O que fazer ao encontrar um cachorro na rua

Saiba como deve prosseguir para resgatar um cachorro ou gato que encontrou na rua.

por Samantha Kelly — publicado 6 abr 2015 - 10:51

Encontrar um animal na rua é uma das situações mais difíceis para qualquer pessoa que se sensibiliza com a dor e o sofrimento dos que vivem as margens da sociedade, realmente em uma realidade que parece ser invisível. No caso dos animais, é uma questão ainda mais dramática, pois eles não têm voz e suas vidas são muitas vezes vistas como de menor importância.

Como posso resgatar animais abandonados nas ruas. Foto: Reprodução

Como posso resgatar animais abandonados nas ruas. Foto: Reprodução

Infelizmente, é muito mais comum encontrar animais nas ruas do que gostaríamos que fosse, já que vivemos em um descontrole total quanto a natalidade dos animais que moram nas ruas, não há políticas públicas suficientes que lidem com a problemática e a sociedade civil continua abandonando e permitindo que os animais procriem sem nenhum plano posterior quanto aos filhotes.

Chegamos ao ponto que, apenas no Brasil, segundo a Organização Mundial da Saúde, são 30 milhões de animais abandonados, sendo 20 milhões de cachorros e 10 milhões de gatos. Para cada cinco habitantes, há um cachorro abandonado.

Se você se sensibilizou com um animal e quer ajudar, saiba que é possível. A questão é que não fazer nada e se omitir também é fazer parte do problema. Confira uma lista de soluções para as questões mais comuns sobre o tema.

 

“Encontrei um cachorro na rua, o que posso fazer?”

Primeiro e mais importante passo é não deixá-lo desamparado. Leve-o ao veterinário para garantir que a saúde do animal está bem e para oferecer o tratamento que ele tanto precisa. Os cães que moram nas ruas geramente estão com a saúde enfraquecida, já que não se alimentam direito e vivem expostos ao tempo.

Nesse caso, é você quem paga a conta no veterinário.

Capturando o animal

Nem sempre o animal estará disposto a ir de primeira quando você chamar. Ninguém nunca sabe o nível de abuso que um cachorro ou gato podem ter sofrido no passado então muitos podem não confiar em humanos.

Uma técnica muito usada é levar alguma comida para que o animal venha até você com mais facilidade e ter paciência para persistir.

Para o transporte, leve uma caixa de transporte (se possuir uma) e garanta que terá uma carona para o veterinário e outros caminhos necessários.

No caso dos gatos ferais, há armadilhas seguras de gaiola já que eles não se aproximarão com facilidade.

Castrar o animal é primordial

Um animal não deve nunca ser disponibilizado para adoção se o mesmo não estiver castrado e ponto final. Deixá- lo sem ser castrado não ajuda em nada, pelo contrário, só perpetua um ciclo vicioso que é o que justamente devemos combater. Caso você não tenha recursos financeiros para pagar uma castração, há prefeituras que disponibilizam castração gratuita, há mutirões realizados pela sociedade civil que também oferecem castração e há médicos veterinários e clínicas que fazem a castração por um preço mais acessível e social. Se informe, seja na internet ou no seu bairro, aonde é mais em conta para castrar o animal. A castração é um ato de amor!

Leia mais sobre o tópico e desmistifique os preconceitos:

Castração é a melhor escolha? / Castração – Pré-cirúrgico, dia da cirurgia e pós-operatório / Castração de cachorros

“Não tenho dinheiro para resgatar/pagar o tratamento de um animal”

Se você não tiver o dinheiro para custear o veterinário, possíveis remédios, a necessária castração e a alimentação, considere trazer seus familiares e amigos para a causa. Efetuar uma rifa, fazer uma vaquinha virtual também podem levantar dinheiro para o cuidado geral do animal.

Ha clínicas que efetuam o atendimento e ou tratamento de graça ao a baixo custo. Fizemos um banco de dados que reúne os Hospitais e Clínicas Veterinárias de baixo custo no Brasil (acesse aqui). Essa iniciativa está sempre em evolução e nós contamos com a ajuda do público para nos informar e deixar ainda mais completo com informações atuais.

