Perfil da Raça do Cão Saluki: A Raça Mais Antiga do Mundo

A raça mais antiga do mundo é um animal de estimação ativo e carinhoso.

por Handreza Hayran — publicado 24 maio 2019 - 9:45

Saluki é uma das raças de cães mais antigas do mundo. Por milhares de anos, essa raça esguia e robusta serviu como cão de caça para os reis. Hoje eles continuam sendo velocistas ágeis e rápidos que adoram uma boa caçada e se divertem ao ar livre, enquanto ao mesmo tempo são animais de estimação gentis e leais com olhos calorosos e fiéis e uma devoção imortal a suas famílias.

Visão geral da raça

GRUPO: cães

PESO: 18 a 27 Kilos

ALTURA: 51 a 78 centímetros

CORES: Branco ou creme, castanho amarelado, preto e castanho ou grisalho e castanho, dourado

EXPECTATIVA DE VIDA: 10 a 17 anos

Características do Saluki

saluki

História do Saluki

história saluki

Esses cães esguios e musculosos foram criados por sua força, velocidade e resistência. Construídos como atletas fortes e equilibrados, os Salukis são reverenciados ao longo da história por sua graça e beleza.

Historicamente referido como o Galgo Persa ou a gazela, sua história antiga pode ser difícil de rastrear. No entanto, os especialistas acreditam que as raízes da raça Saluki podem se estender até 7000 a.C.

Uma vez considerado o cão real do Egito, alguns historiadores sugeriram que o Saluki é, a raça mais antiga. Suas origens podem remontar a 329 a.C, quando Alexandre, o Grande, invadiu a China.

Há representações de cães parecidos com Salukis que aparecem em túmulos egípcios datados de 4.000 anos atrás. Há também esculturas do império sumério que apresentam cães com uma forte semelhança com o Saluki.

O Saluki eram os animais de estimação favoritos entre os reis como faraós egípcios, bem como outras figuras históricas notáveis ​​como Alexandre o Grande.

Origem da raça

saluki

Acredita-se que a raça tenham se originado no Oriente Médio, Egito e Ásia desde muito antes de as pirâmides serem construídas. Particularmente difundida por todo o Egito, essa raça era reverenciada e apreciada.  Outro fato interessante é que seus corpos eram frequentemente mumificados como os antigos faraós.

Os muçulmanos nômades, que geralmente consideravam os cães como animais impuros, consideravam Salukis um presente de Allah. Alguns historiadores acreditam que a raça pode ter seu nome da antiga cidade de Saluk, no Iêmen.

Graças à sua incrível velocidade e agilidade, os árabes dependiam dos saluki para caçar gazelas. Uma raça que caça pela visão, em vez de cheiro, o Saluki também é conhecido por ter uma visão extraordinariamente nítida. Além disso, o cachorro possui a capacidade de executar sua presa para baixo para matá-la ou recuperá-la.

Em contraste com a sua aparência elegante e graciosa, o Saluki é conhecido por ser capaz de caçar gazelas e outros animais. Além do mais, o animal possui uma força bruta e robusta que é capaz de resistir até mesmo às mais severas condições, como areia profunda ou terreno montanhoso.

A primeira presença reconhecida de um Saluki na Inglaterra remonta a 1840. A raça só foi estabelecida após a Primeira Guerra Mundial, quando muitos oficiais britânicos retornaram do Oriente Médio com estes cães.

O Saluki de hoje permanece fiel aos seus antigos ancestrais, desde o seu corpo elegante e olhos quentes até a sua personalidade sofisticada e digna.

Cuidados com a raça Saluki

saluki

Com uma longa história de corrida e rastreamento de animais, o Saluki exigirá exercícios diários para o bem estar físico e mental.

Um animal de estimação ideal para corredores ou famílias ativas, Salukis devem idealmente viver em uma casa com um grande quintal cercado para a sua segurança.

