Castração de cachorro: Principais dúvidas

Tire suas dúvidas sobre a castração de cães

por Rodrigo Amar — publicado 12 jul 2019 - 16:39

Castração de cachorro, também conhecida como esterilização ou pelo seu nome veterinário correto: orquiectomia (também denominada gonadectomia), é a remoção cirúrgica dos testículos de um cachorro macho para fins de controle populacional canino, benefício de saúde médica, controle de doença genética e modificação comportamental.

A esterilização de cães machos é um procedimento cirúrgico comum que é realizado pela maioria das clínicas veterinárias em todo o mundo.

O que é castração de cachorro?

castração de cachorro

A castração de cachorro é a remoção cirúrgica dos testículos de um cão macho. Assim, durante o procedimento, cada um dos testículos do cão e os epidídimos testiculares são removidos juntamente com seções dos vasos sanguíneos testiculares do cão e ductos espermáticos (ducto deferente ou canal deferente).

O restante das estruturas do trato reprodutivo do cão macho, incluindo: próstata, uretra, pênis e grande parte dos vasos sanguíneos testiculares do cão e ductos espermáticos permanecem intactos. Em resumo, as partes do trato reprodutivo masculino que são removidas são aquelas responsáveis ​​pela produção de espermatozoides, a maturação dos espermatozoides e a secreção de testosterona (o principal hormônio masculino).

cachorro

A remoção destas estruturas desempenha um grande papel no controle da população canina, controle de doenças genéticas (cães machos com distúrbios genéticos não podem transmitir suas doenças a nenhum jovem se não puderem se reproduzir), prevenção e/ou tratamento de vários distúrbios médicos (por exemplo, castração previne e/ou trata várias doenças testiculares e condições médicas aumentadas de testosterona) e modificação comportamental do cão macho.

Benefícios da castração de cachorro

Há muitas razões pelas quais veterinários e grupos de defesa de animais recomendam a castração de cachorros. Muitas dessas razões estão listadas abaixo.

1. Prevenção de ninhadas indesejadas

dog

A superpopulação de animais de estimação e o despejo de ninhadas indesejadas de cachorros é um efeito colateral muito comum da posse irresponsável de animais de estimação. Assim, todos os anos, milhares de cachorros indesejados e cães mais velhos são jogados na rua ou entregues aos abrigos. Muitos desses animais nunca são adotados e acabam sendo sacrificados. Mas este triste desperdício de vida saudável pode ser reduzido através da castração de cachorros.

2. Reduzir a propagação de doenças genéticas e deformidades congênitas:

A criação de cães não é apenas a produção de filhotes, é a transferência de genes e características genéticas de uma geração para outra em uma população de raças.

Cães machos com doenças genéticas hereditárias e defeitos/deformidades congênitos devem ser desalinhados para reduzir a disseminação dessas doenças genéticas para seus filhos.

Alguns exemplos de doenças hereditárias comprovadas ou hereditárias suspeitas que escolhemos contra a escolha de cães machos neutros incluem:

  • Displasia da anca
  • Displasia do cotovelo
  • Hemeralopia
  • Síndrome de neutrófilos aprisionados
  • Anomalia
  • Cataratas congênitas

3. Prevenção ou redução de doenças testiculares:

É difícil contrair uma doença testicular se o animal não tiver testículos. Sendo assim, a castração de cachorro evita que os cães contraiam uma variedade de doenças e distúrbios, incluindo:

cachorro
  • Câncer testicular
  • Câncer
  • Orquite (inflamação testicular)
  • Epididimite
  • Torção testicular
  • Abscesso testicular
  • Trauma testicular

4. A prevenção ou redução de doenças induzidas por testosterona

Os cães podem sofrer de uma variedade de doenças e condições médicas. Estas condições de doença incluem:

  • Hiperplasia benigna da próstata (HBP)
  • Prostatite
  • Abscesso prostático
  • Adenomas perianais ou perineais (pequenos cânceres que ocorrem em torno do ânus de cães machos)
  • Hérnias perineais e certos distúrbios cutâneos responsivos à castração (dermatoses)

5. A prevenção ou redução de problemas comportamentais mediados por testosterona:

dog

Os testículos são responsáveis ​​pela produção de testosterona (hormônio que faz os machos parecerem e agirem como animais machos). Pois os testículos que fazem com que os machos exibam os tipos de comportamentos “masculinos” dependentes da testosterona.

Cães que não são castrados tendem a ser mais agressivos, mais dominantes e mais propensos à agressão entre machos do que animais castrados: isto é, eles agem como machos mandões.

