Translator

 

Um cachorro fugindo pode ser uma situação muito comum em algumas circunstâncias. Afinal, algumas situações até mesmo estimulam o cachorro a fugir.

No entanto, a fuga pode resultar em sérios problemas de saúde física e mental do seu dog. Principalmente se você vive em um local movimentado.

Neste artigo, o Portal do Dog vai te ajudar a entender mais sobre o tema. Saiba mais sobre cachorro fugindo, o que fazer e por que eles fazem isso.

Continue lendo!

Cachorro fugindo de casa

Cão no parque – Foto: Freepik

Cachorro fugindo significa o que?

Um cachorro fugindo significa uma série de problemas para o tutor. Afinal, se ele fugiu, é sinal de que algo aconteceu na sua rotina.

Além disso, se ele fugir, ele pode estar correndo sérios perigos na rua, já que esse não é o seu habitat natural.

De maneira geral, quando um cachorro foge, ele está indo atrás de alguma coisa que achou interessante ou desafiadora.

Além disso, proteção de território é também um fator comum. Assim sendo, veja abaixo o que leva um cachorro a fugir:

  • Pouco gasto de energia.
  • Curiosidade.
  • Maus tratos.
  • Ansiedade e estresse.
  • Cio.
  • Marcação e proteção de território.

A seguir, entenda mais sobre essas circunstâncias.

Pouco gasto de energia

Um dos fatores mais relevantes (e preocupantes) que fazem um cachorro fugir, é o pouco gasto de energia.

Um cachorro fugindo, portanto, é um cachorro que não está cansado física e mentalmente. Ele está com muita energia acumulada e vai procurar gastar essa energia coma alguma coisa.

Portanto, as fugas acabam sendo uma excelente alternativa para fazer algo diferente e assim gastar energia.

O tutor precisa passear com o cachorro todos os dias. E dependendo da raça, até mesmo mais de uma vez por dia.

Por isso, quando você for adotar um cão, lembre-se: a sua rotina vai mudar. Afinal, o cão tem necessidades que devem ser supridas.

Cachorro fugindo de casa

Cachorro com um graveto na boca – Foto: Freepik

Curiosidade

Os cães sentem curiosidade. Assim como nós, humanos, eles também têm inúmeras necessidades curiosas para suprir.

Se você mora em uma casa térrea ou mesmo no primeiro andar de um prédio, o cão pode ter inúmeros estímulos externos.

Até mesmo os cheiros são capazes de atrair os cachorros para algo que eles ainda não sabem o que é.

Portanto, a curiosidade pode ser um dos motivos de o seu cachorro fugir – ou demonstrar interesse nisso.

Lembre-se sempre de garantir que o seu cão tenha um bom suprimento de demandas. Leve-o para conhecer as áreas da sua casa para que ele saiba do que se trata.

Maus tratos

Esse é um dos fatores mais tristes – mas reais – que podem fazer um cão fugir.

Afinal, um cão fugindo, muitas vezes, está fazendo isso justamente pelo fato de que ele não aguenta mais o seu habitat natural.

Com medo, ansiedade, estresse e até mesmo agressividade, ele pode fugir por aí e parar nos lugares mais inimagináveis para se esconder.

Ansiedade e estresse

Ansiedade e estresse também são fatores relevantes que fazem o seu cão buscar por uma fuga ou um lugar diferente por aí.

Afinal, a ansiedade e o estresse estão presentes em cães que não gastam energia ou mesmo cães que não estão muito acomodados no ambiente.

Se você mora em casa térrea com portão ou cercado, pode ser que o seu cão sofra com ansiedade e estresse por conta dos estímulos externos.

Muitos movimentos de carros, motos, pessoas e bicicletas, podem gerar estresse no seu cão. E na primeira oportunidade, ele pode fugir por esse motivo.

Seja para correr atrás de uma moto ou mesmo para ir atrás de um outro cachorro que ele viu passar.

tutor com seu cão

Tutor treinando o seu cachorro – Foto: Freepik

Cio

O cio é um fator importante para identificar possíveis fugas caninas. Tanto das fêmeas, quanto dos machos.

Afinal, a fêmea pode se sentir desconfortável e ansiosa nesse momento. Se tiver inúmeros estímulos externos, ela pode resolver se aventurar por aí.

Já os machos, ao sentirem o cheiro dos feromônios da cadela no cio, se sentem “obrigados” a fugirem para ir atrás desse cheiro.

Por isso é muito importante que a castração aconteça. Tanto nos machos, como nas fêmeas. Afinal, a castração evita uma série de problemas graves – como as fugas.

Marcação e proteção de território

E ainda, outro fator que pode deixar o cachorro fugindo constantemente, é a necessidade de marcação de território.

