Tudo sobre ração para cachorros

Origem, história, produção, rações para diferentes faixas etárias e para cães com necessidades especiais.

por George Augusto — publicado 25 mar 2014 - 0:40

História e origem da ração

Para o melhor entendimento sobre as rações que fornecemos ao nossos animais, não podemos deixar de começar pela história.  Antigamente, os proprietários dos animais costumavam alimentar seus cães, com restos de caça, restos de comida, testículos de animais que acabavam de ser castrados, entre vários outros tipos de alimentos. Entretanto, começaram a perceber que essas comidas oferecidas para os animais não atingiam a exigência nutricional do cão. Além de não satisfazer as exigências nutricionais, haviam animais que adquiriam endoparasitas devido à alimentação ser crua, como também acontecia de morrerem em decorrência dos temperos utilizados na alimentação da casa.

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Em 1860, James Spratt criou a primeira comida comercial para os cães, chamado “bolo para cão”. Em 1907, o Sr. Bennett criou um alimento completo para os cães, que pudesse suprir as suas exigências nutricionais. Em meados de 1941, os alimentos para cães já eram vendidos em forma enlatada, onde era comum os tutores de animais comprarem esse tipo de produto. Com a intensa crise no mundo, devido à Segunda Guerra Mundial, as fábricas de latas para as rações, tornaram-se de uso exclusivo para armazenar a “ração dos soldados” que ficavam nas linhas de guerra. As rações que conhecemos hoje em forma de grãos, foram criadas em 1957, quando a Purina lançou a novidade no mercado e teve grande aceitação.

 

Composição da ração

Dentro das rações compradas em lojas especializadas, existem todos os nutrientes que um animal precisa. É uma ciência nutricional que envolve profissionais habilitados a fazer a dieta correta. Dentro das rações existem proteínas, carboidratos, vitaminas e minerais, elementos estes que são adquiridos através de carne, vegetais naturais, arroz, trigo, grãos de milho, leite, vitaminas e etc. Os ingredientes são elaborados de acordo com a marca da ração e a faixa etária a que ela é destinada, ou seja, existem rações para diferentes situações.

 

A produção

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Nas fábricas, a ração, para ser feita, passa por vários processos e etapas na linha de produção. Primeiramente, os operários, sob supervisão de um médico veterinário, pegam e pesam os ingredientes escolhidos pela marca e trituram até formar uma espécie de farinha. Em seguida, colocam numa máquina chamada de misturador, até eles ficarem de forma uniforme. Depois do processo de mistura, os ingredientes misturados são levados a uma máquina chamada extrusora, onde são feitos os grumos da ração do tamanho necessário para que o animal consiga se alimentar. Em seguida, a ração é levada a uma secadora de ar quente, por 30 minutos onde é ressecada a ração, deixando sem umidade. Depois da secagem, ela é jogada em um recipiente que se mantém girando e jogando flavorizantes e gordura, pois o flavorizante irá dar a boa palatabilidade à ração e a gordura serve como energia para o organismo do animal. Depois de preparada, a ração é pesada e armazenada em embalagens que contém todas as informações necessárias que o tutor e o profissional médico veterinário precisam saber.

 

Diferentes tipos de ração

Existem marcas de rações bastante famosas e de grande eleição pelos tutores de animais. No mercado, é fácil encontrar marcas de rações que não têm nome dentro do mercado, porém são de muito boa qualidade nutricional. As rações, como dito anteriormente, são destinadas para  tipos específicos de cães. Por exemplo: Cão filhote, cão adulto e até mesmo para cão idoso (sênior). Existe também a indicação conforme o porte do animal, se é porte grande ou pequeno. Em toda embalagem de ração, existem as indicações para em que situação utilizar. É sempre indicado a faixa etária que aquela ração pode ser ofertada. Jamais alimente seu animal com ração de faixa etária diferente, pois pode não suprir as exigências nutricionais do seu pet, podendo assim, levar a um quadro de deficiência nutricional. Aos cães filhotes deve ser dada uma atenção maior, já que os mesmo não conseguem, em alguns casos, mastigar a ração do adulto.