Eles tendem a exibir comportamentos sexualizados, incluindo:

  • Interesse despertado em fêmeas de sua própria espécie
  • Acasalamento de fêmeas;
  • Montagem de objetos inanimados (incluindo brinquedos, pernas de cadeira e pernas humanas) e completa ereção do pênis quando excitado.
  • Eles são mais propensos a exibir comportamentos territoriais masculinos, muitas vezes indesejados, como a guarda de recursos (comida, ossos, território, companheiros e animais de estimação etc.) e a marcação do território com urina e fezes.
  • Além disso, animais machos que não são castrados são mais propensos do que animais castrados a abandonar seus quintais e vagar pelo campo em busca de fêmeas e problemas.

Castrar ou não?

castração de cachorro

A castração de cachorro é uma operação que requer anestesia geral. Ambos os testículos são removidos. Sendo assim, como em todas as operações, as vantagens e desvantagens devem ser consideradas cuidadosamente antes de decidir. Seu próprio veterinário é a melhor pessoa para aconselhá-lo sobre o seu cão em particular, mas os seguintes conselhos gerais também podem ajudar.

As principais desvantagens de ter o seu cão castrado são os riscos associados a qualquer anestesia geral e qualquer operação, mas estes são riscos muito pequenos quando comparados com os benefícios potenciais.

Os donos de cachorros sempre perguntam se o caráter de seu cão será modificado pela castração. Na minha opinião, é inalterado, a menos que seja uma mudança para melhor (como em certos comportamentos mencionados acima). Outra preocupação comum é que um cão fique com sobrepeso e letárgico após a castração, mas isso é 100% evitável com a dieta e exercícios corretos.

Decidindo quando castrar

A melhor idade para castrar depende da razão para fazê-lo. Então, se for um procedimento planejado, pode muito bem ser realizado aos 7-12 meses de idade. Mas se a castração de cachorro é aconselhada por razões de comportamento, pode não ser necessária até os 1-2 anos de idade. Quando a castração de cachorro é realizada mais tarde na vida, as mudanças positivas podem não ser tão grandes, mas seu cão nunca é velho demais para castrar se houver uma razão médica para isso, como um tumor testicular.

Antes da operação de castração de cachorro

Seu veterinário vai querer verificar se seu cão está com boa saúde geral, se tem o peso correto e se tem dois testículos totalmente descendentes no escroto.

Outra maneira importante de minimizar os riscos é fazer um exame de sangue antes do anestésico. Isso pode ser feito no dia da operação ou alguns dias antes. Isto é usado para verificar a função do fígado e dos rins (ambos vitais quando se lida com drogas anestésicas) e para descartar quaisquer doenças insuspeitadas.

Antes de ir para a cirurgia

cirurgia de castração

Antes de qualquer anestésico, o cão deve passar fome por algumas horas, de acordo com as instruções da cirurgia. O estômago vazio impede qualquer problema de vômito, o que pode ser perigoso. Também é uma boa ideia permitir que seu cão faça exercícios suficientes para esvaziar a bexiga e os intestinos. Além disso, é melhor ficar o mais próximo possível das rotinas normais do dia para que o cão não se sinta ansioso.

Recuperação de castração de cachorro

Seu cão será colocado em uma cama e assistido de perto durante a recuperação. A maioria dos cães se sentirá muito sonolento no início e dormirá com os efeitos do anestésico. Seu cão só poderá voltar para casa quando estiver acordado o suficiente para ficar em pé e andar sem ajuda.

Os efeitos da castração de um cachorro podem levar algumas semanas para serem vistos. Se o seu cachorro está sendo castrado para evitar a reprodução, é importante perceber que ele ainda pode estar fértil por um tempo após a castração.

Artigos Relacionados

Cachorro pode comer peixe?

por Handreza Hayran — publicado 11 out 2019 - 9:45

cachorro pode comer peixe

Os benefícios do óleo de salmão para cães e do óleo de fígado de bacalhau, entre outros, estão se tornando mais conhecidos. Mas o cachorro pode comer peixe? Que tipos de peixe são bons para cães? Bacalhau e sardinha são bons para cães? Posso dar ostras para um cachorro? Como dar a eles? Devem ser cozidos ou, pelo contrário, podem ser comidos crus?

Sem dúvida, essas são apenas algumas das dúvidas que nos atormentam quando decidimos embarcar em comida caseira para cães.