Sem o exercício e estímulo adequados (muita brincadeira e muitos brinquedos e ossos seguros para mastigar), os Salukis são conhecidos por serem adeptos de escapar ou se tornarem destrutivos.

Considerada uma raça independente, muitos se mostrarão difíceis de treinar. Pois eles gostam de pensar por si mesmos e podem precisar de mais persuasão do que outras raças. No entanto, como a maioria dos cães, a maioria dos Salukis deve responder bem aos reforços positivos, como guloseimas e elogios.

Banho

dog

Salukis pode ter uma pelagem emplumada ou lisa, o cachorro necessitará de uma escova semanal.

A raça é conhecida por ser um cão limpo que é livre de odores caninos mais típicos. Sendo assim, requerem banhos pouco frequentes.

Amizade

Estes belos cães são conhecidos por serem reservados e afetuosos, e oferecem um companheirismo dedicado às suas famílias.

Embora o Saluki como uma raça não seja excessivamente demonstrativa, eles formarão laços profundos com seus humanos. Desse modo, são suscetíveis à ansiedade de separação quando deixados por longos períodos de tempo.

Seu alto nível de atividade significa que eles não se sairão bem em um apartamento e sem passeios ao ar livre. Graças à sua velocidade e inclinação natural para perseguir e caçar veados, esquilos ou qualquer outra vida selvagem, uma coleira forte, um proprietário atencioso e lugares seguros e fechados para passear ao ar livre são itens indispensáveis ​​para esta raça.

Socialização

Egyptian-dog-saluki

Esses cães quietos e sensíveis podem se tornar tímidos sem a socialização. Eles são excelentes animais de estimação, pois podem ser destemidos enquanto caçam, mas são gentis e pouco agressivos… Assim, ficam perfeitamente felizes em se aconchegar a seus humanos em um sofá ou cama.

No entanto, o Saluki pode não ser necessariamente a escolha ideal para lares com crianças pequenas. Pois mesmo tolerantes, às vezes podem ser muito ativos para crianças. Eles também preferem a companhia de outros Salukis. Mas podem se dar bem com a maioria das outras raças, desde que não tenham personalidades particularmente dominantes.

Problemas comuns de saúde

raça de cães

Sabe-se que os Salukis estão livres de muitas doenças genéticas comuns. Em geral, pode-se esperar que desfrutem de uma vida saudável e ativa ao longo de sua velhice. No entanto, doenças cardíacas, como arritmia ou corações aumentados ou outros defeitos, bem como algumas condições auto-imunes e sanguíneas, têm sido associadas à raça.

Por causa de seus altos níveis de atividade e tendência a correr vigorosamente, os donos de Saluki devem sempre tomar precauções para prevenir a torção gástrica. Causada por correr e brincar muito cedo depois de comer. Essa condição é uma emergência com risco de vida que requer intervenção veterinária imediata.

Dieta e Nutrição

O Saluki vive bem em qualquer dieta comercial ou preparada em casa de alta qualidade (com supervisão veterinária).

Sabe-se que o apetite desta raça varia muito de cão para cão. Por isso os donos de Salukis com maior apetite devem estar atentos à superalimentação para evitar o ganho de peso exagerado  e problemas relacionados. A água fresca deve estar sempre disponível para esta raça grande e ativa.

Ao determinar se o Saluki é o cão certo para você, pesquise todos os aspectos da raça e consulte outros donos para saber mais.

