Se você está ao lado do seu pet em todos os momentos, precisa aprender como evitar os erros mais comuns que as pessoas cometem ao viajar com animais de estimação.

É uma delícia ter os nossos amiguinhos sempre. E cada vez mais esses bichinhos são tratados como membros da família.

Sendo assim, é cada vez mais difícil deixar os pets em casa quando todo mundo sai de viagem E se este for o seu caso, você precisa saber como o seu animal precisa se comportar nesses momentos.

Mas tenha cuidado porque existem erros muito comuns que os tutores cometem quando saem para viajar com os seus animais. Continue lendo este texto para saber como evitar eles.

Confira os erros mais comuns de viajar com animais de estimação

Cachorro no carro com os donos. Foto Freepik

Se você está sempre com o pé na estrada com o seu pet, precisa aprender como evitar os erros mais comuns de viajar com animais de estimação.

A seguir falaremos sobre as maiores falhas dos viajantes e, mostraremos como você pode evitar cada um.

1. Desconhecer e desrespeitar as regras do local

Mesmo que você tenha encontrado um local super bacana, que recebe muitos animais a todo momento, ainda assim é preciso ter a noção de que o pet não pode fazer o que desejar.

Todos os estabelecimentos possuem regimentos internos, onde estão expressas as regras de convivência.

Os limites são impostos de acordo com a estrutura do local e, o quanto ele está preparado para receber animais de estimação.

O perfil das pessoas que frequentam o local, também deve ser levado em consideração sempre. Além disso, a maior parte dos estabelecimentos prefere prevenir situações desagradáveis.

Independentemente de você gostar ou não dessas regras, precisa respeitar todas elas. Por isso, antes de sair de casa e embarcar em uma viagem com o seu pet, certifique-se de ter conhecimento de todas as regras do lugar para onde irá.

2. Erros mais comuns de viajar com animais de estimação: não usar coleira

destinos para viajar com seu cachorro

Cão no porta malas – Foto: Freepik

Obviamente, se você viaja com o seu animalzinho de estimação, está em busca de fornecer a ele experiências agradáveis.

Nesse sentido, é muito legal ver o pet circular livremente por todos os lugares. Mas nem sempre isso é possível.

Tenha em mente que existem lugares próprios para isso, onde é realmente possível deixar o cão mais livre.

No entanto, em locais de convivência, onde passam muitas pessoas e circulam veículos e outros animais, tente respeitar o espaço de todos.

O mesmo serve para ambientes onde são servidas refeições. O problema é que por mais comportado que o cachorro seja, não tem como controlar completamente as atitudes dele nesses espaços.

Além disso, mesmo que o pet não cause problemas, deixá-lo solto pode intimidar e incomodar os demais frequentadores.

Lembre-se de que a convivência em grupo deve preconizar a segurança e a tranquilidade de todas as pessoas.

Sendo assim, a melhor forma de promover isso é deixar o seu mascote sempre preso em uma coleira segura e, que seja confortável para ele.

3. Deixar que o seu pet se aproxime de todos

destinos para viajar com seu cachorro

Cachorro na mochila – Foto: Freepik

É bem provável que você ame tanto o seu animalzinho de estimação, que acha que todo mundo tem o mesmo sentimento.

Mas tenha em mente que muita gente não se sente bem na presença dos animais e, inclusive, existem muitas pessoas que têm trauma.

Por isso, é muito importante respeitar uma certa distância, a não ser que a pessoa peça para se aproximar do animal.

Sendo assim, mesmo que você tenha total confiança no seu animalzinho e tenha a certeza de que ele é inofensivo, ninguém é obrigado a querer ele tão próximo.

Então, mais uma vez, mantenha o seu pet sempre na guia e, leve-o bem próximo de você. Não deixe a guia longa para evitar que ele fique cheirando e lambendo cada pessoa que encontrar pelo caminho.

