Os mitos e verdades sobre a raça Boxer são inúmeros. Afinal, trata-se de um cão que desperta muito interesse nas pessoas e, portanto, algumas coerências e incoerências da raça são percebidas.

Neste artigo, o Portal do Dog vai te ajudar a entender mais sobre alguns mitos e verdades sobre a raça Boxer.

Entenda como a raça se desenvolve, cuidados especiais e outros detalhes importantes para criá-lo com saúde e segurança.

Continue lendo!

cão fofo

Os mitos e verdades da raça boxer são inúmeros – Foto: Freepik

Veja alguns mitos e verdades sobre a raça Boxer

Algumas afirmações são verdadeiras, outras afirmações são falsas.

Desta forma, é comum que haja bastante dados relacionados a criação e cuidados da raça Boxer, já que ela é adorável.

Veja uma lista de mitos e verdades sobre a raça Boxer e depois entenda-os em detalhes:

  • Os cães brancos são raros;
  • O Boxer branco é surdo;
  • Boxer é um cachorro agressivo;
  • Ele é carinhoso e companheiro;
  • Ataca pessoas estranhas;
  • O cão era boxeador;
  • Cães brancos são vistos como malignos;
  • É um ótimo cão para crianças;
  • É um cão alerta;
  • Não precisa de muito exercício;
  • É territorialista;
  • Late muito.

Continue lendo!

Os cães brancos são raros

Mito. Os cães brancos da raça boxer não são tão raros assim. Embora eles sejam mais difíceis de encontrar porque os tutores preferem a cor marrom, não há um indicativo que seja mais complexa a sua procriação.

Isto é, os cães da raça boxer branco possuem uma taxa de 25% das ninhadas, em média. O que representa 1 a cada 4 filhotes. Portanto, não é tão raro assim.

O boxer branco não era muito aceito dentro dos padrões de criação no passado e por isso sua coloração tem uma etiqueta de “raridade”.

O Boxer branco é surdo

Mito. Os cães brancos da raça boxer não são surdos, embora haja algumas evidências de que os brancos têm mais problemas relacionados a audição.

No entanto, isso não é suficiente para afirmar que todos os cães brancos da raça boxer são surdos ou tenham problemas de audição.

Inclusive, isso não os torna menos adestráveis do que outros. Afinal, eles podem ser treinados de muitas maneiras e com muitos métodos de adestramento.

O boxer branco é lindo, possui um charme encantador e tem a saúde semelhante ao boxer marrom, que é mais conhecido.

cão fofo

Veja alguns mitos e verdades sobre a raça boxer – Foto: Freepik

Mitos e verdades sobre a raça boxer – Boxer é um cachorro agressivo

Mito. O boxer não é um cachorro agressivo, embora ele possa desenvolver alguns traços de defesa de território justamente para proteger a família e o tutor.

No entanto, agressividade “de graça” não é uma característica do boxer, embora o seu rosto imponente diga o contrário. Afinal, muitas pessoas têm medo do boxer e por isso associam a raça a um cachorro agressivo.

Mas ele é calmo, tranquilo, brincalhão e pode facilmente compreender comandos de adestramento.

Assim sendo, a única característica que faz o boxer sair da passividade, é quando há intrusos no ambiente: pessoas estranhas, outros animais, etc.

Isso fará o boxer latir de alerta. Mas ele não vai avançar em alguém sem motivo.

Ele é carinhoso e companheiro

Verdade! Essa é uma das situações mais recorrentes com todos os cães boxer. Afinal, eles têm um verdadeiro amor pelo seu tutor e podem facilmente ficar por perto o tempo inteiro.

Portanto, se você busca um cão de grande porte que seja muito carinhoso e próximo, o boxer pode ser uma boa ideia.

Ele quer entender tudo o que está acontecendo, vai ter uma boa noção de proteção de território (pois é um cão de guarda) e terá um amor incondicional pelo seu tutor e pela família.

Inclusive, ele se adapta muito bem com crianças!

Mitos e verdades sobre a raça boxer – Ataca pessoas estranhas

Mito. O boxer não vai sair atacando pessoas estranhas do absoluto “nada”. O boxer é um cachorro muito dócil, calmo e equilibrado, que terá uma maior propensão a ser um cão de guarda.

Isto é, os cães de guarda não tem necessidade de atacar as pessoas estranhas gratuitamente. Eles se resguardam para uma eventualidade séria e que realmente precise de alguma ação enérgica.

Mas, claro, é importante haver adestramento e socialização adequada. Isso fará o boxer ter muito mais equilíbrio e estímulos positivos no dia a dia.

Além disso, mantê-lo fechado no quintal, com portões seguros e muros altos, é também importante. Assim não haverão estímulos ruins e eventualidades.

mitos e verdades sobre a raça boxer

Cão boxer – Foto: Freepik

O cão era boxeador

Mito. O nome “boxer” não vem de uma situação em que o cachorro boxer era boxeador. Embora esse seja um conhecimento popular, não é verdade.

