Cálculo renal em cachorros

O cálculo renal é formado por pequenos cristais encontrados em todo trato urinário do animal que, ao longo do tempo, tornan-se uma massa dura e compacta

por George Augusto — publicado 27 dez 2014 - 0:31

É bastante comum ouvirmos pessoas queixarem-se de dor nos rins e afirmarem que possuem a famosa “Pedra nos rins”. O que muitas pessoas não sabem, é que essa doença não ocorre somente em seres humanos, e sim também nos animais, dentre eles os cães, principalmente os idosos. O cálculo renal, como é conhecido dentro da medicina, ocorre em grande escala nos pets, sendo um dos pricipais motivos das entradas de emergências em clínicas e hospitais veterinários. Para um melhor esclarecimento, o cálculo renal é formado por pequenos cristais encontrados em todo trato urinário do animal que, ao longo do tempo, tornan-se uma massa dura e compacta. É importante ressaltar que os cálculos renais, também conhecidos como urolitíase, podem se localizar em várias partes do trato urinário, tais como: Rim, Ureteres, Bexiga e Uretra.

As causas para o aparecimento de cálculos em cães podem ser de origem genética, ou seja, quando o animal já nasce com a predisposição para o aparecimento ou em casos de doenças adquiridas. Quando ocorre o aparecimento em grande escala de certas substâncias na urina, elas se juntam aos cristais presentes no local e começam a se solidificar e formar as “pedras”.

Existem quatro principais tipos de cálculos, estando a sua grande diferença na composição da qual é formado.

Cálculo de Cistina: É decorrente a uma doença renal genética que o animal pode ter, levando a presença em grande escala de Cistina na urina.

Cálculo de Cálcio: Esse tipo de cálculo é o mais encontrado nos cães, conhecido também como cálculo de Oxalato de cálcio. Nesse caso, na maioria das vezes, o animal volta a formar cálculos depois do tratamento.

Cálculo de ácido úrico: Esse ocorre em maior casos em cães de rua ou aqueles em que o tutor não fornece água em abundância ao animal. A falta de ingestão correta de líquido acarreta a formação desse tipo de cálculo.

Cálculo de estruvita: É uma das principais causas de obstrução do trato urinário.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Os sinais clínicos que portador de cálculo renal apresenta são amplos, podendo,  na maioria das vezes, passar  despercebidos pelo tutor. Em muitos casos, só é observado pelo tutor  quando está num estágio mais avançado. A sintomatologia encontrada é: O animal sente dor ao ser tocado com mais força nos flancos; Uivos e choros sem motivos aparentes; Em caso de dor extrema o animal  reluta a movimentar-se e comer; Apresenta dor ao urinar (em alguns casos); Hematúria (sangue na urina); O animal pode passar alguns dias sem conseguir urinar e entre outros.

O diagnóstico é feito junto ao médico veterinário, onde é observado os sinais clínicos e feitos exames específicos. Um exame importante, e que ajuda um bom diagnóstico, é o ultrassom e o Raio-x. Podem ser feitos também exames laboratoriais, tais como exame de urina (urinálise), perfil bioquímico e hemograma completo.

O tratamento consiste primeiramente na remoção da dor do animal, como também numa suposta desobstrução, se o quadro assim exigir. Pode ser usada uma terapia medicamentosa específica para o caso, ou uma intervenção cirúrgica, se o médico veterinário achar necessário. É interessante também o animal passar por uma dieta rígida, escolhida pelo profissional. Lembre: somente um profissional habilitado pode executar o tratamento. Não arrisque a vida do seu animal.

