Quais as diferenças entre cães e lobos?

O cão é considerado o melhor amigo do homem, mas este não é o caso do lobo. Quais as diferenças entre cães e lobos? Leia o artigo sobre o assunto!

por Handreza Hayran — publicado 11 out 2019 - 9:45

O cão é considerado o melhor amigo do homem, mas este não é o caso do lobo. Embora eles tenham ancestrais em comum, eles têm grandes diferenças. Diferenças menos importantes no caso de cães nórdicos ou híbridos, é claro, mas a linha que separa os cães dos lobos ainda é bastante acentuada. Por isso, explicaremos quais são as diferenças entre cães e lobos.

Lobos e cães são da mesma espécie, mas…

Você sabia que cães e lobos pertenciam à mesma espécie? Ambos são membros da Canis lupus, uma espécie à qual todos os lobos pertencem, bem como o cão doméstico, cujo nome latino é Canis lupus familiaris.

A espécie de Canis lupus é formada por diferentes tipos de lobos, por exemplo:

  • O lobo euro-asiático
  • O lobo ibérico
  • O lobo russo

Embora a espécie seja a mesma, essa classificação de subespécies nos mostra a diferença entre o cão doméstico e o lobo atual. E essas diferenças se devem principalmente ao processo de domesticação implementado em cães, o que não é natural nos lobos e causou grandes diferenças fisiológicas entre os dois.

As diferenças físicas entre cães e lobos

cães e lobos

Foto: Freepik

  • Diversidade de tamanhos. O tamanho do lobo varia muito pouco de um espécime para outro, enquanto em cães há grandes diferenças de tamanho entre certas raças.
  • Focinho. Muitas raças caninas têm focinho curto, o focinho dos lobos sempre será alongado.
  • Orelhas.  Algumas raças de cães podem ter orelhas caídas, isso nunca será o caso de lobos que têm todas as orelhas levantadas quando adultos.
  • Pelagem. O lobo tem pelagem mais curta e cores menos variadas que o cachorro.
  • Estômago. Tanto o cão quanto o lobo são carnívoros. No entanto, devido à domesticação e à dieta variada dos cães, certas mudanças fisiológicas no sistema digestivo foram observadas ao longo dos anos. A adição de carboidratos à dieta do cão permitiu que eles digerissem amido, algo que não é possível para um lobo que terá problemas para absorver nutrientes de muitos alimentos para cães.
  • Dentes. Tanto os lobos quanto os cães têm o mesmo número de dentes, mas eles, junto com o crânio e a mandíbula, são maiores e mais fortes no lobo.
  • Face. Os cães têm rostos mais redondos e olhos maiores que os lobos.
  • Patas. Os lobos têm patas enormes em comparação com as de um cachorro, e os dois dedos da frente e do meio são muito mais longos que os laterais. Com isso, eles podem saltar dos dedos dos pés, flexionar os tornozelos mais longos, manter os cotovelos juntos e saltar a distâncias incríveis. É assim que um lobo pode economizar energia e ir tão longe em comparação com um cachorro.

Diferenças de comportamento entre cão e lobo

O comportamento do lobo e do cachorro mostra diferenças importantes, por exemplo:

Cães são sociáveis

malamute do alaska

Foto: Freepik

Os cães agora são sociáveis ​​e gostam da companhia de outros animais e de seus amigos humanos. Os lobos são muito mais territoriais e são cautelosos e temerosos em situações que não conhecem ou consideram perigosas. por exemplo, a presença de humanos.

Os lobos não latem

Os lobos não latem, mas rosnam e uivam para a lua, como a lenda popular diz tão bem.

Laços familiares do lobo

Embora esses dois animais avancem em bandos, os lobos mantêm uma estrutura social muito complexa. Além disso, dentro da matilha, um par reprodutor é estabelecido e nunca se separa, a menos que um dos membros do casal morra ou desapareça.

Os lobos são independentes

Os lobos são auto-suficientes por natureza e desenvolvem um instinto predatório muito mais forte que o cão. Da mesma forma, eles nunca se reproduzem em tempos de escassez de alimentos. O cão, por outro lado, está totalmente acostumado a um ambiente família.

