Na tarde de ontem, quarta-feira, dia 28 de março, a ativista animal Luisa Mell, com a ajuda da equipe do seu Instituto, fez um enorme resgate de animais em uma casa onde funcionava um canil clandestino. Luisa soube do local, que fica na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo, após ser chamada pela Polícia Militar para ajudar os cachorros.

Todos ficaram chocados com a situação em que os animais vivam no local. Tudo parecia cenário de filme de terror. A sujeira começava assim que se atravessava o portão e logo na entrada já era possível ver fezes para todos os lados.

Na área interna da casa a situação era ainda pior. A cada cômodo em que se entrava, o choque e a sensação de revolta ficavam maiores. Muitos cachorros eram mantidos dentro de gaiolas, caixas e caixotes de plástico que, por sua vez, eram guardados em estantes e também debaixo da cama.

Até dentro do armário e de gavetas foram encontrados animais. Uma pequena matriz e seus filhotes tinham sido colocados em um pequeno compartimento que ficava fechado enquanto outra matriz foi encontrada dentro de um aquário (seco) que ficava guardado em uma estante. O descaso era tão grande que havia também filhotes mortos no local.

Luisa Mell fez diversas publicações no Stories do seu Instagram mostrando a terrível situação em que os cachorros estavam sendo mantidos no local, que funcionava claramente como canil clandestino, observando que foram encontrados ali muitos animais de raça, como Yorkshire, Buldogue, Pug, Spitz Alemão (conhecido como Lulu da Pomerânia) e Maltês, e pouquíssimos vira-latas.

Se os filhotes, que seriam vendidos para gerar lucro financeiro para os donos do local, não recebiam os cuidados necessários, o descaso com as cadelas matrizes era ainda maior. Todas estavam apresentando algum tipo de problema, algumas estavam bem machucadas, outras sangrando, a maioria com graves problemas de pele e quase sem pelos e todas elas muito magras. Uma matriz foi encontrada com a cirurgia de cesárea inflamada no meio de toda a sujeira do local.

Além dos cachorros, também foram encontrados na casa gatos e diversas aves silvestres, incluindo araras e papagaios, e também muitas caixas de transporte ilegal, usadas para o contrabando.

Todos os animais foram resgatados e levados para o Instituto Luisa Mell, onde seguem recebendo todos os cuidados médicos e de higiene que tanto estavam precisando. Ao total foram 113 cachorros resgatados, o número certo de aves e o de animais encontrados mortos o local não foi divulgado.

Os cães ficarão no Instituto Luisa Mell, onde vão passar por exames e receber vacinas, vermífugos e serão castrados, e só poderão ser colocados para adoção depois que o Instituto receber judicialmente a posse legal dos animais. Já as aves, após receberem os primeiros cuidados, serão encaminhadas para um santuário.

A ativista Luisa Mell classificou o local e a situação em que os animais viviam como piores do que a dos cães que foram resgatados no canil de Osasco, em setembro de 2017.

A pessoa que estava na casa no momento do resgate, uma senhora que ainda tentou esconder filhotes de cachorro dentro do sutiã e uma cadelinha grávida debaixo do travesseiro, não foi presa. Porém, ela recebeu uma multa no valor de 5 mil reais por cada animal apreendido e deve responder por maus-tratos a animais.

Com o grande número de animais que entrou no Instituto Luisa Mell de forma inesperada, a ativista animal aproveitou as redes sociais para pedir doações e ajuda financeira para conseguir ajudar todos os peludos.

Bradesco AG 1974-7 CC 288-7
Itau AG 0772 CC 09021-3
Banco do Brasil AG 1817-1 CC 120.000-3

Instituto Luisa Mell de Assistência aos Animais
CNPJ: 21.877.796/0001-35

(Vídeo: Reprodução / YouTube Canto Dos Famosos)

Mais uma vez nós deixamos aqui o nosso apelo para que vocês não comprem animais. A compra de filhotes é o que mantém lugares como este e é também responsável pelas péssimas condições em que tantas cadelas matrizes são mantidas, sendo maltratadas para que criadores tenham lucro financeiro.

Não compre animais, adote!