Brincadeiras para o verão com o seu dog

Confira algumas dicas e brincadeiras para o verão com o seu dog.

por Maluh Bastos — publicado 22 fev 2019 - 8:26

O verão está quase no finzinho, mas o calor parece não querer ir embora tão cedo. Por isso, é importante pensar em formas de se cuidar e de se conviver com a época mais quente do ano. E algumas das atividades que muitas vezes não pensamos antes de fazer são as brincadeiras para o verão.

Cães brincando na água com graveto na boca

O verão é uma época propícia a atividades fora de casa e com muita diversão!

Para esta estação, é importante pensar em brincadeiras ao ar livre, porém, em horários saudáveis e com observações específicas para os pets para que consequências desagradáveis não ocorram.

Como as chuvas não costumam aparecer tanto nesta época, é claro que as atividades fora de casa vão ser as principais. Porém, é fundamental ficar atento aos horários, pois a irradiação solar costuma ficar perigosa em determinados períodos do dia.

01 ) Em todas brincadeiras para o verão… Procure não sair das 09h às 16h

Antigamente, poderíamos dizer das 10h às 16h, no entanto, hoje em dia, é compreensível evitar o sol a partir das 09h da manhã no verão – ele já costuma estar bem quente nesse horário.

Saia de manhã cedo e ao fim da tarde. Estes são os melhores horários para desfrutar de atividades ao ar livre com seu dog. O sol estará mais morno e queimará menos – consequentemente, o chão estará mais frio e evitará queimar as patinhas do seu cachorro.

Cão e dona correndo na praia no amanhecer

De manhã cedinho é um ótimo horário para brincar com o cachorro no verão

Além disso, a desidratação costuma ocorrer menos nesses horários pelo fato da temperatura ser mais amena. Porém, de qualquer maneira, tenha sempre água consigo para hidratar você a seu pet em meio as brincadeiras para o verão.

02 ) Caminhadas e trotes – evite corridas puxadas!

A não ser que o cão já seja realmente um atleta, evite começar o ‘projeto fitness avançado’ do seu cãozinho nesta época. Como o ar costuma ficar mais abafado e o calor é mais intenso, a tendência é que a respiração fique um pouco mais dificultosa.

Porém, as caminhadas são ótimas para fazer no verão, ao ar livre, com seu pet! De manhã cedinho ou no final da tarde, leve seu cachorro para uma caminhada longa e proveitosa.

Casal caminha com cachorro da raça boxer

Caminhadas são ótimas como exercício.

Claro que você deve observar a capacidade e a resistência do cão. Cães menores e com condições como braquicefalia (buldogues, pugs, etc.) têm tendência a aguentar menos tempo de atividade física que outros cães. Para eles, algo por volta de 10 a 20 minutos de caminhada já pode ser uma boa pedida.

Porém, raças como labradores, border collies, SRDs, huskys, Golden retrivers, entre outros, podem caminhar bastante – de 30 minutos até mais de uma hora (dependendo do condicionamento físico).

Dica 1: existem guias específicas para caminhada! Elas são longas e você pode coloca-las ao redor da cintura para manter o cão perto de você e no seu mesmo ritmo de passada.

Homem correndo com daschund em guia apoiada na cintura

Guias específicas para caminhada e corrida. (Img: surfdogaustralia.com)

Dica 2: As caminhadas, além de ótimo exercício, serão grandes aliadas para o comportamento! Cães mais exauridos fisicamente, costumam ficar mais tranquilos, menos bagunceiros e menos agressivos. Fica a dica.

 03 ) Pegar a bolinha

Serve para qualquer outro brinquedo que também seja drive (objeto de desejo intenso) do seu animal. Observando os horários já mencionados, saia para algum lugar aberto e que possa soltar o seu cão (parque pet, quintal de casa, terreno fechado, etc.).