 » Read more about: Cachorro pode comer peixe?  »

Quais as diferenças entre cães e lobos?

por Handreza Hayran — publicado 11 out 2019 - 9:45

cães e lobos

O cão é considerado o melhor amigo do homem, mas este não é o caso do lobo. Embora eles tenham ancestrais em comum, eles têm grandes diferenças. Diferenças menos importantes no caso de cães nórdicos ou híbridos, é claro, mas a linha que separa os cães dos lobos ainda é bastante acentuada. Por isso, explicaremos quais são as diferenças entre cães e lobos.

Lobos e cães são da mesma espécie, mas…

Você sabia que cães e lobos pertenciam à mesma espécie?

 » Read more about: Quais as diferenças entre cães e lobos?  »

Epilepsia em cães: Sintomas, diagnóstico e tratamento

por Handreza Hayran — publicado 11 out 2019 - 9:45

epilepsia em cães

A epilepsia em cães é uma doença que, mesmo que seja compatível com a vida do animal, é uma grande preocupação e choque para as pessoas que fazem parte de sua vida. Mas não se preocupe, há muitas pessoas que estão na mesma situação que você!

Neste artigo apresentamos as chaves para entender a doença, seu tratamento e algumas dicas básicas sobre como lidar com a crise.

Lembre-se de que muitos outros cães sofrem desta doença no mundo e podem viver da melhor maneira possível com guardiões como você,

 » Read more about: Epilepsia em cães: Sintomas, diagnóstico e tratamento  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Cachorro pode comer peixe?

por Handreza Hayran — publicado 11 out 2019 - 9:45

cachorro pode comer peixe

Os benefícios do óleo de salmão para cães e do óleo de fígado de bacalhau, entre outros, estão se tornando mais conhecidos. Mas o cachorro pode comer peixe? Que tipos de peixe são bons para cães? Bacalhau e sardinha são bons para cães? Posso dar ostras para um cachorro? Como dar a eles? Devem ser cozidos ou, pelo contrário, podem ser comidos crus?

Sem dúvida, essas são apenas algumas das dúvidas que nos atormentam quando decidimos embarcar em comida caseira para cães.

No entanto, saiba que não é recomendável misturar alimentos industriais com alimentos naturais no mesmo prato. Sendo assim, é necessário oferecê-los separadamente e em momentos diferentes da refeição.

Isso se deve ao fato de que esses produtos seguem processos digestivos completamente diferentes. Portanto, alimentar o cão com ambos os alimentos ao mesmo tempo pode desenvolver sérios problemas de saúde, como torção gástrica.

Se você deseja respostas para todas as suas perguntas, leia e descubra no Portal do Dog. O cachorro pode comer peixe?

O cachorro pode comer peixe?

De fato, o peixe é bom para os cães. E, apesar das crenças populares sobre o consumo desse produto, nenhum dos cães geralmente apresenta sinais de intoxicação, com exceção da alergia aos peixes.

Assim, podemos oferecer aos nossos cães qualquer tipo de peixe. Isso porque cada um oferece benefícios diferentes e propriedades interessantes para o bom desenvolvimento de cães, como bacalhau, salmão ou sardinha.

cachorro pode comer peixe

Foto: Freepik

No entanto, sabendo que os peixes gordurosos contêm uma ingestão calórica mais alta que os peixes brancos, se, por exemplo, seu cão precisar perder peso, é muito mais recomendável optar por peixes brancos em vez de peixes oleosos.

Além disso, essa ingestão calórica mais alta também se traduz em uma porcentagem maior de ácidos graxos ômega-3, tornando os peixes gordurosos mais adequados para melhorar os pelos de cães, proteger o sistema imunológico e impedir o aparecimento de doenças cardiovasculares.

Como os cães são animais carnívoros, nos quais a ingestão de proteínas deve ocupar a maior porcentagem de sua dieta total, recomenda-se o consumo de carne e peixe.

O importante quando decidimos nos aventurar no desenvolvimento de uma dieta caseira para nossos animais é cobrir todas as suas necessidades nutricionais. Então é importante manter um equilíbrio adequado entre fósforo e cálcio e trabalhar com produtos de qualidade.

Agora, embora todos os peixes sejam bons para cães, é verdade que alguns deles se distinguem dos outros pelos benefícios que oferecem aos nossos cães. Assim, os peixes mais recomendados para cães são:

  • salmão
  • atum
  • sardinhas
  • merluza

Benefícios do peixe para o cachorro

Como vimos, o peixe branco e o oleoso têm grandes benefícios para o cão, por isso é mais do que aconselhável incluí-lo em sua dieta. Mas quais são exatamente esses benefícios?

