Entender o que provoca agressividade canina é muito importante para que o tutor consiga oferecer qualidade de vida ao pet.

Afinal de contas, um pet agressivo faz isso por inúmeras razões diferentes. E todas elas estão relacionadas ao comportamento, ambiente e estímulos.

Evitar a agressividade canina, portanto, é o que vai ajudar tutor e o cão a viverem em um ambiente saudável. Muitas vezes o mais simples ajuste na rotina já é suficiente para trazer mais sossego ao cachorro.

Quer aprender tudo sobre o assunto? Então continue lendo.

Entenda o que provoca agressividade canina

o que provoca agressividade canina

Acariciando o cão – Foto: Freepik

O que provoca agressividade canina, muitas vezes, é o mesmo que traz impaciência e ansiedade para o cachorro. Ou seja, situações de desconforto na rotina e que podem deixar o cachorro bastante estressado. Estresse, esse, não apenas físico. Mas também mental.

Afinal, cachorros também têm saúde mental e ela precisa ser cuidada e estimulada bem como a saúde física. Um cachorro com a saúde mental abalada tende a ser muito mais estressado.

E dentro da rotina em si, algumas situações podem ser bastante estimulantes para trazer comportamentos de agressividade. Veja o que provoca agressividade canina:

  • Exames e procedimentos veterinários.
  • Banho e escovação de pelos.
  • Proteção dos filhotes pelas fêmeas.
  • Proteção do território em geral.
  • Guardar recursos (agressividade quando estão comendo).
  • Incômodo com outros cachorros.
  • Pouca (ou nenhuma) socialização.
  • Frustrações acumuladas (proibições ou limites).

A seguir, entenda mais sobre o assunto e veja na prática cada uma dessas situações acima.

Exames e procedimentos veterinários

Se tem uma coisa que tende a deixar os cachorros estressados e ansiosos, é o veterinário. Depois que eles já se acostumaram, o problema não é tão grande. Mas até se acostumarem, podem ficar muito estressados com as idas ao veterinário.

Ainda mais na fase de filhote, onde o doguinho precisa ir frequentemente ao veterinário para tomar vacinas e demais procedimentos. Se não houver uma ambientação favorável ao cão, esses estímulos ruins podem ser acumulados e ele poderá refletir isso na vida adulta.

Os exames e procedimentos veterinários não podem deixar de acompanhar o dia a dia do cachorro. Mas você precisa estimular esses momentos como algo positivo: biscoitos caninos e agrados devem fazer parte do momento para que o trauma não seja tão grande.

O que provoca agressividade canina – Banho e escovação de pelos

Outro fator que pode trazer muito incômodo para os cães, é a escovação de pelos, banho e tosa. Alguns cães se esbaldam nisso e realmente adoram. Mas alguns outros, infelizmente, podem sofrer bastante com a sensação de “prisão” no banho e tosa.

Medo e desconfiança lideram a lista de sensações que o cachorro sente nesses momentos. Por isso, é muito importante criar um ambiente favorável para que o cão, mesmo com medo, saiba que está “tudo bem”.

Ir aos poucos e não forçar a barra quando o cão está muito estressado são pontos importantes. E além disso, é importante entender também os limites do doguinho. Ofereça petiscos para mostrar que aquilo não é um problema.

o que provoca agressividade canina

Cão sorrindo – Foto: Freepik

Proteção dos filhotes pelas fêmeas

Assim que uma fêmea criou seus filhotes, ela entrará em uma fase maternal de instinto a flor da pele. Ou seja, ela poderá ficar muito irritada com algumas situações, pois vai proteger os filhotes a todo custo.

O que provoca agressividade canina, nesse caso, é justamente o instinto que fala mais alto e indica que a fêmea precisa proteger a cria. Faz parte do comportamento e você precisa saber respeitar.

Portanto, não queira ficar “mexendo” nos filhotes. Evite interações muito intensas com a cadela que acabou de criar. Assim você permite a natureza agir de modo natural e sem intervenções. Evitando agressividade canina, ansiedade e estresse por parte da fêmea.

O que provoca agressividade canina – Proteção do território em geral

Os cães que sentem que precisam proteger o território, fazem isso muito mais por ansiedade do que outra coisa. Salvo excessões, como é o caso de cães de guarda feitos especialmente para guardar o território.

No entanto, se o seu cãozinho age de maneira agressiva quando chega uma pessoa estranha ou quando ouve algo na rua, ele pode estar estressado. Instintivamente, ele está protegendo o território. Só que na prática, ele é um cão ansioso e que tem inúmeros estímulos ruins no dia a dia.

Trabalhe para criar um ambiente adequado e sem estímulos negativos para o pet. Latir faz parte. Mas latir incansavelmente por situações rotineiras, pode ser bem ruim.