4. Erros comuns ao viajar com animais de estimação: se comportar como se estivesse em casa

síndrome da ansiedade da separação

Cachorro na garupa do carro com seus donos. Foto: Freepik

Cada vez mais os cães são tratados como pessoas e, isso pode até parecer bacana quando você está em casa, mas não faça o mesmo em hotéis e outros locais para onde vocês viagem.

Se em casa o pet dorme na cama, participa das refeições à mesa e fica no sofá o dia todo, saiba que ele deve respeitar as regras do local quando estiver em um hotel.

Não se preocupe com o cachorro, uma vez que ele é capaz de aprender muitas coisas e se acostumar a modos de vida diferente.

Sendo assim, ele não vai sofrer se você o deixar dormir na cama. Nesse caso, monte uma caminha bem macia para ele. Assim ele ficará confortável e aquecido.

Além disso, leve tudo de que o animal possa precisar para não ter que usar nada do hotel. Isso inclui toalhas, tigelas de comida, de água e tapetes higiênicos, por exemplo.

5. Evite erros ao viajar com animais de estimação: não combinar o passeio com o perfil do pet

viajar com animais

Cachorro no banco da frente do carro. Foto Freepik

Se o seu pet será o seu companheiro no próximo passeio em família, quer dizer que ele também vai participar das atividades, não é mesmo?

No entanto, muitos viajantes se esquecem disso e acabam programando uma viagem que agrade a todas as pessoas do grupo, mas se esquecem dos animais de estimação.

Lembre-se de programar atividades das quais o seu pet também possa participar. Evite deixar o cão trancado no quarto durante muito tempo.

Inclusive, este é um grande problema nos hotéis pet friendly, pois os animais acabam ficando agitados, latem e choram bastante em alguns casos.

Afinal de contas, o quarto do hotel é um local desconhecido para o seu animalzinho e, ele não vai se sentir confortável por lá.

Se você for para a praia, por exemplo, deve se lembrar que não é em todos os locais que os animais são bem vindos.

Algumas faixas de areia não permitem a permanência de cães para evitar contaminações com urina e fezes.

Sendo assim, não cometa um dos erros mais comuns de viajar com animais de estimação e verifique se o animal é bem-vindo nos locais onde você vai.

6. Erros comuns ao viajar com animais de estimação de avião: esquecer a documentação sanitária

viajar com animais

Cachorro olhando a paisagem na janela doo carro. Foto Freepik

Para quem viaja de avião com um pet, é importantíssimo ter uma documentação sanitária para entrada em um país diferente.

No caso de viagens nacionais, basta que o animal tenha uma carteirinha com a vacinação em dia e, que possua um atestado veterinário.

Mas no caso das viagens internacionais, é preciso também ter o Certificado Veterinário Internacional (C.V.I) com o carimbo do Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil (MAPA).

Além disso, lembre-se de que cada país possui as próprias regras e, você deve consultar elas com bastante antecedência para evitar problemas quando for passear com o pet.

Preste atenção também a alguns detalhes fundamentais:

  • O nome do tutor deve ser exatamente igual em todos os formulários e documentos;

  • O nome do animal deve ser idêntico na carteirinha de vacinação e no comprovante de microchip;

  • As datas devem ser corretas e, tudo deve estar dentro do prazo estabelecido;

  • A documentação precisa ser original;

  • Assine preferencialmente com tinta azul;

  • Toda a documentação do veterinário deve estar em papel timbrado e com carimbo e nome correto.

7. Não ter cuidados com a caixa de transporte

viajar com animais

Caixa de transporte – Foto: Freepik

Para não cometer erros comuns ao viajar com animais de estimação, você deve ter a máxima atenção ao tipo de caixa de transporte do pet.

Este é um tema um pouco delicado, uma vez que o bem estar do pet também depende muito dos funcionários que o manipulam.

De qualquer forma, cabe ao tutor prezar por adquirir uma caixa de tamanho adequado e, que seja confortável para o animal.