Como ensinar o cão o que é não

por Camila Da Silva — publicado 16 jun 2019 - 9:45

Como ensinar o cão o que é não, muitas vezes pode ser um processo altamente complexo. No entanto, se fizer do jeito certo, os resultados acabam surgindo e você consegue ter um cachorro obediente e que sabe entender aos seus comandos. Para isso, é importante seguir alguns critérios que vamos explicar no decorrer do texto. Por isso, acompanhe até o final.
Como ensinar o cão o que é não

Se você está tentando entender como ensinar o cão o que é não,

 » Read more about: Como ensinar o cão o que é não  »

Demência em Cães: Atente-se Aos Sinais

por Camila Da Silva — publicado 16 jun 2019 - 9:45

A demência em cães, infelizmente, é algo que pode acontecer. Assim como em seres humanos, esta é uma doença triste que atinge aos poucos um cão de mais idade. Desta forma, é importante que você fique atento aos sinais que o cachorro pode apresentar. E, assim, tentar proporcionar mais qualidade de vida a ele. Acompanhe.
Demência em cães: Atente-se aos sinais

Quando o cachorro vai ficando mais velhinho, uma das características que podem aparecer no dia a dia dele,

 » Read more about: Demência em Cães: Atente-se Aos Sinais  »

Cachorro comeu chocolate: o que fazer?

por Camila Da Silva — publicado 15 jun 2019 - 9:45

Todo mundo sabe que chocolate faz mal para cachorro. Esta é uma guloseima feita para seres humanos que, se ingeridas pelos nossos cães, problemas sérios de saúde podem ocorrer. Entretanto, é importante entender que se o cachorro comeu chocolate, algumas medidas instantâneas podem ser tomadas por você para que o pior não aconteça. Acompanhe.
Cachorro comeu chocolate: o que fazer?

Se o cachorro comeu chocolate, certamente é um indicativo de que ele irá passar mal nas próximas horas ou minutos.

 » Read more about: Cachorro comeu chocolate: o que fazer?  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Como ensinar o cão o que é não

por Camila Da Silva — publicado 16 jun 2019 - 9:45

Como ensinar o cão o que é não, muitas vezes pode ser um processo altamente complexo. No entanto, se fizer do jeito certo, os resultados acabam surgindo e você consegue ter um cachorro obediente e que sabe entender aos seus comandos. Para isso, é importante seguir alguns critérios que vamos explicar no decorrer do texto. Por isso, acompanhe até o final.

Como ensinar o cão o que é não

Se você está tentando entender como ensinar o cão o que é não, está no lugar certo. Com alguns critérios importantes a serem levados em consideração, vamos abordar este tema de forma objetiva e prática. Afinal, tudo que não queremos, é que nosso cão seja desobediente e mal educado, não é mesmo?

Assim sendo, existem formas de você ter um cão acostumado e que entenda quem é o dono de quem. Entretanto, é extremamente importante você entender que ele é um animal. E que sua paciência será testada. Por isso, não desanime, siga firme e acompanhe o texto.

Como ensinar o cão o que é não

Ensiná-lo enquanto filhote é a melhor solução

Podem existir dezenas de técnicas de adestramento de cães que surtem resultados. Mas a forma mais prática de fazer o seu cão entender o que você quer dele, é aproveitar a fase em que ele ainda é filhote. Nesta fase, ele está aprendendo tudo e o cérebro dele ainda está condicionando o estilo de vida que ele vai ter.

Neste caso, o que você precisa fazer, é tratar a situação como uma oportunidade de ensinar o que é não. Pois depois que ele for mais velho, algumas manias e atitudes serão extremamente difíceis de remover. Portanto, promover práticas saudáveis de conduta desde que ele é filhote é uma das formas mais assertivas.

Entretanto, se o seu cão for mais velho, os ensinamentos também serão válidos. No entanto, poderá levar mais tempo para a total compreensão. E você precisa entender isso para que não gere estresse nem situações desagradáveis para você e para o seu cão.

Como ensinar o cão o que é não

Use recompensas durante os ensinamentos

Esta é uma das técnicas mais assertivas para condicionar o cão a entender o que ele pode e o que ele não pode. Dar recompensas como biscoitos caninos, passeios ou carinhos é uma forma inteligente de promover a cultura do entendimento no cérebro do cachorro.