Lobos amadurecem mais rápido que cães

cães e lobos

Foto: Freepik

Os filhotes de lobos e cães domésticos são desmamados em cerca de 8 semanas. No entanto, filhotes de lobo selvagem amadurecem muito mais rápido que cães domésticos.

Estudos comparando a capacidade de cães e lobos mostram que filhotes de lobo podem resolver quebra-cabeças em uma idade muito mais jovem. E isso faz sentido. Eles precisam amadurecer mais rapidamente para poder sobreviver na natureza, enquanto os filhotes de cães domésticos nos pedem para cuidar deles.

Quando seu cão completar 2 anos de idade, provavelmente ainda será seu companheiro fiel e ao longo da vida. Especialistas dizem que os lobos serão um bom companheiro por cerca de seis meses, momento em que podem se tornar difíceis de lidar.

Lobos e cães se reproduzem de maneira diferente

Ao contrário dos cães que podem se reproduzir várias vezes ao longo do ano, os lobos se reproduzem apenas uma vez por ano. Eles também têm uma estação de reprodução rígida. Ocorre de fevereiro a meados de março, com os filhotes nascendo em abril e maio.

Seus tamanhos de ninhada também diferem. Um lobo te uma média de quatro a cinco filhotes, enquanto as ninhadas de cães podem variar.

Embora as mães de lobos e cachorros cuidem de seus filhotes, os cães cuidam dos filhotes sem a ajuda do pai. Já as matilhas de lobos são compostas por uma mãe e um pai lobo e seus filhos. Os cães, por outro lado, não formam grupos familiares da mesma maneira.

Nutrição canina x nutrição do lobo

cães e lobos

Foto: Freepik

Cães são onívoros que evoluíram para comer o que comemos. Por outro lado, o sistema gastrointestinal de um lobo pode processar carnes cruas, ficar mais tempo sem refeições e absorver nutrientes de uma maneira diferente da de um cão doméstico. Eles também comem mais do que os cães.

Lobos são tímidos. Os cães geralmente não são!

Apesar de serem retratados em alguns veículos como cruéis, os especialistas dizem que os lobos são realmente tímidos e evitam as pessoas. Também é incrivelmente raro que um lobo ataque uma pessoa.

A importância de proteger os lobos

A população de lobos está se tornando mais fraca e isso se deve claramente à presença de homens. Apesar da existência de algumas áreas onde são consideradas espécies protegidas, em muitas outras são caçadas e/ou cruzadas com cães.

Essas diferenças entre cães e lobos apenas nos mostram quanto os lobos devem permanecer livres em seu habitat natural e que é nosso dever protegê-los.

Dados esses fatos sobre os lobos, se você tem o coração voltado para a aparência de lobo, os especialistas recomendam a adoção de uma raça como Akita, Malamute do Alasca, Samoieda, Husky e Pastor Alemão.

Artigos Relacionados

Como trocar o alimento do cachorro?

por Camila Da Silva — publicado 18 out 2019 - 9:45

Saber como trocar o alimento do cachorro é o objetivo de muita gente. Visto que é necessário, de tempos em tempos, adaptar a dieta para melhor atender as necessidades físicas e até mesmo psíquicas do animal. Mas, para que isso ocorra de uma maneira segura, o ideal é que você siga um passo a passo regradinho.

Assim, garantirá a adaptação do pequeno e evitará que o mesmo se estresse ou tenha algum efeito colateral com as mudanças alimentícias.

 » Read more about: Como trocar o alimento do cachorro?  »

Soro caseiro para cachorro: Como fazer e quando dar

por Camila Da Silva — publicado 18 out 2019 - 9:45

soro caseiro para cachorro

O soro caseiro para cachorro é um composto que pode ser muito útil para o animal em diversas situações. No entanto, você sabe como fazer? Você sabe quando dar? Estas são questões que nem sempre são assim tão facilmente respondidas, uma vez que tudo dependerá de outras ocasiões.

E por isso, no texto de hoje vamos te ajudar a entender um pouco mais sobre o assunto. Além disso, você vai entender alguns sinais claros do cão para quando você precisa fornecer o soro.