Considere oferecer um lar lemporário ao animal

Enquanto o animal ainda está em tratamento, você pode levá-lo para a sua casa e oferecer um lar temporário. Mesmo que não possa se comprometer a longo prazo com a adoção, por qualquer motivo que seja, ele estará amparado até que você encontre alguém para adotá-lo.

“Não tenho espaço na minha casa/apartamento para resgatar um animal”

Nesse caso você pode procurar com algum amigo ou parente alguém que tenha um local que sirva de abrigo para que o cachorro ou gato possa, por enquanto, ser acolhido.

Para quem puder pagar por um hotelzinho pet, há hóteis que se disponibilizariam a até mesmo fazer um preço mais em conta.

“Não tenho tempo para resgatar um animal”  ou “Trabalho o dia inteiro e não posso resgatar um animal”

Nesse caso, você pode contar com a ajudar de seus pais, amigos ou familiares que poderão dividir o fardo com você e cuidar pelo menos por um período do dia ou da semana do animal.

Para quem tiver uma condição financeira melhor, há Day Cares (ou creches) que cuidam dos animais e também há os hoteizinhos pets que aceitariam ficar com o animal durante o dia (lembrando que esses serviços são pagos).

Mesmo que o animal precisar ficar por mais tempo sozinho em sua casa, ainda assim é melhor que na rua. Para compensar o tempo que ele fica sozinho, não deixe de passear e dar atenção quando chegar.

E se eu castrar e devolver o animal as ruas?

Há um método chamado C.E.D (Captura, Esterilização e Devolução) que visa diminuir as matilhas e colônias de gatos ao castrar os animais e devolvê-los as ruas. O processo envolve a captura, esterilização, recuperação após a cirurgia e a devolução do animal ao seu território de origem.

Obviamente o ideal é que os animais tenham um lar, porém esse método visa especificamente o controle populacional dos animais que vivem nas ruas que, se deixados sem castração, podem produzir literalmente milhares de filhotes em uma questão de poucos anos.

Ele já ocorre em muitos países desenvolvidos e representa pelo menos uma maneira de remediar a situação catastrófica dos animais abandonados nas ruas brasileiras.

Assista abaixo o vídeo da ONG Bicho Brother sobre C.E.D.

 

Não deixe de oferecer comida e água aos animais de rua

Morrendo de fome, muitos animais de rua estão desesperados por um prato de comida e uma tigela de água. Sempre que possível, disponibilize alimentação e água.

Como resgatar se eu vejo um animal a cada esquina?

Realmente, o resgate de animais, ainda mais em um país como o Brasil, que sofre de um completo descontrole de natalidade, é uma tarefa mais que difícil. É duro saber que você sozinho não conseguirá mudar a vida de cada um dos animais que vê nas ruas. Ao entrar mais ainda de cabeça na causa, as coisas não melhoram, pelo contrário. Manter o bem estar dos animais em mente e a imagem da sociedade que um dia viver atingir é o foco a ser mantido.

O mais importante é seguir em frente, fazer a sua parte, seja ela pequena, mobilizar quem você conhece, conscientizar e disponibilizar informação. Há muitas outras formas, fora o resgate, de se ajudar a causa animal (confira aqui), mas sem dúvida uma única vida que você salva através da adoção já é incrível.

A medida que você for se aprofundando e tiver o desejo de transformar a vida de um número maior de animais, a criação de ONGs, projetos sociais e de conscientização sem dúvida causam um impacto grande na sociedade como um todo.

Apesar de uma voz ser pouco, muitas juntas clamando por mudanças nas leis e mais assistência aos animais um dia surtirá efeito.

Cheque se o animal tem sinais de ter uma casa e estar perdido

Pode ser que o animal que você encontrou na rua esteja perdido. Confira se ele tem uma coleira ou se está tosado. Ao levá-lo no veterinário, peça para ele checar se o animal tem um microchip ou se alguém nas redondezas está procurando por um cachorro ou gato com essas mesmas características físicas.

Há sites na internet, como o Procura-se Cachorro, que abrem a possibilidade para as pessoas não só divulgarem online os seus próprios pets que se perderam/fugiram, mas também divulgarem animais que encontraram na rua para que os donos atuais consigam achá-los.

Há muitas pessoas que, se o animal for de uma raça específica, escolhem mantê-los, mesmo quando eles têm todos os sinais de pertencerem a uma família. Por favor não façam isso! Pense que há uma família que está sofrendo, preocupada e que e sente falta de seu pet e o animal, por sua vez, também sente falta e gostaria de estar junto com sua família original. É injusto e, principalmente, deve-se ter a consciência que aquele animal não pertence a você.