Assim sendo, toda vez que o seu cão fizer o que você quer depois de um treinamento intensivo, entregue uma recompensa para ele. Ele verá isto como uma forma de agradecimento e entenderá que, toda vez que ele reproduzir aquilo, ganhará um biscoito. No caso de fazer o cachorro entender o que é “não”, toda vez que ele sentir-se com medo e recuar depois de você dizer, é hora da recompensa.

O tom de voz precisa ser imponente e curto

Cães são movidos a sentimentos. Sejam eles positivos ou negativos. E quando você brigar com ele de forma enfática, com um “não” bem curto e grosso, ele entenderá aquilo como algo sério. Portanto, quando você dizer “não” ao cão, seja firme e diga apenas o “não”. Descarte outras expressões ou dizeres, pois poderá confundi-lo.

Outro ponto muito importante, é nunca usar o nome do cão associado ao “não”. Pois ele poderá entender que o “não” que você disser, pode fazer parte do nome dele. E isso é extremamente negativo para a formação da conduta do cachorro. Portanto, use o “não” de forma imponente e curta.

É importante entender que o cão precisa entender o que ele pode e o que ele não pode. E esta é uma forma de deixá-lo envergonhado do que eles fez ou vai fazer. E, depois que o “não” for aceito e você notar a obediência, entregue a recompensa.

Como ensinar o cão o que é não

Dê tempo ao tempo

Pode ser que o seu cão demore a entender o que você tem a dizer. Por isso, dê tempo ao tempo. Isto facilitará e muito o processo, pois você não se desgastará e nem deixará o cachorro estressado. Como falamos, eles são animais. E precisam de um tempo para assimilar a conduta que devem ter. Esta é a forma de como ensinar o cão o que é não.

Assim sendo, siga este processo até que o seu cachorro passe a obedecer a sua ordem de comando e torne-se educado. Leve o tempo que for, é desta forma que você proporcionará qualidade de vida para o cachorro de forma pacífica.

Demência em Cães: Atente-se Aos Sinais

por Camila Da Silva — publicado 16 jun 2019 - 9:45

A demência em cães, infelizmente, é algo que pode acontecer. Assim como em seres humanos, esta é uma doença triste que atinge aos poucos um cão de mais idade. Desta forma, é importante que você fique atento aos sinais que o cachorro pode apresentar. E, assim, tentar proporcionar mais qualidade de vida a ele. Acompanhe.

Demência em cães: Atente-se aos sinais

Quando o cachorro vai ficando mais velhinho, uma das características que podem aparecer no dia a dia dele, é a demência. Infelizmente, esta é uma doença que pode afetar os cachorros das mais variadas raças, sem muitos pré-requisitos aparentes.

Desta forma, é importante que você esteja pronto para entregar muito amor e paciência para eles. Pois esta é a única maneira de proporcionar um pouco mais de qualidade de vida para eles. Visto que eles não fazem ideia do que está acontecendo.

Para alguns pesquisadores, a demência em cães começa a surgir quando eles completam 11 a 12 anos. Sendo 28% de casos nesta faixa etária. Já na faixa etária dos 15 aos 16 anos, o problema aumenta para 68%. Como são índices bem elevados, ou seja, a chance de acontecer é grande, resta você ficar atento aos sinais. Acompanhe para entender.

Demência em Cães

O principal sinal é o esquecimento

Se o seu cão começar a apresentar sinais de esquecimento de situações e lugares, tudo indica que ele está dando os primeiros sinais de demência. Infelizmente, o cérebro dos cães poderá parar de corresponder determinadas situações e eles podem praticar atividades que despertem dúvidas com relação a demência ou não.

Um dos sinais mais claros é o esquecimento. Se você notar que o seu cão está passando por dificuldades de lembrar de determinados lugares, atente-se. Um bom exemplo, é quando eles entram em algum lugar aleatoriamente sem saber o motivo. E depois, ficam por lá por conta de ter esquecido onde fica a saída.