 » Read more about: Soro caseiro para cachorro: Como fazer e quando dar  »

19 Raças de cães esportivos

por Handreza Hayran — publicado 16 out 2019 - 21:00

Collie

Existem vários cães esportivos que correspondem a cada personalidade, caráter e modo de vida de um dono. Existem cães esportivos e afetuosos, tranquilos, grandes e pequenos.

Antes de decidir adotar um cão esportivo, descubra 19 raças de cães esportivos, seu comportamento, suas características físicas, seus cuidados, seus problemas de saúde e etc.

Como você sabe, algumas raças de cães, pequenas, médias ou grandes, são mais atléticas que outras.

Se você procura um cão esportivo,

 » Read more about: 19 Raças de cães esportivos  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Como trocar o alimento do cachorro?

por Camila Da Silva — publicado 18 out 2019 - 9:45

Saber como trocar o alimento do cachorro é o objetivo de muita gente. Visto que é necessário, de tempos em tempos, adaptar a dieta para melhor atender as necessidades físicas e até mesmo psíquicas do animal. Mas, para que isso ocorra de uma maneira segura, o ideal é que você siga um passo a passo regradinho.

Assim, garantirá a adaptação do pequeno e evitará que o mesmo se estresse ou tenha algum efeito colateral com as mudanças alimentícias. Para saber mais sobre este assunto, acompanhe este artigo até o fim.

como trocar o alimento do cachorro

Foto: Freepik

Como trocar o alimento do cachorro?

Abaixo vamos lhe apontar alguns fragmentos importantes sobre como trocar o alimento do cachorro. Atente-se para cada um deles e procure administrar esta mudança de um modo mais interessante.

Vamos lá?

1- Opte sempre por algo mais saudável

Este é, sem dúvida, o primeiro ponto que você precisa levar em conta. Afinal, não adianta você simplesmente querer saber como trocar o alimento do cachorro se isso não apresenta nenhum tipo de resultado positivo. Ou seja, não adianta querer trocar para algo menos saudável, certo?

Ainda mais se pararmos para pensar que, ao longo do tempo, o nosso pequeno amigo também está envelhecendo. Logo, ele necessita de cuidados e nutrientes especiais, que garantam mais tempo de vida e a qualidade da mesma.

Por isso, se você quer mesmo trocar a alimentação do seu cachorro, jamais troque-a para algo mais “barato” ou menos nutritivo. Pois uma coisa é certa: o barato sempre sai caro, ok? Quanto mais qualidade tiver o alimento do seu cão, mais vida longa e feliz ele poderá desfrutar.

Veja também: Alimentação natural para cães.

como trocar o alimento do cachorro

Foto: Freepik

2- Faça a troca gradualmente

O segundo ponto que precisa ser considerado é com relação a troca de alimento em si. Ela precisa ocorrer de um modo mais gradual, e não repentinamente. Visto que se o animal não gostar da comida e brigar com a nova dieta, ele pode rejeitar comer e, até mesmo, ficar receoso para experimentar algo novo.

Por conta disso, é preciso seguir uma regrinha de porcentagem. Ela é quem lhe dará margem acerca de quanto você deve incluir da nova alimentação, em todas as refeições do seu pet. De maneira geral, você deverá:

  • 1º e 2º dias: 75% Alimento antigo + 25% Nova dieta
  • 3º e 4º dias: 50% Alimento antigo + 50% Nova dieta
  • 5º e 6º dias: 25% Alimento antigo + 75% Nova dieta
  • 7º dia em diante: 100% Nova dieta.

Seguindo este cronograma, você dará espaço para que o cachorro vá adaptando o seu paladar. E assim, ele nem se dará conta da troca, apenas usufruirá dos benefícios que a mesma pode promover para ele.

3- Observe o comportamento e as necessidades do cão

Durante o processo de troca de alimento, você precisará se atentar para o comportamento e as necessidades do seu cachorro. Afinal, estes fatores serão um ótimo termômetro para que você saiba se é uma boa ideia manter a nova ração, ou não.