Sem dúvida, o primeiro deles, comum nos dois tipos de peixes, é o alto consumo de proteínas.

cachorro pode comer peixe

Foto: Freepik

Como já dissemos, os cães são carnívoros por natureza e precisam de proteína animal para se manterem saudáveis ​​e fortes. Isso porque sem eles, seu corpo não poderia produzir as enzimas, hormônios, tecidos e células necessários ao seu bom funcionamento.

Em relação ao restante das propriedades de peixes para cães, detalharemos de acordo com o tipo de peixe:

Benefícios do peixe branco para o cachorro (bacalhau, pescada, pollock)

O peixe branco, distingue-se do peixe oleoso, principalmente pela porcentagem de gordura e, portanto, de ácidos graxos em sua composição, muito mais baixa para o peixe branco.

Em geral, 100 gramas de peixe branco fornecem cerca de 110 kcal, por isso é muito benéfico para cães com sobrepeso ou obesos, que precisam de uma dieta especial para perder peso.

Da mesma forma, o peixe branco também é um produto recomendado para cães mais velhos, tanto por seu teor de proteínas quanto por sua baixa ingestão calórica e outros benefícios mencionados abaixo.

cachorro pode comer peixe

Foto: Freepik

O peixe branco também é uma excelente fonte natural de vitaminas B. Sendo as vitaminas B3, B9 e B12 as mais importantes e vitamina A.

Além disso, fornece aos cães uma quantidade considerável de minerais essenciais para o seu desenvolvimento adequado, como cálcio e fósforo, mencionado acima.

Como indicamos, manter o equilíbrio entre esses minerais é essencial para evitar a deficiência de um deles, porque se o corpo do cão detectar que, por exemplo, ele precisa de mais cálcio, ele tenderá a extraí-lo de seus próprios ossos, algo totalmente contraproducente e perigoso para a saúde do cão.

Assim, ao oferecer esse alimento ao nosso cão, não apenas evitamos essa situação, mas também promovemos seu sistema ósseo e ajudamos a impedir o desenvolvimento de doenças relacionadas como osteoporose, artrite ou osteoartrite.

Benefícios do peixe oleoso para cães (sardinha, salmão, atum)

Os peixes oleosos, diferentemente dos peixes brancos, têm um alto teor de gordura. No entanto, as gorduras encontradas neste tipo de peixe são ácidos graxos ômega 3.

Assim, vemos que esses peixes representam uma das melhores fontes naturais de ômega 3, uma substância muito benéfica para os cães. Esses ácidos graxos melhoram a saúde dos pelos do animal, aumentam seu brilho, aumentam sua suavidade e restauram a vitalidade de seu pelo.

cachorro pode comer peixe

Foto: Freepik

Da mesma forma, o ômega 3 têm a capacidade de proteger o animal contra possíveis doenças cardiovasculares que podem se desenvolver porque reduzem significativamente a formação de placas nos vasos sanguíneos.

Por outro lado, também possui importantes propriedades anti-inflamatórias, indicadas para cães com dor nas articulações, como a artrite canina.

Além de seu conteúdo de ômega 3, o peixe oleoso é bom para os cães pela variedade de vitaminas que o compõem. Sendo as vitaminas mais importantes D, A, B12, B3, B2 e B1.

O ideal é oferecer salmão, porque é o peixe oleoso que mais favorece a saúde dos cães, mas sardinha e atum também são recomendados.

Cachorro pode comer peixe? Deve ser peixe cru ou cozido?

Agora que você sabe que o cachorro pode comer peixe e quais são os benefícios, é hora de falar sobre as diferentes maneiras pelas quais você pode oferecer este produto e incluí-lo na dieta diária do cão.

Nesse sentido, o ideal e o mais aconselhável é cozinhar o peixe com antecedência e remover todas as bordas, pois dessa forma conseguimos eliminar todos os tipos de bactérias. Para fazer isso, é melhor ferver ou grelhar o peixe, nunca frito ou empanado.

cachorro pode comer peixe

Foto: Freepik

No entanto, para preservar todas as suas propriedades intactas, é necessário cozinhar o peixe a uma temperatura baixa, sem exceder 70 graus, e deixá-lo semi-cozido, para que fique selado por fora e levemente cru por dentro.

Depois que o peixe estiver cozido, espere esfriar antes de desintegrar e servir com um jato de azeite.

