Translator

 

Certamente você já deve ter ouvido falar em um dos mitos sobre os gatos por aí, não é mesmo? Temos certeza de que você até sabe que alguns desses discursos são mitos, mas, pode ser que acredite em algumas ideias errôneas que ainda são propagadas por aí.

Para te ajudar a entender melhor esses aspectos, nós do Portal do Dog elaboramos este conteúdo com uma série de mitos que precisam ser quebrados. Acompanhe e confira!

mitos sobre os gatos

Vários gatinhos em um cesto. Foto: Canva.

Mitos sobre os gatos que você precisa quebrar!

Os mitos sobre os gatos, muitas vezes, levam as pessoas a adotarem comportamentos errôneos com relação aos cuidados com os felinos. Por isso, reunimos alguns desses mitos para que você possa refletir e até mesmo pensar se, ao menos uma vez, você já acreditou em algum desses mitos.

E não se esqueça de compartilhar este conteúdo com um amigo, para que possamos disseminar ainda mais informação, combinado?

Vamos agora à lista de mitos:

1. Todo gato odeia água

Apesar de ser um dos mitos sobre os gatos mais propagados e conhecidos, ainda assim há pessoas que acreditam fielmente nesse dizer. Acontece que não é verdade que todo e qualquer gatinho odeia água. Inclusive, há muitos felinos que podem amar tomar banho, brincar de piscina e passear perto da água. É tudo uma questão de personalidade e temperamento, que não dá para generalizar.

Veja mais: Como refrescar o gato no calor?

2. Gato só ronrona quando está feliz

Outro mito comum é esse ideia de que o gatinho só vai ronronar quando estiver feliz e confortável. Acontece que o pet também pode ronronar em outros casos, inclusive de dor e desconforto. Por exemplo, o pet pode começar a ronronar como uma forma de se sentir um pouco mais confortável e acolhido no ambiente em que está, embora esteja vivendo uma situação intensa de estresse e ansiedade.

mitos sobre os gatos

Gatinho se escondendo embaixo do tapete. Foto: Canva.

3. Gato não é carinhoso

Infelizmente, esse é um dos mitos sobre os gatos que acaba gerando um grande preconceito. As pessoas precisam entender que o gato pode, sim, ser muito carinhoso. Acontece que ele não gosta que o carinho seja feito de qualquer forma ou simplesmente ultrapassando os limites que ele impõe.

Normalmente, gatinhos gostam de carinho embaixo do queixo, na base das orelhas e nas bochechas, não gostando do toque na barriga e nas costas. Respeitar esses limites é fundamental, e pode ajudar a perceber o quanto os pets podem, sim, amar carinho.

Veja mais: Como cuidar dos pelos do gato?

4. Sempre caem de pé

mitos sobre os gatos

Vários gatinhos brincando juntos. Foto: Canva.

Esse tipo de crença pode fazer com que muitas pessoas acabem descuidando da segurança do felino, o que pode ser bem perigoso. O que realmente acontece é que esses pets têm um bom reflexo e podem, na maior parte das vezes, cair com as patas viradas para baixo.

Porém, isso não quer dizer que eles nunca caiam de mau jeito ou nunca se machuquem. Por isso, é importante que as casas e os apartamentos sejam sempre telados, para que esses tombos não venham a acontecer a ponto de prejudicar a saúde do animal.

5. São seres solitários

Apesar de muitos gatinhos parecerem solitários, é uma inverdade que eles sempre vão querer estar sozinhos. Os gatinhos podem, sim, criar fortes laços com os seus tutores e outros animais.

Além disso, eles também precisam desse tipo de atenção emocional. Ou seja, o tutor e a família precisa disponibilizar um tempo de qualidade para brincar, acariciar e cuidar do gato. Sem esse cuidado, ele poderá sofrer de abandono emocional, tendo que lidar com questões que causam mal-estar, tédio, tristeza, depressão e ansiedade.

