Pulgas em cachorros

Saiba tudo sobre pulgas em cachorros e descubra como combatê-las

por Samantha Kelly — publicado 21 nov 2013 - 22:10

Além de extremamente desconfortável, já que podem chegar a picar o animal mais de 400 vezes por dia, as pulgas em cachorros representam um risco não só para o cão mas também para os humanos que convivem ao seu redor. Esses minúsculos parasitas externos vivem em função do sangue de mamíferos, e suas mordidas podem trazer grandes problemas para a saúde do cão.

Antes de bater o desespero e sair correndo pela vizinhança repetindo “Meu cachorro está com pulga, o que eu faço?”, acalme-se, saiba que existem alguns princípios básicos de prevenção, riscos e tratamentos que todos os donos de cães deveriam saber. O conhecimento certo pode proteger o seu cão contra essa ameaça.

 

O que é a pulga?

Dos mais de 1900 tipos diferentes de espécies de pulga, os donos de cachorros estão mais preocupados com uma em particular: a Ctenocephalides felis.

A pulga é um Ectoparasita (ataca a parte exterior do corpo do hospedeiro) que alimenta-se do sangue (hematófago) de mamíferos e aves. Apesar das pulgas não infestarem humanos, elas podem sim mordê-los.

Um dos problemas mais comuns vistos nos consultórios veterinários pelo mundo, as pulgas são bem sucedidas na arte da sobrevivência.

 

Visão microscópica de uma pulga aumentada em 80 vezes. Foto: Foto feita por Dr. Darlyne A. Murawski/ National Geographic/Imagens Getty

Visão microscópica de uma pulga aumentada em 80 vezes. Foto: Foto feita por Dr. Darlyne A. Murawski/
National Geographic/Imagens Getty

Anatomia da Pulga

As partes da boca de uma pulga são adaptadas para perfurar a pele do animal e sugar o sangue. Duas lacínias (lembrando serrinhas) cortam a pele e também ficam juntas para formar um canal para a saliva. A Galéa é como uma agulha, e cercada pelas lacínias, juntas formam um estilete, ou em outras palavras, um órgão de perfuração. O pré-mento e os palpos labiais formam o lábio e dão suporte ao estilete. Uma vez que uma pulga morde seu hospedeiro, o sangue viaja de um vaso sanguíneo através da gálea até o corpo da pulga.  Isto provoca muita sucção, proveniente das bombas existentes na boca e no aparelho digestivo da pulga.

As pulgas não possuem asas e seus corpos são achatados nas laterais, possuindo pelos e espinhos, facilitando a movimentação.

Com três pares de pernas anexadas ao seu tórax, as pernas traseiras são bastante longas e podem ser dobradas através de várias juntas. Para saltar, a pulga curva sua perna e uma almofada de proteína elástica chamada resilina armazena energia. Um tendão mantém a perna curvada no lugar. Quando tendão é liberado, a perna retorna à posição inicial praticamente no mesmo instante e a pulga acelera . No pouso, a pulga usa minúsculas garras localizadas nas extremidades de suas pernas para agarrar-se à superfície. Essa estrutura possibilita que uma pulga pule 1 metro de distância (200 vezes o próprio tamanho). Seria o equivalente de um ser humano saltar o comprimento de um campo de futebol inteiro.

Afora algumas adaptações específicas, as pulgas são muito parecidas com os outros insetos.

 

Assista a uma pulga pulando em câmera lenta (áudio inglês)

 

A Reprodução das pulgas

As pulgas fêmeas copulam sobre as costas dos machos, que por sua vez, possuem dois órgãos genitais extremamente complexos.

Cada um dos órgãos genitais do macho possuem 1/3 do comprimento total do corpo do animal, com um deles responsável por segurar a pulga fêmea durante a cópula e o outro é o órgão reprodutor.

As fêmeas possuem uma cavidade atrás do abdômen para armazenar esperma, que mantém o esperma ativo durante vários meses.

 

 

Ciclo de vida das pulgas

As pulgas se desenvolvem por meio de metamorfose completa. O ciclo das pulgas é dividido em 4 fases: ovo, larva, pupa e inseto adulto. A característica desse ciclo é uma vantagem evolutiva para a pulga e faz com que seja particularmente difícil para os donos de cães que tentam erradicá-la.

