O que é cinofobia? Quais são suas características, causas, manifestações e formas de se livrar do medo de cães?

O medo de cães é bastante comum, especialmente se uma pessoa foi atacada por um animal no passado. Muitas vezes, esse incidente não pode ser esquecido por um longo período de tempo. Sentindo medo, desespero e impotência, a pessoa repentinamente descobre que não consegue lidar com a situação.

É impossível se forçar a não ter medo apenas por pura força de vontade. Posteriormente, esses sentimentos são lembrados e enraizados na memória.

Como resultado, a pessoa fica letárgica, apática, com medo de tomar decisões e agir ativamente na direção escolhida.

Sintomas

medo de veterinário

Pastor Alemão. Fonte: Freepik

A cinofobia pode manifestar-se por uma série de sintomas, sendo o principal deles uma sensação de intensa ansiedade, ansiedade interna, que são acompanhadas por vários distúrbios do sono e desconforto corporal, que se manifestam da seguinte forma:

  • aumento da sudorese;
  • tensão muscular;
  • arrepio;
  • uma sensação de aperto no peito;
  • boca seca;
  • mágoa;
  • distúrbios do batimento cardíaco;
  • aumento da micção.

Além disso, alguns sinais são característicos da cinofobia, por exemplo:

  • Estado de alerta e nervosismo constantes;
  • Aumento da irritabilidade;
  • Atitude agressiva;
  • Maus pressentimentos;
  • Sensação de ameaça iminente;
  • Concentração em pequenos problemas da vida;
  • Estrito autocontrole.

Em alguns casos, a cinofobia pode se manifestar como ataques de pânico, nos quais o paciente sente agudamente o medo da morte, enquanto sente certas manifestações vegetativas.

Causas da cinofobia

Como levar o cachorro no Uber

Cachorro no carro. Fonte: Freepik

Nem um único medo, via de regra, surge assim do nada. Tudo precisa de seus próprios fundamentos definidos.

O medo de um cão é sempre condicionado por alguma coisa, pois é natural que a pessoa se concentre em suas próprias experiências. Isso acontece se o indivíduo não encontra recursos para corrigir uma situação insatisfatória. Veja as razões para o surgimento da cinofobia.

Experiência negativa

Casos de ataques de cães em humanos não são tão raros, especialmente quando se trata de cães de rua. É especialmente perigoso abordá-los quando se aglomeram em bandos.

Se um indivíduo teve que passar por uma determinada experiência, então essas memórias permanecerão para sempre na memória e afetarão a existência futura.

Se você não superar essa situação traumática a tempo, poderá permanecer na experiência por muito tempo.

As experiências negativas influenciam a tomada de decisões, pois as emoções geralmente governam nossas vidas.

Não gostar de cachorros

Algumas pessoas, por algum motivo inexplicável, simplesmente não gostam de cães. Parecem-lhes criaturas inúteis que trazem apenas problemas e complicações.

Além disso, a antipatia por cães pode começar na infância ou ser ditada por motivos profundamente pessoais. Pode ser muito difícil para tal indivíduo provar que o animal não representa nenhum perigo real.

Assim, na primeira percepção, o instinto de autopreservação é acionado instantaneamente. Uma pessoa, por razões óbvias, prefere ficar longe do perigo. Uma atitude hostil dita para evitar aquelas situações que podem levar a complicações. O indivíduo escolhe cuidar de si mesmo.

Manifestações de cinofobia

cinofobia

Cinofobia Fonte: Freepik

Reconhecer a cinofobia é muito fácil. Isso exige que você comece a se ouvir com mais atenção. Via de regra, a própria pessoa está ciente de sua presença e tenta dar alguns passos para se livrar do medo.

O fato é que tal medo complica muito a vida, cria muitos obstáculos que impedem o indivíduo de se sentir verdadeiramente feliz.

A personalidade muitas vezes se fecha sobre si mesma, a pessoa até começa a evitar os outros, evita a possibilidade até de um encontro casual com um cachorro.

Como resultado, uma pessoa muitas vezes fica sozinha com um problema e não sabe como lidar com isto.

Vamos examinar mais de perto os sinais de cinofobia.

  • Confira também: Cachorro de Rua: Como ajudá-los mesmo que você não possa adotar?

Quais os sinais da cinofobia?

O estresse constante certamente tem um efeito negativo no corpo humano. Em algum ponto, a saúde física começa a sofrer.

Uma pessoa pode começar a sentir uma deterioração no bem-estar exatamente porque está passando por um estresse psicológico constante. Para entrar em um estado de harmonia, você precisa começar a trabalhar em si mesmo propositalmente.

A convivência constante com o medo dos cães provoca o desenvolvimento de inúmeras enfermidades: desde resfriados leves a lesões graves nos órgãos internos.

Na maioria das vezes, as pessoas se levam a experiências fortes porque não entendem o que realmente está acontecendo com elas.

Muitas vezes, um indivíduo tenta ignorar o problema até o fim, para não assumir a responsabilidade de eliminar uma situação desagradável. É muito mais fácil culpar os outros do que tentar resolver a dificuldade existente.

Estados obsessivos

Com a cinofobia desenvolvida, a pessoa é perseguida por estados obsessivos. Acontece que ele tem medos associados ao aparecimento de animais.

Esse indivíduo geralmente tenta não manter nenhum animal no apartamento ou casa, porque os associa a algo desagradável, a certas condições dolorosas. Uma pessoa pode ser perseguida por medos, que são especialmente pronunciados à noite.

Os estados obsessivos muitas vezes não podem ser superados apenas por pura força de vontade. Eles captam a consciência de uma pessoa e a fazem viver o mais cuidadosamente possível, sem aventuras e novas descobertas.

