Passear com um cachorro que tem medo pode ser um verdadeiro desafio. As tentativas de fuga, a agressividade ou simplesmente a “preguiça” de sair do lugar podem ser sinais de que o cão não está tão à vontade com a atividade.

O problema, com relação a esse medo, é que não existe uma receita pronta que deixará o seu cachorro corajoso de uma hora para outra. Afinal, cada pet é único e desenvolverá o seu próprio equilíbrio emocional de uma forma diferente.

Por isso, é muito importante que você seja paciente e não force o cachorro a passear, de uma hora para outra. Respeite o seu pet e considere todas as dicas que vamos apresentar no decorrer desse conteúdo! Vem com a gente.

como passear com um cachorro que tem medo

Cachorro deitado com medo. Foto: Freepik

Como passear com um cachorro que tem medo?

Para passear com um cachorro que tem medo é preciso levar em consideração muitos pontos importantes. Além disso, é preciso exercitar a sua paciência, tendo em vista que forçar a saída de casa não resolverá nada. Lembre-se de que o pet precisa de um tempo de adaptação para se sentir seguro nos ambientes externos, ok? Sendo assim, basicamente você deverá considerar que:

  1. O cachorro tenha a chance de começar aos poucos;
  2. Receba carinho durante os passeios;
  3. Ganhe petiscos todas as vezes que conseguir superar o medo;
  4. Tenha uma rotina de passeios para não se sentir tão angustiado e perdido;
  5. Tenha o seu tempo de aprendizagem respeitado;
  6. Seja adestrado;
  7. Desenvolva a sociabilidade com outros cães.

Seguindo esses sete passos, as chances de que você consiga passear com um cachorro que tem medo são muito grandes. Abaixo detalhamos cada um desses passos, para te ajudar a compreender melhor o que estamos querendo dizer. Continue lendo!

como passear com um cachorro que tem medo

Cachorrinho com medo. Foto: Freepik

Comece aos poucos, dentro e perto da sua casa

Para passear com um cachorro que tem medo, você não precisa simplesmente caminhar 2 km no primeiro dia. Isso poderia amedrontar ainda mais o pet, fazendo com que ele crie uma resistência ainda maior na hora de sair de casa. 

Portanto, considere uma mudança gradativa. Você sequer precisa sair da sua casa no primeiro dia! Veja as nossas sugestões e insira o passeio, aos poucos, na rotina do cachorro:

  1. Coloque a coleira no pet, em casa, para que ele se acostume com a ideia. Você nem precisa caminhar com ele! Se ele não for acostumado com a coleira, acalme-o com carinhos, chamego e mimos, como petiscos. Comece deixando a coleira por 1 minuto. Depois, dois. E assim por diante. Até que o cachorro não demonstre desconforto em usá-la.
  2. Quando o cachorro já estiver acostumado com a coleira, experimente guiá-lo para que caminhe ao seu lado, usando-a. Aos poucos você aumenta o número de passos que você dá, dentro de casa, com o seu cão.
  3. Passada a etapa anterior, comece a caminhar com o cachorro ao redor da sua casa ou no seu quintal. Aumente o tempo e a quantidade de passos a cada dia, para que ele se acostume aos poucos.
  4. Depois, comece a caminhar com ela na sua rua. Vá do começo ao fim e aumente a quantidade de idas e vindas à medida que percebe que o cão está mais à vontade com a situação.
  5. Conforme você perceber a evolução do pet, comece a passear com o cachorro que tem medo, em outros locais, bairros, etc., aumentando o trajeto aos poucos e de forma respeitosa e gradativa.

Veja também: Deerhound: Cão, gigante, carinhoso, ágil e resistente

como passear com um cachorro que tem medo

Cachorro olhando com medo. Foto: Freepik

Dê carinho e atenção quando perceber que ele está mais ansioso

Muitas vezes o cachorro pode sentir medo por não reconhecer o lugar que está e isso pode gerar uma sensação de descontrole diante da situação. Por conta disso, ele pode se sentir sozinho e o receio faz com que ele queira se esconder, a todo custo.

Ao mesmo tempo, é no tutor que o cachorro irá se apegar ao se sentir frágil ou vulnerável. Por isso, uma forma de passear com um cachorro que tem medo é justamente dando uma atenção especial. É claro que você não precisa parar o tempo todo para atender às vontades do cachorro, mas, demonstrar afeto, carinho e chamego, nos momentos de maiores crises, pode gerar mais confiança.

A nível de exemplo, pense no quanto nós, seres humanos, podemos nos sentir mais encorajados quando quem amamos nos dá um suporte a mais, não é mesmo? Com o pet não é muito diferente! Mostre que você está ali por ele e sempre acalme-o nas crises mais intensas.