O ciclo inteiro do ovo para a fase adulta gira em torno de 2 à 3 semanas. Esse tempo pode ser mais longo em temperaturas frias.

 

Ciclo de vida de uma pulga. Foto: Reprodução

Ciclo de vida de uma pulga. Foto: Reprodução

 

O Ovo

Levando em consideração que na população de pulgas dentro de uma casa, cerca de 1/3 se encontra em estágio de ovo, é fácil compreender a rapidez da reprodução e consequentemente das infestações. Espera-se que por dia, uma fêmea adulta se alimente de 2 a 3 vezes e  ponha até 40 ovos por dia. As pulgas fêmeas podem chegar a colocar 800 ovos durante sua vida.

Os ovos são depositados no hospedeiro, porém geralmente caem no ambiente. Por representarem 1/12 do tamanho de uma pulga adulta, isso significa que eles podem se desenvolver literalmente em qualquer minúscula cavidade no ambiente (camas, carpetes, no piso, etc) de maneira imperceptível. Os ovos incubam melhor com a temperatura entre 18 e 26ºC e no clima quente e úmido.

Tipicamente os ovos levam de 1 à 10 dias para eclodir.

 

Larvas

Quando o ovo eclode, a larva emerge. Essa criatura minúscula de aparência similar a um verme branco segmentado e com tamanho de 1,5 mm se alimenta de matéria orgânica, como pele seca e até das fezes de outras pulgas (contendo sangue seco). Por não gostarem de luz, geralmente migram para um lugar mais escuro, como as frestas do chão, para se desenvolverem.

Como as larvas não suportam e sucumbem com temperaturas maiores de 35ºC, é bem provável que elas estejam nas áreas com sombra e protegidas do calor do verão.

O desenvolvimento da larva passa por três estágios, ou ínstares, e nesse período ocorrem as trocas de peles. Depois desse processo então ela é capaz de secretar o casulo pupal.

O tempo gasto no estágio larval depende das condições ambientais. O estágio da larva tipicamente dura de 5 à 15 dias.

 

Pupa

Uma vez dentro do casulo, a larva começa a se transformar em uma pulga adulta. Os casulos são estruturas praticamente indestrutíveis. Sua superfície pegajosa atrai sujeira e restos que acabam por camuflá-lo.

Podem ficar adormecidas por muitos meses e só saem quando percebem a presença do hospedeiro através de fatores como o calor, a vibração e dióxido de carbono.

 

Pulgas Adultas

A pulga adulta já está completamente desenvolvida e só deixa seu casulo quando sente que um hospedeiro está disponível. A pulga então pula imediatamente no animal e começa o processo de alimentação. Uma pulga fêmea adulta pode começar a colocar ovos nas primeiras 24 e 48 horas de sua primeira refeição. Assim, dando continuação ao ciclo de vida.

Dependendo do ambiente, pulgas adultas podem viver cerca de 4 à 6 semanas.

 

Doenças transmitidas/causadas por pulgas 

Conheça os possíveis problemas e doenças causados por pulgas.

– Coceira e lesões dermatológica.

– Os cães podem desenvolver dermatite por alergia a picadas de pulgas (DAPP). A alergia se dá devido a saliva que as pulgas inoculam na pele através da picada. Essa condição pode causar hipersensibilidade, prurído cutâneo e perda de pelo (especialmente na região lombar), podendo evoluir para infecções secundárias.

Apesar de todas as raças poderem ser acometidas desse mal, algumas são mais pré-dispostas, como o Pastor Alemão e o Cocker Spaniel.

– Em casos extremos, pode causar anemia.

– As pulgas podem transmitir Dipylidium caninum.

– As pulgas estão associadas à transmissão da bactéria Bartonella henselae, conhecida por também causar sintomas semelhantes a um leve resfriado em pessoas.

– As pulgas também podem transmitir espécies da bactéria Rickettsia, que provoca febre e erupções nas pessoas.

– São agentes transmissores da peste bubônica. Uma espécie particular, a pulga do rato (Xenopsylla cheopis). Ao se alimentar dos ratos, o aparelho digestivo da pulga fica bloqueado pela bactéria da peste. Então, quando morde o próximo hospedeiro, regurgita o sangue infectado para dentro da ferida.

 

Como descobrir seu o cachorro está com pulgas? Foto: Reprodução/Google Images

Como descobrir seu o cachorro está com pulgas? Foto: Reprodução/Google Images

Como descobrir se o seu cachorro está com pulgas

Para cada pulga que você vê, há 50 outras que você não vê. Por isso, se o seu cão está se coçando muito, é possível que ele esteja infestado.

Você pode inspecionar com um pente fino com cerdas bem próximas, desenvolvidas para passar e remover tudo que esteja no pelo.

Passe pelo corpo do seu cachorro, dando atenção especial para a parte inferior das costas, perto da cauda.

Se você não encontrar pulgas, observe pequenos pedaços pretos de resíduos, podem ser provenientes de pulgas, já que o material fecal das pulgas consiste basicamente de sangue animal seco. Para exame mais próximo, coloque o resíduo em cima de um papel toalha e passe um pouco de água. Veja se ganha uma cor avermelhada.

 

Tratando o ambiente

Imagine que apenas 5% das pulgas se encontram no animal e os 95% estão no ambiente. Por isso é essencial que o dono trate o ambiente e o cachorro paralelamente.

Conheça algumas opções para tratar o ambiente e deixá-lo livre de pulgas:

– O aspirador com potência de no mínimo 1.000 watts. Seu poder de sucção consegue recolher os ovos que ficam presos nos carpetes. É importante aspirar as diversas superfícies nas quais os ovos podem estar escondidos.

– Pode ser uma boa prática a aspersão de inseticida aerossol no saco do aspirador, após o serviço, com o intuito de eliminar as pulgas adultas. Após o processo, descartar o saco.

– Após a lavagem usual dos pertences usados pelo cão, ferver por 10 minutos cobertores e panos.

– Em casos de infestações severas, é recomendado realizar uma dedetização no ambiente com empresas especializadas em controle de pragas urbana.

 

Coceiras. Foto: Reprodução/Google Images

Coceiras. Foto: Reprodução/Google Images

Tratando o animal

O ideal é que o tratamento seja administrados de maneira preventiva, sistemática e constante com o uso de antipulgas com efeito residual (medicamentos aplicados que combatem apenas as pulgas adultas).

Use apenas produtos que sejam de uso veterinário e jamais aplique nos animais inseticidas para controle ambiental de insetos.

Há diversos produtos de marcas conhecidas, do tipo spray ou spot (para pingar). A dosagem dos produtos varia dependendo do porte do animal e seu peso.

Os sabonetes e shampoos antipulgas podem ser ineficazes, pois não apresentam o efeito residual e podem ser tóxicos para filhotes e animais idosos.

Converse com o seu veterinário e ele irá indicar o melhor medicamento para o seu cachorro.

 

 

curiosidade-pulgas-cachorroCuriosidade sobre Pulgas: Circo de pulgas

Há uma lenda que na Europa do século XVIII e XIX existia os chamados circos de pulgas como forma de entretenimento para o público.

É altamente improvável que, caso tenha de fato existido, as pulgas tenham sido adestradas, por sua natureza, curto ciclo de vida e dificuldade de manipulação.

 

Referências online

VetStreet

Dogs.About

UOL

Como tudo funciona

Frontline 

 

Referências impressas

Primeiros Socorros para Cães e Gatos – Amy D. Shojai

Editora Gutenberg, 2ª Edição.

Larousse – So cão ao cãozinho – Sob a direção do Dr. Rousselet-Blac

Editora Larousse, 2ª Edição

 

 

Dicas para um aniversário de cachorro criativo e acessível

por Maluh Bastos — publicado 15 fev 2019 - 20:10

Cachorros de raças diversas com chapéus de aniversário

Todo mundo ama uma festinha de aniversário e, com os dogs, parece que não está sendo diferente. Apesar de não saberem dos preparativos e de quando será a tão esperada data, no dia, é visível a alegria dos pets em uma festa em que tudo foi pensado exclusivamente para a diversão e, por que não, para o apetite deles. A indústria para aniversário de cachorro só cresce no Brasil todo e o segmento anda movimentando desde o buffet especializado nos dogs até as decorações e animações voltadas para os cães.