Via de regra, a pessoa tem medo de deixar algo novo entrar em sua vida, porque tem medo das possíveis consequências.

Medo de enfrentar o próprio medo

Em uma situação de cinofobia desenvolvida, existe o medo de sentir medo. A pessoa está tão fixada em suas sensações que deixa de notar a realidade circundante.

Às vezes, parece que só o mal está por vir. Em qualquer ação, ele vê consequências desagradáveis ​​para si mesmo.

O indivíduo não está pronto para dedicar tempo e atenção suficientes para considerar seu estado interior.

A personalidade deixa de se desenvolver, pois foge constantemente da realidade que não a satisfaz, procurando caminhos fáceis.

Cada cão que se aproxima está associado ao terror, que o indivíduo tenta evitar por todos os meios à sua disposição.

Mas quando alguém lhe diz que na verdade não há nada a temer, a pessoa fica zangada, começa a pensar que simplesmente não querem entendê-la.

Esperando por um ataque

Um encontro com um cachorro desconhecido na rua pode se transformar em uma verdadeira histeria para um cinófobo.

Na maioria dos casos, ele tentará fugir do cão, o mais rápido possível para estar seguro.

Além disso, isso muitas vezes acontece de forma instintiva, não há compreensão da ineficácia do método escolhido.

Às vezes, uma pessoa congela em um lugar e espera consequências terríveis para si mesma. A expectativa de um ataque é um sentimento perturbador que o assombra.

Um indivíduo pode chegar às consequências mais desagradáveis ​​se ele tem constantemente pensamentos negativos em sua cabeça.

Assim, uma pessoa que sofre de cinofobia muitas vezes não percebe que está destruindo sua própria vida. Ele está tão imerso em medos inventados que não consegue perceber o quanto se limita, tentando minimizar os riscos de uma possível “catástrofe”. Para muitos, parece absolutamente irreal evitar a ameaça representada pelo animal.

Comportamento agressivo

Em alguns casos, as pessoas com cinofobia tem ataques incontroláveis ​​de agressão. O fato é que, subconscientemente, eles querem se proteger de seu próprio medo, porque ele interfere na vida de várias maneiras.

Assim, torna-se impossível tomar decisões responsáveis, em geral, de alguma forma influenciam o seu destino.

O comportamento agressivo muitas vezes se torna a ação que permite que você enfrente suas próprias emoções negativas.

Superar impressões desagradáveis ​​às vezes parece muito difícil de agir. Pode levar muito tempo para abandonar a opressiva sensação de desesperança. Mas o esforço definitivamente vale a pena.

Como se livrar da cinofobia

cinofobia

Cinofobia. Fonte: Freepik

Na maioria dos casos, uma pessoa, de uma forma ou de outra, percebe a necessidade de uma mudança e muitas vezes tentam combater essa fobia.

Alguns até se dispõem a lutar contra o medo todos os dias, usando todos os meios disponíveis. É importante entender que o tratamento deve ser competente, visando restaurar o equilíbrio interno.

Como se livrar da cinofobia? Vamos tentar descobrir.

Comunicação com animais

Para parar de sentir medo dos cães, você precisa aprender a conviver com eles. Normalmente a pessoa foge de uma situação desagradável para si mesma, recusa-se a perceber que o problema não está no animal, mas em si mesma.

É preciso mudar a própria forma de reagir à situação, e assim será mais fácil resolver as dificuldades que surgirem.

Para se libertar do medo do cão, você precisa basicamente fazer amizade com o animal. Então para fazer isso, seria muito bom ter um animal de estimação que se tornará um amigo próximo de você.

Assim, a comunicação com animais pode trazer muitas impressões positivas para uma pessoa. Pois quando você tem seu próprio cachorro por perto, é improvável que ocorra ter medo de outros representantes do mundo canino.

Cinofobia – Aceitação da situação

Não há necessidade de se sentir envergonhado. Pois na verdade, isso apenas indica que uma pessoa acumulou muitas emoções negativas em si mesma.

Mas se o indivíduo não aceitar a situação, no futuro será difícil para ele lidar com as dificuldades que surgirem.

Os medos podem assombrar por muito tempo, desde que a pessoa não trabalhe com eles. Assim, mesmo vendo um cachorrinho na rua, uma pessoa pode se assustar tanto que perde o controle de si mesma.

Tais manifestações de pânico podem levar a consequências incontroláveis, uma vez que o indivíduo em tais momentos não conseguirá raciocinar de forma lógica. Quando as emoções assumem o controle, a mente se fecha e a frustração vem primeiro. Na maioria dos casos, ele pode ser derrotado com a ajuda de um psicólogo.

Cinofobia – Psicoterapia

Para o tratamento da cinofobia, utiliza-se a terapia cognitivo-comportamental, após a qual se pratica o método de abordagem do objeto de medo.

Assim, ao atingir um efeito terapêutico positivo da técnica cognitivo-comportamental, eles passam para o próximo estágio. Assim, a abordagem do medo envolve diminuir gradualmente a distância entre o paciente e o cão.

Cinofobia – O cachorro sente o medo humano?

Muitas pessoas se perguntam como superar o medo dos cães, pois, segundo a crença popular, os tetrápodes o sentem devido à liberação de adrenalina neste momento. Mas na verdade, o hormônio não ativa os receptores responsáveis ​​pela agressão, o que é confirmado por diversos estudos especializados.

Os cães não respondem ao medo em si, mas ao comportamento da pessoa. Ele começa a se preocupar, fica nervoso, isso se manifesta em gestos, expressões faciais, movimentos, gritos. É esse processo que causa agressão.

Portanto, você precisa lutar não com a liberação de adrenalina, mas com suas próprias emoções.