A prevenção consiste numa dieta específica. Muitos tutores utilizam restos de comida ou alimentam os pets com alimentos inadequados, causando sérios danos à saúde. Uma ida rotineira ao médico veterinário e o check-up anual, ajudam a prevenir o cálculo renal.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Métodos Mais Eficazes Para Se Livrar das Pulgas do Seu Cachorro

por Handreza Hayran — publicado 19 fev 2019 - 11:10

As pulgas têm um ciclo de vida complexo de quatro estágios. Se você quiser se livrar das pulgas do seu cachorro e impedi-las de voltar, você deve abordar todas as etapas desse ciclo.

Pulverizar uma vez não é suficiente. Apenas tome cuidado para não exagerar no controle da pulga: muitos produtos tóxicos dentro e ao redor do animal podem ser prejudiciais ou mesmo fatais.
Controle de pulgas do seu cachorro

 » Read more about: Métodos Mais Eficazes Para Se Livrar das Pulgas do Seu Cachorro  »

Descubra Quais os 10 Medos e Fobias do Cachorro

por Handreza Hayran — publicado 18 fev 2019 - 7:46

medos e fobias do cachorro

Os cães podem sofrer de vários medos e fobias diferentes. Essas fobias podem ter uma variedade de causas, incluindo a falta de socialização precoce, genética ou uma experiência negativa. Os medos e fobias do cachorro  podem levar a sinais como encolher-se, tremer, babar, latir, ter um comportamento destrutivo e, em alguns casos, agressão.
Medos e fobias do cachorro
1. Medo do trovão

Astrofobia é um dos medos e fobias do cachorro. É o medo do trovão ,

 » Read more about: Descubra Quais os 10 Medos e Fobias do Cachorro  »

Dicas para um aniversário de cachorro criativo e acessível

por Maluh Bastos — publicado 15 fev 2019 - 20:10

Cachorros de raças diversas com chapéus de aniversário

Todo mundo ama uma festinha de aniversário e, com os dogs, parece que não está sendo diferente. Apesar de não saberem dos preparativos e de quando será a tão esperada data, no dia, é visível a alegria dos pets em uma festa em que tudo foi pensado exclusivamente para a diversão e, por que não, para o apetite deles. A indústria para aniversário de cachorro só cresce no Brasil todo e o segmento anda movimentando desde o buffet especializado nos dogs até as decorações e animações voltadas para os cães.

 » Read more about: Dicas para um aniversário de cachorro criativo e acessível  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Métodos Mais Eficazes Para Se Livrar das Pulgas do Seu Cachorro

por Handreza Hayran — publicado 19 fev 2019 - 11:10

As pulgas têm um ciclo de vida complexo de quatro estágios. Se você quiser se livrar das pulgas do seu cachorro e impedi-las de voltar, você deve abordar todas as etapas desse ciclo.

Pulverizar uma vez não é suficiente. Apenas tome cuidado para não exagerar no controle da pulga: muitos produtos tóxicos dentro e ao redor do animal podem ser prejudiciais ou mesmo fatais.

Controle de pulgas do seu cachorro

Seguir as instruções da embalagem é essencial quando se usa produtos e medicamentos sem receita médica.

Use somente produtos nas espécies para as quais eles são destinados. Não use vários produtos ao mesmo tempo sem consultar seu veterinário.

Mesmo seguindo as instruções dos rótulos de tratamento de pulgas do seu cachorro, os animais podem ter reações adversas aos produtos de pulgas.

Ligue para o seu veterinário imediatamente se você notar o seu animal se comportando de forma estranha ou com algum tipo de irritação na pele.

Banhos de pulgas para animais de estimação

Um shampoo de pulgas, ou “banho de pulga”, é um bom primeiro ataque as pulgas do seu cachorro. Mas é importante perceber que um shampoo de pulgas não se destina a um controle duradouro.

Os xampus são eficazes apenas por um dia ou menos. Eles deixam pouca química residual no animal quando usados ​​adequadamente.

Quando usar remédio de pulgas

Remédio de pulgas são fortes para livrar os animais não só de pulgas, mas também de ácaros e carrapatos. Os remédios só são recomendados quando absolutamente necessário, como no caso de uma infestação por ácaros.