 

Rações para diferentes faixas etárias

As rações quanto à idade podem ser divididas em três tipos, que são:

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Ração para filhotes: Elas são encontradas com a consistência mais mole (úmidas) e com os grãos menores. Os cães a partir dos 45 dias de vida já podem consumir rações mais secas. É importante o uso de uma boa ração, já que o animal está na fase de crescimento. O animal na fase de filhote, tende a comer bastante.

Ração para adultos (a partir de 1 ano de vida):  Na fase adulta, o animal já passou pela fase do crescimento e só precisará se alimentar para suprir suas exigências nutricionais. É muito importante o controle para que o cão não se torne obeso. As rações, na maioria das vezes, vêm em pacotes maiores e com grãos mais secos. É importante que tenha um acompanhamento de um médico veterinário rotineiramente, para que o profissional passe a quantidade correta do animal ingerir.

Ração para cães idosos (sênior): Essa é a fase que o tutor tem que dar mais atenção à alimentação e à saúde do seu pet. Existem no mercado, atualmente, rações destinadas a cães idosos, onde os nutrientes suprem a necessidade dessa faixa etária. O animal quando chega a fase sênior, tende a comer menos e ser mais seletivo quanto à alimentação.

 

Ração Standard, Premium e Super Premium

Dentro do mundo das rações, existem três principais tipos de ração, quanto à sua qualidade nutricional. É comum nos depararmos com rações classificadas, como: Standard, Premium e Super Premium.

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Standard: Também conhecida, como: ração regular, ração padrão ou ração popular, essa classe é uma das mais vendidas atualmente no Brasil, devido ao seu baixo custo. Assim como as outras, as rações standard passam por rigoroso padrão de qualidade. Um ponto negativo nessa ração, é que a qualidade/quantidade de proteína é inferior e também possuem ingredientes com pouca digestibilidade como a soja.

Premium: A ração premium é classificada como melhor que a standard. Ela possui mais digestibilidade para os cães. Contém uma porcentagem de nutrientes de origem vegetal maior que na ração padrão. É muitas vezes indicadas pelos profissionais para o tutor, já que é uma ração que tem um certo padrão de qualidade.

Superpremium: A superpremium é a ração mais indicada pelos médicos veterinários. Elas possuem em sua composição um índice de ingredientes de origem animal bem alta e é a que possui melhor digestibilidade pelo cão. Um ponto positivo da superpremium é que ela não usa praticamente corante em sua composição. Um ponto negativo é o preço mais elevado que nas outras rações, porém supre a exigência nutricional do cão de forma bastante satisfatória.

 

Rações especiais

Existem atualmente no mercado, rações que são destinadas para animais que possuem doenças graves e até mesmo para a obesidade canina. Um cachorro com Diabetes Mellitus, por exemplo, necessita de um cuidado maior em relação à alimentação. O açúcar se encontra na maioria dos alimentos, por isso é bom levar a um médico veterinário para escolher a ração própria pra a moléstia que o animal porta.

 

Ração canina e o câncer

Muitos adeptos da alimentação natural afirmam que a ração é cancerígena e faz mal à saúde do pet, porém animais reprodutores e de alto valor comercial têm em sua dieta, na sua grande maioria, a ração industrializada. As rações vendidas atualmente, passam por rigoroso controle de qualidade. Na hora de ser industrializada, é formulada e acompanhada por um profissional médico veterinário.

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

Tudo sobre ração para cachorros. Foto: Reprodução

A escolha entre ração e comida natural vai depender do tutor e do médico veterinário de sua confiança. Existem profissionais adeptos da ração e outros da alimentação natural. A comida natural que contenha verduras também podem ser cancerígenas, já que tem um índice altíssimo de agrotóxico. O uso da ração está sendo, aqui no Brasil, ainda a mais eleita pelos tutores. Um dos principais fatores é a comodidade que os tutores têm de suprir todas as exigências nutricionais do cão sem esforço. Quando se usa a alimentação natural, é de suma importância fazer cálculos e selecionar alimentos que supram por completo as exigências do pet.

