Muitos tutores se assustam quando enxergam verrugas em cachorros. E não é para menos. Afinal, estas anomalias na pele do cachorro podem surgir do dia para a noite de maneira física. Mas quase nunca se constituem do dia para a noite, uma vez que elas levam algum tempo até ganharem “força” o suficiente para ficarem em alto relevo, que é o momento que podemos enxergá-las.

E partindo deste princípio, é muito importante que você entenda tudo sobre o assunto e saiba o que fazer para o caso de aparecer uma verruga em algum lugar do corpinho do cachorro. Então, continue sua leitura e vamos juntos entender mais sobre este problema.

Acompanhe.

Para ler depois: Hepatite infecciosa canina: Essa doença pode ser evitada

verruga em cachorro

Cachorro com carinha fofa – Foto: Freepik

Verrugas em cachorros: conheça os dois tipos e saiba como tratar

As verrugas em cachorros são mais comuns do que pensamos. Afinal, muitas vezes a gente simplesmente não enxerga a verruga pelo fato de o cachorro ter muitos pelos. E não é porque elas não existem. Mas sim, porque elas estão escondidas e passam despercebidas. No entanto, é muito comum também que elas fiquem sobre o pelo, de maneira que fiquem bem visíveis. E, neste caso, fica mais fácil a identificação do tutor.

Mas, o que é exatamente isso? Para explicar, podemos separar as verrugas em dois tipos diferentes, que são estas:

  • Papilomatose Canina;
  • Adenoma Sebáceo;

Explicaremos cada um destes tipos de verrugas a partir de agora, de modo que você possa fazer uma análise superficial e tirar alguma conclusão sobre o que seu cão está passando – e agir a partir disso. Acompanhe.

Para ler depois: como lidar com cachorro doente.

Papilomatose Canina

Este é um tipo de verruga que pode ser associada ao HPV humano. No entanto, a papilomatose canina não é tão agressiva, de modo a prejudicar o animal em situações um pouco menos “complicadas”. Este tipo de verruga é comumente encontrada em regiões mais úmidas da pele do cachorro, como nariz, orelhas, olhos e boca. Afinal, esta é uma região muito fértil para que a verruga de papilomatose canina se desenvolva.

Ela possui um formato de couve-flor ou brócolis e é facilmente reconhecível, justamente por este aspecto único. Infelizmente, ela pode causar muitos desconfortos para o pet, uma vez que ela pode dificultar a mastigação, a visão, o olfato e a audição. Ela age como se fosse um elemento “invasivo” destas regiões, o que acaba gerando desconforto e faz com que o cachorro perca qualidade de vida.

Ainda é importante lembrar que a papilomatose canina é muito contagiosa para outros cães, mas não para humanos. Se um cachorro entrar em contato com outro cachorro que tenha papilomatose canina, as chances de ele pegar são bem grandes. No entanto, ele só vai desenvolver o problema físico se o seu sistema imunológico estiver enfraquecido. Caso contrário, o organismo do animal será responsável por derrotar a verruga e, assim, ela acaba não se manifestando de maneira intensa.

Se você notar este tipo de anormalidade na pele do animal, leve ele imediatamente para um profissional veterinário. Assim, vocês poderão avaliar a verruga e decidir qual o melhor tratamento.

Leia também: Como lidar com um cachorro doente? Veja nossas dicas

verrugas em cachorros

Cachorro sorrindo – Foto: Freepik

Adenoma Sebáceo

Ao contrário da papilomatose canina, o adenoma sebáceo é um tipo de verruga muito menos invasivo e agressivo, uma vez que ele tem mais chances de ser benigno (e não maligno). Afinal, aqui estamos falando de uma alteração nas glândulas sebáceas do animal, que geralmente acontece quando o cachorro vai ficando mais velho. Ou seja, ela é mais “natural” do que a verruga causada por infecções ou contágios.

Além disso, o adenoma sebáceo não é contagioso e pode aparecer em regiões com maior volume de “movimento”, como as articulações do cachorro (cotovelo, joelho, etc). Isto acontece pelo fato de que, conforme o cachorro vai ficando velho, suas glândulas sebáceas também vão envelhecendo. E os locais com maior movimento, neste caso, acabam sofrendo algumas alterações físicas, mas não revelam um problema grave ou complicado para o cachorro, tampouco gera desconforto.

No entanto, quanto este tipo de verruga surge na região dos olhos, é sim importante considerar um cuidado mais intenso e com ajuda de um veterinário. Afinal, o cachorro poderá perder muita capacidade de visão com algum tipo de anomalia ou mutação glandular na região dos olhos, pois um volume físico pode surgir ali, o que é ruim para o bem-estar do seu cãozinho.

Leia também: Cachorro com dor de barriga – Causas e sintomas

verrugas em cachorros

Tutora com o cachorro no colo – Foto: Freepik

É preciso procurar um veterinário para tratar verrugas em cachorros?

De maneira geral e como resposta primária, sim. Você sempre deve procurar um profissional veterinário para tratar qualquer problema relacionado ao seu cachorro. No entanto, isto não significa que você precisa se desesperar ao notar uma verruga no seu cachorro. Você deve se preocupar, sim. Mas não deve realizar nenhum tipo de tratamento caseiro, a fim de conter o problema o quanto antes.

Somente um profissional capacitado poderá realizar os exames necessários para entender se uma verruga é benigna ou maligna. Se for maligna, o cachorro será encaminhado para um tratamento adequado de acordo com a raça, peso e tamanho. Mas se a verruga for benigna, não há motivos para um tratamento mais invasivo e que gere ainda mais desconforto para o cachorro. No entanto, este diagnóstico somente poderá ser dado por um veterinário, ok?

Jamais submeta o seu cachorro a tratamentos caseiros e sem uma base científica, pois isto poderá afetar a saúde dele de diversas maneiras (inclusive, a saúde mental). Conte sempre com a ajuda de um veterinário e cuide do seu cãozinho!