As imersões duram aproximadamente duas semanas, e isso é uma enorme quantidade de resíduos químicos para deixar em um animal, portanto, use com cuidado, quando outras opções não foram eficazes.

Coleiras anti-pulga

As coleiras de pulgas funcionam de duas maneiras: emitindo um gás tóxico (para pulgas, de qualquer maneira) ou sendo absorvido pela camada de gordura subcutânea do animal afetado.

O gás geralmente só é eficaz na área imediata da cabeça e do pescoço. Os colares que absorvem a gordura subcutânea são muito mais eficazes. Os colares de pulgas são eficazes para pulgas adultas, mas não são muito úteis para larvas.

Controle de pulgas do seu cachorro na sua casa e quintal

pulgas do seu cachorro

Apenas cerca de 10 por cento da população de pulgas (principalmente os adultos) estão em seu animal de estimação. Os ovos de pulgas, larvas e os poucos adultos que residem no carpete, cama e áreas de vida compõem cerca de 90 por cento da população de pulgas. Negligenciar esta população de pulgas irá garantir que o problema da pulga continue e se agrave com o tempo.

Para controlar as pulgas em sua casa e quintal, você precisará de um ataque coordenado. Veja como fazer:

  • A aspiração diária é crucial para a erradicação geral da pulga. Isso vai fazer você se livrar de pulgas adultas, ovos e larvas.
  • Lave todas as roupas de cama, roupas e móveis removíveis, pelo menos uma vez por semana.
  • Aplique inseticida em sua casa. Siga todas as instruções com muito cuidado. Remova todos os animais de estimação, pessoas e cubra toda a comida no ambiente antes de aplicar inseticida.

Se você suspeitar que seu animal está doente, ligue para seu veterinário imediatamente.

Para questões relacionadas à saúde, sempre consulte seu veterinário, pois eles examinam seu animal de estimação, conhecem o histórico de saúde do animal de estimação e podem fazer as melhores recomendações para seu animal.

Descubra Quais os 10 Medos e Fobias do Cachorro

por Handreza Hayran — publicado 18 fev 2019 - 7:46

medos e fobias do cachorro

Os cães podem sofrer de vários medos e fobias diferentes. Essas fobias podem ter uma variedade de causas, incluindo a falta de socialização precoce, genética ou uma experiência negativa. Os medos e fobias do cachorro  podem levar a sinais como encolher-se, tremer, babar, latir, ter um comportamento destrutivo e, em alguns casos, agressão.

Medos e fobias do cachorro

1. Medo do trovão

Astrofobia é um dos medos e fobias do cachorro. É o medo do trovão , e é uma fobia muito comum em cães. O grau desse medo pode diferir entre os cães. Alguns podem ter apenas um leve medo de trovão.

Neste caso, um cão pode tremer ligeiramente ou você pode notar orelhas achatadas e uma cauda dobrada durante uma tempestade. Outros cães podem ter uma fobia mais grave que os leva a se esconder, a se tornarem destrutivos ou a perder o controle de seus intestinos ou da bexiga.

Uma curiosidade interessante é que os cães também podem sentir uma tempestade bem antes de você conseguir detectá-la. Esta é a razão pela qual muitos donos de cães relatam ter visto seus cães mostrarem sinais de medo por vários minutos ou mais antes que a tempestade realmente aconteça.

2. Medo de fogos de artifício

medos e fobias do cachorro

Um medo de fogos de artifício é mais um dos medos e fobias do cachorro. Semelhante ao medo das tempestades, os sons altos e imprevisíveis e a luz dos fogos de artifício fazem muitos cachorros tremerem de medo.

Cães com uma fobia grave de fogos de artifício podem precisar de tratamento com medicação anti-ansiedade ou sedativos.