O principal índice de surgimento de câncer não é na ração. Cerca de 94% dos aparecimentos de câncer em cães é devido ao manejo inadequado do animal, deixando o mesmo exposto a substâncias, medicamentos e a locais que podem predispor ao aparecimento do câncer e acabam culpando as rações pelos efeitos maléficos. Cada raça de cão deve ter um manejo adequado para si. Por exemplo: Um cão de pele clara, não pode ser exposto muito tempo ao sol, pode causar câncer de pele. O tutor fumando perto do animal, pode causar câncer de pulmão. Esses são alguns entre vários fatores contribuintes.

Uma alimentação não sendo 100% balanceada para o animal, pode ocorrer uma baixa na imunidade do animal, ficando ele predisposto a contrair doenças de diferentes naturezas. Um animal com uma alimentação correta e balanceada, pode ter uma vida mais longa do que aquele que tem deficiência nutricional. Uma ração de qualidade, e de grande valor nutritivo, faz com que seu animal goze de uma boa saúde. Consulte sempre um médico veterinário da sua confiança para indicar a alimentação correta do seu animal, orientando em como escolher a melhor ração para seu pet.

 

Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo

Ocupação: Acadêmico de Medicina Veterinária

Contato: [email protected]

Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?

por Handreza Hayran — publicado 19 abr 2019 - 9:45

olhos dos filhotes

Conforme o filhote cresce, sua curiosidade faz dele observador atento. Os cães gostam de satisfazer a sua curiosidade, absorvendo o ambiente e observando o que se desenrola ao seu redor. Mas eles não nascem com essa habilidade. Os olhos dos filhotes ficam fechados e, até os olhos se abrirem, ficam cegos para o ambiente.

Por que os filhotes nascem com os olhos fechados? Que finalidade serve? E em que estágio de seu desenvolvimento os olhos dos filhotes se abrem para que possam absorver o ambiente e vivenciar o mundo ao seu redor?

 » Read more about: Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?  »

Como Fazer o Cachorro Parar de Morder?

por Camila Da Silva — publicado 18 abr 2019 - 9:45

Como fazer o cachorro parar de morder

Neste artigo, você irá aprender como fazer o cachorro parar de morder. Pois sabemos que por mais que muitas vezes possa ser de brincadeira, as mordidas podem podem sim incomodar. Porém, é importante saber que este processo pode ser um pouco lento, e precisará de paciência e dedicação para que realmente funcione. Acompanhe o texto para entender.

Como fazer o cachorro parar de morderComo fazer o cachorro parar de morder
Como fazer o cachorro parar de morder?

Antes de mais nada, podemos adiantar: o ato do cachorro morder,

 » Read more about: Como Fazer o Cachorro Parar de Morder?  »

Como Acostumar Dois Cachorros a Conviverem Juntos?

por Camila Da Silva — publicado 17 abr 2019 - 9:45

Como Acostumar Dois Cachorros a Conviverem Juntos

Uma dúvida que causa muita insegurança, é como acostumar dois cachorros a conviverem juntos. E é muito comum que as pessoas tenham este receio, visto que cães são muito territoriais e defensores de seus donos. No entanto, saiba que este processo pode não ser tão complicado quanto parece. Seguindo alguns passos, você conseguirá ter sucesso. Acompanhe para entender.

Como Acostumar Dois Cachorros a Conviverem JuntosComo Acostumar Dois Cachorros a Conviverem Juntos
Como acostumar dois cachorros a conviverem juntos?