Para evitar problemas na hora do check-in, veja alguns pontos a seguir:

  • A caixa deve ser alta o suficiente para que o pet fique em pé sem que a sua cabeça toque o teto;

  • Ele deve ser capaz de se movimentar no interior da caixa, dando uma volta em torno de si mesmo;

  • Focinho, rabo e batas não podem ficar para fora da caixa;

  • O animal deve caber confortavelmente deitado no interior da caixinha.

Alguns animais podem ir na cabine junto com o tutor, mas nesse caso é preciso garantir que não se ultrapasse o peso máximo permitido pela companhia. Nesse caso, se pode usar uma caixa de transporte de tecido se isso for mais confortável.

Fique atento porque em viagens internacionais se pode usar somente caixas rígidas, que sejam de metal ou de madeira e que sigam as regras do IATA (International Air Transport Association).

Para evitar erros e problemas na hora do embarque, verifique se a marca e o modelo escolhido seguem essa norma. Nem todos os produtos disponíveis possuem a certificação.

8. Não ficar de olho no comportamento do pet no aeroporto

Quando se fala em viajar de avião com um pet, sobretudo com um cão, é preciso estar atento a todas as regras locais para evitar maiores problemas.

Você deve ficar atento e ter bom senso com um animal agitado, que esteja latindo, rosnando, miando ou fazendo qualquer tipo de barulho.

É claro que isso depende bastante das pessoas que estão ao seu redor, mas de qualquer forma, deve-se evitar incomodar os outros passageiros.

Muitas pessoas chegam até mesmo a serem convidadas a se retirar do voo e esperar por um próximo.

Ninguém quer que isso aconteça, não é mesmo? E para evitar isso, a adaptação do animal é a melhor estratégia.

Se possível, comece a acostumar o seu pet a uma caixa de transporte desde os primeiros meses de vida.

Mas mesmo que ele já seja adulto, não se preocupe. Dê algumas voltinhas de carro com ele. Assim ele vai percebendo que a caixa não apresenta nenhum risco ou incômodo.

Além disso, você pode deixar a caixinha disponível o tempo todo em algum lugar da casa e colocar uma coberta bem macia nela. Você também pode colocar petiscos que estimulem o animal a entrar e permanecer ali.

9. Evite erros de viajar com animais de estimação: dar alimentação no percurso

Quando você for viajar com o seu animal de estimação, é importante evitar a alimentação um pouco antes.

Preferencialmente, o pet deve se alimentar quatro horas antes da viagem e, a água deve ser ingerida no máximo uma hora antes.

E mesmo que o seu animalzinho esteja agitado, evite oferecer petiscos ou fazer uma parada para dar comida para ele.

Justamente por essa questão, não se aconselha fazer viagens longas demais, justamente para que o pet não precise se alimentar e nem beber água no meio do percurso.

Viajar com animais – 10. Fazer viagens longas e sem pausas

Quando você for fazer longos percursos com o pet, deve parar o carro pelo menos de hora em hora para ver se o animal precisa fazer xixi ou cocô.

Se você perceber que o animal está com muita sede, ofereça um pouco de água, mas evite grandes quantidades.

Além disso, evite as viagens muito longas. Procure não ultrapassar 6 horas por dia. Então, antes de sair, já programe pontos de parada, onde vocês possam ficar em um hotel que aceite animais.

Viajar com animais – 11. Esquecer os pertences do cão

Para evitar cometer erros na hora de viajar com os seus animais de estimação, é preciso lembrar de levar todos os pertences do pet.

Os animais são bem sensíveis a mudanças de ambiente e, para eles é extremamente importante ter as suas próprias coisas por perto.

Brinquedos, cobertas, caminha, potes de comida e de água são alguns dos itens mais importantes para se levar na viagem.

12. Manter a temperatura ambiente errada

Nem muito frio e nem muito quente. Você deve ligar o ar condicionado do veículo em uma temperatura que deixe o seu pet bem confortável.

Observe sempre como o pet está e, tente encontrar sinais de que ele possa estar com frio ou com calor.

Conclusão

Pronto! Agora você já sabe como evitar os erros mais comuns de viajar com animais de estimação e, não vai cometer gafes no próximo passeio de vocês.