 » Read more about: Dicas para um aniversário de cachorro criativo e acessível  »

Quando levar um filhote para casa?

por Maluh Bastos — publicado 14 fev 2019 - 7:10

alt="filhoteparacasa"

A ansiedade para levar um filhote para casa é enorme. Todos os donos de pet já passaram por isso. Sejam adotados ou adquiridos em canis especializados, sejam os donos adultos ou crianças, sejam os cães SRDs ou de raça… a vontade de tê-los animando nossa rotina é grande demais e, algumas vezes, queremos fazer o tempo correr mais rápido e pegar o filhote como está para darmos todo o carinho do mundo. Porém, essa vontade,

 » Read more about: Quando levar um filhote para casa?  »

Cães e psicologia também tem tudo a ver: conheça o behaviorismo

por Maluh Bastos — publicado 13 fev 2019 - 7:10

alt="caesepsicologia"

Cães e psicologia. Há quem diga que são temas totalmente distantes um do outro. Mas, não são tanto assim. Se hoje seu cãozinho consegue aprender coisas fascinantes com algumas recompensas ou correções é graças a estudiosos da psicologia. Como o chamado ‘behaviorismo’ (ou estudo do comportamento) que é um segmento da psicologia baseado em estímulos que justifica bastante as respostas dos nossos dogs aos treinamentos que fazemos com eles.

Qual é a primeira coisa que você faz se seu cachorro faz xixi no lugar certo?

 » Read more about: Cães e psicologia também tem tudo a ver: conheça o behaviorismo  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Dicas para um aniversário de cachorro criativo e acessível

por Maluh Bastos — publicado 15 fev 2019 - 20:10

Cachorros de raças diversas com chapéus de aniversário

Todo mundo ama uma festinha de aniversário e, com os dogs, parece que não está sendo diferente. Apesar de não saberem dos preparativos e de quando será a tão esperada data, no dia, é visível a alegria dos pets em uma festa em que tudo foi pensado exclusivamente para a diversão e, por que não, para o apetite deles. A indústria para aniversário de cachorro só cresce no Brasil todo e o segmento anda movimentando desde o buffet especializado nos dogs até as decorações e animações voltadas para os cães.

Cachorros de raças diversas com chapéus de aniversário

Aniversário de cachorro é uma tendência que veio para ficar.

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (ABINPET), o Brasil é o 3º país do mundo com maior faturamento em produtos pet e o 4º país do mundo em população total de animais de estimação. Essa estatística somada ao já famosos amor e carinho brasileiros traduzem o porquê de tanto aniversário de cachorro estar se proliferando pelos bairros e cidades do país.

A indústria, é claro, vai crescer junto. Para se ter uma noção, uma festinha para cão pode custar dos singelos R$50 a R$150 (por um bolo comestível para cães) aos não tão singelos R$20 mil (se você quiser salão de festas, decorações, balões, fotografia, animadores, etc.).

Pastor alemão com balões azuis

Dos mais simples aos mais chiques, os aniversários estão bombando.

Aliás, o preço máximo não tem limites – a extravagância é do tamanho que se permitir e se puder, claro. Porém, nos pacotes e kits de aniversariantes dos buffets caninos, a faixa de preço pode permanecer entre os R$80 aos R$200.

Dicas para o aniversário de cachorro

Existem algumas dicas para que você faça uma festa ainda mais criativa e linda para o seu cãozinho. Claro que se você quiser a festa pode ser caríssima. Seu dog merece, aliás. Porém, você verá que com pouco dinheiro, você também pode fazer uma festinha de arromba para o público humano e canino.

01 ) Use a criatividade na decoração e no tema!

Nem sempre estamos com aquela reserva na poupança para o aniversário do Luke, da Maya, do Spot, da Laika… por isso, é preciso usar a cabeça para ter ideias legais na decoração da festa.

Uma delas é se utilizar de elementos relativos a cachorros para decorar. Por exemplo: recortes em formatos de ossinhos e patinhas. Pegar um balão e colar orelhinhas de cartolina e um focinho de papel com uma língua e dois olhinhos também é uma ideia. Para a mesa, abuse dos ossos e das patinhas, potinhos pequenos para simular cumbucas de comida e de água.

Decoração de mesa de aniversário para cachorro

Abuse de elementos como patinhas e ossinhos. Pode utilizar elementos infantis também que combinem com o tema dos dogs.

Caso isso seja muito trabalhoso para você, segue outra ideia: utilize temas de filmes ou histórias que tenham cachorros ou animais como personagens principais, por exemplo: 101 dálmatas, Scooby-doo, Snoopy, Madagascar, Os Sem Floresta, etc.