O que fazer se achei uma caixa cheia de filhotes?

Nessa caso, leve em consideração que se aqueles animais não forem resgatados o quanto antes, seus corpos frágeis muito provavelmente perecerão logo. Os filhotes só podem ser desmamados no mínimo após 45 dias com a mãe, além disso você será responsável pelas vacinas (leia as vacinas que os filhotes devem tomar), remédios típicos para a idade, assim como os cuidados especiais.

Antes de doar os filhotes, é de suma importância que eles estejam castrados (há vaterinários que realizam castração pediátrica a partir de 3 meses) ou que os futuros tutores se comprometam a castrá-los em até 6 meses através do termo de adoção. Se em 6 meses os tutores não os tiverem castrado os animais, você poderá reaver os filhotes e então castrá-los e colocá-los novamente para adoção.

Disponibilizar um animal para adoção, sem ser castrado, e deixar por isso mesmo, é tapar o sol com a peneira.

Posso ligar para alguma ONG ou protetor para vir buscar o cachorro ou gato?

Lembre que as ONGs são compostas de protetores e voluntários que realmente se doam para os animais, muitas vezes se endividam para conseguir salvar mais uma vida, realizam resgates difícies e aguardam até que os mesmos possam ser adotados. Ou seja, pessoas como você, a única diferença é que elas se comprometeram. Jogar a responsabilidade de algo que você poderia estar fazendo em ombros já sobrecarregados de animais e pendências, é um absurdo.

Posso levá-lo para o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da minha cidade?

Os CCZs já enfentam uma superlotação e dificilmente irão aceitar mais um cachorro ou gato. Se por acaso aceitarem, os animais que não foram adotados serão eutanasiados. Ou seja, você só está repassando a vida daquele animal para que alguém “dê fim” no problema. Lavando as mãos quando você no fundo sabe qual o fim que aquele ser vai ter.

Há algum orgão que recolha os animais da rua?

A resposta é não, não há nenhum orgão específico que você possa ligar que irá recolher os animais. Fica literalmente na mão da sociedade civil lidar com os cães e gatos abandonados nas ruas.

Já pensou em você mesmo adotar um animal?

A adoção é um ato de amor e uma das atitudes mais nobres que um ser humano pode fazer por um outro ser. Costumamos sempre dizer que o tutor ganha muito mais do que o próprio pet, já que a relação de amor e companheirimo que o animal oferece é algo que não se compra e nos ensina muito sobre a vida e sobre nós mesmos.

Como colocar um animal para adoção?

Você pode divulgá-lo primeiro para as pessoas que confia, no seu ciclo íntimo de amigos e parentes, pessoas que você sabe que seriam boas como tutores.

Caso ninguém possa ou queira adotar, imprima cartazes ou folhas A4 e no próprio bairro espalhe no comércio local, principalmente em pet shops e clínicas vaterinárias, com as informações do animal.

No anúncio, não deixe de descrever o animal, com fotos boas (se possível) e fale sobre suas características físicas e emocionais (se ele é bom com crianças, com outros animais, etc).

Anunciar em jornais ou revistas locais também é uma maneira de espalhar para as pessoas que vivem próximas a você.

Utilize a internet para divulgar que aquele animal se encontra para adoção. Peça para perfis de ONGs e para que os seus amigos nas redes sociais divulguem e compartilhem a informação.

“Consegui uma pessoa para adotar o cachorro/gato, e agora?”

O cachorro está tratado, bem de saúde, castrado e pronto para ser adotado. Antes de tudo, converse com ele(a) e pergunte se a pessoa já teve cães ou gatos, se entende sobre posse responsável, etc. É nessa primeira entrevista que você sentirá se a pessoa é séria e está apta a receber o animal. Claro que entrevistas podem enganar, mas você não pode simplesmente entregar o animal para qualquer um e ela de fato é a única maneira de analisar o possível tutor.

O adotande deve assinar um termo de responsabilidade que irá cuidar e proverá tudo que o animal precisa para ser feliz e saudável.

Você deve checar, depois de alguns meses, se o animal ainda está bem. Entre em contato com o animal e peça para vê-lo. Caso ele nao esteja bem, você pode reavê-lo, já que tem o termo assinado.

Para sempre ele será sua responsabilidade.

Você pode baixar o Termo de Adoção AQUI.

As 12 Melhores Raças de Cachorro Pequenos

por Handreza Hayran — publicado 16 jul 2019 - 9:45

raças de cachorro pequenos

Você está se perguntando quais as melhores raças de cachorro pequenos para um apartamento? A adaptabilidade de um cão a um espaço pequeno, como um apartamento ou condomínio, depende principalmente do nível de energia e da rotina de exercícios.

Cachorros de alta energia podem ser felizes vivendo em um apartamento, desde que o proprietário satisfaça suas necessidades de aptidão mental e física. No entanto, quanto maior o nível de energia, mais tempo você precisará para fazer atividades com seu cão,

 » Read more about: As 12 Melhores Raças de Cachorro Pequenos  »

Seja líder do seu cão – Uma atitude muito saudável

por Camila Da Silva — publicado 16 jul 2019 - 9:45

seja líder do seu cão

Se tem um conselho que podemos dar para tutores de cães é: seja líder do seu cão. Esta é uma estratégia que funciona muito bem para quem busca um cachorro mais equilibrado, respeitoso e, acima de tudo, feliz. Saiba que controlar as atitudes de um cão pode se tornar algo extremamente difícil quando não é feito da forma certa e no momento certo. Por isso, dedique tempo neste aspecto e garanta que os dias do seu animal sejam mais leves.

 » Read more about: Seja líder do seu cão – Uma atitude muito saudável  »

Cane Corso: Cão de guarda, cão de guerra e caçador hábil

por Handreza Hayran — publicado 15 jul 2019 - 9:45

O Cane Corso, cujo nome, traduzido da palavra latina “cohors”, significa “guardião” ou “protetor”, é um ancestral do antigo cão Molossus, que também é o ancestral da raça mastim.

Cane Corso são cães poderosos que podem parecer intimidantes para alguns. Esses cães destemidos e vigilantes não são adequados para todos. No entanto, eles são muitas vezes incompreendidos e podem realmente ser excelentes companheiros. Para quem gosta da ideia de um cão muito grande que é protetor e atlético,

 » Read more about: Cane Corso: Cão de guarda, cão de guerra e caçador hábil  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

As 12 Melhores Raças de Cachorro Pequenos

por Handreza Hayran — publicado 16 jul 2019 - 9:45

raças de cachorro pequenos

Você está se perguntando quais as melhores raças de cachorro pequenos para um apartamento? A adaptabilidade de um cão a um espaço pequeno, como um apartamento ou condomínio, depende principalmente do nível de energia e da rotina de exercícios.

Cachorros de alta energia podem ser felizes vivendo em um apartamento, desde que o proprietário satisfaça suas necessidades de aptidão mental e física. No entanto, quanto maior o nível de energia, mais tempo você precisará para fazer atividades com seu cão, como caminhar ou correr.

Enquanto cães com níveis mais baixos de energia podem requerer menos atividade, eles ainda precisam de exercícios ou podem se tornar acima do peso, destrutivos e deprimidos.

Como os cães pequenos ocupam menos espaço, muitos moradores de apartamentos preferem as raças de cachorros pequenos.

Aqui estão 12 raças de cachorro pequenos que são grandes companheiros para aqueles que vivem em apartamentos ou condomínios.

1. Chihuahua

Chihuahua

O Chihuahua vem da América Central ou do Sul e é descendente de um cão conhecido como Techichi. Eles geralmente pesam não mais de 6 quilos e ficam cerca de 6 centímetros de altura. Essa é uma das raças de cachorro pequenos que domina o espaço em que se encontra, mas, apesar de sua estatura, ainda precisam de treinamento suficiente como qualquer outro cão. As características da raça incluem olhos grandes e uma cabeça redonda ou em forma de maçã. Eles vêm em uma variedade de cores.

Os chihuahuas precisam de proteção contra o frio, mas são animais de estimação adaptáveis ​​e bem-humorados.

2. Griffon de Bruxelas

griffon

Os Griffons, como são conhecidos, serviram tanto como cães de trabalho quanto como nobres companheiros em sua Bélgica natal, e são os homenzinhos do mundo dos cães com seus expressivos rostos barbudos e grandes olhos.

Eles vêm em quatro cores: vermelho, preto e marrom avermelhado, preto e castanho e preto. Eles são encorpados, confiantes e fáceis de treinar. Além disso, eles podem ficar sozinhos, eles se saem melhor em grupos com outros cães ou em uma casa com alguém que esteja sempre presente.

3. Lulu da pomerânia

lulu da pomerânia

O majestoso, mas minúsculo Lulu da Pomerânia tem a aparência de um leão. Essa raça de cachorros pequenos, é o menor membro da família de caninos Spitz, que também inclui o Samoieda, o malamute do Alasca e o elkhound norueguês. Adorável, alerta e mal-humorado, o Lulu da Pomerânia é uma cão inteligente e leal. Eles são excelentes cães de guarda e se dão bem com as crianças. Mas, como alguns outras raças de cachorro pequenos da nossa lista, as brincadeiras brutas devem ser reduzidas ao mínimo por causa de seu tamanho.

4. Affenpinscher

Affenpinscher

Affenpinschers têm ganhado alguns apelidos ao longo dos anos: cachorros-macacos e terrier-macaco. Suas expressões sérias fazem com que pareçam menos cães e sim primatas.

Affenpinscher é originado na Alemanha e foi criado para ser assassino de rato e outros animais nocivos. Hoje, ele é uma adição maravilhosa para qualquer família que adora rir, pois o affenpinscher é consistentemente divertido, travesso e brincalhão. Essa é uma das raças de cachorro pequeno que adora latir, então certifique-se de que eles recebam treinamento adequado.

5. Yorkshire Terrier

yorkshire-terrier

Este pequeno cachorro pode parecer nobre, mas não deixe que o pelo sedoso de Yorkshire terrier te engane. Eles são pequenos, chegam a cerca de 7 quilos, são mal-humorados e corajosos, com muita atitude de cachorro grande. O Yorkie oferece anos de carinho e diversão para toda a família, mas deve ser supervisionado em uma casa com crianças pequenas.

6. Toy Fox Terrier

fox-terrier

O Toy Fox Terrier é brincalhão, inteligente e divertido. Está ansioso para agradar e aprender a cada passo. Eles também têm um histórico de trabalho como caçadores de pequenos animais. Essa linhagem tem energia ilimitada e são propensos a perseguir pequenos animais hoje em dia, por isso, precisam de muita supervisão humana.

Eles são criaturas altamente inteligentes, fáceis de treinar e que se saem bem em competições de obediência e agilidade. Chegando a 7 quilos e 10 centímetros de altura, esses filhotes divertidos vêm em uma variedade de cores e são uma fonte inesgotável de diversão para todos na família.

7. Spaniel japonês

Este cão nobre também possui uma linhagem real. O spaniel japonês tem um focinho curto e olhos grandes e redondos que são difíceis de resistir. Um companheiro encantador, o cão é exótico, gracioso e relativamente calmo, razão pela qual algumas pessoas chamam de “felino” de cães. O spaniel japonês é sensível às emoções de seus donos. Assim, se morarem em um lar tranquilo, eles terão uma natureza calma. Eles também são mais felizes em uma residência em que alguém geralmente está presente a maior parte do dia.

8. Shih Tzu

Esta é uma das raças de cachorro pequeno que ama quase todos e é um companheiro charmoso e divertido que recebe tanto prazer no seu colo como em momentos mais lúdicos. O shih tzu geralmente precisa de treinamento, já que eles são notoriamente difíceis de abrigar, e eles não são especialmente bons com crianças muito pequenas.

9. Cavalier King Charles Spaniel

cavalier-king-charles

O mimado Cavalier King Charles Spaniel é refinado e gracioso com uma linhagem real, mas também um companheiro real para qualquer membro da família. Como muitas raças nobres, os spaniels assumiram as personalidades de seus proprietários aristocráticos ao longo dos anos. Eles podem ser orgulhosos e teimosos, e eles não são bons para todos, mas são incrivelmente afetuosos e felizes quando se trata de passar tempo com seus donos.

10. Buldogue Francês

buldog francês

O buldogue francês assemelha-se a um bulldog inglês, mas com “orelhas de morcego” grandes e eretas, que são uma marca registrada da raça. A pelagem curta do cãozinho é de várias cores e seu corpo é compacto e musculoso.