É muito comum isto acontecer e nem prestarmos atenção. Muitas vezes achamos que o cão está apenas passeando. E pode até ser, pois não é uma regra exata. Mas é de suma importância que você tenha conhecimento da possibilidade do problema, para prestar atenção de forma mais focada, tentando enxergar os sinais que eles dão.

Assim sendo, você poderá analisar a situação e interpretar como demência caso o cão comece a fazer as necessidades em qualquer lugar. Isto faz parte do esquecimento. Ou seja, ele já não lembra mais onde é o banheiro dele. Este é um dos fatores mais claros de uma possível demência em cães, visto que se eles são treinados, não fariam as necessidades em um lugar proibido.

Demência em Cães

Quando o cão já não reconhece mais os familiares

Você consegue perceber como os sintomas são muito semelhantes ao problema que ocorre nos seres humanos? Isto acontece pois o cérebro começa a não corresponder mais da forma correta. E um outro sinal claro da demência em cães, é justamente o esquecimento dos familiares.

Assim como o esquecimento de locais e situações, quando o cão passa a não reconhecer mais os familiares o estágio do problema já pode estar muito avançado. Preste atenção ao chamar o seu cachorro. Se ele não reconhecer sua voz ou não der a atenção que dava antes quando chamado pelo nome, ele pode estar sofrendo.

É muito triste imaginar que o cão que antes era completamente enérgico ao chamado do dono, passa a ignorar simplesmente sem saber o motivo. Desta forma, além do chamado, ele poderá até mesmo não reconhecer mais a sua presença física no ambiente.

Isto acontece quando ele fica olhando para o horizonte ou para paredes enquanto você interage com ele. Uma lentidão na resposta dele também pode ser notada. Neste caso, você precisa procurar ajuda o mais rápido possível. Pelo menos, para tentar proporcionar um pouco mais de qualidade de vida para o bicho e entender como lidar com a situação.

Demência em Cães

O sono é um sinal clássico

Quando o cachorro já não está mais propenso a entregar respostas e interação ao dono de forma ativa, ele coloca-se a dormir muito mais tempo do que o normal. E isto acontece de forma automática, sem nem mesmo ele perceber. Pois o cérebro está tão desligado, que o sono é constante.

Ou seja, se você perceber que o seu cão está dormindo muito mais do que o normal, pode ser um sinal forte de que ele está passando por demência. Entretanto, outros problemas também podem estar ligados a este sintoma. E de qualquer forma, você precisa dar a atenção devida para que nada de pior aconteça.

Se o seu cachorro antes era completamente ativo e com o passar dos anos ele passou a dormir mais, de forma aleatória e em locais aleatórios, é importante que você procure tratamento.

A euforia no geral desaparece

Uma das coisas mais comuns em cães com demência, é demonstrar desinteresse por tudo. Este é um sinal extremamente claro de que algo está errado. E este sintoma não necessariamente ocorre somente em situações de demência. Pode ocorrer em situações diversas e pode despertar a dúvida para diversas outras doenças e problemas.

Se o seu cão era ativo e feliz em sair para passear e aos poucos ele começa a perder este interesse, pode ser que a demência esteja atingindo-o, e ele não entende o que está acontecendo. O mesmo vale para brincadeiras e situações de entretenimento que, antes, eram a felicidade do bicho.

Demência em Cães

Sempre procure ajuda especializada

Você sempre precisará buscar ajuda especializada quando estes sintomas aparecerem. Ter um cão com demência é uma das situações mais desagradáveis que você pode passar com o seu melhor amigo, visto que antes não era assim.

Por isso, procure ficar atento aos sinais mais claros desta situação. Sempre conte com ajuda veterinária para entender o que fazer, como proceder e como oferecer uma melhor qualidade de vida para o cachorro. Assim, é a garantia de que ele sofrerá o menos possível. E por sua vez, entenda como lidar com a situação de forma racional. Afinal, infelizmente é algo que pode acontecer com qualquer cachorro em idade mais avançada.