Portanto, repare em quantas vezes o cachorro defeca, bem como está o temperamento do mesmo. Ele se demonstra mais estressado? Calmo? Irritado? Quais são as características que ele tem transparecido para você?

E quando chega a hora de comer: Ele parece empolgado ou não demonstra apetite? Considere todo e qualquer sinal que retrate que algo está fora dos “eixos”, para que assim você possa reverter a situação antes que o problema desenvolva algum tipo de efeito colateral no bichinho.

Veja também: Como saber se o cão está estressado?

como trocar o alimento do cachorro

Foto: Freepik

4- Lembre-se que o ambiente também é importante

Por fim, lembre-se também que todo o ambiente influi com a troca de alimentação do seu pet. Mas o que isso quer dizer, na prática?

Bem, você precisa criar um espaço que seja verdadeiramente aconchegante para o mesmo. Assim você trará mais conforto e ele se sentirá mais à vontade para se alimentar. Neste caso, cuide muito bem da higienização do espaço em que você costuma deixar o pote de comida e de água.

Além disso, a água precisa ser limpa e em abundância, para uma melhor digestão. Mantenha o ambiente bem iluminado e arejado. Afinal, você sabe como é bom se alimentar em um espaço organizado, limpo e aconchegante, não é mesmo? Então faça este agrado ao seu pet também.

como trocar o alimento do cachorro

Foto: Freepik

Como trocar o alimento do cachorro no tempo certo

Saber como trocar o alimento do cachorro não é tão difícil, não é? Apenas alguns cuidados e um pouquinho mais de atenção já será interessante para promover a troca saudável e efetiva. Entretanto, lembre-se sempre que cada cachorro teu o seu tempo e, embora exista um cronograma de troca, o ideal é que você sempre observe como está reagindo o cão, a cada nova refeição, todos os dias até a troca efetiva.

Assim, você vai garantindo que ele está se adaptando verdadeiramente, evitando que haja qualquer tipo de deslize que o faça ficar sem comer. A paciência sempre será sua forte aliada neste tipo de processo, ok? Garanta o tempo de adaptação do seu pet e mantenha a saúde dele, tanto física quanto mental, em dia!

Leia também: Dieta para cachorros diabéticos

Soro caseiro para cachorro: Como fazer e quando dar

por Camila Da Silva — publicado 18 out 2019 - 9:45

soro caseiro para cachorro

O soro caseiro para cachorro é um composto que pode ser muito útil para o animal em diversas situações. No entanto, você sabe como fazer? Você sabe quando dar? Estas são questões que nem sempre são assim tão facilmente respondidas, uma vez que tudo dependerá de outras ocasiões.

E por isso, no texto de hoje vamos te ajudar a entender um pouco mais sobre o assunto. Além disso, você vai entender alguns sinais claros do cão para quando você precisa fornecer o soro. E também entenderá quando não deve fornecer! Por isso, acompanhe a leitura.

cão doente

Foto: Freepik

Soro caseiro para cachorro

Assim como para nós humanos, alguns compostos de reidratação e reabastecimento de nutrientes é fundamental. E nos cães não é diferente. O soro caseiro para cachorro, por exemplo, é uma das formas mais práticas que encontramos para reidratar um cachorro que possa estar com algum problema de saúde ou mesmo ter um baixo consumo hídrico no dia a dia.

No entanto, é também importante que você saiba diferenciar algumas situações. Há situações que são graves e, portanto, não podem ser remediadas em casa. E outras que são menos graves que sim, podem ser tratadas de forma caseira. Ou pelo menos, iniciar o tratamento desta forma.

Leia também: Alimentação natural para cães.

Para entender tudo isso, vamos começar entendendo como você pode fazer o composto. Veja abaixo.

soro caseiro para cachorro

Foto: Freepik

Como fazer o soro caseiro para cachorro

O soro caseiro para cachorro é um composto muito simples de ser feito. Separamos uma receita básica e que pode ser feita em 15 minutos tendo os ingredientes certos e na hora certa. Veja abaixo.