Veja mais: Estímulo mental para cães idosos

6. Gatos são totalmente independentes

Esse mito pode ser bastante perigoso, já que pode propagar a ideia de que os gatinhos não precisam de cuidados especiais, o que é mentira. Os gatos precisam, sim, da atenção do tutor com relação à higiene, alimentação, hidratação e assim por diante.

Sem esses cuidados, esses pontos podem começar a ser negligenciados, o que atrai uma série de contaminações, doenças e problemas de saúde. Portanto, ao invés de acreditar na ideia de que o gato “sempre se vira sozinho”, é bom que nós, tutores, sempre cuidemos de nossas responsabilidades para com eles.

mitos sobre os gatos

Gato siamês olhando para longe. Foto: Canva.

7. Gatos não se apegam a ninguém

Como mencionamos anteriormente, as pessoas acham que os gatos são completamente solitários e que não se importam se têm ou não alguém perto deles, mas isso é mentira. Tanto é mentira que muitos felinos se apegam profundamente aos seus tutores, criando laços fortes e que são significativos.

Portanto, eles precisam e merecem receber atenção de seus tutores, pois, apesar de serem mais “quietinhos” e menos enérgicos que os cães, os gatos têm essa necessidade afetiva que também precisa ser suprida.

Veja mais: Como controlar o peso do cachorro?

8. Gatos só são felizes se saírem de dentro de casa

Infelizmente, esse é mais um dos mitos sobre os gatos que pode colocar a saúde, o bem-estar e até mesmo a vida do animal em risco.

A gente sabe que os gatinhos amam caçar, brincar com alguns capinzinhos que vêem por aí, e assim por diante. No entanto, deixá-los soltos, sem coleira e sem nenhum tipo de supervisão, pode ser bastante perigoso.

Afinal, do lado de fora de casa podem acontecer uma série de complicações, como:

  • O gato pode correr para o meio da rua e acabar sofrendo um acidente de trânsito;
  • Uma pessoa mal intencionada pode roubar o seu gatinho;
  • Alguém que não gosta de animais pode cometer a atrocidade de dar veneno para o seu gato;
  • Seu gatinho pode ir muito longe e acabar se perdendo;
  • Pode se meter em briga com outros animais de estimação, o que pode causar muitos problemas, como machucados e até fraturas perigosas e intensas;
  • Entre outros problemas.

Isso tudo quer dizer que os gatos não necessariamente precisam sair de casa para serem felizes. Eles precisam é de enriquecimento ambiental, brinquedos e esconderijos dentro de casa, áreas para poder subir, caçar cordinhas e correr, e assim por diante. Mas do lado externo, eles não precisam necessariamente.

Ainda assim, se você mora numa casa com quintal e quer permitir as saidinhas do gato, você pode então oferecer a ele o seu jardim, desde que tele tudo, ou então, use coleira durante as brincadeiras – que devem ser sempre sob supervisão.

mitos sobre os gatos

Gatinhos brincando com a mãe deles. Foto: Canva.

9. Gato só dorme e não faz nada

Por fim, outro mito que costuma ser propagado com bastante frequência é a ideia de que os gatos só dormem e não fazem “mais nada”. Embora os bichanos possam, realmente, serem um pouco mais preguiçosos, a verdade é que eles não ficam apenas dormindo o tempo todo.

Eles também brincam de caçar, de correr, de se esconder… Precisam pegar um solzinho, tomam banho, interagem com o tutor, entre outras atividades.

Ou seja, ter um gato não é ter apenas um pet que dorme. Longe disso! Se você tiver um gatinho, vai ver como ele, na verdade, faz muito mais do que apenas dormir.

 

Quebrar com esses mitos sobre os gatos é essencial, concorda? Por isso, convidamos você para enviar esse conteúdo para uma pessoa que ainda acredita em alguma dessas desinformações. Vamos juntos quebrar os tabus dos gatinhos!

Veja agora: