Coceira e feridas no cachorro, o que pode ser? Quais os tratamentos e como o tutor do animal poderá ajudar nesses casos? Todas essas respostas você vai encontrar neste artigo. Afinal, quem nunca ouviu aquela expressão: cachorro tocando violão? Pois então, esta frase é muito usada quando o animal se coça.

A coceira pode ser comum ou anormal. Quando ocorre de maneira excessiva, deixando o doguinho incomodado a ponto de se machucar, você precisa agir. Esse hábito não é nada legal, principalmente pelo fato de que algo não vai bem com a saúde do cachorro, podendo revelar diversos problemas, como dermatite canina, picada de insetos ou outros motivos.

Sendo assim, a coceira pode ser identificada como algo exagerado quando causa feridas, lesões, quedas do pelo e uso frequente da boca para coçar. Então, para entender melhor tudo que cerca este tema, criamos este guia básico para te ajudar a entender melhor o que fazer em caso de coceira e feridas no cachorro.

Vamos lá?

Coceira e feridas no cachorro

Ferida aberta na pele do cachorro depois de se coçar muito – Foto: Freepik

Coceira e feridas no cachorro – O que pode ser?

Se você observou sintomas como coceira e feridas no cachorro, saiba que esses podem ser sinais de que é hora de procurar ajuda veterinária. O incômodo pode ser tão grande, que o cachorro começa a se morder, causando lesões que podem ser graves a ponto de uma mosquinha colocar seus ovos dentro do animal.

Resultando, assim, em larvas que vão penetrando na pele do cachorro e se acomodando dentro do tecido subcutâneo, que dá origem a bicheira. Por isso, avalie a coceira exagerada, buscando identificar suas origens que podem ser tratadas de forma adequada para a saúde do seu melhor amigo.

Coceira e feridas no cachorro: Contaminação de pulgas e carrapatos

Um dos primeiros motivos de o cachorro estar se coçando excessivamente, são as picadas de pulgas, que gostam de se alojar no cantinho da orelha e em outros locais quentinhos. A coceira começa quando elas picam a pele do animal, desenvolvendo uma ação alérgica que faz o cachorro querer expulsar o parasita.

Do mesmo modo, a picada do carrapato também apresenta muito incômodo, como coceira e mordidas no local onde está grudado. É preciso salientar que o carrapato transmite doenças, como a babesiose canina, que nos casos mais graves pode causar anemia no cachorro.

Contudo, a ectoparasita, como também é conhecida, pode chegar a níveis graves quando o parasita transmite vírus, bactérias e reações alérgicas severas.

Problemas relacionados a sarna

A sarna é outro problema enfrentado por cachorros que se coçam, causando não só feridas, como também a perda de pelo do animal. Considerada uma doença contagiosa, a sarna é transmitida por um ácaro, que se prolifera através da pele do cachorro, ocasionando em lesões e muita coceira.

Existem dois tipos de sarna, a sarcóptica e a demodécica, no segundo caso o cachorro não sente coceira, apenas vermelhidão, falha no pelo e outro sintomas. Nos casos de sarna sarcóptica, o cachorro poderá ficar completamente sem pelos, bem machucado e se coçando sem parar.

E os problemas relacionados a sarna não só atacam os cachorros, como também seus tutores. O que é um motivo mais do que suficiente para que você busque ajuda veterinária o quanto antes para um tratamento adequado.

Leia mais sobre a sarna em cães: Sarna negra em cães: sintomas e tratamento.

Coceira e feridas no cachorro

Cachorro sentado se coçando – Foto: Freepik

Coceira e feridas no cachorro: Alergia canina

A coceira e feridas no cachorro podem ser resultado de alergias, causadas por alimentos, produtos de higiene e até dermatite. A dermatite atópica é a mais comum, se desenvolvendo a partir do contato com ácaros, poeira e fungos presentes no corpo do animal.

A coceira também pode ser influenciada por alergia de roupinhas para cachorro, acessórios como coleiras antipulgas e até o tecido das caminhas. Neste sentido, o resultado são as alergias de contato, como são chamadas, ocasionadas por componentes químicos e materiais presentes nesses acessórios.

O mau uso de coleiras peitorais, roupas caninas com tecidos ásperos e gravatinhas de cachorro podem trazer incômodo ao dog, podendo causar assaduras no local e posteriormente vem a coceira e feridas. Outra alergia que resulta em feridas e coceira no cachorro é a dermatite por lambedura, onde ao se lamber excessivamente pode gerar uma infecção.

Por mais que a língua do cachorro tem uma importante função de cicatrização, quando existe um machucado aberto ela pode liberar bactérias que causam inflamações na região.

Infecções na pele e outras áreas

Os riscos do cachorro se coçar incluem a perda excessiva de pelos, manchas vermelhas e infecções no ouvido do animal, como a otite canina. A maioria das infecções são causadas pelo contato de bactérias, que estão presentes na língua do cachorro, patas e unhas.

Algumas infecções podem desenvolver graves lesões de pele, necessitando de um tratamento adequado com pomadas e remédios dermatológicos. Nos casos de uma lesão que não quer cicatrizar, a coceira pode ser um sintoma de que a derme canina precisa de uma atenção especial.