  • Separe um litro de água;
  • Três colheres de açúcar (colher de sopa);
  • Uma colher de sal (colher de chá);
  • Esprema o sumo de meio limão taiti (ou galego);
  • Meia colher (de chá) de bicarbonato de sódio;

Estes são os ingredientes básicos para que você possa começar a preparar o composto de soro canino. Tendo tudo em mãos, basta misturar tudo no litro de água e em uma panela, leve ao fogo até começar a ferver. Quando a fervura começar, desligue e despeje todo o composto em um recipiente.

Basta esperar esfriar e servir na tigela de água do seu cachorro. Por mais que a mistura seja estranha e possa ter um gosto estranho (e tem), alguns cães não estranham e consomem normalmente. Já outros acabam rejeitando de primeira. E quando isto acontecer, é preciso então levar o seu cão para um veterinário o mais rápido possível, pois se ele precisa de soro e não está consumindo, é preciso agir de uma forma que ele não se prejudique.

Assim sendo, agora que você já aprendeu a fazer o soro caseiro para cachorro, é hora de entender quando você pode oferecer o composto ao seu animal. Veja abaixo algumas dicas.

soro caseiro para cachorro

Foto: Freepik

Quando você deve dar o soro caseiro para o cachorro

O soro caseiro para cachorro é um composto muito potente para combater uma série de problemas relacionados a saúde do dog. No entanto, ele só pode ser aplicado por sua conta a partir do momento que você identificar como viável. E para isso, você deve considerar somente alguns sintomas, onde os principais deles são a desidratação e eventuais diarréias ou vômitos amarelados (que consequentemente podem causar desidratação).

Caso estes sintomas não sejam devidamente apresentados no comportamento do seu cão mas mesmo assim ele estiver mal, não hesite em levá-lo ao veterinário. Afinal, pode ser algo mais grave que, quanto antes descoberto, melhor será o tratamento. O soro caseiro é importante somente para que o animal volte a ficar hidratado e os sais minerais também sejam repostos. Em casos de outras doenças ou sintomas, automaticamente, outros tratamentos são recomendados.

Por exemplo, se o seu cãozinho estiver com febre ou não estiver comendo, pode significar que ele está com uma virose. Viroses podem ser tratadas também com o uso do soro caseiro para cachorro. Agora, se o animal estiver apresentando sintomas diferentes ou mesmo rejeitar o soro (mesmo que seja virose), procurar ajuda profissional é indispensável.

soro caseiro para cachorro

Foto: Freepik

Sinais de desidratação no seu pet

O cachorro apresenta alguns sinais claros de desidratação. E a desidratação pode ocorrer devido a diversos outros problemas relacionados a saúde do animal. E desta forma, hidratar novamente pode ser uma das formas mais eficientes de, ao menos, dar uma forcinha para o corpo se recuperar.

Vale lembrar novamente que somente fazer isto não necessariamente vai curar o animal. No entanto, nem será o remédio mais eficiente. E você deve sempre considerar um veterinário. Mas, o soro sim pode ajudar. Assim sendo, para que você consiga identificar de forma ainda mais eficiente os sintomas da desidratação, fizemos uma lista abaixo. Veja:

  • Gengivas secas ao extremo;
  • Língua ressecada;
  • Olhos secos ou com aparência de arregalados;
  • Falta de apetite na hora das refeições;
  • Respiração comprometida ou mesmo dificuldade para respirar;
  • Coração batendo aceleradamente;
  • Letargia;
  • Falta de ânimo para brincar;
  • A pele fica sem elasticidade;

Estes são alguns dos sintomas mais básicos que você poderá verificar ainda em casa. E talvez o último (pele sem elasticidade) seja um dos mais claros e que deixam o problema com ainda mais evidência. Assim sendo, você pode testar esticando a pele do animal. Caso ela não volte rapidamente, significa que o dog está com problemas e você deve ir a um veterinário o quanto antes!

Agora que você já entendeu como o soro caseiro para cachorro pode ser eficiente, é hora de colocar em prática. Assim sendo, anote a receita e fique atento aos sinais do seu cão. Cuide dele!

Leia também: Como saber se o seu cão está desidratado ou hiper-hidratado?