Instigue o animal jogando o objeto e incentivando-o a busca-lo para você. A ideia é que o objeto seja sempre trazido de volta para o dono – nunca deixado no meio do caminho, se não a brincadeira perde o seu propósito, não é?

Poodle champagne com bolinha laranja na grama

As bolinhas são grandes aliadas para brincar do lado de fora (outros brinquedos também são válidos)

Às vezes, o cão demora um pouco para pegar a ideia, mas depois de algumas tentativas, eles costumam associar o que o humano deseja rapidamente. Porém, se mesmo depois das investidas você perceber que ele não se interessou pela brincadeira, talvez seja melhor passar para outra.

Essa talvez não seja uma das brincadeiras para o verão favorita do seu pet…

04 ) Esconde-esconde

Sim, essa brincadeira é possível de ser feita com cães!

Na verdade, é uma brincadeira interessante e exercita bastante o faro do animal. Você irá precisar de mais uma pessoa para lhe ajudar na brincadeira, mas é muito fácil:

Uma pessoa irá segurar o cão de costas para você enquanto você se esconde (o ideal é que seja num ambiente aberto e com possibilidades de se esconder como árvores, postes, pilastras, etc).

É importante não ficar muito perto, se não a brincadeira fica muito fácil – além disso, o cão não pode ver para onde você está indo, por isso, seu parceiro tem que segurar o cão de costas em todos os momentos.

Pastor preto corre em direção à frente da câmera

Quando encontrá-lo, o cão virá diretamente até você.

Quando você estiver devidamente escondido, o seu parceiro libera o cão para que ele o procure. Caso ele não se recorde do que está procurando, basta chamar o nome dele uma vez.

Porém, o interessante é observá-lo procurar você apenas pelo cheiro. Costuma ser certeiro!

No entanto, se ele não te achar, não se preocupe! É um exercício. Com o tempo, ele vai se acostumando e vai acha-lo cada vez mais rápido, sem dificuldade nenhuma.

Dica: É uma das brincadeiras para o verão que acaba servindo como treinamento super útil para o olfato canino e para a identificação do seu pet com o seu cheiro, caso um dia seja necessário usá-lo.

05 ) Nadar e nadar!

Mais uma das brincadeiras para o verão é a natação para os cães. O calor está forte e a água refresca muito nesta época do ano. Além disso, é um elemento da natureza na qual todos os animais têm uma conexão muito forte (ninguém ensina o cachorro a nadar, por exemplo, ele já sabe sozinho, não é?).

Por isso, se for possível, adquira um balde grande ou recipiente largo e o encha de água para que seu cão possa nadar ou se refrescar. Caso tenha piscina, é sempre legal deixa-lo tomar um banho pelo menos uma ou duas vezes na semana antes de aspirá-la e fazer uma limpeza nela.

Dogue de bordeaux dentro de uma piscina de plástico azul pequena

Um balde largo ou recipiente para colocar água já vira uma grande diversão!

Outra opção é brincar água de maneiras alternativas. Mangueiras, potes de água, chuveiro, tudo pode se tornar uma grande brincadeira para se refrescar. (Sem abuso, claro, para não resfriar e cuidado sempre com os ouvidos do animal – proteja-os com um algodão).

Cãozinho brincando com uma mangueira na grama

Brincar com a mangueira pode ser uma opção também!

Porém, se você não tiver nenhuma dessas opções, sobre a grande piscina gratuita da humanidade: a praia!

Levar o seu cãozinho a praia é super legal e divertido. Lá, ele estará em contato direto com a natureza e poderá usufruir dela com a maior naturalidade possível.

No entanto, nós, como humanos, temos algumas responsabilidades.

Dica 1: Primeiramente, atenção nos horários! Vá sempre de manhã cedinho ou final da tarde com seu cão. A insolação canina também existe!

Dica 2: Leve sempre o cata-caca e limpe a sujeira do seu cãozinho. Aliás, se puder caminhar com ele antes de ir à praia para que ele faça as necessidades antes do passeio é melhor ainda. Mesmo depois de recolhida as fezes, a areia ainda fica suja com resto dos dejetos e o xixi é muito difícil de limpar.