O Buldogue é uma das raças de cachorro pequeno que é charmosa e inteligente. Apesar de sua natureza tranquila, é um excelente cão de guarda. Esse cachorro pode se adaptar a qualquer situação de vida e fazer amizade com outros animais e crianças pequenas com facilidade. Ele não se sai bem em calor extremo e não precisam de muito exercício, pois seus narizes curtos podem dificultar a respiração.

11. Boston Terrier

boston terrier

Pequeno mas robusto, o Boston terrier é um dos poucos cães desta lista que se originou nos EUA. A raça começou como um cão de briga, mas hoje é uma companhia afetuosa para todos os membros da família.

Os Bostons são espertos, mas como seu instinto de lutador ainda faz parte de quem eles são, eles podem ser extremamente teimosos, então certifique-se de que o seu treinamento seja adequado.

12. Pequinês

pequinês

Esta é uma das raças de cachorro pequeno já foi o cão da realeza chinesa e ainda carrega alguns traços de personalidade daquela vida anterior. Eles podem ser carinhosos ou independentes e farão o que for melhor para eles no momento. Dito isto, eles ainda são companheiros amorosos, adequados a quase todos os cenários, principalmente o apartamento em que vivem.

O pequinês é um excelente cão de guarda devido à sua vigilância, e é por isso que eles podem levar algum tempo para se aproximarem de estranhos. O pequinês é braquicefálico, certifique-se de mantê-lo fora do calor extremo. Além disso, o pequinês não deve estar em uma casa com crianças muito pequenas.

Raças de cachorro pequenos: Adotando e cuidando

Qual destas raças de cachorro pequenos é a sua favorita? Você tem um cachorro pequeno que não está listado aqui e que é um bom cão de apartamento? Então conte-nos sobre eles nos comentários abaixo!

Seja líder do seu cão – Uma atitude muito saudável

por Camila Da Silva — publicado 16 jul 2019 - 9:45

seja líder do seu cão

Se tem um conselho que podemos dar para tutores de cães é: seja líder do seu cão. Esta é uma estratégia que funciona muito bem para quem busca um cachorro mais equilibrado, respeitoso e, acima de tudo, feliz. Saiba que controlar as atitudes de um cão pode se tornar algo extremamente difícil quando não é feito da forma certa e no momento certo. Por isso, dedique tempo neste aspecto e garanta que os dias do seu animal sejam mais leves. Acompanhe o texto para entender mais sobre o assunto.

Seja líder do seu cão

Como citado anteriormente, seja líder do seu cão. Não chefe. Mas sim, líder. Esta é uma das premissas mais básicas que um filhote busca encontrar quando chega a um lar novo. Caso ele não consiga perceber controle e administração, ele mesmo se sentirá no poder de fazer o que quiser. E isto pode ser desastroso, principalmente se você espera que o cão seja obediente.

Não é uma tarefa fácil e requer muita paciência dos tutores. Principalmente os de primeira viagem. Ou seja, você precisa entender que, por mais que há sim como tornar-se líder do seu cão, algum tempo precisará ser investido nisso, até que ele perceba quem é responsável por quem. E isto exige confiança, treino e, acima de tudo, muito amor. Continue lendo para entender como o cão se comporta em seu instinto natural.

seja líder do seu cão

Como um cão se comporta?

Um cachorro se comporta nada mais nada menos do que como um animal. E todos nós sabemos que animais tem instinto que os fazem ir para um caminho ou para o outro. E um dos instintos mais presentes em qualquer cachorro é justamente a sensação de liderança. O cão quando chega em um novo lar, logo associa as pessoas próximas dele como sendo membros da nova matilha. E, desta forma, espera que alguém assuma o controle da situação.

Assumir o controle da situação é impor limites, mostrar o que pode, o que não pode, estipular horários e locais para comer, etc. Quando não há esta sensação, ou seja, quando o cão percebe que esta figura não existe como deveria existir caso vivesse no mato, ele mesmo tomará as rédeas da situação, de forma instintiva.

E isto significa, entre outras coisas, ser agressivo, possessivo, mal educado e desrespeitoso com os membros da família. Por mais que ele não faça “por mal”, o instinto dele será liderar, caso ninguém o lidere. E é justamente neste ponto que a sua figura como tutor deve entrar em ação. Ele precisa saber que você é o dono dele e, desta forma, guiar as rédeas.

seja líder do seu cão

O que é um líder?

