Nós não queremos que nossos amigos sofram e por isso sempre pensamos em medicá-los, porém devemos lembrar que é primordial ter um acompanhamento veterinário e que alguns remédios podem ser perigosos para cachorros. Mas um cachorro pode tomar paracetamol?

Os donos de animais de estimação sabem que dar medicamentos (“humanos”) aos seus animais de estimação só deve ser feito quando prescrito por um veterinário. Mas às vezes uma visita ao veterinário é impossível (à noite, etc.), e o animal precisa de um atendimento com urgência.

E surgem dúvidas – um cão pode receber paracetamol, que faz parte de muitos medicamentos antipiréticos?

Cachorro pode tomar paracetamol?

Paracetamol é o nome de uma substância ativa com propriedades antipiréticas e analgésicas. O componente faz parte de muitos medicamentos usados ​​para baixar a temperatura corporal.

A ação da substância medicinal

As principais propriedades da substância ativa:

  • analgésico (analgésico);
  • antipirético;
  • anti-inflamatório fraco.

Quando ingerido por via oral (na forma de comprimidos), o paracetamol afeta o centro da termo regulação no hipotálamo, normalizando a temperatura corporal.

Assim, o paracetamol é mais eficaz para a síndrome da dor de intensidade leve e moderada, febre que acompanha doenças infecciosas e inflamatórias.

O paracetamol é eficaz para diferentes tipos de dor:

  • dor de cabeça;
  • dor de dente;
  • enxaqueca;
  • mialgia;
  • neuralgia, bem como síndromes de dor que acompanham várias lesões e queimaduras.

Uma vasta gama de medicamentos contendo paracetamol indica a eficácia da substância ativa e a sua grande popularidade.

No entanto, o paracetamol e os medicamentos que contêm a substância de mesmo nome podem ser administrados com cautela aos animais de estimação.

Importante!

Para gatos, o medicamento é estritamente proibido, cães só podem ser administrados com a aprovação do veterinário e com a observância obrigatória da dosagem.

Doses seguras e envenenamento

Antes de tudo, os sinais clínicos de intoxicação em animais aparecem já nas primeiras 1-4 horas após a ingestão do medicamento contendo paracetamol. Os cães podem mostrar:

  • depressão que progride rapidamente;
  • cianose – descoloração azulada da pele e das membranas mucosas;
  • respiração aumentada;
  • vomitar.

A intoxicação em cães causa-se por uma overdose da droga e pela presença de certas doenças – em particular, insuficiência hepática. Assim, seguindo a dosagem prescrita pelo médico, consequências perigosas podem ser evitadas.

Os cães toleram doses terapêuticas da substância comparáveis ​​às dos humanos. Por exemplo, para animais de raças pequenas (Yorkshire Terrier, que não pesa mais de 3 kg), a dose de paracetamol, que é prescrita para crianças (250 mg), não causará sintomas perigosos, o envenenamento só é possível se esta quantidade for 2-3 vezes maior.

O efeito tóxico no corpo não causa-se pelo paracetamol em si, mas por metabólitos que o oxidam e causam danos às células do fígado e outros tecidos. Mas em alguns casos, é observada ulceração do trato gastrointestinal.

O tratamento de um cão doente após o envenenamento por paracetamol será longo e exigirá bons cuidados com os animais de estimação.

O paracetamol é um medicamento popular e eficaz para reduzir a temperatura corporal e o alívio da dor, mas não é recomendado para animais de estimação.

Além disso, a droga pode causar danos ao fígado, que na melhor das hipóteses exigirá a intervenção de um veterinário e um tratamento de longo prazo, na pior das hipóteses será fatal. A medicina veterinária tem uma grande lista de medicamentos que são seguros para animais de estimação.