Assim como o nosso corpo, o corpo dos cães também possui uma constituição que conhecemos conceitualmente por anatomia do cachorro. Ou seja, é a forma que o corpo e organismo do cachorro são, de fato, constituídos. Mas ao contrário do que muitas pessoas pensam, é mais do que importante ter conhecimento sobre este assunto antes mesmo de adotar um dog.

Conhecer a anatomia do cachorro pode fazer com que você proporcione uma vida muito melhor para seu pet, do ponto de vista físico e mental. Nós já escrevemos, inclusive, sobre a saúde mental dos cachorros aqui no Portal do Dog e mostramos o quanto ela está diretamente ligada com o corpo em si. A falta da saúde mental pode fazer o corpo físico sofrer bastante.

No entanto, a única maneira de saber se o corpo físico está, de fato, sofrendo ou precisando de alguma coisa, é justamente conhecendo a anatomia do cachorro de maneira geral. É claro que você não precisa ser um perito veterinário. Mas o básico já vai fazer os cuidados com o cão redobrarem.

Para entender tudo sobre o tema, continue a leitura. Vamos lá?

anatomia do cachorro

Cachorro no quintal – Foto: Freepik

Anatomia do cachorro – Veja como é constituído o corpinho do seu cãozinho de estimação e conheça algumas curiosidades

A anatomia do cachorro nada mais é do que a maneira que o corpo do cachorro é “construído”. Ou seja, é a forma que o organismo se desenvolveu para formar o que conhecemos hoje em dia. Porém, por mais que hajam muitas semelhanças entre os mais diversos tipos de cachorros, é importante entender que cada raça vai trazer uma anatomia diferente. Cada raça, então, é única.

E esta é uma das principais diferenças quando pensamos na anatomia humana, por exemplo. Por mais que sejamos pessoas diferentes uma das outras, a anatomia ainda será a mesma – ou muito parecida. Diferente dos cães, que podem ter focinhos mais longos, mais achatados, pernas mais longas, mais curtas, cauda grande ou cauda pequena, muitos ou poucos pelos e por aí vai.

Portanto, é importante entender que mesmo com uma linhagem anatômica semelhante, cada cão ainda terá suas particularidades do ponto de vista do organismo e membros. E você precisa entender melhor o seu pet para que consiga oferecer uma qualidade de vida superior e digna.

Por exemplo, os cachorros braquicefálicos são fofos. Mas eles têm muita dificuldade para respirar, pois sua anatomia é artificial. E isto, claro, é um problema para a qualidade de vida deles. Este é apenas um exemplo do quanto é importante entender cada cão como único, mesmo que a anatomia de todos seja semelhante.

Grupo de cachorros

Grupo de cachorros – Foto: Freepik

Divisão da anatomia do cachorro em 5 partes – Cabeça, pescoço, tronco, membros e cauda

A anatomia humana é dividida, basicamente, em 3 partes: cabeça, tronco e membros. Já a anatomia dos cachorros, em 5 partes: cabeça, pescoço, tronco, membros e cauda. Esta divisão é feita desta maneira, pois cada cão pode apresentar diferentes tipos de anatomias – por mais que sejam semelhantes.

Em nosso exemplo anterior, mencionamos a estrutura do focinho de um cachorro braquicefálico. Estes cães possuem um focinho totalmente diferente de um cão de outra raça, pois foram feitos de maneira artificial e acabam sofrendo para respirar. Diferente de um cão com focinho bem esticado e longo, que possui uma respiração mais apurada, limpa e tranquila.

E este é apenas um exemplo do quanto os cães, mesmo semelhantes, são diferentes e, então, entendemos o porque da divisão da anatomia em tantas partes. Afinal, não dá para simplesmente generalizar. Por mais que este pareça um assunto complexo, saiba que ele não é. Obviamente que o conhecimento técnico e veterinário sobre este tema é muito mais complexo e profundo. Mas para conhecimento geral, vamos ajudar a entender melhor a anatomia em 3 tópicos:

  • A cabeça dos cães é onde ficam os sentidos e o controle do corpo;
  • É no tronco que está todo o sistema de órgãos – Ouvido, boca, focinho e olhos;
  • Membros e cauda – Fundamentais para o equilíbrio e movimentos;

Falaremos sobre cada um deles de maneira mais aprofundada a partir de agora. Continue lendo para entender tudo sobre o tema.

A cabeça dos cães é onde ficam os sentidos e o controle do corpo – Ouvido, boca, focinho e olhos

A anatomia do cachorro pode começar a ser entendida pela cabeça. Afinal, é na cabeça que fica o sistema nervoso central e o cérebro dos cachorros. E absolutamente todo o controle do corpo passa por este local. Se você reparar, verá que existem cães com diversos tipos de cabeça diferentes. Ou seja, existem muitos tipos de formatos de crânios e cérebro – que é onde cada raça começa a ganhar personalidade e exclusividade.

Além do cérebro, na cabeça ainda estão outras partes anatômicas do animal, como os sentidos, através do focinho, boca, olhos e orelhas. Alguns cachorros vão ter orelhas maiores, outros vão ter orelhas menores. Mas de maneira geral, eles possuem cerca de 18 músculos nesta região, o que garante uma mobilidade bem grande para conseguir ouvir ruídos a muitos metros de distância. Os cães são extremamente atentos e conseguem ter uma eficiência muito grande na audição.