Isto é, quando o cão sente que precisa mostrar que é ele que “manda no pedaço”, ele pode querer fugir para fazer isso pelo bairro inteiro.

A marcação de território é algo natural do instinto canino. Mas que deve ser observada de maneira atenta pelo tutor para não se tornar um problema.

Afinal, proteção de território pode facilmente se tornar uma obsessão e assim deixar o cão ansioso e estressado.

cão correndo na floresta

Cães correndo na floresta – Foto: Freepik

O que fazer para evitar a fuga do cachorro

A fuga do cachorro pode acontecer por inúmeros motivos, conforme você entendeu anteriormente.

Por isso, o tutor precisa agir para garantir qualidade de vida e segurança para o dog.

Afinal, um cachorro fugindo, principalmente em cidades movimentadas, pode representar um forte risco a segurança e integridade física do dog.

A seguir, veja o que fazer para evitar que o cachorro fique fugindo:

  • Adestramento.
  • Socialização.
  • Portões adequados.
  • Evite estimular o cão a escalar.
  • Chip com GPS.
  • Castração.

Entenda a seguir.

Adestramento

O adestramento é um fator importantíssimo para garantir que o seu cão não fique ansioso e estressado.

No entanto, o adestramento também ajuda a controlar determinadas necessidades instintivas, como aquelas relacionadas as fugas.

Portanto, treine e adestre o seu cachorro desde muito cedo. Isso vai ajudá-lo a ter uma vida menos ansiosa e mais tranquila.

Afinal, o adestramento proporciona limites e gera “paz de espírito” para o dog.

Socialização

A socialização é diferente do adestramento. Ela garante que o seu cão fique mais tranquilo frente a outros animais e pessoas.

Afinal, muitas vezes o cão pode ter um forte estímulo a reagir de maneira ruim com outras pessoas e cachorros. Levando-o até mesmo a fugir de casa.

Por isso, ensiná-lo que está “tudo bem” ter outros cães e pessoas no mundo, é muito importante. Assim ele fica menos ansioso e com menos necessidade de controle de tudo.

Inclusive, quanto antes você começar a socialização, melhor. A fase de filhote é a melhor de todas.

Portões adequados

Por mais que o seu cão seja tranquilo e adestrado, ainda assim, ele pode sentir a necessidade de sair pela rua por algum motivo.

Por isso, nada melhor do que fazer o máximo para evitar esses estímulos, não é mesmo?

Colocar um portão e um cercado alto, sem contato externo, é fundamental. Assim o cachorro não fica estressado e ansioso a cada pessoa que passa na calçada.

E nem encontra eventuais brechas para fugir.

Evite estimular o cão a escalar

De nada adianta ter um portão e um muro alto, se o cão tem a possibilidade de escalar, não é mesmo?

Por isso, observe bem a região e veja onde o seu cão poderia, de repente, escalar para fugir.

Não deixe bancos, degraus ou acessos fáceis para o cão pular o muro ou o portão.

Chip com GPS

O chip canino é uma ótima ideia para recuperar o seu cão rapidamente quando ele, eventualmente, fugir.

Afinal, com o chip GPS, você consegue fazer a localização precisa do seu dog para que, desta forma, você busque-o com segurança.

Temos um artigo sobre o tema, veja: Chip para Cachorro: É útil? Como funciona?

Castração

E por fim, não podemos deixar de mencionar a importância da castração.

Afinal, com ela, é possível garantir que o seu cão fique saudável por mais tempo – e com menos estímulos ruins.

A castração ajuda em inúmeros fatores. Evitar fugas, é um deles.

Veja um artigo onde falamos tudo sobre o assunto: Verdades e mentiras sobre a castração canina.

O que fazer quando o cão foge?

Procurar pela região próxima da sua casa e perguntar para vizinhos.

Além disso, postar no grupo dos vizinhos e nas suas redes sociais, ajuda a trazer o seu cão de volta mais rapidamente.

Verifique também o GPS do chip, se o cão tiver.

Quando o cachorro foge, ele volta?

Em tese, sim. Afinal, ele consegue farejar o trajeto de volta e assim chegar novamente em casa.

No entanto, isso não é garantia de que ele volte sozinho. Afinal, ele pode, sim, se perder ou então se machucar por aí.

Por isso, é muito importante garantir que o seu cão fique seguro, confortável e tranquilo dentro de casa ou no quintal.

Não crie estímulos ruins para ele, gaste a energia do dog e faça o adestramento e socialização.

Tudo isso vai te ajudar a criar um cão mais calmo e tranquilo, mesmo com seus instintos que podem aparecer ao longo do dia.

Crie um ambiente seguro, confortável e com enriquecimento ambiental para o seu dog.

Assim ele ficará entretido e com menos estímulos para dar uma escapadinha.

Adote todas as medidas de segurança e cuide do seu dog!