3. Medo de ser deixado sozinho

O medo de ficar em casa sozinho é chamado de ansiedade de separação. Cães que sofrem de ansiedade de separação tendem a exibir comportamento destrutivo assim que seus donos saem de casa. Outros sintomas incluem latidos excessivos quando deixados sozinhos.

Uma mudança no comportamento do dono do cachorro pode ajudar a aliviar os medos de um cachorro. Simplesmente fazendo alterações em seus hábitos antes de sair de casa. A dessensibilização, o processo de fazer com que o cão se acostume a ficar sozinho em casa, também pode ser benéfico para os cães que sofrem de ansiedade de separação.

4. Medo do veterinário

medos e fobias do cachorro

Não é incomum que os cães tenham medo de ir ao veterinário. A primeira exposição de um cão ao veterinário geralmente envolve cheiros estranhos, ser tratado de novas maneiras  e receber vacinas.

Não é de admirar que os cães possam facilmente ter medo de uma viagem ao veterinário. Se não houver outras fobias envolvidas, esse medo pode ser facilmente corrigido simplesmente levando um cão ao veterinário para algumas visitas sociais que não envolvem um exame.

5. Medo de andar no carro

Muitos cães têm medo de andar no carro. O medo é geralmente devido à falta de exposição precoce a passeios de carro ou experiências negativas em andar de carro, como ficar doente de carro, andar no carro para ser deixado em um abrigo ou apenas ir de carro para uma visita ao veterinário.

É possível superar o medo do seu cão de andar no carro, usando guloseimas e elogios para lentamente atrair o seu cão para o carro e, em seguida, trabalhar para fazer passeios.

6. Medo de subir e descer escadas

O dono de um cão pode não perceber que seu cão tem medo de subir e descer escadas até que seu cão se aproxime de um conjunto de degraus. Esta fobia é quase sempre devido a uma falta de socialização precoce .

Alguns cães podem ser persuadidos a sair do medo fazendo passos de subir e descer. Outros cães podem precisar aprender a subir escadas, literalmente, passo a passo.

7. Medo dos homens

medos e fobias do cachorro

Pode surpreender que as pessoas aprendam que é bastante comum que os cães tenham medo dos homens. Embora, em alguns casos, esse medo possa derivar de ser abusado por um homem, na maioria das vezes é devido à falta de socialização.

Tenha em mente que um cão com medo pode rosnar ou morder alguém como resultado desse medo.

8. Medo de estranhos

O medo de estranhos é semelhante ao medo dos homens, mas, neste caso, um cão pode ter medo de alguém que não conhece. Isso pode ser um problema difícil de ser superado porque é impossível ensinar seu cão a aceitar todas as possíveis novas pessoas.

É importante permitir que seu cão se aproxime de novas pessoas em seu próprio tempo. Forçar um cachorro temeroso a aceitar um estranho poderia forçar um cachorro a se tornar agressivo .

9. Medo de crianças

Esse é mais um dos tipos de medos e fobias do cachorro. Cães desenvolvem medo de crianças por várias razões. Uma é a falta de exposição precoce a crianças. Não é incomum que as pessoas recebam um animal de estimação antes de se tornarem pais.

A menos que você leve um filhote para uma casa com crianças , seu cão pode não ter a oportunidade de se socializar com elas. Cães também costumam ter experiências negativas com crianças. Enquanto as intenções de uma criança podem ser boas, um cão pode interpretar aberturas de afeto como uma ameaça.

Os donos de cães que estão lidando com um cão com medo de crianças devem consultar um treinador de cães ou um especialista em comportamento para trabalhar essa fobia.

10. Medo de objetos

Muitos cães desenvolvem um medo de objetos particulares: o aspirador de pó, decorações e brinquedos de criança. Muitas vezes, esse tipo de medo não é grande coisa, pois muitos objetos podem simplesmente ser removidos de vista. Em certos casos, no entanto, pode ser problemático.

Leia mais sobre porque os cachorros tem medo de Pet Shop.