A primeira coisa para entender como acostumar dois cachorros a conviverem juntos,

 » Read more about: Como Acostumar Dois Cachorros a Conviverem Juntos?  »

deixe seu comentário:
Siga o Portal do Dog
Últimas notícias

Olhos dos Filhotes de Cachorro: Em Que Estágio de Desenvolvimento Eles Abrem?

por Handreza Hayran — publicado 19 abr 2019 - 9:45

olhos dos filhotes

Conforme o filhote cresce, sua curiosidade faz dele observador atento. Os cães gostam de satisfazer a sua curiosidade, absorvendo o ambiente e observando o que se desenrola ao seu redor. Mas eles não nascem com essa habilidade. Os olhos dos filhotes ficam fechados e, até os olhos se abrirem, ficam cegos para o ambiente.

Por que os filhotes nascem com os olhos fechados? Que finalidade serve? E em que estágio de seu desenvolvimento os olhos dos filhotes se abrem para que possam absorver o ambiente e vivenciar o mundo ao seu redor?

Por que os olhos dos filhotes permanecem fechados?

olhos dos filhotes

Biologicamente falando, bebês humanos nascem desenvolvidos e prontos para enfrentar o mundo. Mas esse não é o caso dos filhotes de cachorro.

No nascimento, o sistema nervoso central de um filhote ainda está em desenvolvimento, incluindo seus nervos ópticos. Como seus nervos ópticos não estão totalmente desenvolvidos, eles são delicados demais para a luz brilhante, e é por isso que os olhos permanecem fechados até que os nervos acabem de se desenvolver.

Não só os nervos precisam de mais tempo para se desenvolver, mas o próprio olho não está completamente formado quando um filhote nasce. Manter os olhos fechados permite que o olho se desenvolva com segurança, sem o risco de objetos estranhos (como sujeira ou poeira) entrarem no olho e causar uma infecção ou outros problemas de desenvolvimento.

Quando os olhos dos filhotes se abrem?

olhos dos filhotes

A maioria dos filhotes começa a abrir os olhos entre uma e duas semanas após o nascimento. Nesse ponto, o sistema nervoso central do seu filhote, os nervos ópticos e os olhos estão totalmente desenvolvidos.

Uma coisa a ter em mente:-o filhote deve abrir os olhos por conta própria. Você pode ser tentado a ajudá-los, mas deve deixar o processo acontecer naturalmente. As pálpebras do seu filhote se abrirão quando os nervos e os olhos estiverem prontos. Sendo assim, forçá-los a abrir mais cedo colocará o filhote em risco.

Quando falar com veterinário

veterinário

O processo de abrir os olhos virá fácil e naturalmente para a maioria dos filhotes. Mas você ainda deve ficar de olho nas coisas para ter certeza de que o processo está indo bem com o filhote.

Algumas bandeiras vermelhas que algo pode estar errado com o desenvolvimento do olho do seu filhote de cachorro incluem:

  • Inchaço sob a pálpebra. Se você perceber que há algum inchaço sob as pálpebras do seu filhote antes que ele se abra, pode ser um sinal de infecção.
  • Pus na área dos olhos. Se houver qualquer pus, corrimento ou sujeira nos olhos ou ao redor da área da pálpebra, também pode ser um sinal de infecção.
  • As pálpebras do seu cachorro não abrem por duas semanas de idade. Algumas raças levam mais tempo para abrir suas pálpebras do que outras. Mas se após duas semanas não abrir os olhos, isso pode ser um sinal de um problema de desenvolvimento.

Se você notar algum destes sintomas, marque uma consulta com veterinário. Ele será capaz de diagnosticar qualquer infecção ou problemas de desenvolvimento do olho e prescrever o melhor tratamento para o seu cachorro.

Como Fazer o Cachorro Parar de Morder?

por Camila Da Silva — publicado 18 abr 2019 - 9:45

Como fazer o cachorro parar de morder

Neste artigo, você irá aprender como fazer o cachorro parar de morder. Pois sabemos que por mais que muitas vezes possa ser de brincadeira, as mordidas podem podem sim incomodar. Porém, é importante saber que este processo pode ser um pouco lento, e precisará de paciência e dedicação para que realmente funcione. Acompanhe o texto para entender.

Como fazer o cachorro parar de morder

Como fazer o cachorro parar de morder?