Em última hipótese – ou até em primeira – pode utilizar utensílios de festa normais. Chapéuzinhos de cone, balões, bandeirinhas… tudo fica mais fofo com nossos dogs.

02 ) Para o bolo, use receitas caseiras

Existem empresas especializadas em fazer bolo para cachorro e as receitas são bastante variadas. Porém, para quem não se programou para isso, segue a dica: faça um bolinho com base de ração!

É muito simples. Baste umedecer a ração para que ela se torne uma massa molhadinha. Coloque-a numa forma e depois leve-a ao forno por aproximadamente 10 minutos.

Bolo caseiro para cachorro

Bolo caseiro é sempre uma boa pedida para economizar e fazer bonito (Img: Joanna Meyer)

Você pode fazer mais de uma massa para criar duas ou três bases. Como recheio e cobertura, é possível utilizar comida de lata ou sachê. Para o toque final, para fazer o efeito dos confetes, use ração de filhote que costumam ser bolinhas pequenas e coloridas. Espalhe por cima do bolo e terá um efeito bem bacana.

03 ) Os aperitivos

Você pode seguir a mesma receita do bolo para fazer ‘cupcakes’ caninos ou até mesmo ‘brigadeiros gourmet’ caninos de sabores variados. O recheio vai mudando de acordo como sabor do sachê ou comida enlatada que você escolher.

Porém, você pode usar os próprios petiscos para cachorro como aperitivos da festinha. Ossinhos, bifinhos, enfim… o petisco é liberado!

Bolo temático com prato de petiscos

Os petiscos podem ser adquiridos em lojas e colocados em pratos decorativos

Porém, atenção: cuidado na hora de servir os petiscos.

De preferência, distribua para os donos primeiramente e peça para que todos deem na mesma hora em locais separados. A disputa por comida é um dos cuidados mais importantes numa festinha para cachorros. Não queremos que a festa se transforme numa briga generalizada.

04 ) Sociabilização saudável

Como já foi dito acima, você deve prestar atenção para que sua festa seja um sucesso. Para que isso aconteça, não basta a decoração e a comida estarem no ponto. O clima da festa deve ser agradável e confortável para os convidados, não é?

Por isso, na hora de fazer a lista de convidados, observe bem o perfil de cada um deles. Se o seu pet tiver um amigo mais “brigão”, converse com dono deste amigo e talvez leve uma lembrancinha para ele em outra ocasião – o aniversário de cachorro não é um ambiente para ele.

Como terão muitos animais presentes, certifique-se que os convidados sejam dóceis e bem sociabilizados. A harmonia do ambiente, no fim das contas, também será de sua responsabilidade.

Cavalier King Charles e Bulldog Francês deitados em aniversário

A sociabilização é fundamental para que todos fiquem tranquilos e a festa transcorra com harmonia.

Além disso, evite brincadeiras muito ‘acaloradas’ (disputas por comidas, corridas, torcidas, música alta, etc.) para que os animais não se agitem muito. A excitação em excesso pode levar ao estresse e à agressão.

No mais, é alegria na certa! Curta o niver do seu dog com os amigos humanos e de quatro patas.

Quando levar um filhote para casa?

por Maluh Bastos — publicado 14 fev 2019 - 7:10

alt="filhoteparacasa"

A ansiedade para levar um filhote para casa é enorme. Todos os donos de pet já passaram por isso. Sejam adotados ou adquiridos em canis especializados, sejam os donos adultos ou crianças, sejam os cães SRDs ou de raça… a vontade de tê-los animando nossa rotina é grande demais e, algumas vezes, queremos fazer o tempo correr mais rápido e pegar o filhote como está para darmos todo o carinho do mundo. Porém, essa vontade, se concretizada, pode fazer mal ao filhote e afastá-lo da mãe e da ninhada antes do tempo pode prejudica-lo em mais aspectos do que você imagina.

Filhotes de cachorros

A ansiedade para levar um filhote para casa é grande, pois é uma fase realmente adorável.

Antes de levar um filhote para casa

É importante ressaltar primeiro que o aspecto psicológico do cão funciona diferente do humano. Se o processo for levado da forma natural, sem maus tratos e com o tempo certo, a tendência é que o cão não crie traumas, pois, os cães não vivem no passado – eles vivem o presente.