Outro sentido muito importante para os cachorros, é a visão. Diferente da audição, a visão de um cachorro não é tão boa assim. Por mais que eles possuam um sistema periférico melhor do que os humanos (nós enxergamos em 180˚ e eles em até 270˚), alguns pesquisadores acreditam que eles são limitados a cores amarelas e azuis. Além disso, não enxergam muito bem de perto.

O olfato também está presente na subdivisão anatômica da cabeça. E este, como a audição, é fantástico. O olfato de um cachorro consegue farejar muitos cheiros de maneira simples e rápida. Algumas raças são melhores do que as outras neste aspecto. Mas o fato é que este é, sim, um sentido incrível. Eles possuem mais de 200 milhões de células olfativas. Enquanto nós, humanos, apenas 5 milhões. É uma diferença e tanto, não é mesmo?

E por fim, temos a boca. Os cães possuem dentes muito rígidos e afiados, garantindo uma excelente eficiência no processo de mastigação e trituração de alimentos. O problema é que os cães podem desenvolver tártaro e outros problemas bucais quando há falta de higiene. Veja nosso artigo sobre como escovar os dentes do cachorro com segurança.

Cachorro dando a patinha

Cachorro dando a patinha – Foto: Freepik

É no tronco que está todo o sistema de órgãos – Sistema digestivo, rins, coração, etc

A parte do tronco dos cachorros é onde estão concentrados todos os mecanismos do animal. Ou seja, é onde os processos acontecem para que o cachorro mantenha-se vivo e com saúde. No tronco vai estar o coração, os pulmões, o sistema digestivo e urinário, rins e todos os outros órgãos que são responsáveis por fazer o cachorro, de fato, “funcionar”.

É bem como se fosse uma máquina, onde há a inteligência programada (o cérebro) e as partes mecânicas, que dão movimento e fazem as coisas acontecerem (organismo). Claro que esta é uma maneira lúdica de entender melhor a anatomia do cachorro. Mas, na prática, ela é muito esclarecedora para tutores que querem entender um pouco melhor seus pets.

Você sabia que o estômago de um cachorro é mais largo do que o estômago de outros animais que não se alimentam exclusivamente de carne? Sim, um cão é essencialmente carnívoro. E isto faz com que sua anatomia seja, também, feita para que a digestão da carne aconteça de maneira adequada, uma vez que eles engolem a carne quase inteira. Neste processo natural, o alimento pode ficar até 12 horas no organismo do animal apenas em fase de digestão.

Leia também: Comida: O que o cachorro pode e não pode comer?

Membros e cauda – Fundamentais para o equilíbrio e movimentos

E por fim, chegamos aos membros e cauda do cachorro. As patas e a cauda do cachorro são essencialmente responsáveis por manter o equilíbrio do cachorro. Certamente você já observou que as patinhas dos cachorros são feitas com um tecido diferente. É um tecido mais macio e que lembra até mesmo uma almofadinha – como são carinhosamente chamadas.

Este tipo de estrutura é essencial para que o cachorro possa caminhar de maneira mais confortável, uma vez que os coxins (almofadinhas) servem para amortecer os impactos das caminhadas e corridas.

Mas, além disso, as almofadas também são ótimas para dar ao cachorro uma maior possibilidade de terrenos, uma vez que ela reduz o excesso do frio ou o excesso de calor que eventuais terrenos podem ter. Porém, isto não significa que você pode simplesmente levar seu cachorro para qualquer lugar só pelo fato de que as almofadinhas vão trazer conforto, ok?

Terrenos muito quentes podem queimar as patinhas. Assim como terrenos muito frios, também. Cuide do seu pet para que isto não aconteça, tá bem?

Com relação a cauda do cachorro, há algo muito interessante com podemos notar neste membro. A cauda ajuda também no equilíbrio do animal, uma vez que é uma ligação nervosa que vem desde sua coluna vertebral. Porém, ela é também um excelente sensor de emoções. Afinal, o cachorro demonstra muita coisa apenas com sua cauda. Veja:

  • Cuada de pé: atento;
  • Cauda baixa: tranquilo;
  • Cauda balançando: feliz;
  • Cauda debaixo das patas traseiras: medo;

Leia também: 7 Chaves para compreender as emoções do cachorro

Cachorro olhando de lado

Cachorro olhando de lado – Foto: Freepik

Por que é importante conhecer e entender a anatomia do cachorro antes de adotar um pet?

Conforme mencionamos anteriormente, a anatomia do cachorro é algo complexo do ponto de vista técnico, mas muito importante do ponto de vista da convivência. Ou seja, você não precisa se aprofundar nos assuntos relacionados a anatomia do seu cachorro. Porém, conhecer o básico e entender o porquê das coisas, certamente vai ajudar (e muito) em qualquer processo de adaptação e de cuidados, pois você conseguirá dar mais qualidade de vida ao animal.

Justamente por este motivo (qualidade de vida), é que todos os tutores deveriam entender um pouco mais sobre como seus cães se comportam e como isso reflete na saúde deles no médio e longo prazo. Donos de cães braquicefálicos, por exemplo, precisam entender que o animal tem dificuldades respiratórias e, por isso, não devem forçar caminhadas. Ou, ainda, simplesmente entender os movimentos da cauda do cachorro, pode fazer com que você entenda o animal de muitas formas.

Tudo isso faz parte da anatomia do cachorro!