Neste ponto da vida do seu cão, você certamente notou sinais de envelhecimento. A partir dos 10 anos, até o mais animado Terrier começa a apresentar alguns sinais de que é um cachorro idoso.

Os sinais menos óbvios ocorrem em cães menores, mas se você for um bom observador, irá notá-los. Os sinais mais óbvios, por outro lado, ocorrem em cães maiores. Dependendo da raça e do peso, a faixa etária de 10 a 12 anos é considerada a transição para a velhice.

Com que idade o cachorro torna-se idoso?

Cachorros segurado pelo dono

Cachorros segurado pelo dono – Foto: Freepik

Presume-se que o cão torna-se um idoso aos sete anos. A verdade, porém, é um pouco mais complicada. Diferentes raças de cães envelhecem em taxas diferentes, o que também está associado à expectativa de vida.

Cães pequenos, chegando aos quinze anos de idade, podem ainda ser vigorosos por volta dos dez anos, enquanto cães de médio e grande porte provavelmente já mostrarão sinais de velhice.

Por outro lado, cães de raças grandes, especialmente molossianos, ou seja, cães com peso até mais de 50 kg, têm probabilidade de viver apenas cerca de nove anos.

O processo de envelhecimento de um cão também é influenciado por outros fatores, como a qualidade de vida atual, doenças, bem como condições individuais, muitas vezes herdadas dos pais. Então, como você reconhece o momento em que seu cão se torna um idoso? Quais são os primeiros sinais de envelhecimento?

Assim como os cachorros têm comportamentos específicos, o cachorro idoso também têm alguns comportamentos específicos da idade. Eles resultam de processos de envelhecimento não apenas do corpo, mas também do cérebro de nossos amigos de quatro patas.

Aqui estão alguns sinais de envelhecimento em cães que são causados ​​pelo envelhecimento no cérebro canino, às vezes chamado de “demência canina”.

1. Confusão

Cachorro deitado na grama de língua pra fora

Cachorro deitado na grama de língua pra fora – Foto: Freepik

Um dos sinais da velhice nos cães pode ser a perda de consciência do ambiente. Cães com demência costumam apresentar comportamentos como ficar preso entre os móveis, ter problemas para contornar objetos no chão ou tentar sair de uma porta pelo lado da dobradiça.

O cachorro idoso também podem olhar fixamente para a parede, chão ou apenas para o nada, e podem se perder em sua própria casa ou jardim. Às vezes eles não reconhecem pessoas ou cães que conhecem.

2. Problemas de interação com outros cães ou pessoas

Problemas com o reconhecimento de pessoas e cães também podem fazer com que o vira-lata anteriormente amigável se comporte agressivamente ou mostre medo em relação a eles. Além disso, sua disposição de estabelecer contato próximo com outros cães ou pessoas pode diminuir drasticamente.

Sob a influência da idade avançada, os cães podem mudar de abraços agradáveis para empurrões nada sensíveis.

3. Mudanças no ciclo circadiano

Outro sinal de envelhecimento em cães é um distúrbio comum do ciclo circadiano (é o período de cerca de 24 horas sobre o qual o ciclo biológico de quase todos os seres vivos se baseia). Cães dementes podem ficar extremamente agitados durante a noite, girar sem rumo ao redor de uma sala e até latir sem motivo.

4. Problemas de aprendizagem no cachorro idoso

Cachorro deitado com fundo branco

Cachorro deitado com fundo branco – Foto: Freepik

Alguns cães mais velhos não lutam apenas para aprender novos truques. Eles também podem esquecer o significado dos comandos que executaram sem problemas na juventude.

O cachorro idoso também pode esquecer de sinalizar suas necessidades fisiológicas e começar a fazer suas necessidades no lugar errado novamente.

5. Mudança de atividade

O cachorro idoso tende a se interessar menos em explorar seus arredores, brinquedos, membros da família e outros cães. Ele pode, no entanto, apresentar comportamentos mais repetitivos, como lamber a pata, girar e morder o pelo.

Às vezes, ele também mostra aumento de atividade, consistindo em vagar sem sentido pela casa.

6. Ansiedade

O cachorro idoso pode repentinamente começar a mostrar sinais de ansiedade de separação, embora nunca tenha tido esse problema antes. Ele também podem se tornar inesperadamente mais sensível a sons ou objetos em movimento. Acontece também que um vira-lata com demência começa a temer lugares desconhecidos ou até mesmo sair para passear.

Como é o desenvolvimentos mental e físico do cachorro idoso?

Cachorro com língua pra fora

Cachorro com língua pra fora – Foto: Freepik

Um cão entre os 10 e os 12 anos, pelo seu tamanho e condições, equivale a uma pessoa entre os 60 e os 90 anos.

Você já deve ter percebido que seu cão está ficando mais lento. Ele ainda pode gostar de longas caminhadas, mas não estará tão enérgico quanto antes.

Você deve ter notado que ele dorme mais ou demora mais para acordar e responder aos comandos. Visitas regulares ao veterinário podem ajudá-lo a entender se esses são sinais normais de envelhecimento ou alguns sintomas de doença.

Mas lembre-se: mesmo que seu cão não seja mais jovem, ele precisa de bastante atividade para se manter em forma física e mental.

Mudanças comportamentais no cachorro idoso

Cãozinho olhando foto

Cãozinho olhando foto – Foto: Freepik

Neste ponto da vida do seu cão, é importante observar as mudanças comportamentais. Alguns são normais com a idade, outros podem indicar problemas de saúde. Por exemplo, um cão que não gosta mais de pular ou subir escadas pode ter dores ou rigidez nas articulações.