Ofereça petiscos e recompensas sempre que ele concluir uma nova caminhada

Os petiscos são uma ótima forma de acalmar o pet e criar uma recompensa depois do estresse gerado pelo medo de passear. Assim, a cada nível que você sobe (lembra da etapa de caminhar dentro de casa, depois no quintal?) ofereça um petisco para o seu amigo. À medida que ele se desenvolve, você o mima mais, para que ele compreenda que vencer obstáculos e medos é algo positivo e interessante para ele.

Cachorro com medo. Foto: Freepik

Veja mais: O que é um cachorro terapeuta? Como eles agem? Saiba aqui

Ao mesmo tempo, cuidado com os excessos. Se o cachorro está apavorado e não concluiu o pequeno trajeto, tente acalmá-lo e não dê logo de cara o petisco. Afinal, isso pode causar o efeito rebote! Pare e pense: ele está tremendo de medo, nervoso, e você dá um petisco… Ele pode entender que esse comportamento de “medo” é passível de receber um mimo! Então, cuidado para não “confundir” o seu cãozinho, ok?

Crie uma rotina para passear com um cachorro que tem medo

O seu cão precisa se acostumar com a ideia de passear com você. Ou seja, para passear com um cachorro que tem medo, é preciso que seja criada uma consistência. Novamente reiteramos a importância do gradativo, que exemplificamos no tópico um desse passo a passo. Porém, além de ensiná-lo de maneira gradativa, é preciso manter uma regularidade.

Passeie todos os dias e aumente aos poucos o tamanho do trajeto. Perceba, mais tarde, o quanto essa consistência diária pode promover muitos benefícios para o bem-estar do cachorro.

Sendo assim, evite passear hoje e ficar muito tempo sem tentar passear ou estimular essa atividade outra vez. Afinal, não é em um dia que se perde o medo de algo, concorda? É só você imaginar que, na realidade, quem está querendo perder um medo é você: lembre-se do que mais assusta você… Certamente não será de uma hora para outra, e tampouco com tentativas espaçadas, que você conseguirá vencer esse medo, concorda?

Cachorrinho triste e inseguro. Foto: Freepik

Respeite o tempo do seu cachorro e não force-o a fazer algo que o deixa angustiado

É muito importante que durante todo o processo de passear com um cachorro que tem medo você não o force a dar passos muito largos. É preciso respeitar o tempo do seu melhor amigo! Caso contrário, é bem possível que você provoque um efeito rebote, fazendo com que ele sinta cada vez mais desconforto e medo ao sair de casa.

Veja também: Por que seu cachorro deveria usar uma coleira com identificação

Por isso, respire fundo e, como mencionamos, exercite a sua paciência. Não será de uma hora para outra que o cachorro perderá o medo, e tudo bem! O mais importante é seguir no processo, aos poucos, sempre dando muito carinho e amor ao seu amiguinho de quatro patas.

Invista no adestramento para passear com um cachorro que tem medo

O adestramento de cães também é importante, em muitos aspectos. No que tange o ato de passear com um cachorro que tem medo, o adestramento pode minimizar a insegurança que o cão sente. Além disso, traz mais autoridade para o tutor que conseguirá controlar, com carinho, o comportamento do cãozinho que está com medo.

Dessa forma você transparece mais autoridade e confiança, o que faz com que ele se sinta muito mais seguro e pronto para poder sair de casa e passear bastante. 😉

Trabalhe a sociabilidade na hora de passear com um cachorro que tem medo

Por fim, lembre-se da importância da sociabilidade na hora de passear com um cachorro que tem medo. Ao sair de casa com o seu cão, é bem possível que ele encontre outros pets no meio do caminho. Assim, se a sociabilidade não for bem explorada, é provável que ele reaja ou com medo, ou de forma dominante e agressiva.

Tutora acalmando cachorrinho com medo. Foto: Freepik

Por isso, cuidado com esse ponto! Comece, o quanto antes, a estimular a sociabilidade com outros pets. Dessa forma, além de fazer com que ele não se incomode ou brigue na rua, você pode ainda fazer com que o cão sinta mais vontade de passear e encontrar alguns amiguinhos para se divertir em um parque, por exemplo. Certamente você terá resultados incríveis!

Leia mais: Cachorro lambendo o pé do tutor – Por que isso acontece?

Siga essas dicas e considere que, se você perceber comportamentos muito estranhos no cão (por exemplo, de um medo excessivo e que não melhora nunca), leve-o ao veterinário ou converse com um adestrador para que a situação possa receber uma avaliação profissional. Cuide do seu amigo. 😉