firme para o cachorro parar de morder. Nunca xingue, apenas diga para ele parar de maneira dura. Estas ativações farão com que ele evite de morder você em longo prazo.

  1. Elogie e parabenize tudo aquilo que não envolve mordida

Assim como é importante você ser firme com ele quando precisar, também é importante elogiar e falar com uma voz em tom mais ameno quando ele fizer o correto. Da mesma forma que ele assimilará uma briga, ele assimilará algo positivo. E assim, seu comportamento é construído de maneira educada.

  1. Saia do ambiente em que o cão está quando ele morder

Quando você estiver brincando com o seu cão e ele estiver lhe mordendo, experimente deixá-lo sozinho brincando por um tempo. Apenas afaste-se e não demonstre mais vontade de brincar com ele. Se você fizer isso imediatamente após as mordidas, o cachorro entenderá que sempre que ele morder, você sairá. E acredite, tudo que eles mais gostam é da sua presença. E não a tendo, fará com que eles assimilem o que você quer.

Como fazer o cachorro parar de morder

Seu cachorro não é uma marionete

Estas sugestões podem funcionar muito bem no longo prazo. Entretanto, é muito importante que você entenda que seu cachorro não é uma marionete. Entender como fazer o cachorro parar de morder é muito mais complexo do que simplesmente uma receita pronta.

Envolve educação, muito treinamento e disciplina. E, claro, você terá de ter paciência com ele. Ainda mais se ele for filhote. Nunca exija muito em pouco tempo. Afinal, eles continuam sendo cães e tudo que eles mais querem, é aproveitar os momentos perto do dono, brincar até cansar e fazer companhia.

No entanto, o jeito deles representarem isso tudo, muitas vezes pode ser de um jeito que você não gostaria. O que é absolutamente normal. Entretanto, é importante respeitar o tempo do seu cão e educá-lo aos poucos.