Cães com temperamento moderado que começam a mostrar sinais de agressão podem ficar doentes ou apresentar sinais de demência. As causas desses sintomas podem ser tratadas. O importante, entretanto, é observar as mudanças de comportamento do cão e discuti-las com o veterinário.

Preste atenção ao comportamento do cão com crianças. Nessa idade, por um lado, ele pode se tornar menos tolerante com elas, reagindo negativamente aos seus gritos e movimentos bruscos.

Se você tiver outros cães em casa, tome cuidado com a luta pela posição dominante do cão. Conforme o cão envelhece, sua posição na hierarquia pode mudar, resultando em conflito. Essa mudança pode se tornar evidente quando os cães competem por sua atenção, cumprimentam visitantes ou guardam seus alimentos e brinquedos.

Saúde e nutrição do cachorro idoso

Cachorro olhando para baixo

Cachorro olhando para baixo – Foto: Freepik

Uma das coisas que precisa ser mudada no cuidado de um cachorro idoso é sua dieta. Os cães idosos não precisam de tanta proteína quanto os animais mais jovens.

Sua necessidade de carboidratos também é reduzida, e seu excesso pode ser particularmente prejudicial para um cachorro idoso. Isso porque o excesso desse nutriente na dieta pode levar a um rápido aumento do peso corporal do animal, que já apresenta problemas de articulações e movimentos devido aos processos naturais de envelhecimento do corpo.

No entanto, vale a pena enriquecer a dieta do animal com mais vitaminas e minerais, necessários para a boa saúde do cão, bem como cuidar de uma grande quantidade de fibras, por exemplo, adicionando vegetais e frutas adequadas para o animal, bem como aveia ou arroz integral à ração.

A carne adequada para um cachorro idoso é peixe ou peru, que contém proteínas de fácil digestão para o cão. Os alimentos também devem ser enriquecidos com ingredientes antienvelhecimento, principalmente os ácidos graxos ômega-3 e ômega-6.

Como você lida com a falta de apetite de um cachorro idoso?

Cachorro cheirando a ração

Cachorro cheirando a ração – Foto: Freepik

Experimente mudar para comida molhada. Se você não notar nenhuma melhora, leve seu cão ao veterinário. A falta de apetite em um cachorro idoso pode ser um sintoma de uma doença.

O apetite dos cães é estimulado pelos cheiros. Infelizmente, à medida que envelhecem, os receptores olfativos se tornam menos sensíveis, então a comida de cachorro não é mais tão atraente quanto costumava ser. Uma boa forma é aquecer ligeiramente a comida.

O tipo de alimento que não é apropriado para a idade do cão também pode estar causando o problema. Os cães que não conseguem morder (dentes faltando ou periodontite) devem ser alimentados com comida úmida ou comida seca embebida em água.

Como cuidar de um cachorro idoso?

Além das mudanças na nutrição do seu animal de estimação, também vale a pena cuidar das necessidades de um cão mais velho de uma forma diferente.

Atividade para o cachorro

2 pessoas passeando com cachorro

2 pessoas passeando com o cachorro – Foto: Freepik

O movimento do cachorro também é importante. Correr, longas caminhadas, pular e assim por diante… Um cão que está “em forma” certamente tem melhores chances de saúde na velhice do que um cão gordo.

Quando percebemos sinais de envelhecimento em um cão, vale a pena encurtar um pouco as caminhadas para não cansar o animal. No entanto, é uma boa ideia aumentar sua frequência.

Um cachorro idoso com dificuldades de locomoção pode ter dificuldade em suportar uma viagem de meia hora, mas caminhadas regulares ajudam. Além disso, a atividade física adequada à idade do animal irá ajudá-lo a manter o peso adequado, aliviando assim as articulações e facilitando a movimentação do animal.

Os jogos educativos também são muito importantes. Exercitar a mente reduz o risco de doenças relacionadas às habilidades do cérebro. É o mesmo com os cães.

Portanto, se queremos que nosso cão seja saudável fisicamente e mentalmente pelo resto de sua vida, vamos começar os exercícios mentais o mais rápido possível. Existem muitos brinquedos educativos diferentes no mercado. Também podemos criar os jogos.

Cheirar é muito importante para cães mais velhos, especialmente se eles têm problemas de visão (isso geralmente aguça o olfato do cão). Esses tipos de entretenimento não requerem muita energia ou movimento e certamente ajudarão seu cão a se sentir bem.

Leve o cachorro ao veterinário

Veterinário segurando o cão

Veterinário segurando o cão – Foto: Freepik

Cuidar de um animal de estimação mais velho não precisa ser difícil, embora às vezes possa causar muita preocupação. Ter um cão demente em particular pode ser estressante para o dono de tal animal.

O cachorro idoso também devem ser submetidos a check-ups preventivos regulares no veterinário, incluindo exames de sangue e verificação do estado geral do cão.

O cachorro idoso também deve ser monitorado cuidadosamente. A velhice está associada a muitas doenças e o que consideramos no início um sintoma de nosso animal de estimação entrar na velhice pode na verdade ser algo muito mais perigoso.

Com a idade, deve-se prestar mais atenção também aos dentes do cão, que na velhice têm uma tendência especial a cair.

Alguns dos sinais de envelhecimento em cães podem ser muito perturbadores, por isso vale a pena levar seu animal ao veterinário. Ele determinará se a condição do cão é grave ou requer cuidados especiais e, em uma situação específica, recomendará suplementação ou medicação adequada.