Dica 3: Por fim, garanta que seu cachorro tenha tomado todas as vacinas e medicações necessárias para o passeio à praia. Em algumas regiões, a praia é ambiente de diversos mosquitos como o da leishmaniose que é perigosíssimo para os nossos dogs. Por isso, atenção redobrada!

Labrador 'surfando' numa onda do mar

Com responsabilidade, #vaitercachorronapraiasim

Com tudo isso em dia, é só curtir o marzão e aproveitar porque, com educação, #vaitercachorronapraiasim!

Meu cachorro não quer comer! O que fazer?

por Handreza Hayran — publicado 12 ago 2019 - 9:45

cuidar do cachorro

Meu cachorro não quer comer. E agora? Essa é uma pergunta muito comum pra quem tem um cachorrinho em casa. Mas fique tranquilo se acaso esse comportamento acontecer apenas de forma eventual. Contudo, se o seu cachorro não estiver querendo comer há alguns dias, ligue o sinal de alerta. A falta de apetite, no entanto, pode indicar alguma doença.

De fato, a falta de apetite do seu cão pode apresentar uma série de causas.

 » Read more about: Meu cachorro não quer comer! O que fazer?  »

O que se deve saber sobre o banho e tosa?

por Handreza Hayran — publicado 12 ago 2019 - 9:45

banho do cachorro

O banho e tosa são essenciais. Se acaso você tem um animalzinho de estimação e deseja saber mais sobre o assunto, então acompanhe esse artigo e saiba mais sobre a prática, tão importante para o seu pet.

O banho e tosa é muito útil e importante. Isso porque todo o pet precisa de uma boa higiene para manter-se sempre limpo. Mas, é claro que nem sempre os donos têm tempo de fazê-lo em casa.

 » Read more about: O que se deve saber sobre o banho e tosa?  »

Cachorros fofos: Conheça os mais famosos

por Handreza Hayran — publicado 11 ago 2019 - 9:45

Filhote branco da raça Samoieda representa cães no verão

Quem gosta de animais de estimação certamente sabe que é difícil resistir a um cãozinho fofo. Aliás, eles não são apenas cachorros fofos, eles ajudam os humanos em diversas tarefas.

Hoje em dia podemos encontrar cães que participam de operações policiais, sobretudo em resgates, tratamentos e muito mais. Aliás, temos os cães guias, que fazem um trabalho muito importante. Que tal conhecer os cachorros fofos mais amados do mundo?

Raças de cachorros fofos

Antes de mais nada,

 » Read more about: Cachorros fofos: Conheça os mais famosos  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Meu cachorro não quer comer! O que fazer?

por Handreza Hayran — publicado 12 ago 2019 - 9:45

cuidar do cachorro

Meu cachorro não quer comer. E agora? Essa é uma pergunta muito comum pra quem tem um cachorrinho em casa. Mas fique tranquilo se acaso esse comportamento acontecer apenas de forma eventual. Contudo, se o seu cachorro não estiver querendo comer há alguns dias, ligue o sinal de alerta. A falta de apetite, no entanto, pode indicar alguma doença.

De fato, a falta de apetite do seu cão pode apresentar uma série de causas. Pode ser que ele apenas não goste da ração em questão ou então esteja ruim do estômago. No entanto, ela deixa de ser normal quando ultrapassa 2 dias de duração.

1. Por que meu cachorro não quer comer?

O que responde a sua pergunta “por que o meu cachorro não quer comer” são diversas hipóteses. Algumas delas são:

Seu cãozinho pode estar enjoado da mesma ração

ração

Foto: Freepik

Assim como nós, os cães também enjoam de comer a mesma comida de sempre. Portanto, para solucionar esse problema, experimente trocar a ração por outra semelhante e alimente-o, também, com petiscos, legumes e frutas.

