Os cães podem sim ter diabetes e é bom compreender porque a doença se desenvolve no animal e como perceber os sintomas e complicações que são advindos da condição.

Caso o seu pet tenha diabetes, saiba um pouco mais sobre a doença e como reconhecer os sinais.

Diabetes em cães. Foto: Reprodução/Google Images

O que é diabetes?

– Diabetes Melitus tipo I ou insulino-dependente

– Diabetes Melitus tipo 2 ou não insulino-dependente

A diabetes tipo 1 é um distúrbio hormonal que afeta a produção de insulina. É o resultado da produção inadequada de insulina pelas  ilhotas pancreáticas.

A Insulina permite que as células utilizem a glicose que é transportada pela corrente sanguínea. Sem a insulina necessária, as células não têm energia suficiente e muita glicose se acumula no sangue. Deficiência de insulina resulta em hiperglicemia (alto nível de açúcar no sangue) e glicosúria (excesso de açúcar na urina). Glicose na urina faz com que o animal excrete um grande volume de urina, causando desidratação e a vontade de beber mais água.

Inicialmente os cães que não metabolizam açúcar suficiente têm um aumento de apetite e o desejo de comer mais. Depois, com os efeitos da desnutrição, o apetite diminui.

A maioria, se não todos os cães, têm diabetes de tipo 1. Ao contrário da diabetes tipo 2, que às vezes pode ser reduzida ou até mesmo curada, diabéticos do tipo 1 precisam de injeções de insulina regularmente ao longo de suas vidas.

A diabetes do tipo 2 é um distúrbio endócrino crônico, caracterizado por hiperglicemia (açúcar elevado no sangue). Ao contrário da diabetes tipo 1, em que o pâncreas não produz insulina suficiente, a diabetes tipo 2 pode ocorrer quando o corpo do cão não responde corretamente à insulina. A diabetes Tipo 2 pode ser referida como diabetes resistente à insulina. Pode haver falta de insulina liberada pelo pâncreas para satisfazer as necessidades do metabolismo do animal. O objetivo da insulina é o de permitir que a glicose entre adequadamente nas células, onde pode ser eficazmente utilizada para a produção de energia no corpo do cão.

A diabetes aflige 1 em cada 500 cães no mundo.

Pacientes com pré-disposição à diabetes: Cães na meia idade, fêmeas no período pós-ovular ou em gestação, algumas raças específicas com pre-disposição (como Cairn Terrier e Samoyeda) e cães acima do peso.

Vale ressaltar que qualquer cão pode adquirir diabetes, até mesmo cães jovens, que podem ter uma pré-disposição genética.

Hoje, cães diagnosticados com diabetes e que recebem tratamento adequado possuem a mesma expectativa de vida de cães sem a doença.

Quais os sintomas de diabetes nos cães?

– Perda de peso, geralmente apesar de um aumento no apetite.

– Sede e vontade de urinar em excesso.

– Urina com odor de maçã.

– Quebra de gordura corporal e desenvolvimento de cetoacidose.

– Hálito pungente, com um odor químico.

– Infecções recorrentes.

– Intolerância a exercício.

– Catarata.

– Desidratação.

É imperativo você leve o seu cão para o veterinário caso perceba alguma mudança de comportamento.

Fontes:

Wikipedia

Vetinfo Diabetes in Dogs Type 1

Vetinfo Diabetes in Dogs Type 2

Web M.D.

Livro Larousse – Do cão ao Cãozinho.