Calor excessivo

O calor excessivo também pode trazer muita coceira ao cão, principalmente para os cães peludos que soam nas patinhas. É durante o calor que os problemas dermatológicos mais acontecem, pois a temperatura prolifera a presença das terríveis pulgas, carrapatos, fungos e ácaros.

Como resultado desse tempo de alta umidade e calor, os cães começam a se coçar, necessitando de um cuidado preventivo para não acabar em lesões de pele por conta das comichões.

Seborreia canina

A seborreia canina é um outro motivo de coceira nos cachorros, fazendo com que o corpo do animal fique escamando, com feridas e manchas vermelhas. Esse problema é considerado endocrinológico, onde as glândulas sebáceas filtram o sebo produzido pela pele de modo natural.

A seborreia ocorre em decorrência da alta produção de sebo, podendo ser considerada uma doença sobre problemas de hormônios. Contudo, essa doença pode ser considerada hereditária, não havendo cura. Mas existem opções de remédios que aliviam a coceira.

cão se coçando na praia

Cachorro sentado se coçando – Foto: Freepik

Como ajudar o cachorro que está com coceira e feridas espalhadas pelo corpo

As comichões nos doguinhos não podem ser considerados necessariamente uma doença, apenas um sintoma de que o animal precisa de cuidados. Existem muitas causas de coceira e feridas no cachorro. Mas, em sua grande maioria, há um tratamento que pode amenizar esses efeitos.

Tratamentos para coceira e feridas no cachorro

A determinação de um tratamento adequado para coceira só pode ser feita por um veterinário, visto que existem muitas doenças relacionadas a esse sintoma. No entanto, caso o tutor encontre feridinhas no corpo do animal e muita coceira, ele pode apostar em uma solução que previna a infecção da região.

O uso de antisséptico canino é essencial para limpar a ferida, assim como uso de soro fisiológico molhado na gaze e passado no machucado. Essa solução é indicada para que o animal pare de se lamber e coçar, tratando de forma segura a lesão que está aberta e em perigo de infeccionar.

Aprenda a tratar feridas nos cachorros

Essa dica vai para feridas superficiais, que não estão abertas ou em carne viva, pois o objetivo é aliviar o incômodo causado pela coceira no cachorro. A babosa ou Aloe Vera já é indicada para queimaduras e machucados das pessoas, agindo de forma anti-inflamatória e calmante da pele.

No caso de comichões, a planta pode ajudar a diminuir os incômodos da coceira e agindo como remédio para a cicatrização das feridas. Para comprar a Aloe Vera, prefira adquirir em formato de spray ou pomada para passar no local, mas escolha uma solução natural e para pets, ok?

Um outro produto natural são os florais, que agem como tratamento de feridas causados pela coceira excessiva e de forma preventiva de doenças de pele.

Leia também: Os benefícios da alimentação natural para seu cão!

Previna a coceira e feridas espalhadas pelo corpo do cachorro

Além dos tratamentos para coceira e feridas em cães, um jeito para não se preocupar com esses incômodos é prevenindo a situação. Veja algumas dicas que você pode começar a fazer para que seu amiguinho de quatro patas não venha sofrer com coceiras e feridas pelo corpo.

Investir em uma boa alimentação

A alimentação influencia em muitas questões relacionadas a saúde animal. E no caso da coceira e feridas, não poderia ser diferente. Portanto, investir em uma boa alimentação tem todo um diferencial na hora de prevenir coceira, pois muitas rações para cachorro possuem ingredientes contra parasitas, como as pulgas e carrapatos.

Além da profilaxia contra parasitas, as rações possuem nutrientes e vitaminas que agregam saúde ao organismo do animal. Por isso, entenda melhor aqui: Alimentação natural para cães – o que levar em consideração?

Coceira e feridas no cachorro

Cachorro sentado se coçando – Foto: Freepik

Mantenha os banhos em dia

Um outro modo de prevenção é manter os banhos em dia. Primeiramente no verão, quando os parasitas adoram se alojar no corpo do pet. Para os cães peludões, uma tosa baixa ajuda a refrescar e manter o pelo bem limpinho, por isso, escolha bem os profissionais.

Cuidados ao comprar um acessório

Os cuidados ao comprar um acessório para o cachorrinho são essenciais. Escolha produtos certificados e recomendados para o pet. Isso inclui os shampoos e sabonetes para banho, roupinhas de cachorro no tamanho correto e coleiras que trazem conforto.

Não deixe o cachorro molhado por muito tempo

Se optar por dar banho em casa, não deixe o cachorro molhado por muito tempo, essa pode ser uma oportunidade para fungos e bactérias proliferarem no animal. Use secador para secar o pelo do cachorro, verificando a presença de feridas e machucadinhos que possam indicar parasitas.

Monitore os passeios com o cão

Como vimos, a sarna é contagiosa e monitorar os passeios com seu cão será uma forma de preveni-la para que outros cães não transmitam esse problema para seu pet.

Vá ao veterinário regularmente

Assim como vamos ao médico, nossos cães também precisam de um olhar profissional. Sendo assim, não deixe de levá-lo ao veterinário regularmente para tomar vacinas e fazer consultas de rotina. Se possível, todos os dias verifique o pelo do cachorro e informe ao veterinário qualquer anormalidade que possa indicar um problema.

Assim sendo, note se a coceira e feridas no cachorro são frequentes. Afinal, elas podem estar indicando um problema de pele ou doença do seu amiguinho. Cuide do seu pet!