Você também pode oferecer atum enlatado orgânico (sem sal, sem agentes químicos e sem gordura) de tempos em tempos.

Por outro lado, também podemos oferecer, de tempos em tempos, versões de conservas de peixe, sempre naturais ou com azeite. Atum em conserva é um exemplo.

Cachorro pode comer peixe? Quanto peixe devo dar ao meu cachorro?

Existe controvérsia quanto à quantidade exata de proteína que um cão deve consumir por dia. Pois alguns profissionais dizem que ela deve estar em torno de 80%, enquanto outros sugerem que o ideal é 70%.

Recomendamos que você tente as duas porcentagens e determine por si mesmo o que é melhor para o seu cão. De qualquer forma, os 30 ou 20% restantes devem ser ocupados com frutas e verduras recomendadas para cães, e até cereais. Isso uma vez por semana.

Mas não é aconselhável dar peixe ao cão todos os dias, lembre-se de que comer carne, como frango ou peru, é essencial para manter sua saúde em perfeitas condições, exceto para cães alérgicos a certos tipos de carnes.

Sendo assim, você pode reservar dois dias por semana, por exemplo, para a preparação de receitas com peixe.

Posso misturar o peixe com outros alimentos?

cachorro pode comer peixe

Foto: Freepik

Claro, desde que você mantenha as proporções indicadas. Dessa forma, você pode combinar o peixe com pedaços de legumes cozidos, como cenoura ou abóbora, ou com um pouco de arroz cozido.

Mas se você está se perguntando se pode misturar peixe com ração de cachorro, a resposta é NÃO.

Como já mencionamos, os alimentos naturais e os chamados alimentos industriais requerem diferentes processos digestivos e tempo. Portanto, oferecê-los ao mesmo tempo pode causar sérios problemas de saúde e danificar o sistema digestivo do animal.

Posso dar ostras para um cachorro?

E frutos do mar? Posso dar ostras para um cachorro? Os frutos do mar não são basicamente tóxicos para o cão. Mas tenha cuidado, pois a maioria dos cães é alérgico ou intolerante a frutos do mar e ostras. Por isso, ostras não são recomendadas para cães.

Quais as diferenças entre cães e lobos?

por Handreza Hayran — publicado 11 out 2019 - 9:45

cães e lobos

O cão é considerado o melhor amigo do homem, mas este não é o caso do lobo. Embora eles tenham ancestrais em comum, eles têm grandes diferenças. Diferenças menos importantes no caso de cães nórdicos ou híbridos, é claro, mas a linha que separa os cães dos lobos ainda é bastante acentuada. Por isso, explicaremos quais são as diferenças entre cães e lobos.

Lobos e cães são da mesma espécie, mas…

Você sabia que cães e lobos pertenciam à mesma espécie? Ambos são membros da Canis lupus, uma espécie à qual todos os lobos pertencem, bem como o cão doméstico, cujo nome latino é Canis lupus familiaris.

A espécie de Canis lupus é formada por diferentes tipos de lobos, por exemplo:

  • O lobo euro-asiático
  • O lobo ibérico
  • O lobo russo

Embora a espécie seja a mesma, essa classificação de subespécies nos mostra a diferença entre o cão doméstico e o lobo atual. E essas diferenças se devem principalmente ao processo de domesticação implementado em cães, o que não é natural nos lobos e causou grandes diferenças fisiológicas entre os dois.

As diferenças físicas entre cães e lobos

cães e lobos

Foto: Freepik

  • Diversidade de tamanhos. O tamanho do lobo varia muito pouco de um espécime para outro, enquanto em cães há grandes diferenças de tamanho entre certas raças.
  • Focinho. Muitas raças caninas têm focinho curto, o focinho dos lobos sempre será alongado.
  • Orelhas.  Algumas raças de cães podem ter orelhas caídas, isso nunca será o caso de lobos que têm todas as orelhas levantadas quando adultos.
  • Pelagem. O lobo tem pelagem mais curta e cores menos variadas que o cachorro.
  • Estômago. Tanto o cão quanto o lobo são carnívoros. No entanto, devido à domesticação e à dieta variada dos cães, certas mudanças fisiológicas no sistema digestivo foram observadas ao longo dos anos. A adição de carboidratos à dieta do cão permitiu que eles digerissem amido, algo que não é possível para um lobo que terá problemas para absorver nutrientes de muitos alimentos para cães.
  • Dentes. Tanto os lobos quanto os cães têm o mesmo número de dentes, mas eles, junto com o crânio e a mandíbula, são maiores e mais fortes no lobo.
  • Face. Os cães têm rostos mais redondos e olhos maiores que os lobos.
  • Patas. Os lobos têm patas enormes em comparação com as de um cachorro, e os dois dedos da frente e do meio são muito mais longos que os laterais. Com isso, eles podem saltar dos dedos dos pés, flexionar os tornozelos mais longos, manter os cotovelos juntos e saltar a distâncias incríveis. É assim que um lobo pode economizar energia e ir tão longe em comparação com um cachorro.