Mas, atenção: não é porque o seu bichinho está enjoado da ração que você deve dar comidas que não são indicadas para ele. Todavia, chocolate e comidas com muito sal e tempero não são nada indicadas, certo? Lembre-se que elas prejudicam a saúde do seu animal.

Houve algum tipo de mudança na rotina do seu cão

cachorro não quer comer

Foto: Freepik

Os cães são muito influenciados, sobretudo, pelo que acontece ao seu redor. Por isso, mudanças na rotina, como a mudança de residência, a estadia em uma casa diferente ou um hotel, ficar longe dos donos e muitas outras podem interferir no apetite do cão.

Aliás, perder alguém querido, humano ou animal, também faz com que o apetite do seu cão seja perdido. Isso porque, assim como nós, os animais sofrem. Com isso, apresentam mudanças, assim como qualquer outro ser com sentimentos.

Outra coisa que influencia é a mudança da temperatura. Oscilações de temperatura, ou seja, momentos de calor ou frio em excesso, fazem com que o cachorro perca o apetite. Avalie, então, se essas não são as respostas para a pergunta: “por que meu cachorro não quer comer?”. Nesses casos, não se preocupe que a falta de apetite do seu cãozinho durará no máximo 1 dia.

No entanto, se durar mais, procure um veterinário. Especialmente se essa falta de apetite vier depois de uma perda. Desse modo, seu cão pode desenvolver depressão.

Quando o cachorro não quer comer ele pode tá com problema de saúde

cachorrinho

Foto: Freepik

A falta de apetite do seu cão também pode ser em virtude de alguma doença. Surpreendentemente, há uma série de problemas de saúde que apresentam esse como um dos sintomas. No entanto, não se preocupe, se essa for a causa, o seu cachorro irá negar todo e qualquer tipo de comida.

Além disso, dores de dente também podem afetar o seu cãozinho. E não é só nos humanos que esse tipo de dor é um verdadeiro incomodo, viu? Uma dor de dente canina pode fazer com que seu bichinho tenha dificuldades na mastigação e, em consequência disso, não conseguir comer.

Nesses casos, a melhor escolha é, sem dúvida, levar o seu animalzinho a um médico veterinário para ser examinado. Somente um veterinário poderá passar a medicação e os cuidados corretos, independentemente do problema de saúde do seu animal.

2. Os cães de porte pequeno não devem ficar muito tempo sem comer

Não apenas os cachorros de raças toy, como o pinscher ou o chihuahua, como também os filhotes, apresentam pouca reserva de gordura no corpo. Por isso, no caso de ficarem mais de 12 horas sem ingerir algum alimento, eles têm mais facilidade e probabilidade de sofrer hipoglicemia.

3. O que eu faço quando o meu cachorro não quer comer?

cachorro

Foto: Freepik

Quando o seu cachorro não quiser comer, experimente oferecer a ele pedaços magros de carne de frango ou carne. A partir disso, você poderá perceber, de fato, se é apenas insatisfação com os alimentos ou algo a mais.

No entanto, se caso o seu cão estiver com dores de dente ou dificuldades de mastigação, ofereça a ele papinha de bebê que tenham a carne em sua composição. Se você não tiver a papinha a sua disposição, adicione caldo de frango ou água morna nos alimentos secos, como a ração.

Tente oferecer a comida na mão. Alguns só ingerem algum alimento quando estão doentes desta maneira. Aliás, tente alimentos que tenham um bom cheiro ou aqueles produtos enlatados que são feitos especialmente para cães.

4. Dicas para manter o seu cachorro com uma boa alimentação

ansiedade de separação

Foto: Freepik

Se caso você não esteja se perguntando “meu cachorro não quer comer, o que fazer?”, mas deseja manter o apetite do seu cão e prevenir algum tipo de problema, certifique-se de que a saúde do seu pet está em dia.