Afinal, os cães boxer são cães assim como qualquer outro cão. Ele é maior, tem uma postura altiva e robusta. Mas isso não significa que ele seja um cão de “luta”.

Cães brancos são vistos como malignos

Os cães brancos não são malignos, mas é fato que algumas pessoas o enxergam dessa forma.

Na verdade, essa é uma crença popular que se desenvolveu justamente por acreditar que o cão branco da raça boxer é raro. Logo, quando ele ocorria em uma ninhada, era muito diferente.

No entanto, como já vimos anteriormente, os cães brancos podem representar até 25% de uma ninhada. Isto é, a cada 4 filhotes, 1 pode ser branco.

Os cães brancos da raça boxer não são malignos. Eles são apenas cães brancos, fofos e lindos.

Mitos e verdades sobre a raça boxer – É um ótimo cão para crianças

Sim, verdade! O boxer é um cão muito especial para lidar com crianças em casa. Afinal, eles se adoram e podem se comportar muito bem juntos.

No entanto, é preciso que haja adestramento e socialização do boxer para ele não ser intimidado pelas crianças.

Além disso, é preciso ensinar também as crianças a lidarem com o boxer de maneira sensata, para que haja respeito e cuidados. Não deixe, por exemplo, a criança montar no boxer.

Inclusive, temos um artigo com algumas dicas e ideias de cães para crianças: Qual a melhor raça de cachorro para criança?

É um cão alerta

Verdade! O boxer é um cão de alerta que está sempre em posição de entender o que está acontecendo com a sua residência – e com a sua família.

É por isso que ele é considerado, também, um cão de guarda. Afinal, os cães de guarda estão sempre de alerta para entender quando há qualquer tipo de incidente que deva ser combatido.

Assim sendo, se você quer adotar um boxer para deixar a sua residência mais segura, essa pode ser uma boa ideia.

Mas é importante entregar um ambiente com enriquecimento ambiental para o cão. Assim ele pode gastar energia e não fica somente desconfiado com a rotina.

mitos e verdades sobre a raça boxer

Cão boxer olhando – Foto: Freepik

Mitos e verdades sobre a raça boxer – Não precisa de muito exercício

Mito! O boxer precisa, sim, de muito exercício no dia a dia. Caso contrário, ele pode se tornar um cão ansioso, triste e frustrado.

Assim sendo, essa combinação de tristeza e frustração, pode gerar uma série de problemas relacionados a comportamento. Ele pode se tornar destruidor, por exemplo.

Desta forma, o tutor precisa organizar a rotina de maneira que o boxer gaste energia com exercícios e atividades de estímulo físico e mental.

Farejar, brincar, correr e até latir, são elementos importantes.

É territorialista

Verdade! O boxer é um cão muito territorialista que precisa de estímulos relacionados ao convívio e bem-estar para garantir paz e sossego com o território.

No entanto, ainda assim, está no instinto do cachorro defender o seu território. Afinal, ele é um exímio cão de guarda.

Portanto, não vá contra o instinto do cão. Afinal, isso não adianta e só deixará o cão ainda mais inseguro e si próprio.

Gaste a energia do cão, adestre-o e socialize-o. Isso garantirá que o territorialismo não seja levado para o lado negativo, com agressividade.

Mitos e verdades sobre a raça boxer – Late muito

Mito! O boxer não é um cão que late muito, já que ele é um cão de guarda e, você sabe: cães de guarda se resguardam e não fazem estardalhaço “de graça”.

No entanto, isso não quer dizer que o boxer não emita seus latidos de vez em quando.

Afinal, ele é um cão como qualquer outro e todos os cães podem latir por diversas razões. Inclusive, é a sua forma de vocalização e comunicação.

É fácil criar um Boxer em casa?

Criar um boxer em casa é uma tarefa das mais legais que o tutor pode ter. Afinal, o boxer é brincalhão, carinhoso e extremamente amigável com todos.

Mas é preciso organizar a rotina de maneira adequada, para garantir conforto e bem-estar ao dog.

Veja algumas dicas:

  • Precisa de muita atenção para gastar energia e não ficar ansioso no dia a dia;
  • Socialização e adestramento desde filhote é importante para garantir equilíbrio;
  • Precisa de espaço para correr e brincar;
  • Cuidado com a displasia de quadril, que pode ser um problema de saúde do boxer.

Agora você já sabe alguns mitos e verdades sobre a raça boxer. Criar um cão boxer é realmente divertido e ele será um grande companheiro!

No entanto, considere os cuidados básicos para uma rotina adequada e organizada. O seu boxer precisa dos estímulos certos!

Cuide do seu dog!