Claro que experiências fortes e agressões podem gerar inseguranças e reações instintivas como consequência, porém, se tudo for feito de forma saudável, o cão não ficará lembrando da mãe ou dos irmãos com saudades – isso é coisa de humanos!

Filhotes de cachorros

Se feito de forma natural e com carinho, a tendência é que o filhote se adapte facilmente à nova família.

Porém, isso não quer dizer que você o tratará com indiferença ou descuido. Pelo contrário: você deve cuidá-lo com carinho e amor para que ele se adapte rapidamente ao novo ambiente e se sinta confiante na nova rotina e com os novos membros da sua pequena matilha.

A insegurança, no início, é normal, pois os cheiros são novos, as pessoas são novas, o ambiente é novo. Mas, se tratados com carinho, disciplina e atenção, a tendência é que se adaptem rapidamente no dia a dia da família sem maiores transtornos.

Quando levar um filhote para casa?

Há quem diga que o prazo ideal para levar retirar um cão da ninhada é de 40 dias. Porém, este prazo é questionável, principalmente quando se considera a amamentação e a sociabilização e interação do cão que são aprendidos com a mãe.

Sociabilização

Sim, muitas questões comportamentais básicas como a sociabilização são aprendidas cedo, com a mãe dos filhotes. A mãe controla hábitos dos cães e lhes impõe limites. Quem já teve a oportunidade de observar uma ninhada de filhotes recém-nascidos, já deve ter percebido movimentações interessantes. Por exemplo: a mãe se levantar quando cansa de se amamentar. Ou a mãe rosnar e latir rapidamente quando os filhotes estão muito efusivos ao seu redor. Ou, ainda, apanhá-los com a boca para retirá-los de algum lugar no qual, segundo ela, o filhote não deveria estar.

Cachorros Filhotes

As mães ensinam muito aos seus filhotes

Este é um tipo de disciplina quase insubstituível, pois, só os cães conseguem se comunicar da forma que se comunicam. Os limites impostos pela mãe e a forma que elas os exige é muito mais fácil para a compreensão dos cãezinhos do que o nosso “não!”. Enquanto eles irão se esforçar muito para nos entender, com a mãe, a mensagem é captada mais facilmente e ela, como líder dos filhotes, a obediência vem quase que imediatamente.

Além da mãe, existe a convivência com os irmãos de ninhada que também ensina muito. Entre eles, é trabalhada a segurança e a coragem nas brincadeiras. Um cãozinho inseguro pode ser um problema sério para os futuros donos. Há adestradores que digam que um cão inseguro é até mais perigoso que um cão agressivo, pois, você nunca sabe o que pode despertar uma reação indesejada dele.

Cachorros Filhotes

Irmãos podem se ensinar muito na ninhada.

Por isso, essa convivência com os irmãos é muito importante para garantir que o filhote não tenha medo de outros cães e saiba interagir em bando sem agressividade ou medo.

Amamentação

É fundamental que os cãezinhos estejam bem de saúde. Por isso, o leite materno é vital para que o sistema imunológico deles esteja com tudo em cima. Através do colostro da mãe, as substâncias necessárias para o fortalecimento da imunidade dos filhotes são transmitidas e garante um desenvolvimento forte para todos da ninhada.

Também é importante cuidar da saúde da mãe neste período. Garantir que ela amamente em um lugar calmo, arejado e tranquilo para que tenha paciência ao amamentar os seus filhotes (já imaginou aquela ninhada de 10 filhotes?).

Cachorros Filhotes

Amamentação é fundamental para criar a imunidade dos filhotes

Porém, como já foi citado, ela mesma sabe seus limites – no entanto, fique atento! Existem cadelas que se negam a dar de mamar por motivos de estresse ou de saúde. Se o tempo de distância entre a cadela e os cãezinhos começar a se prolongar demais, procure um veterinário.

No fim das contas…

Somando o tempo médio de amamentação – a maioria das cadelas costumam alimentar os filhotes até os dois meses (pouco mais ou menos) – com o tempo de educação e socialização com irmãos e mãe, podemos dizer que três meses é o ideal para levar o filhote para casa com segurança e tranquilidade de que está pegando um cãozinho seguro por dentro e por fora.

Cachorros Filhotes

Levado na hora certa, o filhote irá se adaptar perfeitamente na sua nova família!

Mantendo os cuidados da mamãe e o amor dos irmãos caninos, com certeza o filhote irá se incorporar à sua família humana com muita facilidade!