Além disso, veja se ele não sofre de ansiedade. Pois, cães com ansiedade também podem sofrer com problemas de apetite. Esses problemas de ansiedade podem acontecer, sobretudo, quando o cachorro fica sozinho em casa por um longo período.

A ansiedade é desenvolvida quando eles ficam esperando por um dos donos chegar de forma quase que obsessiva, chorando e latindo para tentar chamar a atenção de alguém e, em consequência, você volte por isso. É necessário, também, que cuide desse tipo de atitude.

Dica para amenizar a ansiedade do seu cão

Caso o seu cachorrinho apresente sintomas de ansiedade, tente dar a ele brinquedos em que haja a interação. Ursinhos e roupas que tenham o seu cheiro também são ótimas pedidas para aqueles longos períodos longe do seu pet.

5. Cuide do seu cãozinho

Esteja atento quando o seu cãozinho apresentar algum problema com relação a alimentação.

Por fim, lembre-se que você é o tutor dele e é o seu dever cuidá-lo e protegê-lo. O seu cão vê em você um porto seguro. Não deixe de cumprir esse papel.

Além disso, o amor que eles nos oferecem recompensa todo e qualquer tipo de cuidado que tenhamos que ter com eles. Não esqueça que o seu bichinho estará com você nas horas boas e nas ruins. Não é à toa que o cachorro é visto como o melhor amigo do homem!

O que se deve saber sobre o banho e tosa?

por Handreza Hayran — publicado 12 ago 2019 - 9:45

banho do cachorro

O banho e tosa são essenciais. Se acaso você tem um animalzinho de estimação e deseja saber mais sobre o assunto, então acompanhe esse artigo e saiba mais sobre a prática, tão importante para o seu pet.

O banho e tosa é muito útil e importante. Isso porque todo o pet precisa de uma boa higiene para manter-se sempre limpo. Mas, é claro que nem sempre os donos têm tempo de fazê-lo em casa. Ou então, o animal apresenta uma quantia tão grande de pelos que fazer esse trabalho em casa pode ser algo difícil.

Aliás, esse trabalho não é tão simples quanto se pensa. Os profissionais que trabalham com esse tipo de serviço necessitam de capacitação. Por isso, não se engane em pensar que é apenas um banho e um simples aparo nos pelos.

O que se deve saber sobre o banho e tosa?

Para que você se sinta mais seguro, é extremamente importante que você saiba mais sobre o assunto. Assim, você não terá muitas preocupações sobre o assunto.

1. A frequência do banho e tosa de um cão é diferente ao de outro

filhote

Isso porque tudo depende da raça, do tipo de pelagem do seu cão e outros fatores. Por isso, não leve em consideração a frequência do banho e tosa de outro cachorro.

Além disso, apesar da higiene ser muito importante, ainda assim não dever ser feita demasiadamente. Se a higiene for feita de forma excessiva, o banho e tosa podem trazer problemas de saúde para o seu cãozinho, algo que você com certeza não quer.

Outro fator a ser levado em consideração é de que esse momento pode ser estressante ao seu animalzinho. Isso em razão de ele estar em um ambiente desconhecido e longe do seu amado dono. Este é outro motivo para que o banho e tosa não seja feito com muita frequência.

2. Não faça os serviços de banho e tosa em seu pet se você não souber como fazer

Lembre-se de que seus animais não são suas cobaias. E que, além disso, as pessoas responsáveis pelos banho e tosa em um estabelecimento específico pra isso possuem formação.

Aliás, um banho inadequado pode fazer mal a saúde do seu bichinho. Alguns animais apresentam alergias à certos produtos utilizados em banhos e tosas. O seu pode ser um desses, então todo o cuidado é pouco. Como dito anteriormente, um estabelecimento de banho e tosa tem um médico veterinário responsável, ele poderá ajudar o seu pet.