Guardar recursos (agressividade quando estão comendo)

O que provoca agressividade canina em um cãozinho que está comendo é justamente as questões de instinto. Eles vão querer proteger o que estão comendo e, portanto, podem agir de maneira bem estressada.

O que fazer, nesse caso? É muito importante que você não interaja com o cão enquanto ele está comendo. Evite fazer brincadeirinhas do tipo “tirar a tigela” só pra ver o cão rosnar. Esse tipo de coisa é tremendamente ruim para o pet.

A necessidade de “guardar recursos” é realmente muito forte no instinto canino e pode trazer reações bastante ruins para o convívio.

Saiba mais sobre instinto canino: Cachorro enterrando osso – Saiba o motivo.

cão na praia

Cão na praia – Foto: Freepik

O que provoca agressividade canina – com outros cachorros

Alguns cães são ótimos com outros cães. Outros, podem ser bastante agressivos e não suportam a presença dos “invasores”. É por isso que você precisa criar uma socialização adequada desde a fase filhote.

Mas ainda assim, pode ser comum certas desconfianças. Afinal, faz parte do instinto canino proteger o território e sentir que o ambiente está seguro. Se houver qualquer tipo de “ameaça” por parte de outros cães, uma briga pode começar.

O que provoca agressividade canina, nesse caso, é justamente essa necessidade de defesa. Socializar o dog ainda na fase de filhote é o que vai gerar uma sensação maior de calma e tranquilidade.

Pouca (ou nenhuma) socialização

E por falar em socialização, aqui vai um tópico exclusivo para falar sobre isso.

Um cão com pouca socialização, animal e humana, é um cão que pode ter desvios de comportamento. Na verdade, ele vai agir de acordo com os instintos e isso pode trazer muitos problemas.

Acostume seu cão com outros cães. Leve-o ao parque e faça passeios para estimular o olfato. Comece aos poucos, mas não abra mão de mostrar a civilização canina para o seu pet. É importantíssimo pra ele.

Sem esses estímulos, o pet fica trancado em uma bolha e tudo parece estar errado, desequilibrado e fora do controle. Qualquer encontro ou situação com mais cães e pessoas, o seu doguinho vai sofrer demais.

Frustrações acumuladas (proibições ou limites)

Um cão precisa de limites. Ensinar a ele uma rotina adequada e segura é o que fará o cão, de fato, se comportar bem. No entanto, isso tudo precisa ser feito com muito cuidado.

O excesso de proibições ou limitações pode gerar frustração no cão. E a frustração, claro, pode gerar agressividade.

Por exemplo, se o cão vive solto dentro de casa e do nada você prende ele em um cercadinho, isso pode trazer uma ansiedade tremenda. E a consequência, é a agressividade.

O mesmo vale para coleiras, troca de alimentação, limite de saídas para a rua por aí vai.

O que fazer para evitar agressividade canina

cão e tutor na praia

Cão e tutor na praia – Foto: Freepik

Evitar a agressividade canina é um ponto importante. Só que fazer isso, nem sempre é fácil. É até simples, mas não é fácil. Veja algumas dicas:

  • Ofereça o máximo de estímulos possíveis.
  • Adestre o cachorro ainda quando filhote.
  • Socialize o cão ainda quando filhote.
  • Crie uma rotina bem estabelecida.

Continue lendo para conhecer, na prática, todas essas dicas.

Ofereça o máximo de estímulos possíveis

Um cão, quando filhote, está em uma excelente fase para aprender comandos, adestramentos, etc. E uma das coisas que você precisa fazer com o pet, é mostrar a ele uma série de estímulos diferentes.

O cão precisa ter estímulos de conhecer outras pessoas, outros cachorros, outros cheiros, outros ruídos, outras visões, etc. Quanto mais você conseguir mostrar ao dog todas essas condições, mais cedo ele vai se acostumar.

Adestre o cachorro ainda quando filhote

O adestramento canino é o que vai fazer o cão se comportar bem em determinadas situações do dia a dia. Logo, você precisa considerar um adestramento adequado ainda na fase de filhote.

Ensine comandos básicos, mostre os limites ao cão e estimule ele aos bons comportamentos. Afinal, reforço positivo ajuda muito o cão a entender o que ele pode, o que não pode, etc.

Socialize o cão ainda quando filhote

Socialização canina também está no topo da lista de estímulos que você precisa oferecer ao cão filhote. Socializar o cão com outras pessoas (que não sejam da família) e outros cães é muito importante para o dog entender que ele não é o único no mundo.

Crie uma rotina bem estabelecida

E por fim, não esqueça de criar uma rotina bem estabelecida para o dog. Afinal, cães gostam de rotina e, quanto mais “marcada” ela for, melhor para a saúde mental deles.

Crie o hábito de ter hábitos. Adeque os horários e não fure os compromissos com o dog. Ele ficará muito menos ansioso por isso.

Cuide do seu cão!