Diferenças de comportamento entre cão e lobo

O comportamento do lobo e do cachorro mostra diferenças importantes, por exemplo:

Cães são sociáveis

malamute do alaska

Foto: Freepik

Os cães agora são sociáveis ​​e gostam da companhia de outros animais e de seus amigos humanos. Os lobos são muito mais territoriais e são cautelosos e temerosos em situações que não conhecem ou consideram perigosas. por exemplo, a presença de humanos.

Os lobos não latem

Os lobos não latem, mas rosnam e uivam para a lua, como a lenda popular diz tão bem.

Laços familiares do lobo

Embora esses dois animais avancem em bandos, os lobos mantêm uma estrutura social muito complexa. Além disso, dentro da matilha, um par reprodutor é estabelecido e nunca se separa, a menos que um dos membros do casal morra ou desapareça.

Os lobos são independentes

Os lobos são auto-suficientes por natureza e desenvolvem um instinto predatório muito mais forte que o cão. Da mesma forma, eles nunca se reproduzem em tempos de escassez de alimentos. O cão, por outro lado, está totalmente acostumado a um ambiente família.

Lobos amadurecem mais rápido que cães

cães e lobos

Foto: Freepik

Os filhotes de lobos e cães domésticos são desmamados em cerca de 8 semanas. No entanto, filhotes de lobo selvagem amadurecem muito mais rápido que cães domésticos.

Estudos comparando a capacidade de cães e lobos mostram que filhotes de lobo podem resolver quebra-cabeças em uma idade muito mais jovem. E isso faz sentido. Eles precisam amadurecer mais rapidamente para poder sobreviver na natureza, enquanto os filhotes de cães domésticos nos pedem para cuidar deles.

Quando seu cão completar 2 anos de idade, provavelmente ainda será seu companheiro fiel e ao longo da vida. Especialistas dizem que os lobos serão um bom companheiro por cerca de seis meses, momento em que podem se tornar difíceis de lidar.

Lobos e cães se reproduzem de maneira diferente

Ao contrário dos cães que podem se reproduzir várias vezes ao longo do ano, os lobos se reproduzem apenas uma vez por ano. Eles também têm uma estação de reprodução rígida. Ocorre de fevereiro a meados de março, com os filhotes nascendo em abril e maio.

Seus tamanhos de ninhada também diferem. Um lobo te uma média de quatro a cinco filhotes, enquanto as ninhadas de cães podem variar.

Embora as mães de lobos e cachorros cuidem de seus filhotes, os cães cuidam dos filhotes sem a ajuda do pai. Já as matilhas de lobos são compostas por uma mãe e um pai lobo e seus filhos. Os cães, por outro lado, não formam grupos familiares da mesma maneira.

Nutrição canina x nutrição do lobo

cães e lobos

Foto: Freepik

Cães são onívoros que evoluíram para comer o que comemos. Por outro lado, o sistema gastrointestinal de um lobo pode processar carnes cruas, ficar mais tempo sem refeições e absorver nutrientes de uma maneira diferente da de um cão doméstico. Eles também comem mais do que os cães.

Lobos são tímidos. Os cães geralmente não são!

Apesar de serem retratados em alguns veículos como cruéis, os especialistas dizem que os lobos são realmente tímidos e evitam as pessoas. Também é incrivelmente raro que um lobo ataque uma pessoa.

A importância de proteger os lobos

A população de lobos está se tornando mais fraca e isso se deve claramente à presença de homens. Apesar da existência de algumas áreas onde são consideradas espécies protegidas, em muitas outras são caçadas e/ou cruzadas com cães.

Essas diferenças entre cães e lobos apenas nos mostram quanto os lobos devem permanecer livres em seu habitat natural e que é nosso dever protegê-los.

Dados esses fatos sobre os lobos, se você tem o coração voltado para a aparência de lobo, os especialistas recomendam a adoção de uma raça como Akita, Malamute do Alasca, Samoieda, Husky e Pastor Alemão.