3. Os filhotes demandam mais cuidados quando se trata de banho e tosa

banho

Os primeiros banhos do seu animalzinho devem ser feitos em casa. Isso porque os filhotes têm mais medo e ficam mais estressados em um local diferente e estranho do que os adultos. Não é necessário sujeita-lo a isso em um primeiro momento.

Aliás, não comece a dar banhos em seu bichinho muito cedo. Espere que ele tenha, no mínimo, 2 meses completos. Assim, intoxicação ou alergia aos produtos usados serão menos graves caso ocorram.

Vale lembrar, inclusive, que para que ocorra o primeiro banho e tosa do seu filhote em um estabelecimento é inegavelmente necessário que ele esteja com as vacinas e o vermífugo em dia. Isso porque ele estará em contato com outros cães que, talvez, tenham algum tipo de doença.

4. Há uma série de cuidados a serem tomados pelo profissional responsável

Esses profissionais, que geralmente são chamados de auxiliar de veterinário ou de técnico veterinário, devem tomar uma serie de cuidados ao realizarem banhos em todos os animais. Usar luvas e mascaras, por exemplo, são cuidados essenciais e não devem ser esquecidos.

Além disso, ele não deve, em hipótese alguma, deixar um animal desassistido. Aliás, o local de banho e tosa deve estar devidamente limpo, bem como a gaiola em que o animal ficar.

E por falar em gaiola, não se deve colocar animais de famílias diferentes em uma mesma gaiola, nem mesmo deixar que o animal se seque nela. Para a secagem do animal o secador deve ser usado, mas com o cuidado adequado com a distância e o tempo adequados também.

5. Como procurar o banho e tosa ideal para os meus animais de estimação?

banho e tosa

  • Procure perguntar aos seus amigos e conhecidos sobre indicações de banho e tosa. Ou, se caso não for possível, pesquise na internet e veja o que as pessoas falam sobre os estabelecimentos. Um local mal falado na internet não deve ser opção em nenhum momento.
  • Procure fazer uma boa pesquisa a fim de saber sobre o lugar. Mesmo que seja possível fazer pelo celular, procure visitar o lugar com a desculpa de perguntar o preço. Desta forma, é possível que você conheça o estabelecimento e forme uma primeira impressão sobre o local.
  • Não se esqueça que é de extrema importância que você conheça e confie no local onde seus animais de estimação terão os serviços de banho e tosa. Afinal, não e trata apenas de um banho, mas sim de um cuidado de saúde.

Além disso, se caso você perceber que o banho e tosa em questão não respeitam as normas, procure a vigilância sanitária. Assim, você estará fazendo a sua parte e alertando, de forma indireta, aqueles donos desavisados que levam os animais lá.

6. Quantas vezes meu cachorro deve tomar banho?

cachorrionho

  • Tomar banho uma vez por mês funciona para a maioria dos cães.
  • Cães com uma pelagem oleosa, como Basset Hounds, podem precisar de banho com a frequência de 1 vez por semana.
  • Muitas raças de pelo curto com pelagem lisa, como Beagle e Weimaraners, se dão bem com banhos menos frequentes.
  • Raças com pelos repelentes de água , como Golden Retrievers e Great Pyrenees , devem ser banhadas com menos frequência, de modo a preservar seus óleos naturais.
  • Cães com pelos grossos e duplos, como o Samoiedas, Malamutes e outras raças, se dão melhor com menos banhos e muita escovação extra, que se livra de pelos soltos e mortos e ajuda a distribuir óleos naturais.

O cuidado com o animal de estimação é essencial

cachorro

No momento em que você decide ter um animal de estimação, você está, portanto, assumindo compromissos. Os animais são como crianças. Eles merecem atenção, cuidado, banho e todo amor.

Não adote um animal se você, de fato, não estiver pronto para isso. E se caso estiver, tenha em mente que haverá gastos com os cuidados a serem feitos. Mas, saiba que esses gastos e cuidados são recompensados com o amor que eles têm a oferecer.