Antes de mais nada, podemos adiantar: o ato do cachorro morder, é normal. Muitas vezes a mordida é uma diversão garantida para ele. Porém, não para o dono. Inclusive, pode se tornar insuportável com o tempo, pois caso seu cão acostume-se a morder você por qualquer motivo, pode ter certeza: ele vai adorar.

Isso geralmente acontece mais com cães filhotes, pois o que mais eles querem fazer, é brincar com você. E as mordidas são um jeito não muito carinhoso de eles fazerem isso. Há quem diga também, que eles gostam de morder pois os dentes estão em fase de crescimento, o que torna ainda mais prazerosa a brincadeira.

5 atitudes para você tomar que evitarão as mordidas

Agora que você já entendeu um pouco da motivação por parte dos cachorros em morder, podemos testar algumas técnicas e métodos que poderão ajudar a fazê-los parar de morder. Afinal, aprender como fazer o cachorro parar de morder pode ser demorado. Assim sendo, não espere resultados imediatos. Dar tempo ao tempo é fundamental.

  1. Mostre que você sente dores com as mordidas

Isso mesmo. Este é um dos pontos mais importantes para acostumar o seu cão de que determinadas ações machucam você. E acredite, eles não vão gostar de saber que você está se machucando. Cachorros são muito apegados aos seus donos e demonstram interesse pelos seus sentimentos. Logo, mostrar que as mordidas estão doendo ajudará no processo de fazê-lo parar com o tempo.

  1. Pare de brincar quando seu cachorro morder

Quando o seu cachorro estiver em estado de êxtase pura, ou seja, brincando, é o momento que ele mais se sentirá feliz. E isso poderá ser cortado pela raiz quando ele morder você. Experimente parar de brincar assim que ele morder. Com o tempo, ele assimilará que a diversão acaba quando ele pratica determinados atos. E isso poderá ajudar.

Como fazer o cachorro parar de morder

  1. Brigue com ele de maneira firme, mas não xingue

Assim como os cães ficam felizes quando seus donos brincam, eles também assimilam quando eles brigam. Ou seja, um método muito educativo, é falar com a voz firme para o cachorro parar de morder. Nunca xingue, apenas diga para ele parar de maneira dura. Estas ativações farão com que ele evite de morder você em longo prazo.

  1. Elogie e parabenize tudo aquilo que não envolve mordida

Assim como é importante você ser firme com ele quando precisar, também é importante elogiar e falar com uma voz em tom mais ameno quando ele fizer o correto. Da mesma forma que ele assimilará uma briga, ele assimilará algo positivo. E assim, seu comportamento é construído de maneira educada.

  1. Saia do ambiente em que o cão está quando ele morder

Quando você estiver brincando com o seu cão e ele estiver lhe mordendo, experimente deixá-lo sozinho brincando por um tempo. Apenas afaste-se e não demonstre mais vontade de brincar com ele. Se você fizer isso imediatamente após as mordidas, o cachorro entenderá que sempre que ele morder, você sairá. E acredite, tudo que eles mais gostam é da sua presença. E não a tendo, fará com que eles assimilem o que você quer.

Como fazer o cachorro parar de morder

Seu cachorro não é uma marionete

Estas sugestões podem funcionar muito bem no longo prazo. Entretanto, é muito importante que você entenda que seu cachorro não é uma marionete. Entender como fazer o cachorro parar de morder é muito mais complexo do que simplesmente uma receita pronta.

Envolve educação, muito treinamento e disciplina. E, claro, você terá de ter paciência com ele. Ainda mais se ele for filhote. Nunca exija muito em pouco tempo. Afinal, eles continuam sendo cães e tudo que eles mais querem, é aproveitar os momentos perto do dono, brincar até cansar e fazer companhia.

No entanto, o jeito deles representarem isso tudo, muitas vezes pode ser de um jeito que você não gostaria. O que é absolutamente normal. Entretanto, é importante respeitar o tempo do seu cão e educá-lo aos poucos.