Muitas pessoas se confundem entre líder e chefe. O líder é quem vai guiar os passos dos liderados, e o chefe vai mandar. De forma bem resumida, conseguimos facilmente associar estas situações ao comportamento canino. Nós não podemos nos apegar ao simples fato de sermos os donos deles e, desta forma, mandar e desmandar uma série de situações que eles sequer entendem.

O processo de liderança é simples, mas não é fácil. E ele precisa ser feito da forma certa para que o cão não associe a sua figura a algo que ele tenha medo ou pavor. Mas sim, respeito. Um exemplo prático disso é, ao invés de brigar quando ele faz algo errado, elogiar quando ele faz algo certo. Os cães são condicionados as situações. E é nossa responsabilidade condicioná-los para as situações positivas. E assim eles podem fazer a associação no futuro. Seja líder do seu cão e seja efetivo nesta etapa!

Adestramento é a chave para o bom comportamento

Você já deve ter ouvido falar do adestramento de cachorro, não é mesmo? Pois bem, este é um método que muitas pessoas simplesmente consideram inacessível ou banal. Entretanto, é de extrema importância para conseguir liderar o seu cachorro. Através de processos estratégicos e pensados, podemos elaborar situações para que o cão aprenda, seja educado e respeitoso, de acordo com as nossas realidades.

Assim sendo, um exemplo prático desta situação é ensinar o seu cão a se controlar em situações que você não está presente. Quando você chegar em casa, a recomendação de diversos adestradores é de que você não deve interagir com o cão. Deixe-o fazer pirraça e somente depois de alguns minutos dê atenção.

Esta é uma forma de demonstrar que você está na liderança e só dará atenção quando ele se comportar. Com o tempo, ele se condicionará a isso e será um cão muito menos ansioso. Seja líder do seu cão e veja este processo acontecer aos poucos.

seja líder do seu cão

Impor limites é fundamental

Um líder impõe limites de forma inteligente. Ele não briga, não se altera e muito menos ordena. No entanto, ele cria artifícios para que o cão perceba o que é certo e o que é errado. Por exemplo, se o cão fazer as necessidades em um local errado, você não deve brigar com ele e muito menos fazê-lo cheirar as necessidades, esfregando o focinho no local (sim, tem gente que faz isso!).

O que você precisa fazer é, de alguma forma, condicioná-lo a fazer certo. Por exemplo, toda vez que ele acertar o local do xixi, elogie-o e ofereça um prêmio. Assim ele entenderá que quando ele faz determinada ação, algo positivo acontece.

Cuidado com o tom de voz

O tom de voz é algo que os cães levam muito em consideração. Brigar não é saudável. Enquanto palavras de ordem, fortes e curtas sim, podem surtir efeito no longo prazo. Um “não!” bem expressado, de forma rápida e curta pode ser um comando muito bem absorvido com o tempo. Entretanto, xingamentos exagerados e sermões dificilmente serão captados. E você só fará o cão ficar ainda mais ansioso. Portanto, dê atenção a esta situação.

seja líder do seu cão

Motivos para liderar o seu cão

Para finalizar, separamos uma série de motivos para liderar o seu cão e não ser o chefe dele. Mostre quem está no comando, mas não abuse do poder, da força ou da sua inteligência. Dê tempo ao cão, faça o sentir-se amado e nunca use a força ou a violência. O restante irá acontecer com o tempo e você notará as diferenças.

Entretanto, é importante sempre levar em consideração que o cão continua sendo um cão e não uma máquina. Portanto, ele merece um tempo para assimilar tudo que está acontecendo e, desta forma, respeitar você. Veja uma lista de situações positivas que a liderança planejada pode oferecer e assim, seja líder do seu cão.

  • Elevação da imunidade por ele sentir-se mais feliz;
  • Muito mais serenidade com outras pessoas (carteiros, por exemplo);
  • Falta de motivação para ferir familiares;
  • Muito mais respeito é adquirido durante os passeios (não puxa a coleira, por exemplo);
  • Ele brincará muito mais com os próprios brinquedos do que com objetos indevidos;
  • Controle da ansiedade e irritação por conseguir se situar em casa;